Mata Nacional do Choupal (Coimbra)

O Choupal foi dos parques e jardins que mais se notabilizou na tradicional simbologia da cidade de Coimbra, sendo cantado em fados antigos e recordado por gerações de estudantes da velha Academia. Aliás, o Choupal é mais um dos mitos desta cidade, constituindo um local de extrema beleza, propício à meditação e excelente esconderijo para amores furtivos. Um local onde paira no ar um suave aroma de eucaliptos, laranjais e acácias.

O Choupal é uma mata relativamente recente, plantada no início do século passado com o objectivo de dominar a vivacidade do rio Mondego e assim regularizar o seu leito. Situa-se entre o Rio Velho e o novo leito do Mondego, tendo um comprimento de mais de dois quilómetros e ocupando uma superfície de cerca de cem hectares. As obras de regularização e rega, no entanto, mutilaram seriamente este local, que necessita de medidas urgentes, caso contrário Coimbra arrisca-se a perder um dos maiores mitos da sua história. De facto, milhares de árvores têm sido sacrificadas, quer pelo abaixamento do nível friático, quer pelo abate, ao longo da margem.

Concretamente, a Mata Nacional do Choupal trata-se de uma vasta plantação de espécies ripícolas, que alberga os terrenos que separam diversos braços do Rio Mondego, os quais, causavam frente à cidade uma zona alagadiça nas épocas das cheias. Da primitiva mata faziam parte ulmeiros e choupos, hoje porém alterada com muitos plátanos e até eucaliptos. De facto, Choupal é nome que a tradição consagrou mas que hoje se encontra desajustado, por serem poucos os choupos que ainda restam.

Continua a ser, porém, um simpático bosque onde se podem dar lindos passeios, dando a Coimbra um envolvimento muito agradável.

Em todo o comprimento da mata estende-se uma rua principal, perto do rio, donde se apreciam pequenas veredas e caminhos serpenteantes que, por vezes, se abrem em clareiras. Acompanham-nas árvores de altas copas, que proporcionam sobretudo no Verão uma agradável sombra. Ocasionalmente encontram-se diversas pontes típicas de madeira que atravessam valas naturais.

A presença de circuitos de manutenção física trouxeram a esta mata um maior número de pessoas. No entanto, é ainda possível apreciar o canto dos rouxinóis, dos pintassilgos, melros e outras aves.

Área: 100 hectares

Concelhos: Coimbra

Flora: Choupos, ulmeiros, plátanos e eucaliptos

Fauna: Rouxinóis, pintassilgos, melros e outras aves

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:38 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)