Impotência Sexual Masculina

A impotência sexual masculina, perda total da erecção, pode estar associada a diversas doenças: diabetes, hipertensão arterial, esclerose múltipla, lesões da medula. Por vezes, a impotência aparece relacionada com problemas psicológicos (depressão, stress) ou tóxicos (tabagismo, alcoolismo). Também pode ocorrer na sequência de determinadas cirurgias, nomeadamente a ablação da próstata em caso de cancro da próstata.

Tratamento da impotência sexual masculina, causas, soluções e medicamentos para cura.

O Que fazer? Mesmo quando a incapacidade de erecção “natural” é irreversível, existem tratamentos e soluções que permitem ultrapassar, com ajuda médica, um momento difícil. Actualmente, a medicina dispõe de um vasto leque de tratamentos e o médico pode prescrever medicamentos como o Viagra que, apesar das contra indicações e de alguns insucessos, continua a ser, na opinião dos especialistas, um excelente produto.

As injecções intracavernosas (dentro do pénis para provocar uma erecção) dão óptimos resultados, ainda que algumas possam ser rejeitadas. Os dispositivos de vácuo (que provocam a erecção por efeito de depressão) são uma espécie de bomba manual de vácuo que origina uma espécie de fluxo sanguíneo.

Este método, porém, é desaconselhado pelos especialistas, que consideram não ser uma medida para tratar a impotência sexual masculina. Para além disso, a sua utilização requer cuidados muito específicos, para não provocar danos fisiológico no utilizador.

As aplicações intra uretrais, que introduzem substâncias activas na uretra com o auxílio de uma pequena cânula, são menos eficazes que as injecções intracavernosas, mas têm a vantagem de evitar a agulha. Em último recurso, é possível propor implantes (próteses de pénis) flexíveis, insufláveis ou mesmo hidráulicas.

De qualquer modo, não incorra em tentações de se automedicar. Na origem dos distúrbios sexuais podem estar as mais diferentes causas, e as soluções fidedignas são dadas, inevitavelmente, por especialistas.

3 PERGUNTAS ao Prof. Dr. Guimarães Lopes Médico psiquiatra

Os homens têm dificuldade em falar dos seus problemas sexuais?
As diferentes sensibilidades entre o homem e a mulher leva-os a variados modos de expressão dos seus problemas sexuais. Se o homem se reger por modelos culturais ligados à virilidade, com interiorização de referentes semelhantes ao donjuanismo, então, haverá dificuldade na verbalização das dificuldades sexuais.

Quando se decidem consultar um sexólogo?
Quando o pensamento ou a tentativa de acto sexual causa sofrimento, qualquer que seja a sua expressão: desde o íntimo desencanto à insensibilidade física, passando pela dor moral. Estas dificuldades poderão prejudicar a vida nos seus múltiplos aspectos: na esfera social, nos desempenhos profissionais e na relação afectiva. A autoestima e a auto-imagem podem ser afectadas, podendo inclusive levar à depressão.

Também podem surgir sentimentos de insegurança, de desvalorização e medos vários. Assim, é importante a procura de ajuda especializada no sentido de poder partilhar os seus problemas na certeza de ser compreendido, recebendo uma orientação psicológica e/ou farmacológica.

Costumam falar dos problemas de erecção?
A dificuldade ou ausência de erecção‚ uma das razões de insatisfação sexual no homem. Pode ter múltiplas causas, desde a doença física (por exemplo diabetes, hipertensão) até problemas psicológicos (tão diferentes como a culpabilidade ou o stress).

Mesmo havendo erecção muitas vezes falta o orgasmo. Esta situação, que normalmente é transitória, perturba a relação e nem sempre é compreendida pela parceira sexual. As consequências são devastadoras para a auto imagem do homem enquanto ser sexuado. Daí a importância da ajuda especializada passar pelos dois parceiros.

Os medicamentos

• Tão eficaz como a pequena pílula azul, mas de alegado efeito mais rápido, uma variante de uso nasal para o Viagra. Existem esperanças de que este medicamento possa vir a permitir obter uma erecção apenas um quarto de hora após a sua utilização em vez de cerca de uma hora (tempo de efeito do comprimido). Os investigadores já contactaram o laboratório responsável, que aguarda avanços nos resultados.

• Um novo medicamento, o AMM, que provoca a erecção através de acção indutiva no Sistema Nervoso Central (SNC) encontra-se, também, em fase de testes. Porém, a sua chegada a Portugal não se avizinha para os anos mais próximos, segundo as declarações dos representantes, para o nosso país, pelo laboratório responsável pelas investigações.

• O efeito do Viagra foi testado em 500 mulheres de quatro pa¡ses europeus. Pensa-se que, além de favorecer a erecção masculina, também pode ter efeitos no aumento da lubrificação das vias genitais femininas, para além de tornar o clitóris mais sensível.

Contudo, a farmacêutica detentora da patente vai adiantando que as poss¡veis variantes do medicamento ainda estão em testes, e os resultados obtidos até agora não asseguram a fiabilidade das outras utilizações (femininas, nasal, etc.) que se têm especulado para este comprimido-revolução. Entretanto, o seu uso está confinado ao sexo masculino.

Testemunho de João, 52 anos

“Voltámos a descobrir o prazer”
“Quando, apesar do Viagra receitado pelo meu médico de família, as minhas “fraquezas” se tornaram constantes, decidi ir a um especialista em sexologia. Na primeira consulta, que demorou mais de uma hora, falei-lhe do meu problema e ele mostrou interesse em conhecer todo o quadro da minha vida sexual.

Expliquei-lhe que a minha mulher não parecia afectada pela situação e até afirmava que “não tinha vontade”. O médico sugeriu que, na consulta seguinte, ela me acompanhasse e foi aí que revelou o que sentia. Achava que eu não lhe dava atenção, era pouco carinhoso, que já não conversávamos. Tinha a sensação de ter deixado de existir para mim.

O nosso especialista aconselhou-nos a iniciar uma terapia de casal. Durante três sessões, discutimos o nosso “conflito” conjugal, tendo o médico como moderador. Voltámos a aprender a falar um com o outro e a ouvir-nos. Depois, em casa, fizemos pequenos exercícios para desenvolver a nossa sensualidade: tínhamos de nos acariciar, sem penetração, para encontrar, de novo, o gosto pelo prazer físico.

No início, sentíamo-nos um tanto embaraçados mas queríamos progredir e algum tempo depois até já nos divertíamos. Pouco a pouco, fomos incluindo jogos sexuais a estas práticas e não experimentámos nenhuma dificuldade: não tive mais “falhas”. O mais importante é que aprendi que uma mulher precisa de se sentir desejada e compreendida; agora passo mais tempo a seduzi-la, a acariciá-la e a nossa vida sexual é muito mais agradável.”

Ler também:

Problemas Sexuais femininos e Masculinos
Sumo para Impotência Sexual
Remédio Caseiro para Impotência Sexual
Chá para Impotência Sexual
Alimentos para Combater a Impotência Sexual
Remédio para Melhorar o Apetite Sexual
Estimulante Sexual Caseiro
Afrodisíaco Caseiro

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Esta matéria tem 2 Comentários
  1. Gustavo miranda Reply

    Boa tarde gostaria de saber como faço ou quem procuro esse tratamento; sou deabete tenho 44 anos tou com esse problema impotência sexual mi ajude por favor granto.

  2. antonio Reply

    fui operado ao cancro da próstata com extração radical como é obvio sem possiblidades de ter qualquer erecção.
    procuro um tratamento para o meu caso qual o mais indicado.
    obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:12 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)