Jorge Jesus

Jorge Fernando Pinheiro de Jesus, conhecido no mundo do futebol como Jorge Jesus, é um ex-jogador e atual treinador de futebol. Jorge Jesus nasceu na Amadora, a 24 de Julho de 1954.

Jorge Jesus Antes e Depois

O seu pai, Virgolino Jesus também foi jogador de futebol, tendo jogado, entre outros clubes, no Sporting, durante duas temporadas.

Jorge Jesus mostrou querer seguir as pisadas do seu pai e deu os primeiros passos no futebol na equipa de juvenis do clube da sua cidade, o Estrela da Amadora. No ano seguinte transferiu-se para o Sporting, onde completou a sua formação.

Em 1973/1974, na sua primeira época como sénior foi emprestado ao Peniche, que atuava então na 2º Divisão. Na temporada seguinte, foi novamente emprestado, mas desta vez ao Olhanense militando já na 1º Divisão. Ao serviço dos algarvios, Jesus sobressaiu, merecendo a confiança do Sporting na temporada seguinte.

Assim, na temporada de 1975/1976, Jorge Jesus integrou o plantel do Sporting, tendo participado em 12 jogos, 1 como titular e os restantes como suplente utilizado. Marcaria ainda 1 golo, com a camisola do Sporting.

Na sequência dos péssimos resultados alcançados pelo Sporting na temporada anterior, Jesus foi um dos afetados pela remodelação de plantel e foi transferido para o Belenenses.

A carreira de Jorge Jesus prosseguiria depois por vários clubes, saltando entre a 2º e a 1º divisão: Riopele (1º Divisão), Juventude (2º Divisão), União de Leiria (1º Divisão), Vitória de Setúbal (1º Divisão), Farense (1º Divisão), Estrela da Amadora (2º Divisão).

Já no ocaso da sua carreira jogaria ainda no Benfica de Castelo Branco e no Almacilense, ambos da 3º Divisão.

Após pendurar as botas, aos 35 anos de idade, tornou-se de imediato treinador. Começou por treinar o Amora, então na 3º Divisão Nacional, clube ao serviço do qual conseguiria o seu primeiro título: campeão Nacional da 3º Divisão.

Depois de quatro temporadas ao serviço da equipa da margem sul, tomou conta do Felgueiras, com o propósito de integrar um projeto ambicioso. Ao serviço deste clube somou duas promoções, levando o Felgueiras da 2º Divisão B até à primeira liga, divisão onde o Felgueiras nunca havia estado.

Na primeira liga não foi feliz, não conseguindo evitar a despromoção do clube, naquela que foi a primeira grande derrota da sua carreira.

Nestes anos que marcaram o início da sua carreira como treinador, Jorge Jesus procurou consolidar conhecimentos, efetuando vários estágios internacionais, como nomes conceituados como Johan Cruijff.

De Felgueiras, seguiu-se uma curta passagem pelo arquipélago da Madeira, ao serviço do União da Madeira, que militava então na 2º Divisão.

Na temporada 1998/1999 Jorge Jesus voltou a casa, para treinar o clube onde começou a sua formação como futebolista, o Estrela da Amadora. Esta sua passagem pelo clube duraria dois anos e seria um marco importante na carreira do treinador, já que pela primeira vez alcançou sucesso na divisão cimeira do futebol português.

O Estrela da Amadora, que tradicionalmente lutava pela manutenção realizou duas temporadas tranquilas. Curiosamente, o clube terminou as duas épocas com o mesmo número de pontos e no mesmo posto: 8º lugar e 45 pontos.

Apesar deste sucesso, Jesus voltou na temporada seguinte à 2º Divisão, desta feita com a missão de voltar a trazer o Vitória de Setúbal de regresso à competição mais importante de Portugal. Logo na primeira temporada, essa meta seria alcançada. Conduziria os sadinos durante mais uma temporada, deixando o clube num tranquilo 12º lugar, 8 pontos acima da “linha de água”.

Em 2002/2003 Jorge Jesus aceitou voltar à equipa da sua cidade, o Estrela da Amadora, então na 2º Divisão. Já visto como um especialista em subidas, Jesus era a pessoa ideal para devolver o clube à 1º Liga. Mais uma vez, as expectativas não foram defraudas, e Jesus conseguiu somar mais uma promoção.

Surgiu então o convite para treinar uma equipa de dimensão superior, o Vitória de Guimarães, o que Jesus não hesitou em aceitar. Mas a sua passagem por Guimarães não foi feliz e não se manteve no cargo durante muito tempo.

Na temporada seguinte, a mudança geográfica não foi grande, já que Jorge Jesus treinou o Moreirense, vizinho do Guimarães. A sua passagem pelo clube ficou marcada pela despromoção do Moreirense. A segunda na carreira de Jorge Jesus depois do Felgueiras.

As três temporadas que se seguiram, vieram mostrar em definitivo que Jorge Jesus era um treinador de Primeira Liga. Em 2005/2006 deixou o União de Leiria em 7º Lugar. Já ao serviço do Belenenses, em 2006/2007, alcançou um excelente 5º lugar, colocando a equipa na Taça UEFA.

Nesta época levou ainda a equipa ao final da Taça de Portugal, competição que perdeu por 1-0. Na temporada seguinte colocou o clube num tranquilo 8º lugar.

Em Maio de 2008 foi apresentado como treinador do Sporting Clube de Braga, clube que levaria aos oitavos-de-final da Taça UEFA e à vitória na taça Intertoto.

Após uma temporada em Braga, surgiu o interesse o Sport Lisboa e Benfica. Após acordo entre Benfica e Braga, Jesus foi apresentado como treinador dos “encarnados”, tendo os bracarenses recebido 700 mil euros, em troca da rescisão do treinador.

Conhecido pela sua auto-confiança e impulsividade, Jorge Jesus não foi parco em palavras na sua apresentação, prometendo título e bom futebol. Não foi preciso esperar muito para que as suas palavras se tornassem realidade.

Logo na primeira temporada, levou o Benfica à conquista do título. Chegaria também aos quartos-de-final da Liga Europa. Ao serviço do Benfica conquistou ainda duas Taças da Liga.

No final de 2010, o Benfica renovou o contrato com Jorge Jesus, fazendo dele o treinador mais bem pago do campeonato português. Segundo dados divulgados, Jorge Jesus foi o 20º treinador mais bem pago do mundo em 2011, com um salário anual estimado de 2,4 milhões de euros.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Esta matéria tem 1 Comentário
  1. Joel Santos Reply

    Onde é que eu já vi este filme… Jorge Jesus e as suas mas opções em momentos decisivos, e péssima gestão do plantel, é incompreensível como só faz uma substituição e apenas a 4 m dos 90m! Quando a equipa precisava de mudança para poder ganhar o hoje, o talisca devia ter saído mais cedo e salvio precisava de ser substituído e arriscar um pouco mais, talvez tirar Almeida, que ate foi bastante competente. Em relação ao Artur não existe justificação para ainda se encontrar no plantel do Benfica, não é um guarda redes com categoria e principalmente atributos mentais e de concentração para ser titular no Benfica, principalmente quando sai dos postes. e com a bola nos pés já assistiu Jackson num clássico na luz que SLB empatou contra o FCP, entre outras provas que deu que não devia jogar.
    Nesse sentido, vai de encontro as competências de Jorge Jesus, uns dos treinadores mais bem pagos da historia do clube, com garantidamente dos melhores e mais caros planteis de todos os tempos, comete sempre os mesmo erros, na gestão do plantel desperdiça talentos da acamadas jovens, ofuscado com alguns casos pontuais com André Gomes que também não foi bem desenvolvido, pois o Benfica podia ter ganho bem mais com ele… Entre outros, com cancelo, Miguel rosa, Nelson oliveira, miguel victor, rodrick, bernardo silva, já par não falar das centenas de jogadores contratados para ser emprestados e rodar na equipa B. Qual é a justificação para contratar jogadores que não tem qualidade para jogar e os que têm são sub valorizados.
    Isto tudo para dizer que já esta mais que na hora de dar um novo rumo ao futebol do SLB, pois os responsáveis estão na SAD, administração E direcção. Posso dizer que o Vieira tem um pedreira de onde vêem centenas de milhares de camiões de areia para mandar aos olhos dos benfiquistas, pois esta é só a minha opinião ainda mais um presidente que já foi sócio de todos os rivais do Benfica! É CERTO QUE É DAI QUE BEM A MÍSTICA E O AMOR AO DINHEIRO!!! E PARA QUEM ACHAR QUE ESTOU A EXAGERAR SÓ TENHO UMA COISA A DIZER: E A TRANSFERÊNCIA DO GARAY?!?!?!?!?!
    Os benfiquista não se podem contentar em ganhar de vez em quando!!!! E apostar e investir milhões para andar A GANHAR quase tudo!!! O ano passado ganhamos quase tudo mas é bom lembrar que o investimento era para chegar a final da liga dos campeões e nem a taça UEFA ganharam ao Sevilha chegando a final com muita sorte!!!
    Mas assim é o futebol, não se pode ganhar sempre, mas por favor são profissionais tem que jogar mais e melhor E MUITA MAIS IMPORTANTE E ESSENCIAL É que treinar a equipa com eficiência não se pode desculpar com falta sorte quando é falta de engenho e treino.
    Mas como eu não passo de um mero curioso que não tem influencia e vozes de burro não chegam ao céu, DEIXA OS ANDAR….. A ENRIQUECER A CUSTA DO BENFICA E DE TODOS AQUELES QUE O REPRESENTAM.
    E pluribus unum
    BENFICA SEMPRE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:44 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)