24 Usos Surpreendentes da Melatonina na Saúde e seus Efeitos Secundários

O uso da melatonina para melhorar os padrões do sono já é bastante comum. No entanto, existem mais benefícios e usos neste composto químico do que pode imaginar. Confira!

Descubra Os Principais Usos Da Melatonina Na Saúde

O que é a melatonina?

A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, que está localizada na parte central do cérebro e, está intimamente relacionada ao ciclo do sono.

A quantidade desse composto químico no corpo sofre alterações em resposta aos nossos ciclos naturais, e pode ser afetada por muitos fatores, incluindo: o ciclo de vigília e sono que definir para si mesmo, e a quantidade de luz que recebe diariamente.

Pela manhã os níveis do hormônio diminuem e, durante a noite, quando estamos prontos para dormir, os níves de melatonina sobem, levando o organismo a um estado relaxante.

O relógio biológico do corpo é um tanto sensível, contudo, ainda que ligeiras, as flutuações nos níveis médios de melatonina, podem apresentar efeitos mensuráveis.

A melatonina pode ser encontrada na forma de suplemento e ajuda a regular os níveis hormonais em indíviduos que estão a lutar contra a insônia ou outros distúrbios do sistema nervoso.

Conheça 22 Remédios Caseiros para Combater a Insônia

Embora exista controvérsia sobre a eficácia deste hormônio, ele é amplamente recomendado, particularmente por profissionais de saúde natural.

À medida que envelhecemos, a diminuição da produção deste hormônio é natural, ou pode até mesmo parar de produzir completamente, o que resulta em uma infinidade de preocupações com a saúde, incluindo a insônia, o transtorno afetivo sazonal (Depressão sazonal), o jet lag, a depressão e a cefaleia em salvas (dor muito forte apenas em um lado da cabeça).

De modo geral, independentemente de como ou por que se está a usar a melatonina, este hormônio é considerado seguro, desde que usado com moderação, sob o cuidado de um profissional de saúde.

Existem alguns efeitos colaterais, mas, geralmente, são poucos.

Benefícios na Saúde

A Suplementação Com Melatonina Pode Até Ajudar No Tratamento Da Infertilidade

Além de ajudar a dormir melhor, existem muitos outros benefícios relacionados ao uso da melatonina, tais como:

• Impulsiona o sistema imunológico
• Reduz a inflamação
• Melhora a saúde cardíaca
• Diminui o risco de câncer de próstata e mama
• Alivia os sintomas do jet lag
• Previne os distúrbios da bexiga
• Minimiza os níveis de hormônio do estresse
• Atenua os sintomas da menopausa
• Eficaz no tratamento do autismo e problemas associados

Insônia

Se sofre de insônia ou qualquer outro tipo de distúrbios do sono, o uso regular de melatonina pode ajudar a recuperar os seus níveis hormonais e assegurar uma noite de sono tranquilo.

Doenças cardíacas

A melatonina tem vários efeitos antioxidantes no corpo, o que também pode ajudar na redução da tensão no sistema cardiovascular, protegendo a integridade dos vasos sanguíneos e artérias, enquanto ajuda a manter a pressão arterial sob controle.

Sistema imunológico

Através de vários estudos, descobriu-se que a melatonina também está conectada ao sistema imunológico.

Sem a quantidade adequada do hormônio no corpo, o timo, essencial para a força do sistema imunitário, pode não funcionar corretamente.

Os seus efeitos antioxidantes, no entanto, aliviam consideravelmente o estresse nas barreiras de defesa do corpo.

Potente antioxidante

Vários benefícios para a saúde do composto são derivados das suas potentes propriedades antioxidantes, tanto direta como indiretamente.

A administração de melatonina aumenta a produção celular de enzimas antioxidantes (superóxido dismutase, glutationa peroxidase, e sintase γ-glutamilcisteína) (1, 2, 3), que podem aumentar os antioxidantes, como a glutationa.

Estas enzimas ajudar a limpar a células, mitocôndrias, e a corrente sanguínea, a partir de espécies de oxigénio reactivas prejudiciais.

Além disso, a molécula de melatonina propriamente dita pode ligar-se a espécies reactivas de oxigénio (ROS) e espécies de azoto reactivo (RNS), tornando-as menos prejudiciais (4).

Isto permite que o composto proteja vários tecidos e sistemas de órgãos dos danos oxidativos.

Os tecidos que produzem a melatonina e dependem dela para este fim incluem o intestino, ovários, testículos, medula óssea, cérebro, entre outros (5).

A maioria das moléculas (metabolitos) que a melatonina se transforma também mantém a capacidade de se ligar a espécies prejudiciais de oxigênio e nitrogênio, o que faz com que ela e seus compostos sejam uma proteção altamente eficaz (6).

Uma única molécula de melatonina é capaz de neutralizar até 10 moléculas de Ross e RNS (7).

O composto também bloqueia uma enzima chamada óxido nítrico sintase, que produz espécies reactivas de azoto e causa inflamação (8).

Jet lag

Jet Lag

Sentir-se bem após mudanças bruscas nos fusos horários pode ser uma verdadeira luta para muitos indíviduos, causando dias ou semanas de sono totalmente desrregulado e fadiga inesperada.

Felizmente, o uso do suplemento pode ajudar a recuperar rapidamente o corpo, rastreando os ritmos circadianos alheios aos dias de fadiga mal cronometrada.

Câncer

O câncer de mama e próstata, principalmente, mostraram reagir negativamente à melatonina no corpo.

Este composto químico pode forçar estas células cancerosas a sofrer apoptose (morte celular programada), sem danificar as células saudáveis que as cercam.

Menopausa

O efeito desse hormônio no corpo pode facilitar a transição da menopausa nas mulheres à medida que envelhecem.

Este é um momento em que as flutuações hormonais se tornam excessivas, e, garantir padrões de sono normais pode tornar essa etapa difícil, bem mais fácil de lidar.

Disfunção da bexiga

A melatonina é conhecida por acalmar as contrações e os espasmos na uretra, o que pode prevenir distúrbios urinários e “acidentes” (perda de urina), particularmente à medida que envelhecemos.

Estresse

Bem conhecida por reduzir os níveis de hormônio do estresse no organismo, a melatonina pode aliviar os sintomas de inflamação crônica, bem como, outros distúrbios do sistema nervoso.

Reduz a inflamação e promove o sistema imunológico

Os receptores de melatonina estão presentes numa grande variedade de células imunes. Trata-se de um imunomodulador, o que significa que ela reduz a função imunitária excessiva em condições inflamatórias e aumenta a função imunitária em indivíduos imunocomprometidos.

A substância pode reduzir a produção de citoquinas inflamatórias incluindo IL-6, IL-8 e TNF-alfa (9).

Além disso, através da redução dos radicais livres na microglia (células do sistema imunológico que são específicas no cérebro), a melatonina pode reduzir a inflamação no cérebro através da redução do NF-kB (10).

Nos seres humanos e roedores, o composto pode promover respostas imunes saudáveis, e reverter a supressão do sistema imunitário devido ao envelhecimento, medicamentos esteróides, chumbo e exposição a produtos químicos (11).

Autismo

Muitas pessoas com autismo sofrem de insônia. A melatonina emergiu como um tratamento eficaz para este problema, devido à sua capacidade em estabilizar os níveis hormonais sem causar interações medicamentosas indevidas.

Protege o Cérebro

Cérebro

A substância não só ajuda a reduzir o estresse oxidativo e inflamação no interior do cérebro, como também aumenta o BDNF (Fator Neurotrófico Derivado do Cérebro) e fortalece a barreira sangue-cérebro.

Tem sido proposta como um tratamento para várias doenças neurológicas cerebrais.

Ela também protege as células nervosas. O composto demonstrou um efeito antioxidante no cérebro, medula espinal, nervo óptico, e na substância branca da medula espinhal (12).

Esclerose Lateral Amiotrófica

Na esclerose lateral amiotrófica, as células nervosas responsáveis pelo movimento morrem. Estudos realizados em ratinhos, mostraram que a substância ajudou a aliviar os sintomas da ELA, impedindo a morte dessas células e retardando a progressão da doença.

Saúde dos olhos e visão

As células dos olhos, especialmente na retina, produzem melatonina (13).

A luz influencia na produção de melatonina. Quanto mais luz existe, menos melatonina as células dos olhos são capazes de produzir

A interrupção dos receptores MT leva à morte das células cone, as células dos olhos que ajudam o olho a reconhecer a cor.

A melatonina também é importante para o desenvolvimento normal dos olhos. Por exemplo, ratos que não possuíam um dos receptores de melatonina – MT1 – tiveram uma diminuição nas células nervosas específicas cruciais para a visão (14).

O composto mostrou também proteger de morte celular as células humanas que formam o pigmento do olho (15).

Ajuda no Glaucoma

Glaucoma

O composto diminui a pressão elevada no olho em seres humanos. Estudos realizados verificaram que a remoção de MT1 em ratos resulta no aumento da pressão no interior do olho e na morte das células nervosas (16).

Os distúrbios na função da melatonina podem ser uma das causas do glaucoma (17).

A melatonina e o 5-MCA-NAT (uma molécula semelhante à melatonina) são agentes promissores no tratamento do glaucoma, uma condição do olho causada pela pressão elevada (18).

Alivia ruídos no ouvido (zumbido)

Zumbido

O zumbido é um ruído inexplicável nos ouvidos que afeta muitas pessoas: os idosos, as pessoas com deficiência auditiva ou aqueles afetados como resultado de determinados medicamentos (19, 20).

Estudo realizados verificaram que a melatonina é 150 vezes mais eficaz em comparação com outras drogas usadas no tratamento dos sintomas associados ao zumbido no sintomas de zumbido decrescentes (21).

Em pacientes idosos com zumbido, os níveis desta substância são muito baixos. Isto pode indicar que estes níveis estão ligados à atividade normal do ouvido (22).

Ajuda a proteger contra a diabetes

O composto atua como um relógio e altera os níveis de insulina de acordo com a hora do dia. A substância é muito importante para o equilíbrio de insulina (23). Uma interrupção no sistema pode provocar a incapacidade das células reagirem à insulina e glicose.

Apenas uma noite sem dormir pode causar resistência à insulina, como pode perturbar todo o metabolismo.

Reduz a pressão arterial

O composto desempenha um papel importante na regulação da pressão arterial. A ativação dos seus receptores, MT1 e MT2, alarga os vasos sanguíneos, o que diminui a pressão sanguínea (24).

Tal como o sono, a pressão arterial tem também uma ritmicidade circadiana. Ela aumenta pela manhã e diminui durante a noite.

A melatonina aumenta durante a noite e diminui na parte da manhã. Isto indica que pode haver uma ligação entre a a substância e pressão arterial.

Protege o coração

O composto também mostrou efeitos protetores no coração. A sua atividade antioxidante protege contra derrames e ataques cardíacos (25).

Protege o estômago

Estômago

A concentração da substância nos tecidos do estômago é 10 a 100 vezes mais elevada que no sangue. As suas concentrações são 400 vezes mais elevadas no intestino do que no cérebro (26).

No estômago, a melatonina é controlada de forma diferente que a presente no cérebro. A sua concentração é mais alta ao meio-dia, não à noite (27).

A melatonina presente no estômago, ajuda também a controlar o comportamento de bactérias intestinais.

Sabia que a substância e o seu precursor L-triptofano pode ajudar a curar úlceras estomacais? Ela protege contra lesões causadas pela aspirina e infecções causadas pela bactéria Helicobacter pylori.

A administração do composto também acelera a cicatrização das úlceras (28).

A substância fortalece a barreira intestinal, reduzindo o estresse oxidativo em até 88% (29).

Ela impede o desenvolvimento de danos no estômago induzidos pelo estresse e aumenta a eficiência de alguns medicamentos que tratam a úlcera de estômago (ranitidina e omeprazol).

As suas propriedades antioxidantes podem ajudar a reduzir inflamações no estômago.

Estes efeitos benéficos podem atuar como preventivos de doenças como a colite, síndrome do intestino irritável, e até mesmo vários tipos de câncer (30).

Ajuda a tratar o refluxo ácido (DRGE)

A doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), também conhecido como refluxo ácido, é uma condição que se desenvolve quando o ácido do estômago e o seu conteúdo volta até o esôfago (tubo de alimentação).

Alguns sintomas incluem azia, náuseas, dor no peito e regurgitação (31).

Num estudo realizado, verificou-se que a suplementação com o composto foi capaz de reduzir os sintomas de GERD.

A substância reduz a pressão esofágica e impede a lesão quando utilizada isoladamente ou em conjunto com o omeprazol (32).

No entanto, o omeprazol, um medicamento que trata a DRGE, apresenta melhores resultados quando administrado em combinação com a melatonina.

Ainda assim, embora a substância possa ser capaz de tratar os sintomas da doença, não é a melhor opção para tratar o refluxo de ácido (33).

Atrasa o envelhecimento

Nos seres humanos, os níveis de melatonina diminuem com a idade (34).

Os danos causados pelo estresse oxidativo contribuem para o processo de envelhecimento. Os efeitos antioxidantes da substância podem ajudar a impedir os danos oxidativos (35).

A melatonina protege a pele contra o envelhecimento induzido pelos raios UV.

A aplicação tópica ajuda a pele através da sua atividade antioxidante. Já a administração oral não beneficia a pele da mesma forma (36).

Estudos realizados em ratos velhos, a melatonina incluída na dieta ajudou a parar a perda óssea relacionada com a idade. Verificou-se que a suplementação aumentou o volume ósseo e a rigidez, proporcionando uma melhoria geral na saúde dos ossos (37).

No entanto, mesmo sabendo que se trata de uma hormona anti-envelhecimento, é importante referir que ela não retarda o envelhecimento (38).

Ajuda na Fertilidade

Fertilidade

A melatonina pode melhorar o movimento geral das células de esperma. Ela também ajuda a inibir a morte celular no esperma.

A substância melhora a qualidade geral do esperma, aumentando assim a probabilidade de uma fertilização bem sucedida (39).

Algumas espécies de oxigénio reativas podem inibir a maturação dos oócitos (óvulos).

Numa avaliação realizada, a administração oral de melatonina em seres humanos reduziu os danos oxidativos nos oócitos e aumentou as taxas de fertilização.

No entanto, uma vez que o estudo não teve um grupo de controle, não é evidência suficiente sobre os benefícios da substância para este fim (40).

O envelhecimento pode levar a um declínio da fertilidade. O tratamento com a administração de melatonina em ratos fêmeas mostrou retardar a infertilidade associada à idade (41).

A administração da substância (10 mg / kg ao longo de 6 e 12 meses) em ratinhos, também aumentou a quantidade e qualidade dos oócitos (células do ovo).

Isto pode ser devido à supressão do estresse oxidativo pela substância (42).

No entanto, doses mais elevadas de melatonina podem prejudicar culturas de células de ovócitos e embriões (43).

A espécies reativas de oxigênio e os danos oxidativos podem impactar negativamente o sucesso dos tratamentos para a infertilidade.

A atividade antioxidante da substância podem ajudar nos resultados de fertilização in vitro (44).

Administração de melatonina pode manter a capacidade reprodutiva feminina em ratinhos mais velhos.

No entanto, não existem estudos suficientes em seres humanos que apoiem estes resultados. (45).

Reduz a queda de cabelo

A alopecia androgenética é uma condição genética que causa a perda de cabelo.

A aplicação tópica de melatonina no couro cabeludo pode ajudar a prevenir a queda de cabelo em homens e mulheres com alopecia (46).

Verificou-se que a aplicação de melatonina melhorou não só a condição como também a textura do cabelo.

Em vários estudos realizados, a aplicação de melatonina ajudou parcialmente a reduzir a perda de cabelo, e levou ao crescimento de novos cabelos em alguns casos.

Embora os mecanismos sejam desconhecidos, a substância pode ser uma nova solução para atrasar e tratar a queda de cabelo (47).

Efeitos colaterais

Embora existam vários benefícios impressionantes relacionados ao uso da melatonina na saúde, também existem alguns efeitos secundários.

Muitos deles, geralmente, são experimentados quando o corpo se torna dependente do suplemento, no entanto, qualquer pessoa pode experimentar alguns efeitos indesejáveis.

Gravidez e aleitamento materno

Devido à falta de pesquisas, não se pode determinar se os efeitos desse hormônio são seguros para as mulheres grávidas ou em fase de amamentação.

Depressão

Após uso regular da melatonina, removê-la do seu sistema pode ter efeitos negativos sobre o humor e resultar em sintomas depressivos. Descontinue lentamente o uso regular do hormônio.

Diabetes

Existem alguns relatos de que o uso da substância pode aumentar o risco de pacientes com diabetes, devido aos seus efeitos nos níveis hormonais e no metabolismo.

Sonhos vívidos

Alguns usuários relatam sonhos vívidos não usuais ao usar a melatonina, o que é relativamente inofensivo, ainda que inesperado e potencialmente desagradável.

Cansaço matinal

A melatonina ajuda a alcançar um nível profundo e pacífico de sono, contudo, pode por vezes ser difícil restabelecer-se pela manhã, sentindo algum cansaço.

Descubra porque a Melatonina Pode Ajudar a Dormir Melhor

Referências

https://insights.ovid.com/
http://science.sciencemag.org/
http://www.sciencedirect.com/
http://europepmc.org/
http://www.ingentaconnect.com/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/
https://link.springer.com/
http://onlinelibrary.wiley.com/
http://www.sciencedirect.com/
http://journals.sagepub.com/

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/
http://www.touchneurology.com/

O que Procura?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *