Miocardiopatia Restritiva

MIOCARDIOPATIA RESTRITIVA – CAUSAS, SINTOMAS E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO
. Caracterizada por comprometimento do enchimento diastólico, com preservação da função ventricular esquerda
. As causas incluem amiloidose, sarcoidose, hemocromatose, esclerodermia, síndrome carcinóide, fibrose endomiocárdica e
fibrose pós-ciúrgica ou pós-irradiação
. As manifestações clínicas são as do disturbio subjacente; em geral, predomina a insuficiência cardíaca congestiva, com sinais e sintomas do lado direito.
. O eletrocardiograma pode revelar baixa voltagem e anormalidades inespecíficas de ST-onda T particularmente na amiloidose;
podem-se observar arritmias supraventriculares e ventriculares.
. O ecocardiograma com Doppler revela aumento da espessura da parede, com preservação da função contrátil e padrões de velocidade de influxo mitral e tricúspide compatíveis com deficiência do enchimento diastólico.

DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
. Pericardite constritiva
. Cardiopatia hipertensiva
. Miocardiopatia hipertrófica obstrutiva
. Estenose aórtica
. Cardiopatia isquêmica

MIOCARDIOPATIA RESTRITIVA TRATAMENTO
. Restrição de sódio e diuréticos para pacientes com evidências de sobrecarga hídrica; a diurese deve ser cautelosa, visto que a depleção de volume pode agravar o disúrbio.
. Digitálicos não são indicados, a menos que haja comprometimento da função sistólica ou ocorra fibrilação atrial.
. Tratamento da doença subjacente responsável pela restrição, se possível.

Dica
A hemocromatose caracteriza-se por imagens pesadas em T2, diagnósticas do coração e outros órgãos afetados; na radiografia de tórax simples, um terço dos pacientes apresenta hipocôndrio direito mais denso em virtude do depósito hepático de ferro.
Referência
Franz WM, Muller OJ, Katus HA: Cardiomyopathies; from genetics to the propect of treatment.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Esta matéria tem 1 Comentário
  1. angela pina Reply

    Foi muito esclarecedor todo esse material, para mim foi excelente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 2:25 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)