Júlia Pinheiro

Júlia Pinheiro nasceu em Lisboa, a 6 de Outubro de 1962. Fez a sua formação em Línguas e Literaturas Modernas, tendo frequentado a Universidade Nova de Lisboa. Mais tarde realizou uma pós-graduação em Comunicação Social, desta feita na Universidade Católica.

Júlia Pinheiro Antes e Depois e Biografia

Em 1981, então com 19 anos de idade estreou-se na televisão, assumindo a apresentação do programa “Estamos Nessa”, na Rádio e Televisão de Portugal (RTP). Tratava-se de um programa focado no público juvenil, que passava telediscos e centrava as suas atenções no mundo da música pop, contando em cada episódio com a participação de uma banda que atuava ao vivo.

Os fracos resultados alcançados levaram a que o programa fosse precocemente retirado do ar, não tendo durado mais que algumas semanas. Apesar deste contratempo, Júlia Pinheiro permaneceu na RTP durante mais três anos, na qualidade de secretária de redação.

Findo esse período na RTP, Júlia resolveu experimentar a rádio. Assim, entrou em 1984 para a Rádio Renascença. Durante oito anos, apresentou programas de entretenimento na rádio, a maior parte dos quais eram da sua autoria. Foi também na rádio, que Júlia Pinheiro conheceu o seu futuro marido.

Quando entrou para a Renascença, Júlia chamou de imediato a atenção de Rui Pêgo, um locutor de rádio já conceituado. Apesar das cautelas iniciais de Júlia Pinheiro, principalmente motivadas pelo facto de Rui ser casado e ter uma filha com cinco anos, acabaria por nascer ali uma longa relação.

Já depois de Rui Pêgo se ter divorciado, ambos assumiram a relação e pouco tempo depois casaram. A cerimónia decorreu numa pequena igreja do Minho, com poucos convidados.

Oriunda de uma família tradicional, Júlia Pinheiro fez questão de levar o vestido de noiva da mãe. A seguir ao casamento, o casal iniciou uma longa lua de mel de 45 dias no Rio de Janeiro.

Com o surgimento da SIC (Sociedade Independente de Comunicação), Júlia Pinheiro recebeu um convite para regressar à televisão. Em Outubro de 2002, começou a apresentar “Praça Pública”, um programa da autoria do próprio diretor do canal, Emídio Rangel.

Seguiu-se “Noite da Má Língua”, um programa que gerou bastante controvérsia. No programa, Júlia Pinheiro funcionava como moderadora de um painel de quatro comentadores, a saber Rita Blanco, Rui Zink, Manuel Serrão e Miguel Esteves Cardoso, que tinham como missão dissecar os acontecimentos da semana anterior, principalmente de um ponto de vista crítico e negativo.

Este programa manteve-se em emissão entre 1994 e 1997. Pelo meio, ainda teve tempo de apresentar “Só para Inteligentes”, em 1995.

Seguiu-se depois um período de intensa atividade profissional, com a apresentação de vários programas, em diferentes formatos: “Filhos da Nação” (1997), “SOS SIC” (entre 1997 e 1998), “Mr World” (1998), “Cantigas do Maldizer” (1999), “SIC 11 Horas” título posteriormente alterado para “SIC 10 Horas” (entre 1999 e 2001), “Noites Marcianas” e “Às Duas Por Três (2002)”.

Neste conjunto de participações, o destaque natural vai para o programa SIC 10 Horas, programa criado para tentar destronar a Praça da Alegria da RTP, na altura líder absoluto de audiências no período da manhã.

Após a saída abrupta de Carlos Cruz das “Noites Marcianas”, foi Júlia Pinheiro que assumiu a condução do programa.

Em 2002, Emídio Rangel mudou-se para a RTP e pouco tempo depois de ter entrado para a estação estatal, convidou Júlia Pinheiro a acompanhá-lo numa nova aventura. Apesar de ter estado apenas um ano na estação, viu-se envolvida em vários projetos, alguns dos quais em simultâneo. Assim, em 2002 passou pelos programas “O Jogo da Espera”, “Gregos e Troianos”, “O Elo Mais Fraco” e “Melhor é Impossível”.

Em 2003, Júlia Pinheiro estreou-se na publicidade, tornando-se a face de uma campanha para a empresa Novis. Faria depois diversas campanhas publicitárias para outras empresas, como: Capital Mais, Ariel e Activia.

No mesmo ano trocou a RTP pela TVI, iniciando a apresentação de um vasto conjunto de programas: “Eu Confesso” (2003), “Rosa Choque” (2003), “A Grande Oportunidade” (2003), “Diário da Manhã” (entre 2003 e 2004), “Quinta das Celebridades” (entre 2004 e 2005), “Primeira Companhia” (2005), “Circo das Celebridades” (2006), “Meu Odioso e Inacreditável Noivo” (2006), “Pedro, o Milionário” (2006), “Canta Por Mim” (2006), “Doutor Preciso de Ajuda” (entre 2006 e 2007), “As Tardes da Júlia” (entre 2007 e 2010), “Casamento de Sonho” (2007), “Uma Canção Para Ti” (2008 e 2009), “Depois da Vida” (2010), “Secret Story – Casa dos Segredos” (2010).

Alguns destes programas alcançaram um enorme impacto mediático, elevando a popularidade da apresentadora para níveis inéditos. Reality shows como a “Quinta das Celebridades”, “Primeira Companhia” mas principalmente “Secret Story”, marcaram a sociedade portuguesa e causaram enorme polémica.

“As Tardes da Júlia” também constitui um marco para a apresentadora, tornando-se um formato ao qual ela voltaria mais tarde.

Apesar do imenso sucesso alcançado ao serviço da TVI, Júlia Pinheiro voltou a mudar-se, voltando para a SIC, em 2011. Desta forma, voltou a tomar conta das manhãs do canal, apresentando o programa “Querida Júlia”.

Este talk-show centrado na atualidade portuguesa conseguiu desde logo uma posição de destaque na televisão portuguesa da atualidade. Voltou também aos reality shows, com a condução de “Peso Pesado”.

Para além da apresentação destes programas, Júlia Pinheiro assumiu o cargo de Diretora de Formatação de Conteúdos do canal.

Júlia deu aulas, no curso de pós-graduação em Televisão, na Universidade Autónoma de Lisboa. Em Abril de 2009, Júlia Pinheiro lançou o seu primeiro livro, um romance intitulado Não sei nada sobre o amor.

Júlia e Rui Pêgo têm três filhos: Rui Maria Pêgo e as gémeas Matilde e carolina. A apresentadora tem ainda uma enteada, Sofia, que considera sua filha. O seu filho, Rui Pêgo, está a seguir os seus passos no mundo da televisão e é apresentador na SIC Radical.

No final de 2011, a apresentadora passou por momentos difíceis, quando uma das suas filhas esteve envolvida num acidente rodoviário de alguma gravidade. Mas, felizmente, a sua filha acabou por recuperar e restabelecer-se por completo.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Esta matéria tem 1 Comentário
  1. Victor Pinheiro Reply

    Comentário relativo à biografia de D. Júlia Pinheiro.
    Comunico a partir do estrangeiro, onde resido. Não sei com que sucesso poderei tentar esta comunicação via este forum, mas apreciaria conhecer – com a sua respectiva autorização – o seu endereço electrónico afins de uma questão pessoal.
    Elaborei e publiquei desde há uns anos a genealogia de um ramo Pinheiro oriundo de uma família de Ferreira do Zêzere onde, nas minhas visitas de investigação, alguns familiares que identifiquei aí residentes, pretenderam que D. Júlia Pinheiro seria descendente dessa família.
    Prova não obtive dessa pretensão. Como figura de renome da televisão portuguesa, e no intuito de alargar a informação sobre a genealogia que tracei dessa família, apreciaria poder colocar-lhe directamente essa questão ou aguardar qualquer informação que me possa ou não confirmar esse facto.
    Pedindo desculpa pela indiscrição, com os melhores cumprimentos,

    Victor-Manuel Malafaia Pinheiro
    Montreal, Canadá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:43 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)