Dor de cabeça

Dor de cabeça é o nome popular da cefaleia, que pode atingir qualquer ponto da área ocupada pela cabeça. Existe mais de um tipo de cefaleia, cada um deles exibe características específicas.

Assim, as dores de cabeça podem acometer o indivíduo em um único local, oscilarem de um ponto a outro de toda a região compreendida pela cabeça, latejarem, ou manifestarem-se de forma fixa, ou seja, sem vibrações.

dor de cabeça

Além disso, as cefaleias podem surgir repentinamente, ou apresentarem uma intensidade que avança paralelamente ao tempo. A duração de cada uma delas é bem variável, podendo levar parar após 30 minutos, ou se estender por dias. Estatisticamente, estima-se que mais de 60 milhões de pessoas da população brasileira apresentam cefaleias constantes. E esse número se refere a indivíduos das mais variadas idades.

Tipos de dores de cabeça

Dores de cabeça primárias

Essa variante de cefaleia é provocada em virtude da existência de estruturas suscetíveis à manifestação da dor, ou em decorrência de problemas com hiperatividade. No caso da cefaleia primária, a dor não surge devido a um segundo elemento. Isso significa que a dor irrompe sem ter sido influenciada por qualquer outro problema de saúde.

Dentre os eventos desencadeadores desse tipo de cefaleia estão uma possível contração da massa muscular cerebral ou coluna cervical, ou uma contração dos vasos sanguíneos, ou nervos, cerebrais, ou uma sequência de reações químicas dentro do cérebro. Existem ainda muitos casos em que a cefaleia primária é acarretada por conta da conjunção de um, ou mais, desses fatores. Some-se a isso o fato de que há indivíduos com maior tendência a desenvolver esse tipo de dor devido à presença de determinados genes.

Dentre as dores de cabeça primárias mais recorrentes estão a cefaleia tensional, a cefaleia em salvas, e a enxaqueca com aura.

Existem também outros arquétipos de cefaleia igualmente tratados como primários. Porém, eles são mais raros. Nesses casos, as dores reúnem aspectos bem peculiares, como o fato da dor ser vinculada à execução de tarefas específicas, ou apresentarem uma duração bem fora do comum. O número de características específicas pode denotar a influência de alguma enfermidade, responsável por atuar como catalisadora da dor.

Dentre essas outras cefaleias ainda consideradas primárias destacam-se a cefaleia que surge ao tossir, a cefaleia que se manifesta após a realização de atividades físicas, a dor de cabeça que vêm à tona diante da atividade sexual, e a dor de cabeça cotidiana, já considerada em estado crônico.

Dores de cabeça secundárias

A cefaleia secundária já indica a presença de alguma doença, responsável por originar a dor na respectiva região. Naturalmente, muitos problemas de saúde podem, em algum momento, gerar uma dor de cabeça. A intensidade da cefaleia sempre irá depender da doença em si e, principalmente, do estágio no qual ela se encontra.

Dentre algumas fontes de dores de cabeça consideradas secundárias pode-se apontar: aneurisma cerebral, tumor no cérebro, sinusite aguda, deformação dos vasos sanguíneos cerebrais ou má-formação arteriovenosa, concussão, coágulo sanguíneo cerebral, otite, desidratação, glaucoma, síndrome de Arnold Chiari, problemas dentários, ressaca, encefalite, meningite, artrite, gripe, síndrome do pânico, toxoplasmose, pressão intracraniana excessiva, neuralgia do trigêmeo, ingestão em demasia de analgésicos, e excesso de pressão exercida pelo uso contínuo de capacetes e similares.

Já as dores de cabeça secundárias mais específicas podem ser originadas devido a uma queda acentuada do índice de líquido cefalorraquidiano (consequência da realização de uma punção na coluna lombar, ou algum trauma), ou em virtude do consumo de alimentos ou líquidos extremamente gelados.

Principais causas das dores de cabeça

Noites mal dormidas

Ter um péssimo aproveitamento do sono também está na lista dos fatores que podem ocasionar dores de cabeça. Nessas circunstâncias, o corpo gera um volume muito baixo de melatonina, hormônio responsável por estimular a produção de elementos que agem como analgésicos naturais do corpo, evitando o desenvolvimento das cefaleias, inclusive enxaquecas. Ademais, indivíduos que não conseguem ter períodos de sono satisfatórios estão propensos a aumentarem as taxas de estresse, outro fator preponderante para a ocorrência das dores de cabeça, conforme será exposto a seguir.

O que Procura?
10 Surpreendentes Remédios Caseiros para Vertigem (Baseados em Evidências Científicas)

Excesso de estresse

Uma das causas mais frequentes das cefaleias nos últimos tempos é o estresse, o mal que caminha lado a lado com a sociedade moderna. Isso acontece porque ao ficar estressado, o organismo amplia a concentração de cortisol e adrenalina, o que por sua vez acelera o ritmo dos batimentos cardíacos. Essa sequência de processos leva à cefaleia porque ela culmina com a compressão dos vasos sanguíneos presentes ao redor da cabeça.

Por isso, é comum que indivíduos que estejam sofrendo pressão no trabalho acabem acumulando estresse e, por conseguinte, manifestando dores de cabeça frequentes, ocasionalmente diárias. Os especialistas alertam para o fato de que existem diversas situações que podem desencadear o estresse no ambiente de trabalho, como a possibilidade de demissão ou a cobrança exagerada de um membro com cargo de chefia.

Altas temperaturas

Pesquisadores do Centro Médico Beth Israel Deacones, situado nos Estados Unidos, constataram que o índice de cefaleias é amplificado em aproximadamente 7,5% toda vez que a temperatura acresce 5º C. Além disso, os cientistas também verificaram que ao ser associado à poluição, umidade relativa do ar, e pressão atmosférica, o calor sufocante se torna ainda mais determinante para a incidência das dores de cabeça.

A explicação para isso é que ao ser exposto a elevadas temperaturas, o corpo acaba ficando desidratado mais facilmente. Com isso, a entrada e saída das moléculas de potássio e sódio na região intracelular sofre grave interferência, o que resulta em uma falha nos processos metabólicos. Tudo isso favorece o aparecimento das dores de cabeça.

Negligência com a postura

A chamada cefaleia tensional pode ser ocasionada devido à ausência do devido cuidado com a postura. Nesse caso, a cefaleia ocorre porque os nervos que passam pela coluna vertebral tendem a serem contraídos, sendo que as dores resultantes da má postura são propagadas para a cabeça.

É importante salientar que quando as cefaleias alcançam patamares crônicos é bem provável que a fonte da dor vá muito além de má postura. Nessas situações as dores podem ser provocadas por uma hérnia cervical ou de disco, osteoporose, ou osteofitose (“bico de papagaio”), ocasionada por danos causados sobre as articulações vertebrais.

Alimentação

Existem determinadas escolhas do cardápio alimentar que podem ser o motivo daquela insistente dor de cabeça. Quem é extremamente suscetível a apresentar cefaleias, ou possui enxaqueca não deve exagerar no consumo de café, alimentos embutidos, frutas cítricas, chá preto, queijos amarelos, cebola, bebidas alcoólicas, sorvete, alho, e molho de soja. Todos esses alimentos detêm compostos aptos a desencadearem a cefaleia.

Essas opções alimentares provocam dores de cabeça porque estimulam o organismo a emitir um alerta, que vêm à tona sob a forma de dor. Quando o consumo de sorvete, por exemplo, ocasiona cefaleias, isso significa que o organismo registrou uma súbita elevação da temperatura corporal, o que para ele é sinal de perigo.

Não se alimentar corretamente

Deixar de suprir as necessidades nutricionais do organismo pode acarretar dezenas de problemas. Dentre essas complicações temos a hipoglicemia. A queda brusca da concentração de açúcar na corrente sanguínea pode resultar no aumento da síntese de adrenalina, o que leva à compressão dos vasos e às dores de cabeça.

Odores intensos

Embora ainda seja um mistério a correlação existente entre a exalação de determinados odores e as cefaleias, ela existe. As dores de cabeça provocadas pela exposição do corpo a determinados odores variam de indivíduo para indivíduo, podendo advir do cheiro da gasolina, cigarro, de produtos solventes, ou de fragrâncias muito intensas.

Esforço físico

Existem pessoas que, após passarem por relações sexuais ou concluírem uma bateria muito intensa de treinamento físico, podem vir a apresentar uma leve cefaleia. Entretanto, caso o indivíduo detenha enxaqueca a dor sentida por ser bem dolorosa. Além disso, dores de cabeça que surgem nessas condições também apontam para outras possibilidades, como um possível aneurisma.

Também é verdade que o sedentarismo pode causar o mesmo efeito. Logo, o que deve ser almejado é uma situação de equilíbrio. Para isso, basta efetuar atividades físicas regularmente, mas sem exageros. Assim, os vasos sanguíneos ficam dilatados, minimizando a incidência da cefaleia.

Como prevenir as dores de cabeça

Ao adotar algumas medidas, é possível diminuir sensivelmente os riscos de cefaleia.

Dentre essas ações altamente benéficas estão: praticar atividades físicas com regularidade; interromper o tabagismo; ter boas noites de sono; priorizar a escolha de alimentos saudáveis; manter a postura ereta; realizar exercícios mentais que favoreçam a conquista do relaxamento, como a meditação, ou ainda se dedicar à prática dos movimentos da ioga; utilizar pares de óculos apropriados, e efetuar alongamentos diários na área da coluna cervical e do tronco corporal.

O que Procura?
Neuralgia Occipital

A última dica deve ser seguida especialmente por aqueles que desempenhem funções à frente do computador.

Óleos Essenciais para Alívio da Dor de Cabeça / Enxaquecas

Quando procurar atendimento médico

Devido ao caráter extremamente subjetivo atrelado às razões que levam às cefaleias, essas dores jamais devem ser ignoradas. Afinal, uma simples, mas insistente cefaleia pode estar diretamente ligada a doenças graves, como encefalite, meningite, e acidente vascular cerebral (AVC).

Dessa forma, caso o indivíduo sinta uma cefaleia muito forte, ou repentina, é altamente recomendável que ele procure por atendimento médico o mais rapidamente possível. Deve ser encarada com igual preocupação a cefaleia que ocorra simultaneamente com outros problemas de saúde, como torcicolo, dificuldade para falar, desfalecimentos, confusão mental, náuseas e vômitos (que não tenham sua origem vinculada à gripe), sensação de dormência em uma região do corpo, febre superior a 39º, e problemas com a visão.

Existem outras particularidades da cefaleia que devem estimular o indivíduo a realizar uma consulta médica.

Portanto, o paciente deve notar se as dores de cabeça aparentam uma gravidade superior às outras cefaleias que ele tenha sofrido, se elas têm ocorrido constantemente, se não melhoram após o uso de analgésicos, se acometem o organismo subitamente, se surgiram após o câncer, se pioram no decorrer de 24 horas, se apareceram depois de sofrer alguma lesão na cabeça, se estão gerando grande impacto sobre a realização das atividades cotidianas de trabalho ou em casa, e se forem as primeiras dores de cabeça que o indivíduo sentir.

Além disso, quem estiver acima dos 50 anos e começar a sentir cefaleia pela primeira vez, substancialmente se a causa estiver correlacionada a problemas de mastigação ou à dificuldade para enxergar, também deve buscar orientação médica.

Cuidados e formas de tratamento

Relatório das dores

Elaborar um relatório diário sobre a cefaleia auxilia o paciente na descoberta da causa do problema. Assim, será mais fácil determinar qual ação cotidiana está contribuindo para a manifestação das dores. Logo, para interromper o processo dolorido bastará evitar certos hábitos.

Desse modo, sempre que o paciente for acometido pela cefaleia ele deve relatar quais alimentos foram consumidos nas últimas 24 horas, o dia e horário específicos em que o problema teve origem, quais são as atividades estressantes exercidas por ele, quantas horas de sono obteve na última noite, qual atividade estava efetuando no momento imediatamente anterior à sensação das dores, qual foi o tempo de duração delas, e qual medida foi adotada para cessar a cefaleia.

No entanto, para que esse relatório seja eficaz, ele deve ser mantido por um certo período. Com o tempo o paciente começará a enxergar um padrão entre o comportamento e as dores de cabeça.

Uso de analgésicos e demais medicamentos

No que tange às enxaquecas, elas costumam ser controladas com a ingestão de remédios especificamente desenvolvidos para tratá-las, ou com medicamentos não esteroides com função anti-inflamatória. Caso nenhuma dessas opções surta efeito, o paciente deve procurar orientação médica a fim de experimentar outras alternativas.

É importante observar que também existe o risco de superdosagem de medicamentos. Isso acontece com indivíduos que ingerem remédios para cefaleia durante três dias, ou mais, ao longo da semana. Esse hábito pode ocasionar as chamadas cefaleias de rebote, que podem ser provocadas até por um simples analgésico comercializado sem receita médica. Daí o risco de se automedicar com frequência. Caso desconfie que esteja tomando muitos analgésicos, o ideal é efetuar uma consulta médica.

Sempre que possível, todos os casos de cefaleia devem passar por orientação médica para que seja prescrito um remédio adequado. Existem situações em que o paciente seguirá a posologia independentemente de estar ou não sentindo dores de cabeça.

Compreensão sobre o agente catalisador da cefaleia

Quando o assunto é dor de cabeça, a maioria das pessoas está pronta para aconselhar um analgésico incrível e infalível. O problema é que, por mais que um medicamento resolva o problema de um indivíduo, é bem possível que ele seja inócuo para outro. Afinal, as origens da cefaleia podem ser igualmente distintas, exigindo outro tipo de tratamento.

Deve-se lembrar que as dores de cabeça podem surgir com mais frequência devido a alterações climáticas, oscilação do nível de hormônios, transtornos do sono, alimentação, jejum, e estresse. Porém, esses fatores são apenas os mais recorrentes, pois algumas pessoas podem sequer ter um único agente desencadeador das dores.

O que Procura?
Tosse Persistente e Refluxo Gastroesofágico

Sinais de cefaleias iminentes

A chamada enxaqueca com aura ocorre quando o referido problema é motivado pelo contato com a luz. Geralmente, essa enxaqueca apresentam sensações que funcionam como sinais de que a dor de cabeça está por vir. Essa espécie de presságio pode permanecer por alguns minutos ou se estender até uma hora. Logo após, o indivíduo sente uma cefaleia extremamente intensa. A enxaqueca com aura tem como principais sintomas a visão de pontos reluzentes, e uma sensação de dormência somente em um dos lados do corpo.

Porém, esse não é o único tipo de cefaleia que pode ser prevista. Em outras circunstâncias, antes de ser acometido pela dor de cabeça o paciente pode apresentar sonolência, euforia, irritação, ou inquietude. Outro sintoma bem característico de que uma cefaleia iminente é o desejo súbito por alimentos açucarados.

Existem ainda pessoas que demonstram sinais de futura dor de cabeça com até 24 de antecedência. Nestes casos, sentir muita fome e repetir o hábito de bocejar podem ser fortes indícios. Quanto maior for o período de antecipação das dores, melhor será o preparo para enfrentá-las e tratá-las.

Controle do estresse

Como exibido no decorrer desse artigo, os fatores que podem ocasionar dores de cabeça variados. No entanto, dentre todos eles o estresse é o mais presente no cotidiano de todos. Isso se deve ao ritmo de vida das pessoas que residem no meio urbano. Nessas regiões, elas têm de lidar com uma série de situações que podem aumentar o nível de estresse, como engarrafamentos no trânsito, trabalho em excesso, falta de tempo para o lazer, etc.

Como o estresse não é algo curável, o melhor a fazer é procurar prevê-lo. Assim, antes de sair de casa o ideal é que o indivíduo já visualize todos os possíveis desastres que podem acontecer e como se comportar diante deles. Por mais que todas as pessoas estejam sujeitas a situações imprevistas, grande parte dos problemas deixará de ser novidade. Desse modo, o choque sofrido lá adiante será menor, o que pode ajudar a diminuir a tensão do organismo.

Tratamento específico

Dentre os variados tipos de cefaleia, a enxaqueca é o que exibe o maior número de evidências, como sono, aumento da irritabilidade, náuseas, diarreia, vômitos, tristeza profunda, além da hipersensibilidade a ruídos, luminosidade, objetos em movimento, e odores.

Naturalmente, quando o paciente que sofre de enxaqueca toma um remédio para aplacar as dores, esta será a única função executada pelo medicamento. Isso significa que os demais sintomas precisam ser tratados separadamente, principalmente caso ocorram com bastante frequência. Os vômitos são preocupantes porque o paciente acaba expelindo a medicação analgésica. Nos casos mais graves, a crise de enxaqueca pode não ser suplantada, fazendo com que o indivíduo tenha que se deslocar a um pronto socorro a fim de ser medicado através de injeções. Se as ocorrências de vômitos forem muito fortes, é possível que o paciente também seja medicado com um antiemético.

Cardápio leve e hidratação corporal

Mesmo que a fonte da cefaleia não apresente ligação direta com os tipos de alimentos consumidos, é recomendável que o paciente mantenha um cardápio leve e beba bastante líquido. Essas medidas podem ser de grande valia durante as crises de cefaleia. Quando não existe o registro de vômitos, deixar de se alimentar por períodos muito longos pode até piorar o quadro.

Entretanto, em caso de vômito, o indivíduo deve suspender temporariamente o consumo de alimentos sólidos e buscar ajuda médica para definir qual é a gravidade desse sintoma.

A importância do repouso

Caso seja vítima de uma forte crise de dor de cabeça, é essencial que o indivíduo se desloque e repouse em um ambiente protegido ao máximo contra ruídos externos e excesso de luminosidade. Esse cuidado é importante porque durante essas crises é comum a ocorrência de distúrbios neuroquímicos, que têm como principal consequência o aumento da sensibilidade perante determinados estímulos sensoriais, como o ruído e a luminosidade.

Desse modo, sempre que sofrer dores de cabeça e estiver ao seu alcance, o paciente deve permanecer sentado, ou deitado, em um ambiente que contenha baixa ou nenhuma luminosidade, além de um constante silêncio. Como as enxaquecas apresentam diversos níveis de intensidade, é comum que as dores provocadas pelas versões menos potentes possam se dissipar apenas com a adoção dessa simples medida, isentando o paciente da necessidade de se medicar.

Remédios Caseiros



07. junho 2010 by admin

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *