Fotos Antes e Depois

Infecção por Clostridium Difficile: Causas, Sintomas + 8 Tratamentos Naturais

De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention in the United States, o Clostridium difficile, igualmente conhecido como C diff, é atualmente uma das principais ameaças de resistência aos fármacos, para a nossa população.

Bactéria Clostridium Difficile

Um estudo realizado em 2015 pelo CDC revela que o C. difficile foi causa de aproximadamente 500.000 infecções, entre pacientes dos Estados Unidos, em apenas um ano. O C diff pode conduzir à morte? Infelizmente, sim.

Daquele meio milhão, cerca de 15.000 pessoas morreram em resultado direto das suas infecções por C. difficile.

Desses mortos, mais de 80% eram americanos com 65 anos de idade ou mais.

Qual é o maior fator de risco, quando se trata do Clostridium Difficile? O CDC estabelece claramente: “os pacientes que tomam antibióticos são os que têm maior risco de desenvolver infecções por C. difficile.” (1)

O Clostridium Difficile era habitualmente considerado um problema de saúde grave que afetava principalmente as pessoas mais idosas que se encontravam a ser tratadas com antibióticos, em internamentos hospitalares ou em lares de idosos.

No entanto, estudos recentes provaram que existe um aumento da incidência de infecções por Clostridium Difficile entre indivíduos jovens e saudáveis.

Nos últimos anos, a bactéria tem-se provado ser uma infecção do cólon cada vez mais comum e mais difícil de tratar. (2)

Um estudo recente, publicado no Annals of Internal Medicine, também descobriu que os casos recorrentes de infecção pela bactéria estão a tornar-se um problema maior que os primeiros casos e, além do uso de antibióticos, a bactéria está também a ser associada à utilização de corticosteroides e inibidores da bomba de protões (habitualmente tomados para o refluxo ácido). (3)

Então, o que é exatamente o Clostridium Difficile? Quais são os sintomas mais comuns de infecção pela bactéria? O micróbio é contagioso? Qual é o melhor tratamento natural para a infecção? De seguida, iremos discutir tudo isso e muito mais!

O que é o Clostridium Difficile?

O C diff (por vezes erroneamente abreviado para “c dif” ou “cdif”) é a versão encurtada mais adequada do Clostridium difficile ou C. difficile, que é um tipo de bactéria que causa inflamação e infecção do cólon, conhecida como Colite pseudomembranosa.

O Clostridium Difficile é também uma forma abreviada de se referir à própria infecção. A colite por Clostridium difficile é o nome completo para a infecção do cólon causada pela bactéria.

Esta estirpe de bactérias pode causar vários sintomas no corpo que variam da diarreia aos casos fatais de colite por Clostridium Difficile.

A bactéria pode ser encontrada nos intestinos de algumas pessoas, bem como no solo, na água e nas fezes dos animais.

Nos seres humanos, o intestino grosso normalmente contém muitas bactérias boas que o mantêm saudável. Pessoas com a bactéria nos seus intestinos podem não ter qualquer problema, se as bactérias boas mantiverem a bactéria sob controlo.

No entanto, uma infecção por C diff pode ocorrer quando o equilíbrio de bactérias no corpo fica descontrolado; o que geralmente é provocado pela toma de antibióticos.

Quando você toma antibióticos, não só mata as bactérias ruins, que causam a sua doença, como também mata as bactérias boas que são a chave para a saúde intestinal, bem como para a saúde geral!

Alguns especialistas também acreditam que os antibióticos podem estimular estas bactérias a libertar as toxinas que podem ser muito prejudiciais para o cólon. (4)

Como descobrir a presença desta uma infecção intestinal?

Um exame de uma amostra de fezes é normalmente a melhor maneira de começar a descobrir se você tem um crescimento excessivo de C dif.

Testes adicionais, incluindo uma radiografia ou uma TC (tomografia computadorizada) do cólon podem ser igualmente necessários.

O interessante é que você pode ser um portador da bactéria, mas na verdade não ter uma infecção por C diff. Logo, isto quer dizer que você pode ter um teste positivo para o C diff e ter zero sintomas de infecção. Mas se testar positivo e tiver sintomas de C diff, então você tem um caso ativo de C diff. (5)

Sinais e sintomas comuns da infecção

Muitas pessoas têm a bactéria a viver nos seus intestinos mas esta não lhes causa qualquer problema. Quando mantidas sob controlo por outras bactérias boas, o C diff pode não causar qualquer sintoma.

No entanto, quando algo (o uso de antibióticos, mais frequentemente) perturba o equilíbrio das bactérias no corpo, é quando algum problema pode ocorrer e o C diff pode começar a crescer rapidamente.

As bactérias C. difficile podem libertar toxinas que atacam o revestimento do cólon, não só destruindo as células mas também criando agregados de células inflamatórias que causam diarreia aquosa.

Os sintomas do crescimento excessivo de C diff podem incluir: (6)

  • Diarreia aquosa (pelo menos 2 movimentos intestinais por dia, durante dois dias ou mais)
  • Perda de apetite
  • Náuseas
  • Febre
  • Dor abdominal e/ou desconforto
O que Procura?
O Refluxo Gastroesofágico Causa Queimação e Ardor na Garganta?

Quando ocorre uma infecção por C diff, o cólon torna-se inflamado, o que é clinicamente referido como colite. Por vezes, o cólon torna-se ainda mais danificado, devido à libertação de toxinas pelo crescimento excessivo de bactérias C diff.

Se isso acontecer, o cólon pode desenvolver manchas de tecido lesionado que podem sangrar ou libertar pus, situação chamada colite pseudomembranosa.

Há também um número maior de sintomas e outros sintomas mais graves que se manifestam quando a infecção se agrava até este nível.

Os sintomas de uma infecção por C diff severa podem incluir: (7)

Em casos severos, é comum que as pessoas fiquem tão desidratadas (de tanta diarreia) que necessitam de ir ao hospital.

Causas e fatores de risco

A infecção por C diff é causada pela bactéria Clostridium Difficile. Estas bactérias encontram-se em vários locais comuns, incluindo as fezes humanas e animais, assim como o solo, o ar e a água.

Podem também ser encontradas em algumas comidas, tais como a carne processada. O intestino humano tem algures cerca de 100 triliões de células bacterianas e até 2.000 tipos diferentes de bactérias.

A maioria destas bactérias são boas pois mantêm as bactérias possivelmente problemáticas sob controlo e protegem o corpo contra a infecção. De acordo com a Mayo Clinic: “um pequeno número de pessoas saudáveis carrega naturalmente a bactéria no seu intestino grosso e não tem os efeitos nocivos da infecção.” (8)

Então, quando é que as bactérias Clostridium Difficile se tornam problemáticas e também sintomáticas? É quando o C diff deixa de estar sob controlo e começa a crescer exageradamente.

Os antibióticos são a principal razão para que isto ocorra, uma vez que matam não só as bactérias que eles têm como objetivo matar, mas também todas as bactérias boas.

Os antibióticos que levam mais frequentemente a infecções por C diff incluem as fluoroquinolonas, as penicilinas, as cefalosporinas e a clindamicina.

O Clostridium Difficile é definitivamente contagioso. Os esporos das bactérias de C diff são transmitidos pelas fezes e, de seguida, podem espalhar-se para alimentos, objetos e superfícies, quando os indivíduos infetados não lavam as mãos cuidadosamente, após irem à casa de banho.

Se você tocar em algo que tenha sido contaminado pelos esporos do C diff, pode acabar por engolir as bactérias, sem querer e sem saber.

Os hospitais e as unidade de cuidados continuados são especialmente problemáticos pois os profissionais de saúde podem espalhar involuntariamente o micróbio entre pacientes, se não lavarem corretamente as mãos, após cuidarem de cada paciente.

Outro facto complicado acerca dos esporos da bactéria é que eles podem viver em objetos e superfícies fora do corpo, durante semanas ou até meses. (9)

Os fatores de risco de infeção por C diff incluem: (10)

  • Uso de antibióticos (inquestionavelmente o primeiro fator de risco), especialmente os antibióticos de largo espectro ou qualquer antibiótico usado por um longo período de tempo
  • Hospitalização
  • Viver num lar ou numa unidade de cuidados continuados
  • Cirurgia ao trato gastrointestinal
  • Cirurgia abdominal que implique afastar os intestinos
  • Doenças do cólon, tais como o síndrome inflamatório intestinal ou cancro colorretal
  • Ter um sistema imunitário fragilizado
  • Infeção prévia com C diff
  • Ter 65 anos de idade ou mais

Alguns estudos mostraram também que os fármacos redutores da acidez do estômago, especialmente os inibidores da bomba de protões ou IBPs, podem provavelmente desempenhar um papel na recorrência das infeções por C diff. (11)

Tratamento convencional

De acordo com o CDC: “sempre que possível, outros antibióticos devem ser descontinuados; num pequeno número de pacientes, a diarreia pode desaparecer quando os outros antibióticos são interrompidos.

O tratamento da infecção primária causada pelo C. difficile é um antibiótico como o metronidazol, a vancomicina ou a fidaxomicina.

Embora o metronidazol não esteja aprovado pela FDA para o tratamento de infecções por C. difficile, tem sido comummente recomendado e usado para infecções leves provocadas pelo C. difficile.

No entanto, não deve ser utilizado nas infecções graves. Sempre que possível, o tratamento deve ser administrado por via oral e continuado por um mínimo de 10 dias”. (12)

Outro facto importante que o CDC ressalta é que, quando os antibióticos são usados para tratar uma infecção primária por C. difficile, a infecção acaba por voltar em cerca de 20%, ou num quinto, dos pacientes.

Pior ainda é que para alguns pacientes com C diff, a infecção não regressa apenas uma vez, mas sim uma e outra vez.

Você pode imaginar o quão difícil deve ser estar no corpo dessas pessoas. Quando a infecção volta a surgir pela primeira vez, usa-se tipicamente o mesmo antibiótico.

Mas se a infecção voltar mais do que uma vez, utilizam-se antibióticos mais fortes.

8 tratamentos naturais

Uma boa notícia sobre o Clostridium Difficile é que mesmo as fontes médicas convencionais dizem que as pessoas com sintomas moderados de infecção podem nem sequer necessitar de tratamento. (13)

Pessoalmente, se eu tivesse sintomas moderados, reconheceria que o meu organismo estaria claramente desligado e que eu poderia usar um estímulo.

De seguida, enumeramos alguns dos remédios caseiros que podem realmente ajudar numa infecção por C. difficile.

Pare de tomar antibióticos sempre que possível

Como acabei de referir na seção de tratamento convencional, até o próprio CDC recomenda que uma das primeiras coisas a fazer, quando descobre que tem uma infecção pela bactéria, é parar com a toma de qualquer antibiótico que esteja a tomar atualmente, “sempre que possível”.

O que Procura?
Mecanismos do Refluxo de Ácido Gástrico

Esses antibióticos estão a matar as bactérias boas presentes no seu organismo e isso é exatamente o que as bactérias querem – elas querem que as bactérias boas diminuam para que elas possam crescer exageradamente e assumir o controlo.

Parar outros antibióticos pode proporcionar uma melhoria notável dos sintomas da infecção, especialmente a diarreia, com bastante rapidez. (14)

Reforce a quantidade de bactérias boas

Ao tentar combater (assim como evitar) a infecção, uma das coisas mais importantes que você pode fazer é certificar-se que está a introduzir, diariamente, bactérias probióticas ou “bactérias boas” no seu organismo, pois o que o está a colocar em problemas é a presença de uma grande quantidade de bactérias más. (15)

Tomar um suplemento probiótico de alta qualidade regularmente é uma excelente ideia, especialmente se você estiver a tomar ou se esteve a tomar recentemente antibióticos.

Também pode consumir muitos alimentos ricos em probióticos na sua dieta que o ajudarão a equilibrar a flora intestinal e a combater a infecção.

Alguns dos principais alimentos probióticos para consumir regularmente incluem: produtos lácteos processados (como o kefir, o iogurte de leite de cabra ou o iogurte probiótico processado a partir de leite de vaca natural), vinagre de cidra de maçã não pasteurizado (orgânico), vegetais fermentados (chucrute, kimchi, kvass) e bebidas probióticas (kombucha e Kefir de coco).

Para tirar o máximo proveito do vinagre de cidra de maçã, certifique-se de comprar uma variedade pura com a “mãe” intacta, o que significa que ainda contém todos os seus compostos benéficos, incluindo os probióticos.

Evite ou reduza os alimentos que fazem mal

De acordo com a C Diff Foundation, os seguintes alimentos devem ser evitados, durante a infecção: (16)

  • Produtos lácticos, pois causam irritação gastrointestinal adicional e é possível ocorrer intolerância à lactose, durante uma infecção por C diff.
  • Os alimentos gordurosos e oleosos e os alimentos processados que não são fáceis de digerir e que podem levar a mais diarreia.
  • Alguns alimentos que são definitivamente saudáveis mas que podem causar inchaço extra, gases e desconforto, tais como os vegetais crucíferos (brócolos e repolho), as cebolas, os feijões, as nozes, as sementes e os grãos inteiros.
  • Frutas e vegetais crus. Por isso, cozinhe-os para reduzir a probabilidade de produzirem efeitos de inchaço.
  • Alimentos sem gordura processados, como a Olestra, que se sabe que causam mais inchaço e aumentam as crises de diarreia.
  • Comidas picantes que são conhecidas por aumentarem os sintomas.
  • Grandes quantidades de cafeína, uma vez que a cafeína tem efeitos diuréticos, agravando a desidratação. Pode também irritar o trato GI e prolongar o tempo de recuperação da infeção.

A C Diff Foundation afirma: “dois corpos não são criados nem respondem da mesma forma, fazendo com que as dietas sejam um programa muito individualizado”.

Isto é muito importante lembrar e é também sábio prestar atenção ao seu corpo e à forma como ele reage ao que você come, quando tem uma infecção (e na generalidade das situações).

Lave as mãos completamente

Se tiver uma infecção por C diff, irá fazer o que puder para evitar a propagação da infecção para outras pessoas e também para evitar a sua própria reinfeção.

A lavagem completa das mãos com sabão e água quente, durante 30 a 40 segundos, é uma das precauções mais importantes a tomar se você tiver uma infecção ou quiser evitar uma infecção.

Ao lavar as mãos, assegure-se de lavar a zona entre os dedos, as partes superiores das mãos e os polegares. Depois de terminar a lavagem, seque as mãos completamente com um secador de mãos ou com uma toalha limpa e seca.

O ideal será também desligar as torneiras da pia com uma toalha limpa. A lavagem adequada das mãos mostrou ser mais eficaz que os limpadores de mãos à base de álcool. (17)

Quando recomendo a lavagem das mãos, não estou a sugerir que use sabões antibacterianos, nem mesmo quando se trata de uma infecção.

A própria FDA irá dizer-lhe que deve deixar de lado o sabão antibacteriano (que só aumenta as bactérias resistentes aos antibióticos) e usar apenas o bom velho sabão e a água.

Feche a tampa da sanita

Outro hábito inteligente que você deve adquirir, se quiser evitar a reinfeção ou a propagação da bactéria, é fechar a tampa da sanita antes de descarregar a água.

Eu sei que você pode não conseguir fazer isso em casas de banho públicas mas, em casa, certifique-se de fechar sempre a tampa antes de descarregar a água.

Isso poderá diminuir significativamente a quantidade de bactérias C diff que se espalham por todos os tipos de superfícies e objetos presentes na casa de banho.

Em geral, esta é uma prática realmente útil de adquirir, para fins sanitários e de saúde.

Consuma antibióticos naturais

Se estiver à procura de formas de consumir mais antibióticos naturais para lutar contra o C diff, então está no lugar certo.

Aqui ficam alguns dos melhores destruidores naturais de bactérias que você pode querer considerar para tentar lutar naturalmente contra invasores como o C diff: (18)

O que Procura?
5 Remédios Caseiros para Tratar a Teníase em Humanos

Mel de Manuka: além de ter mostrado ser um agente antibacteriano realmente poderoso, um estudo demostrou a capacidade do mel de Manuka na redução da inflamação do cólon. (19)

Alho cru: O alho tem propriedades antimicrobianas, antivirais e antifúngicas inerentes. Na promoção geral da saúde dos adultos, a OMS recomenda realmente a incorporação do alho na sua vida diária, em uma das seguintes formas: 2 a 5 gramas (cerca de um dente) de alho fresco; 0,4 a 1,2 gramas de alho seco em pó; 2 a 5 miligramas de óleo de alho; 300 a 1000 miligramas de extrato de alho; ou outras formulações que sejam equivalentes a 2 a 5 miligramas de alicina (o princípio ativo do alho). (20)

As cebolas também são ótimas!

Óleo de orégãos: uma investigação mostrou que o óleo essencial de orégãos “pode ser um tratamento eficaz contra bactérias perigosas e, por vezes, resistentes aos medicamentos”. (21)

O óleo de orégãos é extremamente forte, por isso é melhor usá-lo sob a orientação de um especialista em saúde natural.

Pessoalmente, eu tomo-o durante um máximo de duas semanas porque é demasiado forte. Quando é administrado, o óleo de orégãos necessita sempre de ser diluído com água ou misturado com óleo de coco.

Você também pode incorporar orégãos secos e frescos na sua dieta.

Transplante fecal (método cirúrgico)

O website do CDC afirma: “Transplantar fezes de uma pessoa saudável para o cólon de um paciente com repetidas infeções por C. difficile mostrou-se eficaz no tratamento do C. difficile.

Estes ‘transplantes fecais’ parecem ser mesmo o método mais eficaz para ajudar os pacientes com infeções repetitivas por C. difficile.

Este procedimento pode não estar amplamente disponível e a sua segurança a longo prazo ainda não foi estabelecida.” (22)

Eu sei que isto pode parecer realmente fora do contexto, mas este processo que se chama de transplante fecal é, na verdade, uma abordagem convencional e holística para as infeções por C diff recorrentes. O que é exatamente um transplante fecal?

É basicamente um procedimento que recolhe a matéria fecal (fezes) de um doador saudável, mistura-a com uma solução líquida, espreme-a e, de seguida, coloca-a no cólon de outro paciente, utilizando um enema, uma colonoscopia ou uma endoscopia.

Uma infecção recorrente por C diff (tipicamente, pelo menos 3 ou mais infecções) é, na verdade, uma das principais preocupações de saúde que justifica este transplante.

Em média, afirma-se que o transplante fecal resulte numa taxa de cura de 91 a 93%, embora alguns estudos tenham mostrado uma taxa de cura de 100%, quando se utiliza microbiota fecal fresca. (23, 24)

Transplante fecal (método oral)

Se estiver a sofrer de infeções por C. difficile recorrentes, fique a saber que existe uma opção de transplante fecal menos invasiva.

Recentemente, foram realizados transplantes fecais bem-sucedidos através da encapsulação de matéria fecal saudável seca e congelada e a posterior ingestão dessas cápsulas pelos pacientes.

Um estudo de 2017, publicado no The American Journal of Gastroenterology descobriu que apenas uma administração destas cápsulas, a 49 pacientes com C diff recorrente, resultou que 88% dos pacientes tenham atingindo o “sucesso clínico”, o que se diz quando não há recorrências da infecção por C diff, durante um período de 2 meses. (25)

Precauções e possíveis complicações

É uma boa ideia fazer o teste do Clostridium Difficile, se tiver sintomas de infecção, especialmente se os sintomas ocorrem durante ou após a toma de antibióticos ou depois de estar na proximidade de alguém que você sabe que tem uma infecção provocada pela bactéria.

Que complicações pode causar a bactéria? Se a infecção piorar, você pode ficar seriamente desidratado, ser incapaz de defecar e/ou sofrer perda de peso.

Raramente, a infecção pode conduzir à sepse ou à formação de um buraco nos intestinos. Em casos severos, pode ser necessário realizar cirurgia para remover a parte do cólon que está infetada. (26)

Consulte o seu médico antes de fazer alguma alteração na sua dieta ou antes de usar suplementos naturais, se estiver grávida, a amamentar ou a ser tratada para qualquer problema de saúde em curso.

Conclusões

As pessoas que tomam antibióticos correm maior risco de desenvolver infecções por Clostridium Difficile, especialmente as pessoas que tomem antibióticos por longos períodos de tempo ou que tomem antibióticos de amplo espectro.

Os especialistas médicos convencionais e os holísticos concordam com uma das principais maneiras de tratar a infecção: pare de tomar antibióticos, sempre que possível, e não tome antibióticos se não precisar.

Uma das melhores formas de prevenir a infecção inicial e a reinfeção com a bactéria é lavar as mãos completamente.

Existem alguns alimentos saudáveis que pode querer evitar temporariamente, enquanto possui os sintomas da infecção, uma vez que há alguns alimentos (como os altamente processados) que será uma boa ideia evitar o máximo possível, em geral.

Existem antibióticos naturais, encontrados na natureza, que pode incorporar na sua dieta e que se provaram ser altamente potentes e eficazes contra estas bactérias.

As sabedorias convencional e holística também concordam que os transplantes de matéria fecal (através de métodos cirúrgicos ou orais) são altamente eficazes no tratamento de pacientes com infecções recorrentes.

08. agosto 2017 by Rui

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *