Os Exames de Sangue Mais Comuns: O que são, Preparação e Possíveis Riscos

O que são? As análises ou exames de sangue permitem aos médicos avaliar o estado de saúde de uma pessoa através da análise das células, das substâncias químicas, das proteínas e de outras substâncias que se encontram no sangue.

Exames de Sangue

Algumas análises são recomendadas regularmente para verificar se os níveis no sangue de determinadas células ou substâncias químicas se encontram dentro dos valores normais. Outras são realizadas para ajudar a diagnosticar determinados problemas de saúde, tais como a anemia ou a diabetes.

Existem dois métodos típicos para obter uma amostra de sangue. Um, denominado punção venosa, que consiste na aspiração de sangue com uma seringa de uma veia, geralmente no sangradouro, isto é, na superfície interna do braço perto do cotovelo.

O outro, denominado picada do dedo, que é realizado pela punção de um dedo com uma lanceta para obter uma pequena quantidade de sangue capilar. O método usado depende da quantidade de sangue que é necessária para a análise que se vai realizar.

Para que são usados os exames de sangue

Os exames de sangue podem ser utilizados para rastrear ou detectar uma grande variedade de doenças e distúrbios, sendo também úteis para determinar a eficácia de tratamentos para muitas doenças diferentes. Os tipos de problemas para os quais os médicos pedem exames de sangue incluem:

  • anemia
  • desequilíbrios químicos no organismo (por exemplo, dos iões)
  • alterações na coagulação do sangue
  • infecções
  • inflamações
  • doenças renais
  • alterações na função hepática
  • doenças do pâncreas
  • doenças cardíacas
  • níveis hormonais (por exemplo, avaliação da função da tiróide)
  • intoxicações (por exemplo, por chumbo)
  • alergias.

Preparação

análises de sangue

Não é necessária nenhuma preparação para um exame de sangue. A pessoa deve comunicar ao médico quaisquer medicamentos que esteja a tomar, tanto sujeitos a prescrição médica como de venda livre. Alguns medicamentos podem elevar ou baixar os níveis de determinadas substâncias no sangue, interferindo com a precisão dos resultados do exame de sangue.

Os resultados da análise podem ser afectados por muitos factores, incluindo:

  • a idade
  • o sexo
  • a etnia
  • os medicamentos usados
  • a história clínica e a saúde em geral
  • a dieta
  • o cumprimento das instruções de preparação para a análise (nalguns casos)
  • as variações nas técnicas laboratoriais.

Caso tenha tido tonturas ou tiver desmaiado quando foi submetido a exames de sangue no passado, deve comunicá-lo ao profissional de saúde antes deste começar a tirar-lhe sangue. Durante a colheita de sangue deve deitar-se na horizontal e, no final, deve sentar-se durante alguns minutos. Deve ter cuidado quando se levantar.

Como são realizados os exames de sangue

Um indivíduo treinado para proceder a colheitas de sangue irá realizar o procedimento. Se o sangue for colhido num laboratório, a pessoa que tira o sangue é quase sempre um técnico especializado em colheitas de sangue. Se a pessoa estiver num consultório médico ou no hospital, o técnico de análises clínicas, o enfermeiro ou o médico irão proceder à colheita de sangue.

O primeiro passo consiste em limpar a área de onde o sangue será colhido utilizando uma solução anti-séptica. O sangue é geralmente colhido de uma veia na dobra do cotovelo (sangradouro) ou, por vezes, na face posterior da mão.

É colocada uma banda elástica (garrote) em volta da parte superior do braço, bloqueando o fluxo de sangue do braço e fazendo com que as veias fiquem dilatadas. Uma agulha esterilizada descartável é inserida na veia, sendo o sangue aspirado através da agulha por uma seringa ou por um tubo de plástico com vácuo.

A banda elástica é removida do braço e, em seguida, é removida a agulha. É colocado um penso sobre o local da punção e é aplicada pressão para parar a hemorragia.

A amostra de sangue será enviada para um laboratório para análise.

Seguimento

Os resultados do laboratório deverão estar disponíveis ao fim de, aproximadamente, 2 a 4 dias para a maior parte dos exames de sangue. Os resultados de algumas análises especiais podem só ficar disponíveis ao fim de 7 a 10 dias. O médico irá contactar o doente mais cedo se os resultados das análises implicarem tomar medidas urgentes.

Riscos

colheita de sangue

Praticamente não existem riscos ou complicações associados à colheita de sangue. Dependendo da acessibilidade das veias, o profissional de saúde que procede à colheita de sangue pode não ser bem sucedido na primeira tentativa. Algumas pessoas têm veias pequenas ou veias que não são visíveis à superfície da pele.

A pessoa pode sentir uma dor ligeira ou uma sensação de aperto ou picada quando a agulha é introduzida na veia. Algumas pessoas sentem uma palpitação no braço causada pela banda elástica apertada que é utilizada para que as veias fiquem ingurgitadas.

Por vezes infiltra-se uma pequena quantidade de sangue a partir da veia no local onde a agulha foi inserida, o que causa uma equimose (“nódoa negra, ou mancha roxa”) sob a pele. Esta equimose localizada pode surgir no dia seguinte à colheita de sangue. Não é caso para preocupação, a menos que a equimose seja dolorosa ou continue a aumentar de tamanho. O corpo irá reabsorver o sangue que se infiltrou nos tecidos que circundam a veia.

Tal como em qualquer outro procedimento que implica uma solução de continuidade da pele, existe um risco extremamente baixo de infecção. A pessoa deve comunicar ao médico se a zona puncionada ficar vermelha, quente ao tacto, dolorosa ou se surgir febre a acompanhar estes sintomas.

Algumas pessoas sentem-se fracas ou com tonturas, especialmente quando é retirada uma grande quantidade de sangue.

Quando procurar auxílio médico

Atendendo a que não são de esperar efeitos secundários perigosos, as pessoas necessitam habitualmente de contactar o médico apenas para discutir os resultados laboratoriais.

Exames laboratoriais mais comuns

  • Exame de Albumina
  • Sódio (Na+), Potássio (K+), Cálcio (Ca++) e Fósforo(P-)
  • Hemograma (hemácias, leucócitos e plaquetas)
  • Colesterol (VLDL, HDL, LDL e Triglicerídeos)
  • EAS ou Urina Tipo I
  • Exame Parasitolóligo de Fezes
  • TSH e T4 livre
  • PCR
  • Exame de Glicose
  • Teste de PSA (Antígeno prostático específico)
  • TGO (AST) TGP (ALP)
  • Exame de Ácido Úrico
  • Tempo de tromboplastina ativada (PTT ou TTP) e tempo de protrombina (TAP ou TP)
  • Exame de Ureia e Creatinina
  • Urocultura
  • VHS ou VS

E você, já realizou algum destes exames? Compartilhe suas experiências, ajude muitas pessoas, ou tire suas dúvidas no fórum.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 22/10/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça uma Pergunta ou Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 22/10/2018 às 5:43 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)