Ilhas da Ria Formosa

As Ilhas da Ria Formosa – Praias desertas, água azul e uma fuga à realidade. Tudo aqui tão perto

Aqueles que procuram como destino um mar turquesa e praias de areia branca serão perdoados se pensarem imediatamente em locais longínquos. Mas, o blog agencias de viagens em portugal desvenda aqui um dos segredos mais bem guardados da região Algarvia. Um refúgio para os residentes portugueses e estrangeiros, as ilhas da Ria Formosa, na costa de Olhão, são um verdadeiro retiro com quilómetros de praias desertas e permanecem quase inexploradas pelo turismo internacional.

Situadas na Reserva Natural da Ria Formosa, um labirinto de canais e sapal, as ilhas da Culatra, ilha da Armona e ilha da Barreta – ou Ilha Deserta – são três das cinco ilhas barreira que protegem a ria do Atlântico. Um local perfeito para a observação de aves, com uma rica variedade de fauna e flora, o parque natural estende-se por 60 quilómetros ao longo do Sotavento algarvio. A barra principal (artificial) está localizada entre Faro e Olhão.

Como centro da comunidade local piscatória, as ilhas são habitadas principalmente pelas comunidades de pescadores que ao longo dos anos lá se estabeleceram. Não são permitidos carros nas ilhas e, dispondo apenas das comodidades mundanas básicas, este é certamente o melhor destino para quem quer fugir do mundo. O acesso é feito apenas por barco, através de ferries que saem regularmente de Olhão (menos frequentes no Inverno), e cujos bilhetes custam no máximo 3.20 euros (ida e volta). Também existem barcos-táxi, disponíveis 24 por dia.

Com um serviço de transferes para a ilha, mas tendo como especialidade os passeios ao longo da Ria Formosa, a Natura Algarve, uma empresa de ecoturismo fundada em 2008, por Sónia Manso e Ricardo Barradas, oferece vários programas diferentes, como observação de aves e de golfinhos, complementados pelo conhecimento local da equipa. “Os conteúdos e informação prestados são pensados tendo em conta que os nossos clientes querem usufruir não apenas de um serviço, mas de uma experiência única que ficará guardada no baú de memórias,᾿ explica Sónia.

Outra opção é fazer uma viagem amiga do ambiente com a Sunquays, cujo barco a painéis solares é único na Ria Formosa. Lançada em 2008 pela bióloga marinha Marisa Garcia, a embarcação sem emissões de CO2 é alimentada por dois motores eléctricos, assegurando uma viagem limpa e silenciosa para os amantes da natureza. “As hélices nunca tocam no chão antes do casco para não danificar o fundo da ria,᾿ garante Telma Fernandes, responsável da Sunquays.

Observação de cetáceos e vida marinha

Para uma vivência mais luxuosa da ria formosa, a empresa de iates Champagne Cruises, em Vilamoura, disponibiliza charters ao dia, em que os clientes podem observar a vida selvagem e visitar as praias e sapal. “A água é muito calma, por isso é bom para as pessoas que querem fazer ski aquático, por exemplo,᾿ diz Trudy Meadows, da Champagne Cruises.

Se a Ilha da Armona, onde pode praticar desportos aquáticos, como canoagem e mergulho, é mais popular entre os turistas, com restaurantes, bares e um parque de campismo, a Ilha da Culatra é maioritariamente habitada por pescadores. Com uma população de cerca de mil pessoas, uma escola e uma igreja, a vida na ilha é simples.

“Estando perto, estou longe. Não há Internet, telemóveis. Isso é o bonito disto,᾿ diz o empresário algarvio Constantino Jordan, cuja família tem uma casa de férias na Ilha do Farol, assim chamada por causa do farol que vigia o ponto mais a sul de Portugal – o Cabo de Santa Maria.

Ainda na Ilha da Culatra encontramos Hangares, cujo nome se deve ao hangar – nunca utilizado -, construído durante a Primeira Guerra Mundial. Contudo, é a Ilha do Farol, com as suas cabanas de pescadores e praias de areia branca, que tem mais visitantes fiéis. Com a ria mesmo à porta, fornecendo algum do melhor marisco e peixe fresco que jamais irá provar, as ilhas são conhecidas pelas suas deli­ciosas ostras e amêijoas, e os marisqueiros são uma visão frequente na paisagem.

Para além de um café, existem apenas dois restaurantes no Farol – a Associação e o À-do-João. Com vistas maravilhosas para a lagoa e para o Atlântico, o À-do-João é famoso pelo seu peixe grelhado pescado no local, como a corvina, robalo e atum, e também pelas amêijoas, apanhadas na ria. Cozinhada na perfeição mas sem requinte, a comida é deliciosamente simples. “A maioria dos nossos clientes vem cá todos os anos,᾿ afirma o proprietário Rui Brandão. Aberto todo o dia, o restaurante fecha em Janeiro e Fevereiro, consoante o clima.

Um refúgio para os apreciadores de peixe, o Farol é também o retiro semanal de Vincent Nas, chefe do restaurante Vincent, em Almancil. Nas suas visitas à ilha, Vincent cozinha muitas vezes o peixe que pescou. “Este é o Portugal autêntico. É um mundo aparte,᾿ diz o chefe suíço, que já viu dois dos seus restaurantes serem galardoados com estrelas Michelin.

Surpreenda e surpreenda-se!

Enquanto o sol se põe, banhando a ilha em tons de laranja e dourado, uma caipirinha no marAmais é obrigatória. Desde que ocuparam o espaço, há seis anos atrás, as irmãs Carla e Andreia transformaram a antiga cabana na praia num bar muito frequentado e descontraído. “Não se trata apenas de oferecer bebidas, trata-se também de criar uma atmosfera agradável e com boa onda,᾿ explica Carla. Com snacks leves à disposição, o marAmais é mais conhecido pelas suas festas temáticas e música ao vivo – a desculpa perfeita para desfrutar a ilha de noite. Com um staff simpático, o bar está aberto de Junho a Setembro.

Mas, para um verdadeiro toque paradisíaco, visite a inabitada Ilha Deserta, com ímpares areais brancos e límpida água azul. Com um único restaurante – o Estaminé -, a ilha só pode ser acedida a partir de Faro através da frota do restaurante, por barco-táxi ou barco privado. Construído em 1988 mas substituído pelo edifício actual em 2007, o proprietário José Vargas esforça-se por manter padrões de comida e serviço equivalentes à sua localização esplêndida.

Baseada na cozinha tradicional algarvia e reflectindo os laços da região com o mar, o restaurante está aberto apenas para almoços, e tem também um bar de snacks. “O nosso cliente típico está bem na vida, é viajado, apreciador de boa mesa e das subtilezas que os locais e certos momentos podem ofe­recer,᾿ diz José. Com uma localização tão privilegiada, as ilhas paradisíacas da Ria Formosa dão-nos realmente um vislumbre da vida simples.

Natura Algarve: www.natura-algarve.com
Sunquays: www.sunquays.com
À-do-João: www.adojoao.com
MarAmais: 915239684
Estaminé: www.desert-island.eu

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:09 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)