Como Identificar e Tratar o HPV no Homem

Revisado por Equipe Editorial a 15 outubro 2018 - Publicado a 15 de outubro de 2018

As verrugas genitais são geralmente os primeiros sinais identificadores de infecção pelo HPV no homem. No entanto, é preciso entender que a maioria dos homens infectados geralmente não desenvolve sintomas ou problemas de saúde.

O HPV não é câncer, mas sim uma infecção que pode causar alterações no corpo que podem levar ao desenvolvimento de câncer. Abaixo listamos alguns sinais que podem ajudar a identificar a presença do vírus, como tratar, e a melhor forma de prevenir o contágio.

Verrugas genitais

As verrugas genitais geralmente ocorrem na virilha, coxas, pênis, escroto ou ânus. Ela pode ser parecida com um caroço, ser plana ou a forma de couve-flor.

Geralmente aparecem algumas semanas após o contato com uma pessoa infectada e podem ocorrer sozinhas ou em grupo.

O simples exame fisíco é o suficiente para o médico diagnosticar as verrugas genitais. Para homens com maior risco de desenvolver câncer anal, os médicos geralmente recorrem ao uso de exames de Papanicolau na procura de anormalidades. (Clique Aqui e Aqui para ver as Imagens)

Câncer Anal, garganta e Pênis

Sangramento Retal Pode Ser Sintoma De Câncer No ânus

Além de verrugas, verifique se existem sinais de câncer anal e peniano. Apesar da taxa de incidência nestes casos ser relativamente baixa, ainda assim, previna-se.

Os sinais que ajudam a identificar o câncer anal são:

  • Sangramento retal, dor ou coceira do ânus.
  • Corrimento no ânus.
  • Nódulos inchados na região anal ou na virilha.
  • Movimentos intestinais anormais ou mudanças na forma das fezes.

Os sintomas que podem ajudam a reconhecer o câncer de pênis são:

No início, o indivíduo pode notar uma mudança na cor, espessura da pele ou uma massa de tecido aumentada (inchaço) no pênis. Mais tarde verifica-se a presença de um tumor (crescimento) ou dor no pênis. Na maioria dos casos é indolor, mas pode causar dor ou sangramento.

Entenda também que, por vezes, nenhum destes dois tipos de câncer causa qualquer tipo de sintomas facilmente identificáveis.

Procure por alterações no pênis, escroto ou em redor do ânus:

Consulte o médico imediatamente se, durante o auto teste você verificar, verrugas, lesões, úlceras, manchas brancas ou outras anormalidades no pênis.

O câncer de garganta pode ser identificado através de:

  • Dor de garganta ou dor de ouvido constante.
  • Tosse persistente.
  • Dificuldade em respirar ou engolir.
  • Perda de peso.
  • Alterações na voz ou rouquidão.
  • Caroços ou crescimentos no pescoço.

Não há como distinguir um caso de HPV temporário de um que possa evoluir para câncer.

Tenha em mente que o HPV é uma infecção comum tanto em homens como mulheres, sendo que, no caso dos homens, geralmente não ocorrem complicações de saúde, uma vez que o vírus abandona o hospedeiro cerca de 1 a 2 anos depois sem a necessidade de tratamento.

Que exames é preciso fazer para identificar o HPV no homem?

Não há teste para HPV para homens. Os únicos testes de HPV aprovados no mercado são para triagem de mulheres e projetados para o câncer do colo do útero. Eles não são úteis para o rastreio de cancros relacionados com HPV ou verrugas genitais em homens.

Além da análise da região genital masculina a olho nu, pode ser recomendada uma peniscopia ou o exame de Papanicolau anal.

peniscopia é um estudo clínico geralmente realizado por um urologista, com o objetivo de identificar algum tipo de lesão ou dano (visível ou plano), seja uma verruga ou infecção, no pênis do homem. O exame dura aproximadamente 10 minutos e envolve a aplicação de uma substância, geralmente ácido acético, na superfície interna do pênis, e sua observação através de colposcópio.

O papanicolaou é o exame realizado através da raspagem das células presentes na parede do colo do útero (no caso das mulheres) ou do canal anal (no caso dos homens), a fim de proporcionar uma intervenção precoce para a prevenção do câncer anal.

Como o homem pega HPV

O HPV é transmitido através de contato direto e íntimo, incluindo o contato sexual, tanto em homens como mulheres. O vírus pode difundir-se de uma pessoa para outra através do sexo oral, anal ou vaginal, ou se a pele tocar a de outra pessoa.

A probabilidade de contrair o HPV pode aumentar devido a alguns fatores:

  • histórico sexual que inclui vários parceiros.
  • idade, ocorrendo mais frequentemente durante a adolescência ou na idade adulta jovem.
  • homens que não realizaram a remoção do prepúcio do pênis (circuncisão).

Tratamento para HPV no homem

Não existem tratamentos para o HPV, mas sim para as condições relacionadas ao HPV, bem como alguns dos seus sintomas.

As verrugas genitais podem ser tratadas com medicamentos ou removidas cirurgicamente. A remoção cirúrgica das verrugas envolve o congelamento (crioterapia) ou a queima, dependendo do tamanho, localização e sua forma. No entanto livrar-se delas por vezes não é o suficiente para impedir que a infecção passe para o parceiro sexual.

É importante entender também que, é muito improvável que as verrugas genitais se transformem em algum tipo de câncer. Elas podem desaparecer, crescer, multiplicar ou até mesmo permanecer iguais durante anos.

Quando o HPV se transforma em câncer, o médico trata o indivíduo através da combinação de cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

Prevenção

O melhor método preventivo será abster-se da atividade sexual. Receber a vacina e usar o preservativo corretamente durante a relação também ajuda a diminuir o risco de HPV. É preciso entender também que o preservativo não fornece proteção total contra o HPV, isto porque o vírus infecta algumas áreas que o preservativo não consegue proteger.

Embora não haja tratamento, existem disponíveis três vacinas eficazes para prevenir o HPV. Todas elas previnem a infecção dos principais tipos (HPV 16 e HPV 18, com maior ligação ao câncer) e  6 e 11, ligados às verrugas genitais).

Vacina contra HPV no homem

A Vacinação Contra HPV No Homem é A Melhor Forma De Prevenir A Entrada Do Vírus

Os médicos recomendam a administração da vacina em meninos entre os 11 e os 12 anos de idade. Recomenda-se igualmente a administração da vacina em homens que não a receberam durante a infância, incluindo:

  • Homens de 21 anos.
  • Homens de 26 anos que praticam relações com outros homens.
  • Homens de 26 anos que têm um sistema imunológico debilitado ou a presença de HIV.

A vacina é segura e eficaz, não tendo sido relatados até hoje efeitos colaterais graves. A vacina não previne outras DSTs nem trata pessoas com HPV existente ou qualquer doenças relacionadas ao HPV.

Esclarecimento de algumas dúvidas

O HPV não é o mesmo que o vírus da herpes.

O HPV nunca deve ser considerado um sinal de infidelidade em um relacionamento, uma vez que não existe como determinar quem foi / é responsável por espalhar a infecção.

Entenda que, câncer colorretal não é o mesmo que câncer anal. Embora o câncer colorretal seja bem mais comum, ele não é causado pelo HPV.