Museu Nacional da Ciência e Tecnologia – Milão, Itália

Quem visita Milão, deve guardar um dia para visitar um dos Museus mais curiosos do Mundo e com raízes mais antigas: o Museu Nacional da Ciência e Tecnologia “Leonardo da Vinci“. O Mouseion de Alexandria, no Egipto, fundado por Ptolomeu II Philodelpho, por volta do ano 284 a.C. pode ser considerado como o protótipo dos Museus da Ciência e Tecnologia.

Os objectivos e ambições desta gloriosa Instituição, ainda hoje não foram ultrapassados e têm servido de modelo para todos os modernos Museus, deste género em todo o Mundo. O Museu de Alexandria, era dedicado às Musas, protectoras das Ciências e das Artes e a todos os homens de letras e cientistas que ali podiam encontrar os livros, os meios, as máquinas, para poderem desenvolver as suas ideias e invenções.

O espírito deste Museu, foi recriado, séculos mais tarde, pelas famosas Academias Florentinas, criadas por Cosimo di Medici iluminado patrono das artes e ciências.Em 1657, a primeira “Academia del Cimento”, iniciou algumas actividades de pesquisa científica. Um verdadeiro Museu da Ciência e Tecnologia foi concebido por DECARTES (1596-1650) e realizado pelo famoso cientista VAUCANSON.

Em 1851, foi criado o South Kensington Museum (Science Museum), e outros países seguiram este exemplo, até que, depois da 1ª Grande Guerra, quase todos os países tinham o seu Museu da Ciência e Tecnologia, sendo os mais famosos: o Franklin Institute de Filadélfia, o Smithsonian Intitution, o enorme Museum of Science and Industry de Chicago e os Museus de Ciência e Tecnologia de Tóquio, Sydney, Oslo, Estocolmo e Zagreb.

No dia 2 de Dezembro de 1952, as autoridades Municipais de Milão aprovaram a proposta do Presidente da Câmara, para darem o nome de LEONARDO DA VINCI, ao Museu da Ciência e Tecnologia da cidade. Este Museu, ocupa o antigo Conven to dos Olivetanos, que foi completamente reconstruído depois da sua destruição, na última guerra. A finalidade deste Museu, é mostrar, da forma mais agradável e atraente, a história da ciência , da técnica, e dos fenómenos que originaram as grandes invenções, os rasgos de génio, as máquinas que tanto contribuíram para o desenvolvimento da humanidade e para o progresso técnico do mundo moderno. No entanto e ao contrário dos seuscongéneres mundiais, este Museu está ordenado segundo as três grandes linhas de pensamento de Leonardo: ciência, técnica e arte. Por isto, o visitante, além das máquinas antigas e modernas, aparelhagem experimental de física, vitrines e instrumentos antigos, poderá apreciar quadros, decorações e reconstruções fieis de ambientes, que concorrem para criar, neste Museu, uma atmosfera única.

Além da Galeria Leonardo, onde está em exposição a mais ampla, fiel e documentada colecção de maquetas, máquinas, engenhos e projectos, de Leonardo, existente no Mundo, podemos admirar a Sala de Óptica, que apresenta os fenómenos fundamentais da óptica geométrica, reflexão, etc., a Secção Rádio e Telecomunicações que engloba a Sala Marconi, onde, além das invenções mais relevantes deste inventor, se pode ver o Pantelégrafo de G. Caselli (primeiro aparelho do serviço público para a transmissão de imagens por cabo telegráfico).

Na Secção Naval e de Relojoaria, muitas peças de grande valor e valiosa colecção de ourivesaria antiga.

Na Secção de Transportes, alem de um painel ilustrativo relativo à evolução da roda (desde Ur, 4.000 anos a.C., até à moderna roda de borracha), vêem-se uma enorme máquina a vapor Horn (1830), os primeiros motores, a história da fundição, metalurgia e elaboração de metais, etc.

Podemos ainda admirar, e desde os seus primórdios, aviões, barcos, bicicletas, automóveis, motos, comboios, e sempre, sempre, os maravilhosos aparelhos inventados pelo génio impar de Leonardo: o helicóptero, o fato de mergulhador, o paraquedas, a máquina para trabalhar as lentes, a máquina do movimento perpétuo, o tear mecânico, o carro com molas de suspensão, navios de guerra, fortalezas, pontes, cidades…

E depois de um dia bem passado neste Museu Nacional da Ciência e Tecnologia, ficam-nos, para sempre as palavras de Leonardo, que reflectem bem a sua maneira de ser como homem e como cientista:

«Nenhuma investigação humana pode ser chamada de Ciência, se não for possível a sua demonstração matemática.»

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:55 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)