Ejaculação Precoce

A ejaculação precoce, sendo a disfunção sexual nos homens mais generalizada, pois que afecta um terço da população masculina, é também a que se cura mais facilmente. A ejaculação prematura ou precoce é uma ejaculação não controlada, que acontece logo após a penetração, por vezes, mesmo antes desta.

Trata-se, de facto, de um problema puramente psicológico que ocorre, com frequência, desde as primeiras relações. Com o tempo, esta perturbação funcional, associada à ansiedade e ao receio das relações sexuais, pode instalar-se e tornar-se num verdadeiro reflexo ao ponto de o homem não se aperceber do início da ejaculação.

Num jovem, isto nem chega a ser um problema uma vez que, em poucos minutos, consegue uma nova erecção e, assim, limitar o sentimento de frustração sentido pela companheira. Porém, os anos passam, este período de latência prolonga-se e a questão torna-se perturbadora.

Tratamento da ejaculação precoce, causas, exercicios, sintomas e medicamentos para cura.

O Que fazer? Agir, desde o início, sobre o próprio sintoma, por meio de técnicas de relaxamento e reeducação tipo “pára, arranca”, um método de estimulação que o casal pratica e ajuda o homem a dominar-se. Estes exercícios, que o homem efectua sozinho ou com a companheira, podem ser associados a determinados medicamentos psicotrópicos que atrasam a ejaculação.

Sempre administradas sob vigilância médica, tais substâncias reduzem a ansiedade e permitem ao homem recuperar a confiança, desde o momento em que consegue ter uma cópula de duração normal. Em 80 por cento dos casos este tratamento é suficiente. Noutras situações, uma ajuda psicoterapêutica é necessária para regularizar problemas relacionais mais complexos.

Extra – Cuidado com os afrodisíacos

Com o aparecimento e incremento das sex shop, o sortido de produtos e aparelhos com alegados efeitos afrodisíacos não tem parado de aumentar. Contudo, os médicos são cépticos quanto à eficácia dos mesmos.

Alguns não hesitam em classificar estes métodos como contraproducentes, quer na vertente dos efeitos secundários psicológicos, quer de eventuais reacções físicas adversas que possam resultar do seu uso. Para uma avaliação rigorosa, convém ter presente que nenhuma destas maravilhas da tecnologia obedece a controlo médico, nem foi concebido com o suporte ou intervenção de especialistas na área da sexologia.

Inclusivamente, sob o ponto de vista clínico, na maioria, são encarados apenas como fétiches. No entender dos técnicos da área, o segredo do sucesso neste campo continua a residir no estímulo e no saber tirar os devidos proveitos da simbiose que pode resultar do processo de descoberta mútua. Antes de começar a percorrer as lojas da especialidade, tente entender que tipo de causas, realmente, estão na origem da insatisfação da sua vida sexual.

Não descure a importância de uma ajuda, pois cada caso é um caso, e a causa dos sintomas pode ser multivariada. “Daí, a importância de fazer uma correcta avaliação das vigências de cada pessoa por um técnico de saúde credenciado”, sustenta Guimarães Lopes.

Na área farmacêutica, no nosso país, existem medicamentos disponíveis e com indicação terapêutica para o tratamento da disfunção eréctil masculina: o Caverject e o Viagra, à base de uma nova substância: o Silnedafil, que resulta pela sua acção vasodilatadora.

Os fortificantes também podem demonstrar uma acção positiva nesta área, “como terapêutica associada, por estimularem a função circulatória. Para além disso, o facto de combaterem a fadiga física e psíquica é um contributo indirecto para melhorar a disfunção sexual“, defende a médica Ana Cavaleiro, especialista de Clínica Geral.

Outras soluções de tratamento:

–  Hipnoterapia

Ler também:

Problemas Sexuais femininos e Masculinos

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Esta matéria tem 1 Comentário
  1. rachid Reply

    Bem, gostei de ler sobre a ejaculação precoce porque era algo que á bastante tempo me preocupava. Mas agora após ter lido sobre a materia estou mais aliviado. Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:12 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)