O fator Rh. Como afecta o bebé? - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

O fator Rh. Como afecta o bebé?

O fator Rh. Como afecta o bebé?

O fator Rh do sangue e o grupo sanguíneo são as substâncias antigénicas distintas que formam parte da membrana dos glóbulos vermelhos. Saber se possui ou não o factor Rh e a que grupo sanguíneo se pertence tem especial relevância durante a gravidez.

Em que se diferencia o grupo sanguíneo do fator Rh?

Ambas as moléculas possuem funções diferentes, ainda não muito bem definidas, e distinguem-se pela sua composição. O Rh é constituído por proteínas e participa na manutenção da integridade da membrana dos glóbulos vermelhos. O grupo sanguíneo, formado por proteínas e açúcares, não participa desta função. A presença ou ausência do fator Rh e a existência de diferentes grupos sanguíneos faz com que as pessoas possam ser classificadas em grupos herméticos (A, B, AB) e num dos factores Rh (+ ou -).

Quando se produz incompatibilidade sanguínea?

Existe incompatibilidade quando uma pessoa possui um grupo e Rh determinados e outra pessoa os tem diferentes. A possibilidade de contacto entre grupo e Rh distintos entre si, como no caso da gravidez, transfusão ou transplante, pode provocar a produção de anticorpos que destruiriam os antígenos desconhecidos para o receptor.

A quem se pode doar e de quem se pode receber?

O grupo A pode receber sangue de A e O, e pode doar a A e, em alguns casos, a AB. O grupo B pode receber de B e de O, e pode doar a B e, em alguns casos a AB. O grupo O, chamado doador universal, pode doar, praticamente, a todos os grupos (A, B, O e, em alguns casos, a AB), mas ele só pode receber de O. O grupo AB pode receber de A, B, AB, e O, e doar a AB.

Que consequências tem para a gravidez ser Rh+ ou -?

Sempre que a gestante seja Rh+, não se apresentará nenhum problema. Visto que a mãe possui o antígeno do Rh+, não gerará anticorpos contra o factor Rh do bebé, seja positivo ou negativo. Se os pais são ambos Rh negativo ou positivo, o filho será Rh – no primeiro caso e Rh+ ou – no segundo, mas tão pouco surgirão problemas.

Que precauções há que tomar se a gestante é Rh-?

Quando a mulher é Rh- e o homem é Rh+, o filho pode herdar o Rh+ do pai. Se for assim, o sangue da mãe e o feto entram em contacto, ela pode reagir criando anticorpos anti Rh+. Portanto, é necessário saber se a grávida tem ou não anticorpos Rh+ de anteriores transfusões ou gravidezes. Se necessita deles, deve ser vigiada durante a gravidez para ver se aparecem, e se já os possui, é imprescindível controlar o desenvolvimento do feto pois pode apresentar uma doença hemolítica.

Que acontece se a mãe é Rh- e o filho herda o Rh+?

Se os anticorpos anti Rh+ passam da mãe para o feto, produz-se uma destruição dos hematíes fetais (hemólisis). Quando esta destruição é importante, o bebé sofrerá uma anemia hemolítica grave e poderá chegar a morrer dentro do útero materno. Daí a importância de vigiar permanentemente a evolução da gravidez de uma mamã Rh- mediante ecografias e inclusivamente amniocenteses. Depois do nascimento, a hemólisis contínua e, se não estiver controlada, a anemia hemolítica complica-se com a elevação da bilirrubina (pigmento derivado da hemoglobina), que poderia afectar o sistema nervoso do bebé e produzir danos neurológicos irreparáveis.

Que acontece nas sucessivas gestações se a mãe é Rh-?

Se a mãe já possui anticorpos da primeira gravidez ou aborto, continuará mantendo-os e poderá actuar sempre que o novo filho possua Rh+. A realidade demonstra que nos casais Rh incompatíveis (ela negativo, e ele positivo) só se produzem anticorpos anti Rh em 15 por cento dos casos. Isto deve-se a que, às vezes, a placenta actua como uma barreira e impede a passagem do sangue do primeiro filho para a mãe. Também pode dever-se a que o sangue materno não produza suficientes anticorpos para provocar alterações no feto.

Em que consiste o teste de Coombs e quando se realiza?

Esta prova permite detectar na gravidez se a mãe Rh- tem anticorpos perante os glóbulos vermelhos do feto. Em caso positivo e, se se produz uma doença importante no filho durante a gestação, terá de fazer-se uma transfusão intra-uterina de sangue Rh-. Se a doença é ligeira pode esperar-se o nascimento, estuda-se e vigia-se a criança e, se for necessário, troca-se o sangue depois do nascimento. Num processo de cerca de três horas, extrai-se lentamente o sangue com Rh+ e transfere-se-lhe para sangue Rh-, como o da mãe para corrigir a anemia e diminuir a quantidade de anticorpos e bilirrubina que circulam no sangue.

Quando é que é necessário administrar a vacina anti D?

Esta vacina é um preparado com anticorpos anti Rh que se deve ministrar por via intramuscular a todas as mulheres Rh- que tenham tido um filho Rh+ ou hajam sofrido um aborto, e naquelas que não se detectem anticorpos anti Rh. Habitualmente administra-se nas 72 horas posteriores ao parto ou aborto, com a finalidade que os anticorpos transportados destruam os hematíes do feto que tenham podido passar para a mãe.

Também se pode colocar á grávida se fez algum exame com derrame de sangue, como a amniocentese, que permita que o sangue da mãe e do feto entrem em contacto. A vacina anti D deve administrar-se em sucessivas gravidezes. Se o Rh da mãe é negativo, há que averiguar se tem ou não anticorpos Rh+.

Que Rh pode herdar o filho?

Se a mãe (representada pelo círculo e cruz até abaixo) tem Rh- e o pai (círculo com seta até acima) Rh+ (ou vice-versa) , o filho herdará o Rh de um dos pais (+ ou -). Por razões genéticas complexas, quando ambos os pais são Rh+, a criança pode ser Rh- ou +. Se os dois são Rh-, o filho também o será.

Artigos relacionados:

Factor Rh – O Que é?

Atualizado em 13 Janeiro 2018

6 Comentários no Fórum

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. Ola boa tarde! O meu tipo de sanguee é A- e do meu marido A+ o meu médico pediu i comboms indireti e falou pra mim toma a vacina com 28 semanas o meu bb corre risco ?

  2. Não me deram após aborto a injeção Gamaglobulina ano passado e agora estou de 18 semanas de gravidez e meu bebe esta com hidropsia fetal devido a esse problema!tem como reverter o caso,agora é inútil me dar a vacina né?estou aguardando a 1 semana consulta pelo SUS com especialista pois minha gestação se tornou de alto risco graças a negligencia médica!!!Tenho tantas dúvidas e como moro no interior só em outra cidade vou obter consulta.

  3. Meu sobrinho nasceu há 7 dias e apresentar ictericia e minha sobrinha e RH O- estou muito preocupada pq ele está fazendo fototerapia há 4 dias sem melhoras do quadro clinico pois continua com a pele muito amarela !!!

  4. OLHA O GRUPO SANGUINEO É ARH+ E DA MINHA MULHER É ORH+,DO NOSSO FILHO É ARH+, ISTO FAZ TANTO SENTIDO EM ESTE BEBE SER O MEU FILHO OU TENHO QUE FAZER O TEXTE DE DNA?

  5. BOA TARDE ,NAO,NAO TEM QUALQUER PROBLEMA DESDE Q LEVE SEMPRE A VACINA ANTI D(CASO O FETO NAO SEJA ORH-).EU SOU O RH -,TENHO 3 FILHOS SAUDAVEIS GRAÇAS A DEUS 🙂

  6. GOSTARIA DE SABER MINHA ESPOSA TEM O TIPO SANGUINEO O- E EU TENH O+ EXISTE ALGUM PROBLEMA SE TIVERMOS UM FILHO.EXISTE TRATAMENTO PARA QUE O NOSSO FILHO NASCA SEM PROBLEMA.

    AGUARDO RESPOSTA URGENTE.

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade

Isensão de Responsabilidade: A nossa plataforma foi criada com o objetivo de facilitar o acesso a informação de valor "Ciência com Saúde", baseada em estudos científicos. Tudo o que publicamos tem uma base científica. No entanto, nenhuma das publicações têm o objetivo de servir como diagnóstico, sendo sempre indicada consulta médica. O mesmo se refere a tratamentos, clínicas, suplementos e medicamentos indicados. A indicação, dosagem, e forma de uso é apenas ilustrativa, não estando indicada a automedicação ou suplementação sem antes haver indicação médica profissional. O mesmo se refere aos preços dos produtos por vezes indicados. Esses valores são baseados no ano de 2018 e servem apenas como informação auxiliar, não estando a nossa plataforma de nenhuma forma a ligada a essas empresas.