Giárdia, Trichomonas e Balantidium - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Giárdia, Trichomonas e Balantidium

Aula gravada de Parasitologia – Giárdia, Trichomonas e Balantidium

Giárgia

Morfologia:
Trofozoíta: é uma estrutura que se nutre, se locomove e se reproduz. Mede de 10 a 20 micrômetros de comprimento e 5 a 10 micrômetros de largura; tem a forma de uma pêra, achatado dorso-ventralmente, parte posterior afilada e anterior dilatada; apresenta dois núcleos com cariossoma central (o material do núcleo está concentrado no centro e não tem cromatina periférica) e dois axonemas, que é uma estrutura de sustentação, que dá o formato alongado e divide o parasita em duas partes iguais; dois corpos parabasais que funcionam como complexo de golgi; disco suctorial (demarcação dos flagelos que passaram); quatro pares de flagelo (anterior, lateral, ventral e posterior) relacionados com a movimentação. com formato piriforme que vai determinar a movimentação como se fosse uma folha caindo; simetria bilateral; Alimentação por pinossomo e fagossomo e reprodução por divisão binária (divisão do material nuclear em duas estruturas idênticas)
Visualmente nós vamos conseguir visualizar núcleo e flagelo e o formato piriforme; quando corado ele vai ficar corado ele vai ficar no formato de uma pêra roxa.
Se localiza principalmente no jejuno e no íleo mas pode ocupar toda a parte do intestino.
Cisto: é a forma resistente ao ambiente; mede de 8 a 12 micrômetros; e tem 7 a 9 de largura; forma ovalada as estruturas de duplicam: 4 axonemas, 4 corpos parabasais, 4 núcleos, e flagelos. Resiste a água por 2 meses e a cloração e ao aqueciemento a 60ºC. logo deve-se ferver a água por mais de 5 minutos.

A giárgia vai se encontrar localizar no duodeno e no jejuno solta ou aderida aos microvilos.
aderida ela fica colocada às vilosidades intestinais através do seu disco suctorial e das adesinas. Só que diferente das amebas do balantidium, ela não provoca uma ação patogênica, não provoca uma penetração, ela só vai ficar sobre o epitélio intestinal. Vai dificultar a absorção de gorduras, de vitaminas.

A mudança de trofozoíta para cisto é determinada por situações adversas do intestino e por genética. A eliminação de cistos tem uma periodicidade irregular. Posso eliminar trofozoíta na diarréia.
O portador saudável(são) é um transmissor,por exemplo, um manipulador de alimentos, afinal, o cisto é pequeno, logo, facilmente ingerido por alimento ou água que mesmo aparentemente limpa.

Ciclo biológico

Ciclo monoxeno e infeccção por ingesta de água e/ou alimentos contaminados. Encontrado em todo intestino delgado. A transmissão por trofozoíta é difícil pois este é sensível ao ambiente. O cisto é a forma infectante. O cisto resiste a cloração e ao aquecimento a 60ºC . Vive no ambiente por muito tempo e principalmente na água. Cisto em água e/ou alimentos vai direto ao tubo digestivo,onde sofre ação do suco gástrico, age sobre a cápsula deste cisto e libera trofozoítas ao nível de duodeno e jejuno. Esse trofozoíta se reproduz por divisão binária ou longitudinal. Se divide e forma duas estruturas semelhantes – reprodução assexuada (não há reprodução sexuada). Depois perde as estruturas de movimentação e forma um membrana cística e passa a resistir no ambiente.

Ambiente fechados como creche a transmissão é facilitada afinal está relacionado ao cisto e o cisto já é a forma infectante, diferente de geomintos que precisam do solo para completar seu ciclo.

Também acredita-se que a giárgia é um zoonose pois alguns alpinistas se contaminaram em lugares de difícil acesso ao homem, logo provavelmente a água foi contaminada por animais roedores.

Sintomatologia e patogenia (ou ação patogênica para o lacraia)

Não possui sintomas aparentemente. Vive-se muito bem com giárgia intestinal no duodeno ou no jejuno. Quando em grande quantidade a principal ação patogênica é devido o atapetamento do epitélio intestinal: elas não provocam lesão pois não penetram mas vão impedir a absorção de vitaminas lipossolúveis A,D, K B2 e ácido fólico chamo de síndrome de má absorção. Pode acontecer de o indivíduo contaminado apresentar dores abdominais, anorexia por atrofiar as microvilosidades onde ela está aderida mas só ocasionalmente.

Além disso pode-se observar as fezes esbranquiçadas sem gordura – esteatorréia.

Diagnóstico
Diagnóstico de giargia é difícil. A formação do cisto é demorada, afinal temos um período de 10 dias sem virar cisto.logo a suspeita de giargia consiste em insistir no exame de fezes.
Nas fezes diarréicas podemos encontrar trofozoítas e cistos. Logo a minha possibilidade de ver trofozoítas aumenta então faço um exame direto utilizando shaudium (ele não é o método é um fixador), fixando o material e depois colocando uma gota de lugol e obsservando no microscópio; ou corar com hematoxilina férrica .
No caso de fezes formadas temos o Método é o Faust que consiste em centrifugação por sulfato de zinco e coração com hematoxilina férrica que faz as estruturas ficarem roxeadas.
Outros complentares: costuma-se fazer “enterotest” que é uma cápsula que vai descer e depois esse mateiral é retirado- vem com o suco do duodeno e jejuno, e você vai observar esse suco.
A retosigmoideoscopia também é feita, faz a biópsia e vê o material.
PCR só é feito nos grandes centros e imunoflorescência

Tratamento

Flagyl (metranidazol), sechidazol e ação da lipase (leite materno) que destrói trofozoítas. A ligação lectina amebiana é interrompida pela galactose. Ela não acontece quando existe galactose presente.

Balantidium coli

Parasita de suínos, não tem nada a ver com o homem mas faz a mesma lesão da ameba hystolítica. Muito maior que a ameba hystolítica. É o maior ciliado que existe parasitando o homem. E lesões extraintestinais são raras.

Morfologia
Trofozoíta: forma ovóide; presença de cistóstoma (boca) que é onde os cílios jogam o alimento e citopígio (ânus) por onde vai sair os dejetos; cílios que auxiliam na movimentação e alimentação; um macronúcleo e um micronúcleo; tem a extremidade anterior mais delgada e têm vacúolos pulsáteis.
Cistos: medem de 50 a 60 micrômetros; posssuem parede cística e refrinfente, macro e micronúcles
.
Ciclo reprodutivo

A reprodução sexuada é a conjugação e vai ser feita entre o maior e o menor núcleo, nunca entre duas estruturas do mesmo tamanho. O micronúcleio vai estar envolvido na conjugação, onde há troca do material genético.

Na reprodução assexuada se faz divisão binária, tanto com macro tanto com micronúcleo.
A contaminação se dá através de água e alimento contaminados.

Clínica e diagnóstico

Gases no intestino – meteorismo, dores abdominais, fraqueza e no quadro fulminante lesa a parede intestinal e leva a uma peritonite. Morre-se com uma peritonite, apendicite – abdomen agudo e disinteria igais a amebiana (formas brandas ou fulminantes). Pode ser assintomática ou apresentar náuseas, vômitos e anorexia. O balantidium vai se alimentar de amido e hemácias. Produz hialuronidase e ação motora(?).
O diagnóstico é semelhante ao da ameba.
Exames de fezes o faust e o Schaudium e a retosigmoideoscopia pode ser usada.

Tratamento e Profilaxia
O tratamento é feito pelo metranidazol (tetraciclina) e a dieta láctea elimina o balantidium.
A profilaxia é o mesmo da ameba.

Trichomonas vaginalis

Morfologia

Medem de 10 a 30 micrômetros de comprimnto e 5 a 12 de largura. 4 flagelos que saem do canal periflagelar e 1 flagelo recorrente (membrana ondulatória)que não determina um flagelo livre. O flagelo vem por dentro da membrana citoplasmática e determina uma membrana ondulante que parece com uma nadadeira. Junto com o flagelo recorrente vem a costa que é uma estrutura que vai determinar uma firmeza na membrana ondulante; tem corpos parabasais – um mais grosso e um mais fino. O núcleo localizado na extremidade anterior e um axóstilo que é uma estrutura de sustenteção que se pronuncia visivelmente na extremidade posterior do parasita. Não é um flagelo é um axóstilo, semelhante ao axonema, é uma estrutura que acompanha o flagelo; tem vacúolos e granulações; e junto ao corpo parabasal está o complexo de golgi.

Transmissão

Ele vai se localizar somente na mucosa vaginal e no aparelho reprodutor masculino, vai chegar até a próstata. Prepúcio, uretra e próstata. Vai determinar uma uretrite. Sobrevive 6horas em secreção vaginal e 24horas em ringer. Na água por 2 horas a 40ºC e 20 minutos a 46ºC. Logo através de fômites pode haver transmissão: toalhas molhadas, calcinhas, gotas de água no vaso.
Pode haver contaminação de ma~e para filho:a mulher contaminada com trichomonas no momento em que a criança passa pelo ducto vaginal ela pode ser contaminada alterando o trato respiratório e conjuntivo (conjutivite).
Transmissão sexual ou fômites.

Patogenia e sintomatologia

Grau I: após a puberdade o ph vaginal é fortemente ácido se dá a proliferação de bacilos. Então eu tenho bacilos de dordelein; quando o ph a 3 a 4,5 bacilos de dordeilen que transformam o glicogênio em ácido lático. Não tem trichomonas.

Qualquer situação que altere (flora bacteriana, acidez, glicogênio, descamação epiteilal).
Grau II: o ph começa a se elevar os bacilos de doderlein diminuem o ácido latico diminui e o trichomonas começa a aparecer.
Grau III: bacilo de dorderlein não existe mais, o trichomonas se instalou e o ph vai de 6 a 8. Então tenho muito tricchomonas, muito fator desprendimento celular, aumenta o corrimento, efito citopático, lesão de células descamando, corrimento. Se tiver interferência de uma bactéria mudaráo odor e a cor. A princípio um corrimento esbranquiçado. Para se alimentar ele adere a substratos emite pseudópodes.

Em mulher pode ser assintomático; a vagininte com corrimento esbranquiçado, cremoso e espesso acompanhado de forte prurido. Nos homens seria benigna, urettrite ou prostovesiculite, nada tão grave, que leve a queixa como que acontece com a mulher.
A patogenia começa pela alteração do ph e instalação do trichomonas e continua pelos fatores de aderência e o fator de desprendimento. Fora a rotação dele que leva o efeito agressivo na mucosa.

Diagnóstico

O material é coletado através de um flag(cotonete gigante) que coleta a secreção vaginal; coloca-se no soro fisiológico e observa-se diretamente, uma gotinha de lugol , lamínula e microscópio pra observar o movimento dele.

O papanicolau é para pesquisas de células cancerígenas; não é direcionado para trichomonas. Exame de urina pode conter trichomonas.

A simples coleta da secreção vaginal (espéculo- usado para aumentar o canal vaginal) colocada em solução de Ringer ou soro fisiológico pego uma gota de lugo e ponho a lamínula.
No homem pesquisa-se em sedimento urinário e na secreção uretral e prostática.

Obs.: galera a aula tava bem confusa porque a professora se perdeu várias vezes então tem coisa que ela cita mas não explica então eu acrescentei com outras aulas gravadas. Espero que ajude

Atualizado em 19 Fevereiro 2010

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade