Festas do Barrete Verde em Alcochete

Festas do Barrete Verde em Alcochete

As exuberantes Festas do barrete Verde e das salinas, são uma autêntica e sentida homenagem ao forcado, ao salineiro e ao campino. Organizadas pela quase centenária agremiação Aposento do Barrete Verde são uma manifestação popular de alegria, diversão e comemoração.

Festas do Barrete Verde e das Salinas

Com agenda marcada para a segunda semana de Agosto têm como ponto alto a largada de touros pela ruas da vila e as touradas que acontecem na já célebre praça de touros.

Ao longo desta semana as ruas da vila são enfeitadas e à noite iluminadas a rigor. Os motivos decorativos, muitos deles imaginados e construídos pela população local referem-se aos trabalhos do campo, às salinas e aos touros.

Um dos momentos mais esperados destas festas é a noite de Sábado, com a tradicional noite da Sardinha Assada, durante a qual são oferecidas, nas ruas típicas, sardinhas assadas, pão e vinho.

A vertente religiosa constitui também um dos pontos significativos das festividades, através da procissão por terra e mar, em que a imagem de N. Sra. da Vida chega à vila a bordo de uma embarcação típica.

Mas fazem ainda parte do Programa Oficial das Festas do Barrete Verde e das Salinas o cortejo etnográfico, que na primeira noite de festa sai da praça de touros para percorrer as principais ruas da vila, os concursos de condução de jogos de cabrestos, as arruadas com a banda da terra e as diversas touradas que decorrem na praça de touros.

Ao longo da semana as ruas da vila alegram-se e a gentes angustiam-se e divertem-se com as 10 largadas de touros que vão agitar as hostes.

A vertente cultural também não é esquecida, pois a autarquia organiza diversas iniciativas, destacando-se a actuação de vários grupos musicais ou de artistas de renome como Mónica Sintra e Ana Malhoa. As noites acabam quase todas com o luminoso e espectacular fogo de artifício.

Como chegar

A melhor opção para chegar a Alcochete, se vier da margem Norte do Rio Tejo, é apanhar a Ponte Vasco da Gama e depois seguir as indicações para Alcochete. Se vier do Sul, tome a auto-estrada A 12 e antes de chegar à ponte Vasco da Gama siga as indicações para Montijo e Alcochete.

Visitas

Apesar do grande desenvolvimento urbanístico ocorrido depois da construção da Ponte Vasco da Gama, que diminui a distância entre esta vila e a capital, o centro histórico preserva a sua marcada característica rural e a zona ribeirinha convida a agradáveis passeios a pé, de bicicleta ou até de cavalo.

Estes passeios podem-se prolongar até às salinas do Samouco, já desactivadas onde se podem observar e fotografar os elegantes flamingos que se banham na margem sul deste Tejo.

Aproveite a zona ribeirinha de Alcochete para se espreguiçar ao sol ou então aproveite para se dirigir ao Clube Naval e dê umas voltinhas de barco ou canoa.

Alcochete já foi um importante centro salineiro e recebeu dos árabes o topónimo Alcaxete, que significa fornos, por na região existir argila, areia, água e lenha necessários ao fabrico de tijolos e cerâmica.

O gosto pelos cavalos e pelos touros é uma característica das gentes da vila, que em Agosto promovem esta importante festa em honra dos forcados, do salineiro e do campino.

Mas para além da paisagem, das tradições e da boa gastronomia, Alcochete tem outros motivos de interesse que vale a pena descobrir. Embora não seja uma vila com monumentos históricos emblemáticos, apresenta um centro bem cuidado, algumas casas típicas de grande interesse, duas ou três igrejas e museus que merecem a pena ser visitados.

A Igreja matriz da vila é um dos monumentos mais importantes. Trata-se de um monumento classificado, que terá sido primitivamente uma mesquita árabe e que no reinado de D. Sancho II foi adaptada ao culto cristão. D. Manuel I transformou o templo num belo exemplar de estilo gótico-manuelino, sendo dessa época a rosácea da fachada principal.

Em frente da igreja localiza-se um monumento em honra do Padre Cruz. Perto, fica o miradouro Amália Rodrigues de onde se usufrui de bela vista sobre o rio Tejo e Lisboa.

Visite depois a capela de Nossa Senhora da Vida, construída no século XVI e a Igreja da Misericórdia, também do século XVI, e recentemente adaptada a Museu de Arte Sacra.

Em frente da Igreja fica o antigo pelourinho e a partir daqui desenvolve-se a principal avenida da vila que se prolonga por centenas de metros acompanhando o curso do rio.

Não deixe de visitar o Museu Municipal, localizado na Rua Dr. Cipião de Figueiredo. Aqui encontra um espólio diversificado que vai da arqueologia, a peças etnográficas e documentos históricos.

No Aposento do Barrete Verde conheça o curioso Museu Taurino. Aqui encontra três salas expositivas dedicadas ao salineiro, ao forcado e ao cavaleiro.

Onde dormir

Embora Alcochete esteja a escassa meia hora de Lisboa, onde não faltam as opções de alojamento, há dois locais no centro da vila que pela sua qualidade e bom gosto merecem ser sugeridos. Trata-se de um hotel de três estrelas e de uma casa de família convertida à modalidade de Turismo Rural.

Hotel Al Foz
Av. D. Manuel I, Alcochete
Tel. 212 341 179
Fax: 212 341 190
32 quartos e duas suites
Preço indicativo: de 71 Eur a 101 Eur

Quinta da Praia das Fontes
Largo Marquês de Soydos, Alcochete
Tel. 212 340 191 ou 213 875 702

Restaurantes em Alcochete

Em Alcochete podem fazer-se verdadeiros manjares reais. Experimente as grandes especialidades da zona que estão nos pratos de peixe e marisco e na carne de vitela.

A vila oferece várias opções ao nível da gastronomia e restauração. E os principais restaurantes da zona localizam-se no centro histórico e perto da marginal, junto ao rio Tejo.

As caldeiradas de peixe e marisco são de não perder, assim como os peixes frescos grelhados. Experimente o arroz de mariscos, a açorda de marisco, os chocos fritos ou a feijoada de mariscos.

À sobremesa não perca o prato mais tradicional a que se chama fogaça (feita à base de farinha de trigo, açúcar amarelo, canela em pó, manteiga, água e limão raspado.

Restaurante ÂNCORA

Rua 25 de Abril nº30 2890-113 Alcochete, Tel: 21 2342733
Encerra à quarta-feira
Preço médio: 8,50 Eur (refeição completa)
Prove: peixe assado, sardinhas, carapaus, enguias, robalo, corvina grelhada, dourada, carnes grelhadas na brasa, etc…

Al Foz
Av. D. Manuel I
Tel. 212 341 937
Preço médio: 30 Eur
Prove: línguas de bacalhau à Al Foz, tâmaras com bacon, polvo à galega e peixe fresco grelhado.

A Taberna de D. Manuel I
Largo Barão Samora Correia, 1, Alcochete
Tel. 212 341 436
Fecha ao domingo
Preço médio: 18 Eur
Prove: espetadas de chocos, camarão e mistas, costeletas com bacon, caldeiradas diversas e peixe fresco grelhado.

O Barrete Verde
Rua João Facco Viana, Alcochete
Tel. 212 340 154
Fecha á segunda-feira
Preço médio: 15 Eur
Prove: bacalhau à Barrete Verde, feijoada de marisco, choco frito.

Tasca do Victor
Rua Quebrada, 10, Alcochete
Tel. 212 340 912
Fecha à segunda-feira
Preço médio: 20 Eur
Prove: choquinhos fritos, açorda de camarão, morcela frita, açorda de marisco, sopa de pedra.

Compras

Para além das vistas deslumbrantes para o Tejo e do ar campestre a dois passos de Lisboa, pode trazer como recordação da ainda pacata vila de Alcochete, representações em miniatura dos antigos barcos de pesca ou trabalhos feitos em madeira e cortiça representando touros, campinos e cavalos.
Aqui ainda há artesãos que se dedicam ao trabalho delicado de artesanalmente fazer as tradicionais violas e cavaquinhos.

Para além destes produtos artesanais são ainda de destacar os objectivos de arte decorativa, como a pintura em cerâmica, os tapetes de “Arraiolos” e as bonecas de pano. Com o crescimentos da vila implantaram-se, sobretudo no centro histórico várias lojas de decoração, onde pode adquirir mobiliário tradicional ou moderno e pequenas peças, que poderão dar outro ar à sua casa.

E como Alcochete é terra de touros e cavalos não se esqueça de adquirir ou apreciar alguns objectos necessários à arte de tourear.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:08 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)