Espru Celíaco

ESPRU CELÍACO – CAUSAS, SINTOMAS E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO
. O Espru Celiaco é Causado por uma reação imune ao glúen na dieta
. Principais manifestações são de má absorção: fezes volumosas, pálidas, espumosas e gordurosas (esteatorréia); distensão abdominal, flatulência, perda ponderal e evidências de deficiência de vitaminas lipossoluveis
. Anemia hipocrômica ou megaloblástica; absorção anormal da D/xilose; aumento da gordura fecal nas análises quantitativas
. Anticorpos IgA antiendomísio, anticorpos contra a transglutaminase tecidual e antigliadina são positivos na doença; e se forem negativos, ajudam a excluir o diagnóstico
. Padrão de deficiência na radiografia de intestino delgado; atrofia vilosa na biopsia de intestino delgado

ESPRU CELÍACO DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
. Doença de Crohn
. lntolerância à lactose
. Alça cega funcional (especialmente diverticulose jejunal)
. Tuberculose intestinal (pode estar associada ao espru celíaco)
. Linfoma intestinal (também pode complicar o espru celíaco)
. Doença de Whipple
. Disfunção pancreática

ESPRU CELÍACO TRATAMENTO
. Para o espru tropical: reposição de acido folico, vitamina B12, se necessário; tetraciclina ou sulfametoxazol-trimetoprim durante 1 a 6 meses
. Eliminação completa do glúten da dieta (i. e., trigo, centeio, cevada e aveia) pode ser monitorada através dos anticorpos IgA antigliadina; suplementação de vitaminas (especialmente B12 e cálcio); esteróides são usados apenas em alguns pacientes que possam estar apresentando reação fulminante à reintrodução do glúten na dieta

Dica
Ocorre achatamento das vilosidades intestinais nos locais de contato com o glúten; se o glúten for introduzido por sonda nasogástrica depois da parte superior do intestino delgado, esse segmento do intestino será poupado.
Referência
Green PH, Jabri B: Coeliac disease.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 2:25 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)