O Sal na Alimentação

O Sal na Alimentação – A Necessidade de modedar o sal na nossa alimentação

O Sódio é um mineral essencial para o funcionamento do organismo porém em excesso contribui para elevar a pressão. A pressão alta ou hipertensão é um poderoso fator de risco para as doenças do coração. Cerca de 20% da população adulta sofre deste problema. Após os 60 anos esta cifra sobe para 50%. O aumento da pressão arterial sobrecarrega o coração e pode lesar os tecidos do cérebro, além de comprometer os rins, pulmões, olhos e toda a rede de vasos do corpo humano. A pressão do sangue no sistema arterial depende de 2 fatores básicos, que são o volume de sangue impulsionado pela contração do coração e a resistência oferecida pelas artérias de todo o corpo. Na maioria dos casos a hipertensão arterial é provocada pela constrição das artérias menores, e é chamada hipertensão essencial ou primária. Em alguns casos a elevação da pressão depende de doenças dos rins, da artéria renal, da glândula adrenal ou de uma redução do calibre da artéria aorta que sai do ventrículo esquerdo do coração e conduz praticamente todo o sangue oxigenado que vai ser distribuído por todas as áreas corporais.

A prevenção e o tratamento da hipertensão deve quase sempre começar por medidas não medicamentosas, sendo a intervenção nutricional a principal delas. O sal de cozinha devido a sua ampla utilização e por estar presente na grande maioria dos alimentos industrializados merece atenção especial. Quando a pessoa ingere muito sal seu organismo irá reter água e essa retenção provoca o aumento do volume de sangue. Com um maior volume de sangue o coração precisa trabalhar mais para impulsioná-lo para todo o corpo e o resultado é o aumento da pressão, portanto é preciso estar atento para que o consumo diário não ultrapasse os limites recomendados. O sal de cozinha ou cloreto de sódio contém aproximadamente 40% de sódio, portanto uma ingestão diária de 10g de sal de cozinha corresponde a 4g de sódio(Na). A dieta do brasileiro contém de 7g à 13g/dia de cloreto de sódio, porém o ideal é que a ingestão diária fique em torno de 5g/dia o que corresponde a 2g de sódio. Muitas vezes este índice é facilmente ultrapassado através de produtos industrializados que contém cloreto de sódio em teores elevados ou pela adição às preparações culinárias em virtude do efeito estimulante que proporciona sua ingestão.

É importante dizer que 5g de sal, total diário recomendado, é equivalente a 2 colheres de chá, quantidade que para muitas pessoas é insuficiente para satisfazer o paladar. Os maiores vilões na quantidade de sódio são os salgadinhos, a maionese, o ketchup, o shoyu, a mostarda, os picles, os caldos de carne, as sopas desidratadas, os enlatados e os embutidos, como mortadelas, presuntos, salsichas, entre outros. A solução para evitar que os alimentos percam o sabor, é a utilização de temperos como, manjerona, salsinha, cebolinha, louro, alecrim, orégano, ou seja , as ervas e condimentos em geral. Outra opção que já existe no mercado é o sal light, contendo 50% de sódio e 50% de potássio. Quando você se alimentar em casa utilize este sal, ele satisfaz o paladar e sua composição contribui para evitar a ingestão excessiva de sódio. Alguns procedimentos observados na rotina diária podem auxiliar na redução do consumo de sal:

1 Não coloque o saleiro na mesa.
2 Leia o rótulo dos produtos para ter idéia da quantidade de sódio presente.
3 Não permita que o sabor do sal suplante o sabor natural dos alimentos.
4 Consuma bastante água para manter o equilíbrio do organismo.
5 Evite o consumo de carnes processadas e embutidos, prefira as carnes magras.
6 Evite queijos excessivamente salgados.
7 Evite temperos industrializados ricos em sódio.
8 Evite salgadinhos e batatas fritas industrializadas.

Concluindo, é importante frisar que este é apenas um aspecto dentre vários procedimentos a serem adotados como medida preventiva por indivíduos portadores de hipertensão arterial. Outras medidas como dietas de baixas calorias para obesos, exercícios aeróbicos regulares, limitação do consumo de álcool e gorduras saturadas, aumento da ingestão de fibras alimentares, cálcio e potássio contribuem decisivamente para o controle da pressão.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Esta matéria tem 1 Comentário
  1. Ministério da Saúde Reply

    Olá !

    O número de pessoas com hipertensão no Brasil aumentou de 21,5%, em 2006, para 24,4%, em 2009. A hipertensão é uma doença silenciosa e ataca todas as faixas etárias. Por isso, junte-se à campanha de combate e controle da hipertensão do Ministério da Saúde. Você pode ajudar na conscientização da população por meio do material de campanha que disponibilizamos para download.

    Caso se interesse, entre em contato com [email protected]

    Obrigado!

    Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 2:54 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)