Ilhas Baleares - O Que Visitar - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Ilhas Baleares – O Que Visitar

Maiorca é a maior ilha das Baleares. A capital da Comunidade Autónoma é Palma, cidade cosmopolita e moderna. Ao longo da ilha encontram-se locais exclusivos e belos, centro de Verão para ricos e famosos como Port d’Andratx, onde os iates se alinham e luxuosas residências assentam na sua ladeira. Frente a Sant Elm emerge a ilhota de Sa Dragonera.

Toda a ilha está salpicada de pequenas povoações como Soller, Deià – com o seu museu arqueológico que nos permite conhecer a pré – história de Maiorca. A ilha tem numerosas grutas, as mais famosas são: Coves del Drac, Coves dels Hams, Coves d’Artà.

A capital, Palma de Maiorca, mostra-nos que a ilha não é só turismo e praia, mas que é, além de tudo, rica em património cultural. O rei Jaime I definiu-a como a “cidade mais bela que jamais havia visto”. Palma de Maiorca é rica, comercial, cultural, harmoniosa e cheia de sensibilidade artística.

A Compañia Mallorquina de Vapores “La Isleña Marítima”, fazia, no início do século XX, um serviço rápido de luxo entre Palma e os portos de Barcelona, Valencia, Alicante, Ibiza, Marselha, Sète e Argel. Os seus barcos eram conhecidos com o popular nome de “cisnes do Mediterrâneo”, pela sua elegência e alveza de cores, o casco sempre imaculadamente branco. Em 1918, a companhia fundia-se com a Transmediterránea e, pouco depois, desaparecia.

Mas, sem o saber, esta aventura comercial firmara as bases de um dos desenvolvimentos turísticos mais espectaculares do século passado. Não se tinha ainda construído o Parc de la Mar, e a bela catedral reflectia-se nas águas da baía. Hoje, a chegada do barco dá-se na estação marítima de Portopí, sob as colinas que marcam a silhueta de Palma: a do Castelo de Bellver e a da catedral.

De avião, chega ao outro lado da cidade, no lugar que os mallorquinos chamam de “sabedoria”, Part Forana. Nos 9 quilómetros que separam o centro da cidade do aeroporto de Son Sant Joan, terá a sensação de que viaja sobre as águas, já que a auto-estrada do Levante bordeja totalmente a baía até atingir o Paseo Marítimo, onde continua até ao porto e as praias do oeste, Sant Agusti, Portals, Nous, Palmanova ou Magaluf.

A cidade de Maiorca oferece mil e uma possibilidades. Basta passear pelo Paseo Marítimo, avenida ampla que permite admirar a baía de Palma. Rodeada de palmeiras e laranjeiras, junta perfeitamente o antigo e o moderno. Para a cidade, a catedral, o Palacio de la Almudaina e a Lonja. Para o mar, os iates ancorados no clube naval esperando pacientemente os seus proprietários, vips de todo o mundo que parecem ter encontrado em Palma mais do que um refúgio.

O passeio a pé, é, aliás, algo que se deve fazer em muitas zonas da cidade. Sem grandes museus ou grandes obras onde se deter por muitas horas, a cidade descobre-se em pequenos recantos, nas suas ruas estreitas, nos grandes pátios das casas nobres e na infinidade de interessantes igrejas. Só passeando a pé se descobre, por exemplo, em frente a La Lonja, El Mollet, último reduto de pescadores milagrosamente salvo do desenvolvimento da construção. Seguindo o passeio atinge o Parc de La Mar, uma grande zona ajardinada que inclui até um lago em cujas águas se reflecte a catedral, e embelezada por esculturas de Joan Miró, Andreu Alfaro e Josep Guinovart.

Desde a baía vê-se perfeitamente a cidade, dominada por duas colinas. A primeira, mais modesta, está coroada pela catedral, mandada construir pelo rei Jaime I. Quando navegava rumo a estas terras para as conquistar, foi surpreendido por uma tempestade e prometeu, então, à Virgem erguer-lhe uma monumento se se salvasse. Menos de um ano depois iniciava-se a construção da catedral.

Na segunda colina, mais alta, mais selvagem, vê-se o Castelo de Bellver, mandado construir por Jaime II para ser residência dos reis de Mallorca em caso de perigo. Assim, o primeiro núcleo habitado de Palma instalou-se na ladeira dessa pequena colina onde agora se encontram a catedral e o Palacio de la Almudaina. O limite era definido um ribeiro que agora é o Paseo d’es Born.

Uma das artérias principais da actual cidade que, ao chegar à praça do Rei Joan Carles I, se bifurca em duas: a avenida do Rei Jaume III, elegante e muito comercial; e a calle Unió, que continua para norte com o Paseo de la Rambla e a Via Roma, com as suas árvores, quiosques e lugares de venda de flores que convidam o visitante a agradáveis passeios. Este Paseo separa ainda a cidade do núcleo histórico.

Catedral (Palau Reial): Foi iniciada a sua construção pelo rei Jaime I e acabada totalmente no ano de 1601. Destacam-se as rosetas, sobretudo as do Altar-Mor, e a capela Real, restaurada por Antoni Gaudi. É conhecida por La Seo, significa sé do Bispo. O seu maior tesouro é o tabernáculo, em prata maciça. Igreja de San Francisco (Plaza de San Francisco). Uma maravilhosa construção do século XIII.

Olonja (Paseo Sagrera): Uma das várias construções da velha Palma, era utilizada como a Bolsa de Valores da cidade e é um interessante exemplo da arte civil gótica. Fecha às segundas-feiras.
Termas Mouriscas (Calle Serra): Um dos mais importantes marcos deixado pela presença islâmica.
Palau de l’Almudaina (Palau Reial): convertido em palácio real pelos reis de Maiorca, é actualmente um museu. Foi construído no século XIV, durante o reinado de Jaime II.
Sa Llotja: do século XIV, as suas janelas dão-lhe uma excelente iluminação.
Castell de Bellver (parque de Bellver): Situado numa colina sobre a baía de Palma, possui uma curiosa planta circular. Uma das melhor conservadas e mais importantes fortalezas do Mediterrâneo. Fechado aos domingos.
Basílica de Sant Fransec: Obra gótica de esbeltas colunas.
Fundació Pilar i Joan Miró: Alberga uma colecção da obra do pintor, biblioteca e auditório.

Nos arredores …..

Palma Nova e Magaluf: A apenas 14 quilómetros de Palma, chegará a Palma Nova e Magaluf, que estão lado e lado. Local agitado cheio de restaurantes e discotecas é um dos lugares preferidos pelos turistas jovens.
Costa de Calviá: 32 enseadas e 6 praias ao longo de 4 quilómetros.
Deiá: Localidade onde viveu o poeta inglês Robert Graves. Aldeia a norte de Palma com vista extraordinária para o Mediterrâneo. Aqui, além da casa do poeta poderá ver uma imponente mansão do arquiduque Luis Salvador, Son Maroig, um aristocrata austríaco do século XIX, com os seus belíssimos jardins. A mansão aloja uma colecção permanente de arte e artesanato maiorquino. Fecha aos domingos.

Soller: O acesso a esta pequena cidade faz-se por uma vale repeleto de laranjeiras. Vestígios do passado permanecem através do convento barroco de San Francisco.
Valldemosa: Pequena jóia das antigas aldeias de Maiorca, parece um postal ilustrado com amendoeiras e oliveiras. O seu convento foi o local onde Chopin e Jorge Sanz se instalaram entre 1838 e 1839. Foi aqui que Chopin escreveu a Marcha Fúnebre. Poderá ver este convento — de La Cartuja —, originalmente o palácio dos reis de Maiorca no século XIII. Poderá visitar o quarto de Chopin e Jorge Sanz, os aposentos do prior que são agora uma notável biblioteca de livros raros, e um fascinante tríptico em mármore do século XV. A farmácia do convento, do século XVIII, também pode ser visitada.

Alcudia: Antiga cidade romana chamada Pollentia onde, no seu museu arqueológico, poderá ver peças desta época.
Cabo Formentor: Península localizada a 78 quilómetros a norte de Palma. Aqui se encontram os penhascos mais elevados da ilha. Diz-se que aqui estão as mais claras águas de Maiorca e as mais brancas praias da ilha.
Pollença: Tradicionalmente associada a intelectuais, é uma colónia de artistas. O convento de Santo Domingo é um museu onde se exibem obras de arte da época medieval ou moderna. Encerra às terças, quintas e domingos à tarde.

Grutas de Artá: Estas “cuevas” competem em beleza com as chamadas del Drach, mais para sul. São complexos subterrâneos provocados pelas marés, encontrando-se agora 35 metros acima do nível do mar.
Andraitx: Pequena aldeia situada num vale repleto de olivais e amendoeiras que soube preservar a arquitectura tradicional. Típica aldeia de Maiorca.
Inca: Esta cidade tem o mercado semanal mais popular e antigo da ilha. Realiza-se todas as quintas-feiras.
Manacor: Famosa pelo fabrico de pérolas artificiais. Deve fazer uma visita à fábrica das pérolas Majorica. Outro ponto de interesse é o museu de Arqueologia e a fortaleza chamada Torre Es Palau.
Marineland: Parque marinho de investigação com um espectáculo de golfinhos. Fica no litoral da costa d’En Blanes.

A praias de Palma de Maiorca

Sant Agusti: Conjunto de praias a 7 quilómetros de Palma com todos os serviços e possibilidades de praticar desportos náuticos.
Illetes: Um grupo de baías rodeadas por belas colinas.
Bendiat: Um dos pontos privilegiados da costa.
Portals Nous: Pequena praia rodeada de hotéis com um centro de mergulho.
Praia de Magaluf: A praia é a mais extensa da costa de Calviá. No entanto fica muito cheia no Verão.
Praia de Nova Palma: Aqui se encontram o Iate Club e uma escola de windsurf.

Passeios de Balão

Pode realizar passeios de balão sobre a ilha de Maiorca. Receberá o Baptismo de Voo e um certificado de voo de balão. Os passeios são orientados por pilotos profissionais, com normas de segurança e têm uma duração total de 3 ou 4 horas (a duração do voo é entre meia-hora a uma hora, segundo reserva). Fazem-se voos livres (partindo do rancho de Ca’n Bulla voo livre por Maiorca, segundo a direcção e força do vento). Voos fixos (fixa-se o balão onde o cliente deseje e sobe até 25 metros.

Menorca

Menorca é a ilha mais oriental das Baleares e apresenta duas regiões muito diferentes: a norte, a Tramuntana; e a sul o Migjorn. Nesta zona encontra praias e água puríssima e areia branca. Além das fabulosas praias são visita obrigatória os seus monumentos megalíticos, disseminados por toda a ilha. Há três tipos básicos de construções: as taulas, os talaiots e as navetas.

No casco antigo de Maó (Mahón), capital da ilha, e Ciutadella poderemos encontrar um bom exemplo da arquitectura popular menorquina. En Maó é interessante visitar a Església do Carme, do século XVIII, e o museu Hernández Mora, que alberga uma colecção de arte e antiguidades menorquinas. Outros lugares de interesse são: Ferreries la baía de Santa Galdana é um dos locais mais frequentados da ilha; a povoação pesqueira de Fornells e “Coves Toglodita”, construções escavadas no interior da rocha.

Mahón é a capital. Existem várias construções de interesse, como a igreja de Santa Maria, onde se encontra um dos mais belos orgãos da Europa, e o Theatre Principal, uma réplica do Scala de Milão.
San Luis: A sul de Mahón, aldeia fundada pelos franceses.
Es Castell: Antigo quartel da guarnição britânica, outrora conhecida como Georgetown. Dominada pelo antigo forte de San Felipe.
Ciudadela: A segunda maior cidade de Menorca. Uma cidade antiga que se vangloria de ter tido um bispado no século IV. Vale a pena visitar o túmulo da Idade do Bronze Es Tudon, e os desenhos na gruta de Santa Ana de Tourraulbet. A festa de São João é famosa.

Ibiza

A ilha de Eivissa é a que está mais próxima das costas peninsulares; paraíso turístico, refúgio hippy e vida nocturna animada fazem com que seja um dos destinos mais procurados do Mediterrâneo. O casco antigo de Ibiza, também conhecido como Dalt Vila (Cidade Alta) encontra-se sobre um grande rochedo. As muralhas (século XVI) contornam o recinto apoiando-se em sete baluartes artilheiros. Na parte alta e visível a quilómetros vê-se a Catedral, gótica e barroca, o Museu Arqueológico e o Castelo.

A Praça da Vila dá entrada ao Portal de ses Taules (século XVI), que ostenta um belo escudo lavrado do reinado de Aragão, onde se encontra o Museu de Arte Contemporânea, com obras de Tàpies e Miralles entre outros. Mais além situa-se a necrópole de Puig des Molins, cujo museu alberga uma grande colecção púnica.

Bairro la Marina: Ao longo do cais de onde saem os ferry boats.
Sant Antoni: Centro do turismo de massa; a antiga aldeia de pescadores é hoje um bosque de modernos e altíssimos hotéis e apartamentos.
Santa Eulália: Tem conseguido preservar a sua identidade. Destaca-se a igreja – fortaleza do século XVI e o Museu etnológico.
Sant Josep: Centro administrativo do sudoeste de Ibiza.
Sant Joan e Santa Agnès: Pequenos conjuntos harmónicos de casas brancas, convidam-nos a uma viagem ao passado rural dos tradicionais habitantes de Ibiza.

As praias de Ibiza

Se estiver em Eivissa, tem a praia de Talamanca, na saída norte; e a praia de Figueretes, para sul.
D’En Bossa: Não é uma das favoritas. O principal ponto de atracção é o bar Ku Beach.
D’Es Cavallet: É conhecida por ser a primeira das praias de Ibiza a tolerar nudistas.
Las Salinas: Praia muito concorrida.

Formentera

Formentera é um prolongamento da ilha maior, Ibiza, à qual está quase unida por um conjunto de ilhotas. Desde tempos remotos, ambas as ínsulas são consideradas uma unidade que dá pelo nome de Pitiusas. A capital é Sant Francesc, o principal município de Formentera onde encontraremos todos os serviços. O mais interessante para visitar – à parte da sua bela paisagem e das suas praias virgens – é a igreja fortificada do século XVIII; Far de Sa Mola, de onde se obtém uma panorâmica inigualável; e o sepulcro megalítico de Ca Na Costa (1800-1600 a.C.), único no seu género nas Baleares.

Cabrera

Situada a 18 quilómetros do ponto mais meridional de Maiorca. As suas águas são importantes para a fauna e flora, tendo sido declarada Parque Nacional. A ilha de Cabrera nunca foi habitada. Um castelo domina a baía, tendo sido utilizado na Primeira Guerra Mundial. Actualmente está ocupada por um destacamento militar e por guias que mostram aos turistas as particularidades da ilha e a sua história.

Museus

Arte Contemporânea (Ronda Narcis Puget – Ibiza): Oferece uma interessante exposição de arte de Ibiza dos anos 70.
Visite tambem o Museu Etnológico de Ibiza (Santa Eulália).

As Ilhas Baleares á Noite

Palma de Maiorca: Na época alta é uma festa constante. Os aperitivos antes do jantar são tomados nos terraços, esplanadas e cafés do passeio del Borne e na Plaza de la Lonja. Após o jantar a acção passa para as discotecas e bares.

Ibiza: O Ku, localizado a 6 quilómetros da cidade, é um dos pontos agitados com restaurante, bares, piscina, lojas e discoteca. O Pacha (Paseo Maritimo) é, desde há muito, a discoteca da moda. El Divino (Paseo Maritimo)

Desportos Aquáticos

Palma: A vela é o desporto principal, e há uma série de yatch clubs. Os marinheiros de água doce podem aprender a navegar na Escuela de la Vela de Cala Nova, em San Agustín. Podem iniciar-se no mergulho no Centro de Actividades Subaquáticas Triton (plaza Weiler, 2).

6 Coisas que não deve deixar de fazer nas Ilhas Baleares

1. Visitar a catedral de Palma e admirar o altar de Gaudi.
2. Conhecer o Poblado Espanhol.
3. Visitar o castelo de Bellver (Palma) e apreciar a bela vista.
4. Visitar o convento onde Chopin viveu.
5. Ir às Cuevas
6. As noites de Ibiza

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade