Gastroenterite

A gastroenterite é uma infecção aguda que atinge o estômago e os intestinos.

Pode constituir um problema grave em pessoas com mais de 60 anos.

É um problema frequente, cuja duração não costuma ser superior a uma semana.

Gastroenterite viral

Conheça um Tratamento Caseiro para Dor de Estômago

Gastroenterite no Adulto (infecção aguda do estômago e intestinos)

Causas da gastroenterite

A gastroenterite é provocada por um vírus ou por uma bactéria que causam uma inflamação aguda no revestimento do estômago ou dos intestinos, impedindo estes orgãos de desempenhar a sua função habitual.

O vírus ou a bactéria causadora da gastroenterite podem chegar ao estômago ou aos intestinos através da água ou dos alimentos.

Também poderá contrair esta infecção através do contacto íntimo (ex.: beijo) com uma pessoa infectada. Por outro lado, a partilha de alimentos, bebidas ou talheres também pode originar o aparecimento da doença.

Sinais e sintomas

A gastroenterite pode começar de uma forma mais ou menos rápida. Poderá ter arrepios, febre, cãibras abdominais, diarreia, náuseas ou vómitos.

Conheça os » Alimentos a Evitar Quando Você Tiver Diarreia (Alimentos Proibidos)

Outros sinais podem incluir dores de cabeça, cansaço ou dores nos músculos. Estes sintomas acompanham-se de sede e de falta de apetite.

Diagnóstico

Ilustração 3D Gastroenterite

Habitualmente não são necessários exames (análises ou radiografias) para o diagnóstico de uma gastroenterite, Os sinais e sintomas da doença permitem ao médico actuar com base no diagnóstico clínico.

É importante, sempre que possível, tentar identificar a origem da infecção (água contaminada, alimentos mal conservados, etc.) para prevenir ou detectar precocemente outros casos.

Prevenção – Cuidados a ter

Não tome medicamentos, nomeadamente antibióticos, sem indicação médica. Não tome alimentos ou líquidos em grandes quantidades. Evite beber leite ou sumos concentrados, bem como alimentos com gorduras.

Riscos e Complicações

A gastroenterite habitualmente cura espontaneamente, bastando assegurar repouso, ingestão de líquidos em quantidade suficiente e controle da febre.

No entanto é mandatório o doente ser avaliado pelo médico se surgir sangue nas fezes, se as queixas se prolongarem para além dos sete dias, se houver alteração da consciência (desorientação, confusão mental), se as dores abdominais forem intensas e persistentes ou se a febre não ceder às medidas habituais.

Qualquer agravamento importante do estado geral do doente obriga também a uma reavaliação médica.

Tratamento para gastroenterite

O seu estômago e intestinos necessitam de repouso.

Não deverá, por isso, comer. Deverá, no entanto, beber pequenas quantidades de líquidos , tais como água, chá fraco com açúcar ou sumo de maçã.

Evite sumos concentrados e não tome grandes quantidades de líquidos de cada vez, pois isso poderá induzir o vómito. Comece, lentamente, a comer depois de não ter vomitado durante cerca de 12 horas.

Crackers, bananas, maçã cozida ou outros alimentos moles, em pequenas quantidades na fase inicial, constituem bons exemplos de alimentos que pode ingerir no início.

O repouso também é extremamente importante para o tratamento da gastroenterite.

O paracetamol pode ajudar a diminuir a febre ou as dores musculares. Poderá ter de ser hospitalizado(a) se tiver perdido muitos líquidos (desidratação).

Gastroenterite infantil (infecção do estômago e dos intestinos)

A gastroenterite é uma infecção do estômago e dos intestinos. Os intestinos são os tubos que ligam o estômago ao ânus.

O ânus é a abertura pela qual as fezes passam ao serem eliminadas do corpo. A gastroenterite desaparece normalmente passados 2 a 5 dias.

Causas

A gastroenterite pode ser provocada por germes como vírus, bactérias ou parasitas. A criança poderá ter sido contagiada com estes germes em alimentos ou água infectados.

A gastroenterite também poderá ter sido contagiada por outras pessoas.

A ingestão de determinados químicos provoca a gastroenterite. Também a ingestão de determinadas plantas ou frutos do mar infectados poderá estar na origem desta doença.

Sinais e sintomas

A criança poderá sentir cólicas ou dores abdominais (dores de barriga), diarreia, náuseas (enjoos), e vómitos. Poderá ter febre, sentir-se fraca e ter falta de apetite.

As fezes líquidas (diarreia) e os vómitos podem fazer com que a criança perca bastantes líquidos do corpo. Esta situação é designada por desidratação e pode provocar problemas graves.

Como se Diagnostica

Habitualmente não são necessários quaisquer testes, apenas a observação da criança pelo médico.

No entanto, poderá ser necessário a criança efectuar um ou mais dos testes seguintes de forma a ajudar os médicos a planear o tratamento a dar à criança.

Análises sanguíneas: Poderá ser necessário tirar sangue para serem realizados testes. O sangue pode ser retirado de uma veia na mão, do braço ou da dobra do cotovelo.

O sangue da criança é testado para verificar de que modo o seu corpo está a lidar com a doença. A criança poderá ter de tirar sangue mais do que uma vez.

Pesagem diária: A criança poderá ser pesada todos os dias à mesma hora.

Os médicos farão uma comparação do peso diariamente. Esta pesagem ajuda os médicos a verificarem que quantidade de fluído corporal a criança tem. Quando a criança perder demasiado líquido corporal poderá ficar desidratada.

Se a criança tiver fluído corporal em excesso, poderá sentir dificuldades em respirar e ficar com os tornozelos inchados.

O corpo da criança não conseguirá funcionar correctamente se tiver fluído em excesso ou falta de fluído.

Balanço hidríco: Os médicos poderão necessitar de saber a quantidade de líquidos que a criança está a ingerir. Poderão também querer saber com que regularidade está a urinar.

Quando for permitido à criança, encoraje-a a beber muita água todos os dias. Ou siga o conselho do médico se a criança tiver de limitar a quantidade de líquidos a beber.

Se a criança estiver a seguir um tratamento do tipo referido na alínea anterior, indique ao médico a quantidade de líquidos ingerida.

Pergunte ao médico se não há problema em descarregar o autoclismo e deitar a urina da criança pela sanita abaixo.

Deverá também perguntar ao médico se será necessário guardar as fraldas da criança.

Oxímetro de pulso: Esta é uma máquina que lhe especifica a quantidade de oxigénio presente no sangue da criança.

Um cordão com uma pinça ou uma faixa adesiva é colocado no seu ouvido, dedo da mão ou dedo do pé. A outra extremidade do cabo é ligada a uma máquina. Os médicos utilizam esta máquina para verificar se a criança necessita de mais oxigénio.

Sinais vitais: Inclui a medição da temperatura, da pressão arterial, do pulso (contagem dos batimentos cardíacos), e dos ciclos respiratórios (contagem das respirações) da criança.

Para medir a pressão arterial da criança, é colocada uma braçadeira no braço, a qual é apertada.

A braçadeira está ligada a uma máquina que lhe fornecerá a leitura da pressão arterial. Os médicos poderão auscultar o coração e os pulmões da criança utilizando um estetoscópio).

Os sinais vitais da criança são medidos para que os médicos vejam em que condições se encontra. A medição dos sinais vitais não tem associado nenhum tipo de dor.

Cuidados a ter

Para evitar a disseminação dos germes, os familiares deverão lavar sempre as mãos depois de utilizarem a casa de banho.

Todos os membros da família deverão igualmente lavar as mãos antes de tocar em alimentos e antes de comer.

Mantenha uma lista escrita dos medicamentos que a criança está a tomar, das alturas em que os está a tomar e das razões pelas quais os está a tomar.

Leve sempre consigo a lista dos medicamentos ou os frascos dos medicamentos quando tiver consultas com os médicos da criança.

Peça ao médico mais informações sobre os medicamentos. Não dê à criança nenhum medicamento sem antes falar sobre ele com o médico.

Dê sempre os medicamentos à criança da forma prescrita pelos médicos. Contacte o médico da criança se achar que os medicamentos não estão a ajudar ou se a criança sentir efeitos secundários.

Não deixe de dar os medicamentos à criança antes de falar com o médico.

Se a gastroenterite for provocada por uma infecção bacteriana, a criança necessitará de tomar antibióticos. Dê os antibióticos até terminarem mesmo que a criança já se sinta melhor.

Não dê aspirina ou quaisquer medicamentos que contenham aspirina, no caso de ser uma criança com idade inferior a 18 anos.

O fornecimento de aspirina à criança quando esta se sente doente poderá provocar uma doença bastante grave designada como síndroma de Reye.

Leia os rótulos dos medicamentos antes de os fornecer à criança para verificar se contêm aspirina.

Não há qualquer problema em fornecer à criança paracetamol para a febre e para que se sinta mais confortável. Pergunte ao médico antes de fornecer ibuprofeno.

NÃO dê à criança medicamentos para a diarreia e para os vómitos sem antes consultar o médico. Se a criança não estiver desidratada, poderá ser amamentada ou alimentada com um biberão.

No caso de uma criança mais crescida poderá beber sempre que quiser.

A criança poderá também começar a comer alimentos normais quando se sentir bem.

Alimente a criança com alimentos saudáveis dos 5 grupos alimentares: frutos, vegetais, pães, lacticínios, carne e peixe.

Uma alimentação saudável ajudará a criança a crescer de forma mais nutritiva.

Se a criança estiver desidratada, alimente-a com uma solução de re-hidratação oral (SRO). Poderá adquirir essa solução numa farmácia.

Estas soluções possuem as quantidades adequadas de água, sais e açúcar necessários à criança para substituir a água perdida. Algumas destas soluções são apresentadas com sabor a frutos ou com os sabores das pastilhas elásticas.

Dê à criança 1/2 a 1 chávena de fluído por cada fezes líquidas. Comece com 1 colher de chá de 2 em 2 ou de 3 em 3 minutos, especialmente se a criança estiver com vómitos.

Depois comece a dar-lhe mais, lentamente, caso a criança a consiga aguentar no estômago.

Continue a dar a solução de re-hidratação oral à criança até que a diarreia pare. Não dê esta solução à criança durante mais de 24 horas.

Continue a alimentar a criança com os alimentos adequados juntamente com a solução de re-hidratação oral.

Os alimentos mais saudáveis são os cereais cozidos, o arroz, as massas, as batatas, bolachas de água e sal, molho de maçã ou sopas.

A criança não deverá comer alimentos temperados ou fritos. 24 horas depois dos vómitos pararem, poderá voltar a dar à criança alimentos sólidos.

Comece com alimentos macios tais como bananas, arroz, molho de maçã e torradas. Faça com que a criança descanse na cama até se sentir melhor ou até 24 horas depois de terminarem os vómitos e a diarreia.

Tire a temperatura à criança de manhã, à noite e de 4 em 4 horas durante o dia. Lave as mãos depois de mudar as fraldas e antes de preparar os alimentos.

Faça a criança lavar as mãos depois de usar a casa de banho e antes de comer. Para evitar a disseminação dos germes, todos os membros da família deverão lavar as mãos depois de utilizarem a casa de banho.

Todos os membros da família deverão igualmente lavar as mãos antes de tocar nos alimentos e antes de comer.

Contacte o seu médico se

A criança não beber a solução de re-hidratação oral tal como prescrito pelo médico. Ou se a criança continuar a vomitar.

A diarreia ou os vómitos da criança prosseguirem durante mais de 24 horas. Tiver questões a colocar relativas à alimentação da criança.

Procure imediatamente ajuda se

Verificar a presença de sangue na diarreia ou se o vómito da criança for acompanhado de sangue. A criança não estiver a beber líquidos suficientes e apresentar sinais de desidratação.

Os sinais de desidratação são os olhos encovados, menor quantidade de urina, ausência de lágrimas durante o choro.

Outros sinais de perda de fluídos são a boca seca, uma sonolência ou nervosismo anormais, ou a sensação de estar com bastante sede.

A criança não urinar há mais de 4 horas.
A criança tiver uma temperatura rectal superior a 40º C

Tratamentos

Dê à criança líquidos açucarados em pequenas quantidades e varias vezes ao longo do dia.

Pode ser necessário dar os líquidos à colher, se a criança também estiver a vomitar. Se estiver a amamentar a criança ou a utilizar leite em pó para alimentar a criança, continue a fazê-lo.

Este tipo de alimentação ajudará a evitar que a criança fique desidratada (perca excessiva de líquidos corporais). Se a criança ficar desidratada, dê-lhe líquidos de re-hidratação por via oral.

Nas crianças alimentadas com leite em pó pode ser necessário mudar durante uns dias para um leite especial, sem lactose.

Se a doença tiver sido provocada por uma bactéria, a criança irá necessitar de tomar antibióticos. Poderá ser necessário efectuar análises ao sangue e às fezes da criança para se observar a presença de germes ou de parasitas.

Lavar as mãos: A família e os visitantes deverão lavar as mãos antes e depois de estarem em contacto com a criança de forma a evitar disseminar a infecção.

Os tratamentos aos quais a criança será submetida poderão ser alterados se a gastroenterite não estiver sob controlo. Esta situação só fica definida depois de a criança ser sujeita a testes.

A criança poderá ser submetida a um dos tratamentos seguintes individualmente ou em conjunto.

Saiba O Que Comer Quando Está Com Diarreia e Dor no Estômago

Medicamentos

Antibióticos: Este medicamento poderá ser fornecido para ajudar a criança a combater a infecção provocada por um germe designado por bactéria.

Os antibióticos poderão ser administrados por meio intravenoso, sob a forma de injecção ou por via oral.

Medicamentos anti-parasitas: Este medicamento poderá ser administrado para matar os germes designados por parasitas.

Os medicamentos anti-parasitas podem ser administrados por meio intravenoso, sob a forma de injecção ou por via oral.

Medicamentos anti-náuseas: Este medicamento poderá ser fornecido para acalmar o estômago da criança. O medicamento ajudará a criança a parar de vomitar e permitirá que a criança beba líquidos.

A ingestão de líquidos permitirá evitar que a criança fique desidratada (perda excessiva de fluidos corporais).

O que Procura?

Esta matéria tem 5 Comentários
  1. bruna Reply

    Tenho uma gastroenterite e ja estou em dieta á 4 dias qual serao as bolachas ideais para comer?????

  2. maria carmo Reply

    meu filho tem 15 anos e estas com 39 de febre já baixo um pouco com muitas dores de barriga ,ele tá com uma gastroenterite o que deve comer porfavor?

  3. teresinha schmidt Reply

    Meu filho é adulto. Ingeriu no jantar PIZZA e durante a noite sentiu-se mal do estomago mas pela manhã foi p/o trabalho e no0 meio DO ESPEDIENTE vomitou,. retornando p/casa logo em seguida.
    Eu gostaria de saber o que é adequado p/ele na ssituação que se encontra, tomou remedio p/febre, biscopam e Plasil. Gostaria que me informassem ainda hoje qual deve ser o procedimento p/essa noite, pois mora em outra cidade e no momento a familia está viajando. agradeço e aguardo resposta, pois estou muito aflita.
    E/t Referente á alimentação.

  4. Priscila Ramos Reply

    Tenho uma filha de 6 anos esta tendo fortes dores abdominais a 4 dias sem febre e sem dor já fez eco abdominal total e hemograma completo porem não obtivemos nenhum resultado.a pediatra não achou nenhum diaogonstico aparente e começou a tratar com a medicacao annita para verme .label e dipirona mesmo com a medicação a dor não parou geme de dor dia e noite e as vezes a dor vai e volta como espasmos.seria o caso dela a gastroenterite? O q devo fazer?

    • Jane alves p.martins da silva Reply

      Priscila depois desse episódio você descobriu oque ela tinha? Minha filha está igual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *