Implante de Silicone: Mamas, nádegas, panturrilhas, lábios, braços e pernas Perfeitas!

Cada vez mais as mulheres portuguesas recorrem à cirurgia plástica e aos implantes de silicone para aumentar, reduzir ou mudar a forma da mama, para uns seios mais estéticos, pernas, nádegas, panturrilha, lábios e, até já alguns homens o utilizam para aumentar os músculos dos braços e pernas.

Implante de silicone nos seios é a 3 cirurgia plástica mais realizada no brasil

Mudar o tamanho dos seios, a forma do nariz, a espessura dos lábios, tirar a gordura que se acumulou na barriga ou nas ancas, são algumas das possibilidades que a moderna cirurgia estética nos oferece. Para muitas pessoas, é a oportunidade de fazer com que o nosso corpo corresponda à imagem que idealizamos. Mas será que é assim tão fácil?

O implante de silicone

Actualmente, uma das técnicas mais faladas e usadas da cirurgia plástica estética é o recurso ao implante de silicone, um produto de uso médico que permite alterar as formas do corpo humano. Fruto do aperfeiçoamento da moderna tecnologia, as próteses de silicone vulgarizaram-se, sendo cada vez maior o número de mulheres que recorrem a esta solução, seja para aumentar o volume dos seios, para tornar os lábios proeminentes ou para dar às nádegas inclinação perfeita.

Uma cirurgia simples

As intervenções cirúrgicas para aplicação de silicone são hoje em dia bastante simples, assim como rápidas e de longa duração. Por exemplo, um implante de silicone para aumento do volume dos seios pode ser feito em duas horas, com recurso a uma anestesia geral, não havendo necessidade de internamento. A recuperação desta operação é igualmente simples, não sendo aconselhável, ao contrário do que era prática há alguns anos, que a pessoa fique acamada.

implante de silicone no bumbum

Após a cirurgia deve haver um período de cinco dias de repouso em casa, sendo que o cirurgião plástico deverá fazer um acompanhamento durante os 12 meses seguintes. Inicialmente, até aos primeiros três meses, devem ser feitas consultas quinzenais e depois apenas observações mensais. Claro que este seguimento dependerá sempre da forma como cada médico e doente entenderem ser mais conveniente.

Duração e cicatriz

Numa operação para aumento ou elevação da mama, a técnica utilizada consiste num implante através de um corte na zona alveolar, por onde o molde de gel é introduzido. Após a aplicação e fechada a abertura, não é perceptível qualquer cicatriz.

A duração de um implante é prolongada, entre cinco a dez anos, sendo sempre possível voltar a reduzir a mama, ou aumentá-la de novo.

Actualmente, existem cerca de cinco milhões de mulheres no Mundo com próteses mamárias, não havendo registos pós-operatórias significativas. É claro que nos referimos a intervenções feitas por médicos devidamente qualificados, cujo material usado obedeceu a especificações de segurança.

Qual modelo de prótese de silicone é adequado para mim

Apesar de tudo, há duas situações identificadas que podem afectar uma percentagem mínima de pacientes. Referimo-nos à possível deslocação das bolsas de silicone e ao esvaziamento das bolsas de silicone sólido cheias com soro fisiológico que se dissolveu.

Estes problemas dificilmente surgirão se o tamanho dos implantes for devidamente ponderado e se o cirurgião escolhido executar um bom trabalho.

O que é o silicone?

O silicone é o resultado de uma combinação de carbono e de um radical, o OH, com a fusão da sílica, que é o segundo elemento do planeta Terra logo a seguir ao oxigénio.

Trata-se de um material inerte, que não sofre transformações, não é tóxico e pode ser facilmente introduzido no corpo humano.

Esta característica fez com que o silicone começasse a ser usado nas práticas da moderna medicina. Inicialmente, foi utilizado em sondas, cateteres, seringas, agulhas, e depois, desde há cerca de 40 anos, por iniciativa de médicos americanos, em cirurgia reconstrutiva e estética.

A forma mais moderna do silicone tem a apresentação de um gel designado por gel coesivo de silicone. Trata-se de um gel bastante mole, bastante diferente dos materiais conhecidos até há poucos anos, com uma fórmula mais líquida.

Precisarei trocar as minhas próteses

O silicone médico é fabricado por empresas que apresentam garantias de controlo de qualidade e certificações oficiais de purificação e origem do material. De qualquer forma, antes de uma intervenção cirúrgica que envolva este material, qualquer pessoa deve procurar saber junto do médico cirurgião as características do implante de silicone que vai ser utilizado.

Nomeadamente, deverá recolher informação sobre o lote a que pertence, o que irá constar num cartão, que acompanha a doente após a operação.

Palavras difíceis

A cirurgia plástica tem um nome específico para cada tipo de intervenção que se pretende. Aqui, deixamos-lhe uma lista completa com a respectiva correspondência para linguagem comum.

Na face:

– implante capilar – tratamento cirurgico para a queda de cabelo (calvície).
– implante dentário –
permite restaurar e renovar uma boca completamente ” sem dentes”.
– lifting facial ou face lift –
operação que estica a pele da face, eliminando totalmente a flacidez e 80% das rugas atraves da eliminação de pele em excesso. ( este procedimento restaura rosto e pescoço, eliminando a tão indesejada papada).
blefaroplastia – Correcção de pregas e papos nas pálpebras, retirando os excessos.
otoplastia –  para quem sofre de orelhas proeminentesorelhas de abano”.
queiloplastia – Preenchimento dos lábios com implantes de vários tipos (como por exemplo a própria gordura do paciente, retirada através de uma Lipoaspiração).
rinoplastia – Correcção do perfil do nariz.
rididectomia – Flacidez da face e pescoço.

No corpo:

mamoplastia de aumento, mamoplastia de redução, reconstrução mamária e mastopexia (suspensão da mama feminina. Ideal para mulheres que sofrem de ptose mamária)
abdominoplastia (Correcção de um abdómen flácido e volumoso. Esta é uma cirurgia muitas vezes realizada depois da gravidez) e lipoaspiração (aspiração de gordura localizada através de uma canula, gordura essa que dificilmente será eliminada através da dieta ou exercício físico).

Maçãs do rosto

Outra das intervenções em que se recorre ao implante de silicone, injectado em muito reduzida quantidade, é a que acontece nas maçãs do rosto para eliminação de rugas. Estas alterações são extremamente precisas, uma vez que uma porção de silicone exagerada pode ter como resultado a deformação do rosto.

Este tipo de intervenção requer também uma atenção especial, já que alguns rostos podem ficar excessivamente “esticados” e rígidos, não apresentando o ar jovem, sensual e natural pretendido.

Rugas e lábios

No caso das rugas, o silicone é injectado ao nível da derme profunda, penetrando nos tecidos. Isso leva ao levantamento da base da ruga, evitando-se que a pele mude de textura, apresentando-se mais rígida. Por seu lado, no enchimento dos lábios, o gel é injectado na quantidade precisa, o que requer um estudo prévio bastante cuidado.

É que, em excesso, os lábios podem perder a sua forma natural e ficar disformes. Outra solução, embora mais simples será menos duradoura é a aplicação de botox.

Pernas – nádegas e panturrilha

Também se fazem implantes de silicone nas nádegas e panturrilhas, sendo que na zona das nádegas podem surgir algumas complicações.

Isso acontece, não porque decorra de forma diferente ou tenha um rendimento menor, mas porque a função destes músculos – suportar o peso do corpo quando estamos sentados e servir de colchão à coluna e à pélvis – limita o volume do implante e também a zona onde será efectuado.

As bolsas para levantar a “culotte” são exactamente iguais às que se implantam nos seios, isto no que diz respeito ao material e à textura.

Na forma há já algumas diferenças, pois pode incluir silicone sólido, gel de silicone, óleo ou soro fisiológico. A colocação é feita na parte alta da nádega e nunca no sítio exacto sobre o qual nos sentamos. Existe tambem quem recorra à bioplastia.

Sensibilidade nos seios e amamentação

Antes e depois de Lidiane Braga - prótese de 280ml

Os implantes de silicone não alteram a sensibilidade do peito, não tendo implicações na capacidade de aleitamento das futuras mães.

A garantia é dada pelos cirurgiões desta especialidade, bem como pelos fabricantes de silicone médico. Este esclarecimento responde a uma das dúvidas mais frequentes das mulheres que pretendem fazer aumento ou redução de mama.

Segundo os especialistas, o implante de silicone não traz qualquer tipo de alteração na sensibilidade ao nível da pele do seio, do mesmo modo que não tem influência nas glândulas produtoras de leite, permitindo às futuras mães aleitarem os seus bebés normalmente.

Assim, nada impede que uma adolescente possa fazer um aumento ou redução da mama, uma vez que esta operação não terá consequências no seu futuro papel como mãe.

antes e depois do implante de silicone nas mamas

Os cirurgiões salvaguardam, no entanto, a importância de o produto implantado ser fiável e de a intervenção cirúrgica ser feita por um médico devidamente credenciado.

Do mesmo modo, o silicone não altera a qualidade do leite materno, podendo apenas mudar ligeiramente o sabor deste, mas sem consequências, a exemplo do que sucede em qualquer embalagem alimentar, fabricada com silicone industrial.

Entrevista a Joaquim Seixas Martins – Cirurgião Plástico

“É preciso saber gerir as expectivas”

Quais as intervenções mais frequentes na cirurgia estética?

Joaquim Seixas Martins – A cirurgia mais utilizada nas mulheres é a lipoaspiração, ou lipoescultura. Depois, seguem-se o aumento e redução mamária e as alterações no nariz e no rosto. A idade mais frequente em que se fazem estas intervenções é aos 45 anos.

Quais os cuidados pré operatórios exigidos?

JSM – Isso depende da cirurgia que se vai fazer. Há uma consulta inicial, onde é feita uma selecção, em que se avalia se o doente tem ou não indicação para a cirurgia que pretende e se é um bom candidato.

Nesse momento procuro aperceber-me e compreender quais são as expectativas da pessoa. Depois, em função do que é pretendido, fazem-se alguns exames e uma história clínica, preparando-se a pessoa para a operação.

Como é que se gerem as expectativas de quem se prepara para fazer uma operação deste tipo?

JSM – A melhor forma de gerir as expectativas é explicar tudo e informar as pessoas. É importante fazê-las perceber que não há uma garantia absoluta que correspondam exactamente ao pretendido.

Por outro lado, as pessoas devem estar informadas sobre os riscos e os tempos de recuperação.

Isso quer dizer que, por vezes, as pessoas têm expectativas exageradas?

JSM – Há expectativas que são aceitáveis e é legítimo que a pessoa pense que ao mudar determinada característica no seu aspecto vai ficar com uma melhor aparência. Afinal, é isso que a cirurgia plástica propõe. Em consequência, é natural que a pessoa melhore a sua auto estima e os seus níveis de confiança.

No entanto, existe um limite para esse sucesso. Não se passa de um extremo para o outro, e o cirurgião tem que perceber se a pessoa é psicologicamente estável.

Existe uma idade aconselhada para fazer uma cirurgia plástica?

JSM – Depende do que for pretendido. Se tivermos como exemplo um caso que vulgarmente designamos de orelhas de abano, no caso da otoplastia sabemos que é uma cirurgia que deve ser feita na idade pré-escolar, quando a criança tem 5 ou 6 anos.

No caso de um nariz com uma grande deformação, a rinoplastia pode executar-se a partir dos 16 anos. Um aumento ou redução, da mama, que numa adolescente causa imensos problemas, deve ser operado logo que possível.

Na cirurgia estética, mais do que a idade real, interessa a idade aparente da pessoa, as suas características da pele, dos músculos, etc.

Entrevista ao dr Ângelo Rebelo – Cirurgião Plástico

Quais as intervenções mais frequentes nos tratamentos estéticos?

Angelo Rebelo – Os principais tratamentos são a remodelação corporal, com a lipovibrosucção, feita com anestesia local, e os aumentos de mama, com anestesia local e sem internamento. Na face, normalmente as jovens procuram alterar o nariz e as orelhas.

Só depois, a partir da meia-idade, é que surgem as preocupações com as primeiras rugas, bem como as mudanças nos lábios. As pessoas com mais idade procuram os tratamentos para rejuvenescimento da face, que podem ser cirúrgicos ou não.

Este tipo de cirurgia ajuda as pessoas a viver melhor?

AR – O conceito de saúde inclui o bem-estar físico, mental e social. Portanto, se uma pessoa não se sente bem consigo mesma, se tem um problema de saúde, deve procurar a ajuda de um médico.

Ora, este é um dos ramos da medicina que está preparado para o fazer e, se a há uma pessoa com algo que a perturba, que nós podemos ajudar, devemos fazê-lo.

O mal estar dessa pessoa pode não se resolver só com a cirurgia…

AR – Nós não fazemos milagres. É importante não darmos falsas expectativas aos doentes. Se surgir uma doente de 70 anos a dizer que quer parecer ter 40, nós não a aceitamos.

É certo que vamos procurar ajudá-la, mas não vamos alimentar o exagero de lhe devolver o aspecto que tinha aos 30 anos. Tratando-se de uma pessoa com alguma perturbação psicológica, que pensa que vai resolver os seus problemas com a cirurgia, eu digo-lhe que nenhuma cirurgia vai resolver esse problema.

Nesses casos, tentamos encaminhar a pessoa, procurando que ela entenda o que está mal consigo. Se uma mulher não precisa de uma intervenção, eu chamo-a à atenção e digo-lhe que a operação não vai ter nenhum resultado.

Há uma idade própria para fazer um tratamento estético?

AR – O meu conceito é de que não há uma idade própria para fazer uma cirurgia estética. Por exemplo, tenho um número razoável de jovens menores de 18 anos com próteses de mama.

É claro que essas menores têm de Ter uma autorização dos pais, mas não há razão nenhuma para não se fazer uma cirurgia a uma adolescente. Pelo contrário, se há algo que as perturba, não há razão para as fazer esperar!

Cirurgias plásticas dos famosos

Goldie Hawn – Depois dos 50 anos a actriz norte-americana eliminou o “duplo queixo”, bem como pequenas rugas na face e no pescoço e acerto do nariz.

Melanie Griffith – Implantes de silicone nos seios e nos lábios foram as modificações que realizou ainda antes dos 40 anos. Apesar de satisfeita com os resultados das operações, a actriz enfrentou reacções alérgicas na fase imediata ao implante nos lábios.

Brigitte Nielsen – Ficou com más recordações dos implantes de silicone. As queixas da actriz dinamarquesa surgiram na sequência de problemas pós operatórios e, principalmente, devido ao facto de ter passado a ser reconhecida pelos seus volumosos seios.

Dolly Parton – Foram precisos três implantes de silicone para que Dolly Parton ficasse satisfeita com o seu peito. Com um peito volumoso, pouco mais de metro e meio e 50 quilos de peso, a cantora enfrentou sérios problemas de adaptação ao seu novo corpo. Posteriormente, fez uma nova operação para redução dos seios.

Tori Spelling – Apesar de jovem e de ser considerada uma mulher atraente, a actriz de Beverly Hills 90 210 e Splash, fez uma operação aos seios e aos lábios para aumento do volume.

Pamela Anderson – A fama de Pamela Anderson é directamente proporcional ao volume dos seu peito, aumentado por silicone já após o início da sua carreira como actriz.

Elizabeth Taylor – Operações plásticas e implantes de silicone foi a forma que encontrou para disfarçar o envelhecimento e a perda de uma beleza que a celeberizou.

Janet Jackson – Diversas correcções faciais, o adelgaçamento do nariz e o aumento do volume dos seios foram as alterações realizadas pela cantora e actriz Janet Jackson, ainda antes dos 30 anos.

Preços, Quanto custa?

  • Blefaroplastia – 2500 euros
  • Otoplastia – 3000 euros
  • Lifting facial -4000 a 5000 euros
  • Filling: em consulta
  • Enchimento de “vincos”, rugas, zonas de depressões.
  • Mamoplastia de aumento com próteses: 4000 a 5000 euros
  • Lipoaspiração / lipoescultura: 3000 euros
  • Rinoplastia – 3000 a 4000 euros
  • Peeling – 120 euros sessão
  • Mamoplastia de Redução Vertical – 3000 euros
  • Celulite Tratamentos Médicos – variável

Nota: Estes preços são meramente indicativos, estando sujeitos às variações resultantes de cada diagnóstico. Incluem a clínica, equipa médica e gastos com materiais.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:00 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)