Dúvidas Frequentes sobre Implantes Dentários – Perguntas e Respostas

Dúvidas Frequentes sobre Implantes Dentários

A ausência de dentes não representa apenas um inconveniente de carácter estético, mas também funcional, que em parte poderá interferir no bom funcionamento do organismo.

Apesar de não ser um dado muito divulgado, a verdade é que, muito frequentemente, pessoas com falta total ou parcial de dentes costumam apresentar taxas bem mais elevadas de problemas estomacais, o que se deve, primordialmente, à acção nociva que alimentos mal triturados poderão exercer no estômago, podendo até resultar em problemas como úlceras e gastrites.

Assim sendo, é importante nunca negligenciar os problemas que daí poderão advir, caso contrário estará a contribuir para colocar a sua saúde desnecessariamente em risco.

Ler Também: Implantes Dentários Baratos

Felizmente, com os avanços tecnológicos que caracterizam os dias de hoje é cada vez mais fácil e económico ter acesso a alternativas de substituição dentária que lhe permitirão recuperar a capacidade de proceder a uma mastigação correcta dos alimentos.

Perguntas e Respostas

Eis algumas perguntas e respostas extremamente pertinentes em relação ao assunto:

Em que consiste um Implante Dentário?

Um Implante Dentário representa um procedimento cirúrgico que tem como objetivo primário a colocação de próteses dentárias fixas através do auxilio de pinos de titânio fixados no osso mandibular ou maxilar, onde estão localizadas as raízes dos dentes.

Que tipos de Implantes Dentários existem?

Implantes convencionais: Estes são os mais populares e utilizados implantes em todo o mundo, e geralmente atendem as necessidades da esmagadora maioria das pessoas.

Implantes curtos: São utilizados unicamente em zonas onde o paciente não possua a quantidade de osso requerida para a colocação dos implantes mais convencionais.

Implantes pterigoide: Estes implantes são fixados na região posterior da maxila e possuem um comprimento que poderá variar entre os 18 e os 21 cm. São indicados para pacientes que tenham perdido imenso osso ao longo dos anos.

Implantes zigomáticos: São fixados no osso zigomático, também conhecido como “maçã do rosto”. Geralmente destinam-se a pacientes que tiveram reabsorções ósseas, e é um procedimento que só poderá ser efectuado num hospital, sob o efeito de anestesia geral.

Ler Também: Implantes em Crianças

Como saber qual o melhor tipo de Implante Dentário?

O melhor tipo de implante será determinado pelo seu dentista, após uma avaliação atenta e cuidada de todas as características do seu problema.

Este procedimento causa dor?

Geralmente, não, na medida em que são sempre colocados após a aplicação de anestesia. A anestesia poderá ser local ou geral, dependendo muito da gravidade do caso e da pessoa a ser submetida à cirurgia.

Quanto tempo demora o procedimento?

Regra geral, uma cirurgia de implante dentário deverá demorar em torno de 1 hora. No entanto, isto poderá variar significativamente consoante cada caso, não sendo possível, por isso, dar uma resposta concreta a esta questão.

Em que casos é indicado um transplante dentário?

Um transplante poderá ser indicado para qualquer caso que envolva a perda total e parcial de dentes. Não possui quaisquer tipos de contra-indicações, e poderá ser efectuado em pessoas de qualquer idade, até mesmo naquelas que sofram de determinados problemas de saúde mais sérios, como é o caso de diabetes e complicações cardíacas.

Quanto tempo o paciente terá de esperar até ter uma mastigação normal?

Três dias após a cirurgia o paciente já se encontrará apto a mastigar alimentos de consistência mole, como é o caso de arroz, massas e peixe. Já para alimentos mais sólidos, aconselha-se que o paciente espere pelo final de todo o tratamento, que poderá variar entre 3 e 4 meses.

Quanto tempo dura um implante?

O tempo de duração para um implante bem efectuado é indeterminado, e existem já casos que ultrapassam os 30 anos. No entanto, o tempo de duração da prótese irá variar consoante o material da mesma, sendo que, no caso da resina. poderá durar em média 10 anos, e no caso da cerâmica em torno de 20 anos.

Como deverá ser feita a higienização?

A higiene dentária deverá continuar a ser feita exactamente como se fosse efectuada em dentes naturais, e sempre sem esquecer as visitas periódicas ao dentista.

Os implantes são melhores do que as dentaduras?

Apesar de ambos representarem uma alternativa importante na reposição de dentes perdidos, não há dúvida de que, de momento, o implante dentário constitui a melhor opção de tratamento a que poderá ter acesso, e aquela que melhores resultados lhe poderá vir a oferecer. As vantagens principais apresentam-se a nível de mastigação, fixação, conforto e facilidade de limpeza, o que faz dos implantes a alternativa que melhor consegirá simular a funcionalidade dos dentes naturais.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Esta matéria tem 3 Comentários
  1. maria de souza Reply

    enho 48 anos , tirei todos os dentes d parte superior com apenas 14 anos de idade , e com o passar do tempo fui perdendo os dentes da parte inferior pois tive gengivite ou periondotite nao bem ao certo minha gengiva sangrava e meus dentes foram amolecendo e caindo . queria saber se posso fazer implantes no meu caso quanto custa pois sao as partes superior e inferior gostaria que mim indicassem dentistas serios e com muita experiencia em implantes dentarios ,.obrigado

  2. Daniel Fonseca Reply

    Olá. Gostaria de saber em média qual o preço do implante dentário equivalente a um dente só.

  3. maria de Fatima Reply

    quero saber oque vai entre o dente e o pino, parafuso para fquixa-lo ? Fiquei sabendo que colocado vedarrasca .è verdade ? Pensei que fosse um outro matérial os da obturações?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 5:20 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)