Novas tecnologias em Medicina na melhoria da prestação de cuidados - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Novas tecnologias em Medicina na melhoria da prestação de cuidados

As novas tecnologias, a terapêutica biotecnológica e a sensatez na prescrição médica foram alguns dos temas abordados na XVII edição das Jornadas Internacionais do Instituto Português de Reumatologia. O encontro aconteceu em Lisboa nos dias 10 e 11 de Dezembro.

As jornadas do IPR foram mais um momento para estreitar relações com a Medicina Geral e Familiar, expressou o presidente do encontro, Augusto Faustino.

O Instituto Português de Reumatologia (IPR) aproveitou a reunião de centenas de especialistas na XVII edição das Jornadas Internacionais do IPR para apresentar o Portal das Doenças Reumáticas, uma “plataforma electrónica profissional em Portugal com uma oferta integrada de informação e serviços especializados na área da saúde e, mais concretamente, na das doenças reumáticas”.
O director clínico adjunto do IPR, Luís Cunha Miranda, destaca a importância das novas tecnologias quando estão ao serviço do doente e do clínico e explica que há uma nova realidade em Portugal, para a qual os médicos têm de estar preparados. “As novas tecnologias são cada vez mais importantes no seguimento dos doentes. Cada vez mais somos interrogados por doentes que obtêm informação através da Internet e que acabam por confrontar o médico com as suas próprias expectativas e os seus próprios diagnósticos”.
Ainda sobre as novas tecnologias, o reumatologista falou de um projecto do IPR que deverá entrar em funcionamento em Janeiro.
Trata-se de um ecrã táctil, colocado nas salas de espera do IPR, onde os doentes podem preencher um questionário. “Estas escalas de auto-preenchimento são úteis para quantificar determinadas coisas, como seja a qualidade de vida, a depressão ou outras situações”, afirma o mesmo responsável, concluindo: “Temos um projecto-piloto que arranca em Janeiro, que consiste no preenchimento dessas mesmas escalas num ecrã táctil e que vai directamente para o gabinete do médico, antes de o doente entrar”.

Novas terapêuticas

As terapêuticas biotecnológicas foram referenciadas ao longo do dia de trabalhos, sendo pormenorizadas por Helena Santos, do IPR. A especialista referiu que os fármacos biotecnológicos (moléculas proteicas complexas que são criadas usando métodos de biologia molecular e produzidas em culturas celulares eucarióticas e procarióticas) “permitem um melhor controlo de doenças, como artrite reumatóide (AR) e artrite psoriásica, e a possibilidade de oferecer uma melhor qualidade de vida aos doentes”. Contudo, o principal objectivo da terapêutica, que é conseguir a remissão, ainda não foi alcançado, pelo que se “tem continuado a procura de novas moléculas e novos alvos terapêuticos com o objectivo de obter melhores resultados”.

SENSATEZ NA PRESCRIÇÃO

“Prescrição – sensatez perante a novidade” foi o tema introduzido por Cândida Silva, do IPR, que apontou algumas regras para “tratar melhor os doentes, com os menores riscos possíveis”. A especialista referiu seis princípios:

1- Pensar além dos fármacos, como primeira e não como última opção;
2- Fazer uma prescrição mais estratégica (usar poucos fármacos, mas usá-los bem);
3- Estar mais alerta para os efeitos adversos;
4- Utilizar de alguma cautela e cepticismo com os novos fármacos;
5- Partilhar as decisões com os doentes (responsabilização na adesão terapêutica);
6- Pesar a curto prazo e pensar a longo prazo.

Atualizado em 24 Fevereiro 2010

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *