Hantavirose (Infecção por Hantavírus): Como prevenir esta doença transmitida por roedores

Publicado por Equipe Editorial a 3 de outubro de 2017 - Atualizado em 16 janeiro 2018

De acordo com os Centros de Controlo e Prevenção de Doença (em Inglês: Centers for Disease Control and Prevention – CDC), ratazanas e ratos em todo o mundo espalham mais de 35 diferentes doenças que podem afetar os seres humanos. (1)

Os roedores transmitem geralmente estas infecções e doenças às pessoas quando alguém inconscientemente entra em contacto com fezes de roedores, urina ou saliva, ou mais raramente, se forem mordidos.

O único maior fator de risco para contrair o vírus transmitido por roedores chamado hantavírus ou hantavirose é ter infestações de roedores dentro e fora de casa.

Pode não suspeitar que está em risco de infecção por hantavírus ou outros tipos de doenças transmitidas por roedores.

Mas estudos descobriram que muitas pessoas que acabaram infectadas não estavam cientes do seu contacto com roedores ou com os seus excrementos até ser tarde demais.

Em pessoas que são maioritariamente saudáveis, a hantavirose geralmente não causa efeitos graves ou duradouros. Mas em pessoas com um sistema imunitário comprometido, isso, infelizmente, nem sempre é o caso.

Procurar tratamento imediato é crucial se está com sintomas de hantavirose, pois o hantavírus pode causar complicações quando não é tratado.

Os primeiros sinais e sintomas podem incluir dificuldade em respirar, dores musculares e sintomas associados à febre.

Se o vírus continuar a piorar, pode progredir para a condição potencialmente fatal chamada síndrome pulmonar por hantavirose (HPS). (2)

Prevenir o hantavírus é crítico, considerando que atualmente não existe um tratamento específico disponível que ajude uma grande percentagem de pacientes com o vírus.

Não existe cura ou vacina conhecidas.

O CDC afirma que “O controlo dos roedores dentro e fora de casa continua a ser a principal estratégia para prevenir a infecção por hantavírus.” (3)

Hantavirose (Infecção Por Hantavírus) Como Prevenir Esta Doença Transmitida Por Roedores

O que é o Hantavírus?

Os hantavírus pertencem à família dos Bunyaviridae. São transportados por roedores e musaranhos, especialmente em ratos castanhos encontrados em todo o mundo.

Existem várias estirpes de hantavírus que são transmitidos por diversas espécies de roedores localizados nos Estados Unidos, partes do Canadá, Ásia e México.

Os pesquisadores referem-se às estirpes de hantavírus como hantavírus do “Novo Mundo” ou “Velho Mundo”.

Os hantavírus do Velho Mundo são principalmente transmitidos por roedores que vivem na Europa e na Ásia.

Os hantavírus do Novo Mundo são encontrados principalmente nos roedores que vivem nas Américas.

Diferentes tipos de estirpes de hantavírus estão associadas a distintas doenças e sintomas. Houve pelo menos sete tipos de hantavírus patogénicos do Velho Mundo identificados que causaram doenças nos seres humanos e um tipo primário de hantavírus do Novo Mundo.

Os hantavírus incluem serotipos: vírus Sin Nombre, Febre Hemorrágica Coreana (HTN), Seoul (SEO), Puumala (PUU), e Dobrava (DOB). (4)

O tipo de hantavírus chamado Sin Nombre foi reconhecido pela primeira vez em 1993. É um dos vários hantavírus do Novo Mundo que causou infeções nos Estados Unidos.

O tipo de vírus chamado Seoul é um tipo do Velho Mundo que continua a causar infecções em todo o mundo, incluindo em áreas urbanas.

Um relatório de 2014 publicado no American Journal of Tropical Medicine and Hygiene afirma que o vírus Seoul foi anteriormente chamado de vírus Tchoupitoulas.

E tem causado doenças no sul dos EUA, especialmente perto de Nova Orleães, desde pelo menos a década de 1980.(5)

Em 2014 quando pesquisadores capturaram 178 roedores para testá-los para o vírus Seoul, cerca de 3% dos animais testados deram resultado positivo.

Quão comuns são as infecções por hantavírus?

De um modo geral, os vírus transmitidos por roedores são raros.

Mas os especialistas ainda dizem que “O grau em que os hantavírus do Velho Mundo apresentam uma ameaça para a saúde pública nos Estados Unidos permanece obscuro e provavelmente varia consideravelmente por cidade e região.”

Sinais e sintomas de hantavirose

Dores De Cabeça

Muitas pessoas que adquirem hantavírus do Novo Mundo podem recuperar-se completamente sem sofrerem complicações ou sintomas prolongados de infecção crónica.

A quantidade de tempo que leva para recuperar depende de quão saudável a pessoa é, especialmente a força do seu sistema imunitário.

Algumas pessoas com sistemas imunitários comprometidos podem levar mais tempo para recuperar ou podem não ser capazes de superar completamente o vírus.

Os sintomas de hantavirose podem incluir:

  • Infecção dos pulmões, dificuldade em respirar e desconforto respiratório.
  • Febre, fraqueza, dores musculares, náuseas, vómitos e calafrios.
  • Sintomas atribuídos à síndrome renal da febre hemorrágica (HFRS). HFRS também é por vezes chamado de febre hemorrágica coreana, febre hemorrágica epidémica e epidemia de nefropatia. Os sintomas de HFRS incluem dores de cabeça intensas, dores nas costas e abdominais, febre, visão turva, rubor facial, inflamação ou vermelhidão dos olhos, ou erupção cutânea.
  • Algumas pessoas com HFRS também experienciam baixa pressão arterial, choque agudo, fuga vascular e insuficiência renal aguda. As infeções por vírus Seoul normalmente resultam numa forma mais suave de HFRS e muitas vezes não causam hemorragia ou sintomas muito graves.

Complicações derivadas de infecções por hantavírus:

Quando alguém fica severamente afetado por um hantavírus do Velho Mundo, pode desenvolver uma condição muito grave chamada Síndrome Pulmonar por hantavirose (HPS) (Ver Imagem).

HPS é uma infecção respiratória que dificulta a respiração e às vezes é fatal.

Inicialmente causa sintomas gripais, depois progride em 4-10 dias para causar “distúrbio respiratório” e sintomas como:  (6)

  • Uma tosse forte que produz muco/secreções
  • Falta de ar
  • Os pulmões preenchidos com fluído
  • Problemas cardiovasculares, incluindo pressão arterial baixa e redução da eficiência cardíaca

Verificou-se que até 30-50 porcento das pessoas que desenvolvem HPS não sobrevivem. A febre hemorrágica com síndrome renal (HFRS) é menos grave. Causa a morte em cerca de 1-5 porcento dos pacientes infetados, dependendo da estirpe específica do vírus.

 

Causas e fatores de risco de hantavirose

As pessoas com hantavírus ficam infectadas depois de entrarem em contacto com roedores infectadas com hantavírus, com a sua urina e/ou com os seus excrementos.

O vírus é passado através da urina aerossolizada ou exposta ao pó dos ninhos de roedores infectados.

A urina infectada ou outros materiais podem entrar na pele quebrada ou nas membranas mucosas dos olhos, nariz ou boca.

Que tipos de roedores nos Estados Unidos e noutros lugares são capazes de transportar o hantavírus? Estes incluem as seguintes espécies de roedores: (7)

Rato do algodão (sigmodon hispidus)

Estes transmitem o tipo de hantavírus chamado vírus Black Creek Canal (BCCV).

São encontrados no sudoeste dos Estados Unidos (de Virgínia Ocidental até à Flórida, e para oeste expandindo para o Texas), América Central e do Sul.

Os ratos têm o pelo mais longo do que a maioria dos outros tipos e é grosseiro, acinzentado ou preto-acinzentado.

Tende a viver em áreas cobertas com arbustos e gramíneas altas.

Rato veado (peromyscus maniculatus)

Transporta a estirpte de hantavírus chamada vírus Sin Nombre (SNV). Encontrado em toda a América do Norte (do México através da maioria dos Estados Unidos e também no Canadá), especialmente em florestas e desertos.

Tem olhos e orelhas grandes e pelo cinza a castanho avermelhado com barriga e cauda brancos.

Rato do Arroz (Oryzomys palustris)

Transporta a estirpe de hantavírus chamada Bayou (BAYV). Encontrado no sudeste dos Estados Unidos e América Central (do sul de New Jersey para a Flórida e para oeste para o Texas), especialmente em áreas molhadas e pantanosas. Tem pelo curto, macio, castanho-acinzentado em cima, com patas brancas e barriga cinza.

Rato de patas brancas (Peromyscus leucopus) – Transporta a estirpe de hantavírus chamada vírus Nova York (NYV).

Encontrado na maior parte dos Estados Unidos (especialmente no sul da Nova Inglaterra e nos estados do Atlântico Médio e do Sul) e também no México. Tem uma causa que é mais curta do que o corpo, pele avermelhada e patas brancas.

Os roedores que transportam hantavírus são encontrados em quase todas as cidades do mundo, especialmente aquelas que estão lotadas, poluídas, têm populações grandes e estão próximas da água (cidades portuárias), o que aumenta o risco de infestação de roedores.

Os especialistas acreditam que algumas das cidades dos Estados Unidos com os roedores mais infectados incluem:

  • Nova Orleães, Louisiana e outras cidades localizadas na saída do rio Mississípi para o Golfo do México
  • Baltimore, Maryland
  • Houston, Texas
  • Filadélfia, Pensilvânia
  • Cincinatti, Ohio
  • Columbus, Ohio
  • Los Angeles, Califórnia
  • Nova York, Nova York
  • São Francisco, Califórnia
  • Seattle, Washington
  • Tacoma, Washington
  • Hilo, Hawaii
  • Outras áreas menos povoadas nos Estados Unidos incluindo na Carolina do Norte, Maryland, West Virgínia, Minnesota, Califórnia, Alasca e Mississippi (especialmente aquelas ao longo da costa).
  • Globalmente, em partes da Escandinávia, Europa Ocidental, Rússia Ocidental e Ásia Oriental, particularmente cidades da China e da Coreia.

O hantavírus pode ser transmitido de uma pessoa para outra (em outras palavras, o hantavírus é contagioso)?

As evidências mostram que os seres humanos possivelmente não transmitem o hantavírus a outros seres humanos.

Apenas é transmitido de roedores para seres humanos.

Até à data, o CDC afirma que, dentro dos EUA, não houve nenhum caso relatado de hantavírus que tenha sido contraído através do contacto com outra pessoa infetada.

Nos hospitais onde os enfermeiros e médicos trabalham com pacientes infetados com hantavírus, não ouve relatos de que os trabalhadores desenvolvessem a doença ou os próprios sintomas.

Existem algumas doenças transmitidas por roedores que podem afetar indiretamente os seres humanos, que se espalham por coisas como carrapatos, ácaros ou pulgas que transportam o vírus.

Mas as evidências mostram que isso não parece ser o caso do hantavírus.

Também é possível que um rato infetado que transporta o vírus morda outros animais como gatos, cães, porcos, gado e veados. Mas nenhum caso em humanos associado ao contacto com outros animais foi ainda relatado.

Tratamentos para hantavirose

Infelizmente, não existe tratamento disponível neste momento para ajudar alguém a superar a infecção por hantavírus.

Uma das razões pelas quais os cientistas não conseguiram desenvolver uma vacina ou tratamento para o hantavírus é porque de cada vez que o vírus é transmitido do seu portador original para outro portador, ele adapta-se ao seu novo ambiente.

Sofre uma mutação e muda a forma à medida que entra do RNA do portador.

Se um paciente é suspeitam de estar infetado com hantavírus, então deve ser tratado de imediato, idealmente numa unidade de cuidados intensivos num hospital.

Dependendo de quão graves os sintomas do paciente se tornam, normalmente são tratados de uma ou mais das seguintes formas:  (8)

Terapia de oxigénio incubado ou administrado para ajudá-los a lidar com os sintomas respiratórios e tentar prevenir que ocorram complicações.

Gestão dos níveis de fluído e eletrólitos (sódio, potássio, cloreto) para evitar desidratação ou edema.

Correção dos níveis de oxigénio e pressão arterial.

Uso de ribavirina intravenosa, um medicamento antiviral que pode ajudar a baixar o risco de complicações de HFRS.

A ribavirina é usada para ajudar a tratar muitos tipos de vírus, incluindo hepatite C e outras.

No entanto, nem sempre é eficaz, causa uma série de efeitos secundários e não é bem tolerada por pessoas com vários problemas de saúde, incluindo: alergias, hepatite autoimune, insuficiência hepática, doença renal, anemia falciforme ou talassemia maior.

3 dicas de prevenção do hantavírus

Minimize o contacto com roedores e os seus excrementos

Existem alguns passos que pode fazer para eliminar (ou, pelo menos, minimizar) o contacto com roedores e os seus excremente, especialmente em lugares onde passa muito tempo, como na sua casa ou no seu local de trabalho.

Pode pensar que não está a entrar em contacto próximo com roedores ou os seus excrementos com muita frequência.

Mas as pesquisas mostram que muitas pessoas que contraíram o hantavírus não suspeitaram que estavam em risco ou expostas a roedores com muita frequência antes de ficarem doentes.

A prevenção da infestação de roedores é muito importante se mora numa área de alto risco habitada por roedores transportadores.

Os especialistas recomendam tomar algumas das seguintes precauções à volta da sua casa e em outros locais onde passa tempo:

Selar quaisquer buracos ou falhas nas paredes ou na sua garagem. Desta forma, os roedores ou outros insetos não podem entrar na sua casa.

Os ratos pequenos podem passar através de um buraco da sua casa ou garagem que tem apenas o tamanho de um níquel.

E as ratazanas podem passar por um buraco do tamanho de meio dólar!

Alguns lugares onde pode encontrar pequenas falhas ou buracos dentro ou à volta da sua casa incluem: debaixo ou atrás de armário de cozinha, frigoríficos, canos, máquinas de lavar roupa, aquecedores de água quente e fogões; à volta de fornos ou lareiras; à volta de portas, aberturas no chão e aberturas de secador; dentro de sótãos, caves ou espaços para rastejar; e perto de lavandarias.

Também é uma boa ideia colocar ratoeiras dentro e fora de casa para diminuir o risco de infestação.

Alguns acham que as ratoeiras funcionam melhor quando se coloca uma pequena quantidade de manteiga de amendoim no isco da ratoeira.

Depois, posicione a ratoeira ao lado da parede para que forme um “T”.

Outra opção que pode ajudar é obter um gato de estimação, o que tende a espantar os roedores de entrarem na sua casa.

Mantenha a sua casa e jardim limpos para evitar atrair roedores

Não deixe alimentos, lixo ou restos na sua casa, o que atrai roedores e outros animais.

Se passa tempo fora de casa, como quando acampa ou faz grelhados no seu jardim, limpe sempre quaisquer lixos e comida.

Se suspeita que os roedores estão a entrar na sua casa, ou estão a infestar o seu jardim, então tome medidas para se ver livre deles o mais rápido possível.

Fale com um exterminador que pode ajudá-lo a apanhar os roedores dentro e fora de casa antes que o problema piore.

Fortaleça e sustente o seu sistema imunitário

Ter um sistema imunitário forte pode não protegê-lo totalmente de contrair a hantavirose.

E não existem suplementos, ervas ou medicamentos que possam tratá-lo completamente se já tiver uma infeção por hantavírus.

Mas aumentar a sua imunidade pode ajudá-lo a recuperar mais rapidamente e a reduzir as probabilidades de que desenvolva algumas complicações graves.

Aqui estão algumas maneiras de aumentar a proteção contra os sintomas de hantavírus ou ajudar a geri-los se já se sentir doente por causa do vírus:

As ervas antivirais que ajudam o sistema imunitário incluem o absinto, noz preta, óleo essencial/cápsulas de orégãos, alho, argila de bentonite, carvão ativado e extratos de semente de toranja.

Como funcionam as ervas antivirais?

Elas têm uma série de mecanismos e efeitos protetores.

Estes incluem: tratamento de infecções (tipicamente não causam nenhum ou poucos efeitos secundários, ao contrário dos antibióticos); aumentam o sistema imunológico ajudando o corpo a atacar agentes patogénicos virais; ajudam o corpo a combater agentes patogénicos que sofrem mutação ao longo do tempo; e oferecem suporte cardiovascular, digestivo e anti-inflamatório durante os períodos de doença.

Se está com sintomas de febre, como náuseas ou vómitos, tente comer alimentos suaves, bebendo chá de gengibre e comendo alimentos com alto teor de água para ajudar a prevenir a desidratação.

Beber bastante água também é importante se estiver a sofrer de diarreia e vómitos devido à febre.

Alimentos com alto teor em água incluem todos os tipos de frutas e vegetais, especialmente folhas verdes, melões, tomates, pepinos, aipo, bagas, maçãs, etc.

Os alimentos para substituir eletrólitos também incluem bananas, abacate, verduras e outros vegetais não amiláceos.

Isto não deve substituir as visitas ao seu médico ou obter ajuda profissional para restaurar os níveis de eletrólitos, se necessário; em vez disso, pense nisso como outra camada de defesa.

Se está a sentir-se cansado ou fraco, durma mais para ajudar o corpo durante a recuperação.

Além disso, adie qualquer exercício extenuante até sentir-se melhor.

Certos suplementos podem também ajudá-lo a sentir-se melhor, incluindo: ácidos gordos ómega-3 para reduzir a inflamação; vitamina B para ajudar a prevenir o cansaço; magnésio para ajudá-lo a dormir e diminuir as dores musculares; e ervas adaptogénicas como cogumelos medicinais para ajudá-lo a superar a doença.

Precauções se pensa que foi infetado

Os especialistas alertam qualquer pessoa que tenham passado por roedores e experiencie sinais ou sintomas de hantavírus incluindo febre, dores musculares profundas e falta de ar grave para obter ajuda imediatamente visitando uma sala de emergência ou um médico.

Quando existe suspeita de infeção por hantavírus, o paciente deve informar o médico/assistente médico de que foi exposto a roedores.

Desta forma, o médico pode testá-lo para a doença transportada pelos roedores e fornecer o tratamento certo.

Pensamentos finais sobre o hantavírus

Os hantavírus pertencem à família Bunyaviridae.

São vírus que passam de roedores que vivem em todo o mundo para seres humanos através dos excrementos, urina e ferradelas.

A prevenção da infestação de roedores é muito importante.

O único maior fator de risco para contrair o vírus transmitido por roedores, incluindo o hantavírus, é ter roedores e os seus excrementos dentro e fora da sua casa.

Não há cura ou tratamento padrão para os sintomas de hantavirose, que podem incluir febre e, por vezes, problemas respiratórios graves.

Mas maneiras de ajudar incluem proteger a sua casa; aumentar o seu sistema imunitário com ervas e suplementos; e tratar sintomas como desidratação, problemas respiratórios, dores e baixa pressão arterial.