Iontoforese

Revisado por Equipe Editorial a 13 janeiro 2018 - Publicado a 4 de dezembro de 2010

O que é a Iontoforese?

A iontoforese consiste numa técnica que permite a absorção de princípios activos ou oligoelementos pela pele, através de um aparelho que emite uma corrente eléctrica. Esta prática pode fazer uso de vários tipos de produtos que serão administrados de acordo com o objectivo do tratamento, em fisioterapia  é usada no tratamento da dor e inflamação já em estética é mostra ser um excelente metodo para eliminar a celulite, gordura localizada etc.

É possível administrar produtos com efeito analgésico, anti-inflamatório ou anti-bacteriano, numa vertente mais medicinal, da mesma forma que podemos aplicar produtos com propriedades cosméticas. No campo de Iontoforese estética é frequente a aplicação de produtos à base de ureia, colagénio, elastina, entre outros.

Quais as Indicações Terapêuticas?

Esta técnica possui um vasto leque de indicações estéticas, nomeadamente no combate à celulite e flacidez, na acção anti-envelhecimento, no tratamento de acne, estrias, rugas, cicatrizes e gordura localizada. Para além disso, consiste numa excelente forma de limpar e hidratar profundamente a pele, pelo que pode e deve ser não apenas utilizada no corpo, mas também no rosto.

Como actua a Iontoforese e quais os cuidados a ter?

Importa também compreender todo o processo e perceber o porquê desta designação: Iontoforese. De uma forma simples, pode dizer-se que a corrente eléctrica “parte” as moléculas do princípio activo que está a ser aplicado, resultando na criação de íões, daí o termo Iontoforese. Por sua vez, os iões penetram mais facilmente na pele. Por outro lado, o próprio uso da corrente eléctrica estimula os tecidos, aumentando o metabolismo e a actividade celular.

Existem alguns cuidados a ter em conta por parte do terapeuta. A escolha das substâncias líquidas a administrar é muito importante, porque somente as que possuem partículas ionizáveis são adequadas ao tratamento. Caso contrário a absorção das mesmas não será eficaz. Além disso, também a concentração de partículas ionizáveis deve ser a correcta.

Em casos de pouca concentração iónica, o efeito produzido não será o desejado; por outro lado, se a concentração for demasiado elevada, poderá resultar em queimaduras e outras reacções indesejáveis. A aplicação de pomadas e de cremes, em especial cremes gordos, também está desaconselhada. Todos os produtos devem ser hidrossolúveis, ou seja, diluíveis em água.

Quais as vantagens da Iontoforese?

No que diz respeito às vantagens desta técnica, existem várias. Em primeiro lugar, trata-se de uma acção localizada, onde a substância está a actuar directamente na zona pretendida. Em segundo lugar, o produto administrado fica como que retido naquela zona, tratando-a de forma mais completa e prolongada. Por último, importa referir que é uma técnica não-evasiva, para a qual não é preciso recorrer a agulhas ou métodos dolorosos.

Quais as contra indicações?

A Iontoforese está desaconselhada em zonas cardíacas, sob feridas e em pessoas que assinalem perda de sensibilidade, dores de cabeça, vertigens, problemas circulatórios, irritações cutâneas ou quaisquer outras reacções adversas, após cada aplicação. Não deixe de informar o seu terapeuta a respeito de quaisquer problemas que surjam entretanto e esclareça todas as dúvidas, antes de iniciar o tratamento ou durante a sua continuidade.

Qual a duração do tratamento?

Sempre que realizada por um profissional competente, a Iontoforese é uma prática segura, que poderá realizar-se várias vezes por semana. No caso de peles sensíveis, aconselham-se sessões semanais. A profundidade da administração das substâncias é variável, podendo ir desde os 6 mm até aos 20 mm e cada sessão dura aproximadamente 10 minutos por zona. Por sua vez, o número de sessões realizadas não deve ser inferior a 10, de forma a produzir os resultados esperados.

Preços do tratamento e aparelhos ainda em consulta.