Hiperbilirrubinemia no Bebê Recém-Nascido

A hiperbilirrubinemia no recém-nascido é um problema de saúde que poderá surgir logo nos primeiros dias de vida de um bebê.

Trata-se aqui de uma doença que se caracteriza pelo acumulação da substância bilirrubina no sangue, fazendo com que o bebê apresente uma cor de pele, no geral, mais amarelada.

No entanto, o grande problema é que a cor amarelada não é a única consequência de acumulação de bilirrubina no sangue, sendo que esta mesma acumulação poderá ainda dar origem a convulsões, surdez, e até mesmo morte, em casos extremos.

Têm sido efectuados diversos estudos no sentido de conseguir perceber-se o que causa este problema descrito, e pensa-se que em alguns casos a acumulação de bilirrubina se fique a dever ao leite materno, nomeadamente a uma espécie de reacção alérgica a este mesmo leite.

Nestes casos, o bebé deverá passar a alimentar-se com um leite diferente, pelo menos até o problema estar curado. Isto porque geralmente este problema desaparece rapidamente, fazendo sentir-se apenas durante a primeira semana de vida do bebé.

Tratamentos mais avançados apenas serão necessários nos casos em que não se verifique uma diminuição gradual do nível de bilirrubina no sangue, mesmo quando o leite materno foi suspenso da alimentação do bebê.

Nestes casos, será necessário recorrer a tratamentos como a fototerapia, que consiste essencialmente em deixar o bebé exposto a uma luz que será responsável por favorecer a eliminação da bilirrubina.

Nos casos que poderão causar a morte, já referidos, são casos em que a bilirrubina se acumula no cérebro. Nestes casos chama-se querníctero a este problema, e este poderá ter consequências graves se não for rapidamente tratado.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *