Endocardite - Tratamento, Sintomas, Causas, Prevenção e Diagnóstico
Fotos Antes e Depois

Endocardite

A endocardite é uma doença dos músculos e das válvulas cardíacas.

O coração possui quatro câmaras ou divisões designadas por aurículas e ventrículos, direitos e esquerdos. Existem válvulas (portas) entre estas câmaras do coração.

Com a endocardite, crescem bactérias nos músculos e nas válvulas cardíacas. Quando causada por um agente infeccioso como uma bactéria ou fungo, chama-se endocardite infecciosa.

Endocardite Infecciosa

Causas da endocardite infecciosa

A endocardite infecciosa é provocada por germes, habitualmente bactérias. Existem diferentes tipos de bactérias que podem estar na origem de uma endocardite.

Algumas bactérias são piores do que outras e podem provocar uma endocardite grave. Penetram no corpo de diversas formas.

Cirurgia ou procedimentos executados nas seguintes partes do corpo:

Pulmões.
Amígdalas.
Intestinos ou esófago (canal que conduz os alimentos ao estômago).
Vesícula biliar.
Próstata.
Utero, como no caso de uma histerectomia ou no caso de se dar à luz um bebé num período que coincida com uma infecção.

Procedimentos no sistema urinário:

Introdução de um cateter na bexiga.
Dilatação da uretra (canal que transporta a urina para fora do corpo).

Injecção de drogas:

Os procedimentos dentários podem fazer com que a placa bacteriana e as bactérias se soltem das gengivas e dos dentes, penetrem no sangue e se desloquem até ao coração

Sinais e sintomas de endocardite infecciosa

Poderá apresentar um ou mais do que um dos seguintes sintomas:

Febre, suores nocturnos ou sensação de frio.
Fraqueza, dores musculares e nas articulações.
Torcicolo, dores de cabeça ou confusão.
Paralisia de um ou de ambos os lados do corpo e dificuldades de raciocínio.
Frio e dores nos braços, mãos, pernas e pés.
Sangue na urina e expectoração (escarro).
Parte branca dos olhos raiada de sangue.
Palidez.
Pequenas manchas vermelhas ou purpúreas, chamadas petéquias, na pele.
Falta de ar, tosse e dores no peito.
Batimentos cardíacos irregulares.
Som cardíaco extra quando o médico lhe ausculta o coração.
Baço de grandes dimensões.
Veias do pescoço pronunciadas.

Diagnóstico

Poderá ter de fazer um ou mais do que um dos seguintes exames. Estes poderão repetir-se à medida que evoluir o tratamento da doença.

Solicite ao seu médico a respectiva Nota de Tratamento, se desejar obter mais informações sobre os seguintes exames:

Análises ao sangue.
ECG.
Ecocardiograma.
Ecocardiograma transesofágico.
Radiografia torácica.
Tomografia computorizada.
Cateterização cardíaca.
Cintigrafia de ventilação e perfusão pulmonar.

Cuidados a ter

DEPOIS DE TER ALTA:

Siga sempre as instruções do médico ao tomar os medicamentos. Contacte-o, se achar que os medicamentos não estão a ajudar ou se notar efeitos secundários.

Não deixe de os tomar sem consultar previamente o médico. Mantenha uma lista dos medicamentos que está a tomar, incluindo a indicação de quando os deve tomar.

Leve a sua lista de medicamentos ou os frascos dos comprimidos sempre que for ao médico. Informe-se sobre a razão pela qual está a tomar cada um dos medicamentos.

Peça ao seu médico mais informações sobre os seus medicamentos.

Comunique a qualquer médico, dentista ou profissional de saúde o facto de ter tido endocardite e da necessidade de tomar antibiótico antes e após determinados tratamentos.

O médico saberá se o tratamento planeado necessita, ou não, de profilaxia antibiótica (tratamento preventivo) para a endocardite infecciosa.

Poderá ser possível fazer o tratamento em casa a partir do momento em que tiver começado a controlar a endocardite.

O tratamento da endocardite poderá demorar seis semanas ou mais. Poderá necessitar de fazer mais análises ao sangue para ver se está a melhorar da endocardite.

Também poderá necessitar de antibióticos antes de se submeter a um tratamento dentário ou a outros procedimentos.

Tomar um antibiótico antes poderá ajudar a evitar que as bactérias originem o regresso da endocardite. Quando tomar antibióticos, tome-os até ao fim do prazo indicado pelo médico.

Poder-lhe-ão receitar medicamentos diuréticos ou “comprimidos para urinar”.

Os diuréticos ajudam-no a libertar o líquido em excesso acumulado no corpo e nos pulmões, o que o\a poderá ajudar a respirar mais facilmente. Os diuréticos fazem-no urinar com mais frequência.

Poder-lhe-ão receitar medicamentos para o coração para melhorar e regularizar os batimentos cardíacos. Existem diversos tipos de medicamentos para o coração.

Converse com o médico e saiba qual é o medicamento que está a tomar e por que o está a tomar.

A aspirina ajuda a tornar o sangue menos denso e a evitar a formação de coágulos de sangue. Se o médico lhe recomendar a aspirina diariamente, não a substitua por paracetamol ou ibuprofeno.

Não dê ao seu filho aspirina ou qualquer outro medicamento com aspirina se ele tiver menos de 18 anos.

Dar aspirina ao seu filho quando ele está doente pode causar uma doença muito grave denominada síndroma de Reye.

Leia os rótulos dos medicamentos e veja se os medicamentos do seu filho contêm aspirina.

Se estiver a tomar medicamentos que o façam sentir-se sonolento/a, não conduza nem manuseie equipamento pesado.

Assegure-se de que possui uma consulta de seguimento marcada. Anote quaisquer questões que tenha sobre a endocardite e sobre a forma como está a ser tratada.

Lembrar-se-á, assim, de colocar todas estas questões durante a sua próxima consulta.

O exercício físico e outras actividades podem fazer com que o corpo necessite de mais oxigénio, o que obriga o coração a esforçar-se mais.

Poderá ter de diminuir as suas actividades, podendo não lhe ser permitido fazer qualquer espécie de exercício mais violento.

Poderá, inclusivamente, precisar de ficar de cama durante algum tempo, até melhorar.

Lave os dentes ou bocheche a boca duas a três vezes ao dia. É melhor fazê-lo após as refeições. Lave delicadamente os dentes e as gengivas com uma escova macia.

Consulte o seu dentista regularmente. É importante fazer o seguinte, se estiver a tomar um anticoagulante:

  1. Informe o seu dentista, bem como quaisquer outros médicos, sobre o facto de estar a tomar um anticoagulante.
  2. Esteja atento ao aparecimento de sangue nas gengivas, nariz, urina ou fezes.
  3. Não pratique desportos de contacto pois pode sangrar ou sofrer contusões facilmente.
  4. Poderá precisar de usar meias de descanso, também conhecidas como meias elásticas. Estas ajudam a diminuir o inchaço nas pernas. Também evitam que o sangue se acumule nas pernas, provocando coágulos.
  5. Meça a temperatura todos os dias durante um mês. Anote-a num caderno de registos.

Contacte o seu médico se

Tiver febre superior a 38,5ºC.
Tiver arrepios, tosse ou sentir fraqueza e dores.
Não conseguir ou não quiser comer.
Se sentir mais cansado/a do que o habitual.
A sua pele estiver pruriginosa, inchada ou com uma afecção cutânea. Os medicamentos poderão estar na origem destes sintomas, o que poderá significar que é alérgico/a a eles.
Tiver questões ou preocupações sobre a sua doença ou medicamentos.

Procure imediatamente ajuda se

De repente, tiver dificuldade em respirar. Isto poderá ser um sinal de que tem um coágulo de sangue no pulmão. Também poderá significar que é alérgico/a ao medicamento que está a tomar.
Sentir os batimentos cardíacos irregulares, demasiado acelerados ou lentos.
Se sentir demasiado tonto para estar de pé.
Apresentar sinais de um ataque cardíaco:
Dores no peito que irradiem para os braços, maxilares ou costas.
Náuseas (enjoos).
Dificuldade em respirar.
Suores.

Isto é uma emergência. Ligue para o 112 e solicite que o levem ao hospital ou clínica mais próxima. Não conduza você mesmo!

Tratamento

O tratamento da endocardite depende do ponto a que chegou a doença.

Poderá precisar de ficar internado/a durante uma a seis semanas. Poderá ainda necessitar de um ou mais do que um dos seguintes tratamentos:

    • Antibióticos para tratar a infecção – Poderá ver-se obrigado/a, para o resto da vida, a tomar um antibiótico antes de qualquer tratamento dentário ou de outros procedimentos, para evitar nova infecção.
    • Diálise para limpar o sangue, caso os rins deixem de funcionar.
    • Oxigénio administrado através de uma máscara colocada sobre a cara e o nariz ou através de sondas nasais (tubos pequenos e finos introduzidos no nariz).
    • Medicamentos anticoagulantes e aspirina para tratar ou evitar a formação de coágulos de sangue.  
    • Diuréticos para eliminar o líquido em excesso acumulado no corpo e nos pulmões.
  • Medicamentos para o coração com o objectivo de tratar batimentos cardíacos anómalos e ajudar ao fortalecimento.
  • A morfina é um medicamento que não só diminui as dores, como também pode ajudar a facilitar a respiração. Esta torna-se mais facilitada quando os pequenos vasos sanguíneos dos pulmões se dilatam. O líquido deixa de ser empurrado para os pulmões quando os vasos estão alargados (dilatados).
  • Vasodilatadores para abrir vasos sanguíneos e para que o coração não tenha de bombear enfrentando uma pressão tão elevada.
  • Cirurgia de substituição de uma válvula cardíaca.

 

» Conheça os Principais Sintomas de Alerta de Doença Cardíaca

Atualizado em 13 Janeiro 2018

2 Comentários no Fórum

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. tenho miocardoipatica hipertrofica congenita ,a 5 dias fiz um tratamento dentario de invasao com cortes na boca ,estou tendo febre de 38de temperatura e estou ficando muito cansada,e tendo muitos calafrios.peco orientacoes em como fazer para tomar remedios e qual seria.

  2. Eu estou a tomar o varfine .estou com uma depreçao poderei tomar o medicamento prozak fluoxetina 20mg

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade

Isensão de Responsabilidade: A nossa plataforma foi criada com o objetivo de facilitar o acesso a informação de valor "Ciência com Saúde", baseada em estudos científicos. Tudo o que publicamos tem uma base científica. No entanto, nenhuma das publicações têm o objetivo de servir como diagnóstico, sendo sempre indicada consulta médica. O mesmo se refere a tratamentos, clínicas, suplementos e medicamentos indicados. A indicação, dosagem, e forma de uso é apenas ilustrativa, não estando indicada a automedicação ou suplementação sem antes haver indicação médica profissional. O mesmo se refere aos preços dos produtos por vezes indicados. Esses valores são baseados no ano de 2018 e servem apenas como informação auxiliar, não estando a nossa plataforma de nenhuma forma a ligada a essas empresas.