Duarte Lima

Domingos Duarte Lima é natural de Poiares, freguesia de Peso da Régua, se em Direito, na Universidade Católica Portuguesa.

A sua carreira profissional foi repartida entre a advocacia e a política. Duarte Lima filiou-se no Partido Social Democrático (PSD), e em 1983 tornou-se deputado pelo círculo eleitoral de Bragança, na III Legislatura.

Voltou a ser deputado, sempre pelo mesmo círculo eleitoral, nas três legislaturas seguintes, o que fez com que se tornasse num dos históricos do parlamento, com 12 anos de atividade interrupta.

Duarte Lima Antes e Depois

Entre 1995 e 1999, esteve ausente do parlamento, voltando depois entre 1999 e 2002 de 2005 a 2009. Ganhou ainda mais relevo na vida política portuguesa ao chefiar o Grupo Parlamentar do PSD e a Comissão Política Distrital do PSD de Lisboa. Ocupou ainda outros cargos de importância como a vice-presidência de comissão Política Nacional do PSD e por último, foi membro da Delegação Portuguesa à Assembleia da NATO

Aos 42 anos, curiosamente numa Sexta-feira 13, Duarte Lima que sofria de leucemia, ficando desde logo internado no Instituto Português de Oncologia (IPO). Num exame de rotina, para um seguro, Duarte Lima descobriu que estava sem plaquetas e que corria risco de vida. Duarte Lima afirmou posteriormente, que aquele dia foi um dia de sorte, uma vez que se não tivesse feito o exame, provavelmente teria falecido poucos dias depois.

A leitura e a música seriam aspetos fundamentais no seu processo de recuperação. Duarte Lima chegou mesmo a ter um pequeno piano eletrónico no seu quarto do IPO. O antigo deputado, sempre esteve intimamente ligado à música. No Liceu tocou numa banda de rock e na faculdade foi maestro e fundador do coro da sua Universidade. Hoje em dia, continua a tocar órgão, esporadicamente, em diversas igrejas.

Ao recuperar da leucemia, foi um dos fundadores e principais impulsionadores da Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) e tornou-se ainda um dos elementos da Comissão de Ética do Instituto Português de Oncologia de Lisboa. A APCL conseguiu mediatismo imediato, principalmente devido ao concerto de beneficência realizado em 2002, no Pavilhão Atlântico, que contou com a presença de nomes como Rui Veloso, Luís Represas e do famoso tenor argentino José Cura. Também em 2002, Duarte Lima iniciou uma participação no jornal Expresso, como cronista.

Em Outubro de 2011, Duarte Lima tornou-se a notícia do momento ao ser acusado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, do assassínio da também portuguesa Rosalina Ribeiro. Por detrás do crime, estaria a herança deixada por Luís Tomé Feiteira, um próspero industrial português, que no pós 25 de Abril se refugiou no Brasil, onde permaneceu até ao ano da sua morte, em 2000.

A fortuna do milionário português está espalhada por contas bancárias em diversos países, como Portugal, Brasil, Suíça, Estados Unidos da América e Inglaterra, e ainda é constituída por um vasto património imobiliário, não se sabendo ao certo qual o valor total da soma. A herança foi fortemente disputada pela filha de Tomé Feiteira e por Rosalina Ribeira, que foi secretária e amante do empresário.

Depois da morte de Tomé Feiteira, Rosalina Ribeiro ficou com o controlo total das contas bancárias, transferindo avultadas somas para contas fora de Portugal, em seu nome e em nome de terceiros. Segundo a justiça brasileira, Duarte Lima, o seu advogado terá recebido uma transferência no valor de aproximadamente 5 milhões de euros.

Quando soube que a filha de Tomé Feiteira, Olímpia de Azevedo Tomé Feteira de Menezes, havia interposto processos na justiça portuguesa contra Rosalina Ribeiro, Duarte Lima tentou ilibar-se de responsabilidades, fazendo com que Rosalina assinasse uma declaração afirmando que ele não havia recebido qualquer verba proveniente dela. A recusa de Rosalina em assinar a declaração terá sido o principal móbil do crime.

As contradições de Duarte Lima ao afirmar que nunca havida visitado a cidade de Maricá, quando na verdade o carro que alugou no rent-a-car foi apanhado na zona em excesso de velocidade, tornaram-no no principal suspeito, ao ponto da justiça brasileira ser perentória na acusação formulada, afirmando que “foi Duarte Lima quem disparou os tiros que mataram Rosalina Ribeiro”. Ao pedido de prisão preventiva emitido pelo Ministério Público brasileiro, seguiu-se um mandato de captura internacional, emitido pela Interpol.

Duarte Lima reagiu às acusações através de um comunicado, onde classificava as suspeitas que sobre si recaíam como “hediondas”, e afirmando que iria provar a sua inocência, junto das instâncias judiciais competentes.

Apesar de Duarte Lima continuar em paradeiro incerto, os seus advogados brasileiros apresentaram um pedido de libertação imediata, argumentado que a detenção fora ilegal. Um processo legalmente conhecido como habeas corpus. Caso o pedido fosse aceite, Duarte Lima poderia continuar a deslocar-se de forma livre, durante o julgamento. O pedido de habeas corpus foi retirado pouco depois, dado que no seu texto continha diversas contradições, transmitindo a ideia que Duarte Lima estaria de fato detido.

Em 16 de Novembro de 2011, todo o caso continuava num impasse, uma vez que o Procurador-geral da República Portuguesa (PGR), Pinto Monteiro, ainda não havia recebido qualquer informação oficial das autoridades portuguesas. Uma vez que Portugal, não extradita cidadãos nacionais, especula-se que Duarte Lima pode vir a ser julgado em Portugal, dado que o crime foi cometido contra outra cidadã portuguesa.

Atualização – 17 de Novembro de 2011

Duarte Lima e o filho Pedro Lima foram presos nas primeiras horas da manhã de quinta-feira, 17 de Novembro de 2011 em Lisboa pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária. O arguido terá sido surpreendido durante as primeiras horas da manhã na casa onde estaria actualmente, na rua Visconde de Valmor, em Lisboa.

Pesquisar Mais Famosos Antes e Depois de A a Z:

IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT
IMG_HOVER_TEXT

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Esta matéria tem 1 Comentário
  1. carlos ruano Reply

    afinal o homem nasceu em miranda do corvo em 1955 ou em miranda do douro em 1956 ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:19 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)