Esclerose múltipla e tabagismo: uma ligação perigosa

A esclerose múltipla (EM) é uma doença inflamatória do sistema nervoso que afeta 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo – e é a segunda principal causa de incapacidade neurológica em pacientes entre 20 e 40 anos (a 70% mulheres ).

Existe uma falha no sistema imunológico, responsável por nos proteger de doenças, que reagem atacando a mielina, uma substância que facilita a transmissão de impulsos nervosos.

A maioria dos afetados apresenta surtos que persistem por pelo menos 24 horas.

Esclerose Múltipla

Um artigo publicado nos Archives of Neurology de Julho analisa a relação entre o tabagismo e a progressão da esclerose múltipla.

Já se sabia que os fumadores apresentam um maior risco de desenvolver esta doença inflamatória crónica, desmielinizante e degenerativa do sistema nervoso central.

Agora, a equipa de Brian Healy, de Boston, nos EUA, concluiu que os doentes com esclerose múltipla fumadores tendem a evoluir para estádios mais graves da patologia de modo mais célere do que os doentes não fumadores.

Este estudo incluiu 1465 doentes com esclerose múltipla clinicamente diagnosticada, com uma idade média de 42 anos e nove anos e quatro meses, em média, de vivência com a doença.

Destes, 780 nunca haviam fumado, 428 eram ex-fumadores e 257 fumadores.

Os resultados evidenciam que os fumadores têm mais tendência a apresentar esclerose múltipla primariamente progressiva.

Outra das conclusões é que estes tendem a evoluir da fase de surto/remissão para a da esclerose múltipla secundariamente progressiva mais rapidamente do que os doentes que nunca experimentaram um cigarro.

Os autores concluíram que o tabagismo tem uma influência negativa na progressão da esclerose múltipla, chegando mesmo a acelerar a evolução da doença.

Conheça 12 Tratamentos Naturais para Esclerose Múltipla

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 23/07/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 23/07/2018 às 9:30 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)