Ombro Congelado: Causas, Sintomas, Tratamentos e Remédios Caseiros - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Ombro Congelado: Causas, Sintomas, Tratamentos e Remédios Caseiros

Para quem sofre do problema, a síndrome do ombro congelado é uma condição médica incômoda e potencialmente debilitante que pode perdurar por até um ano antes de o ombro retomar a sua condição normal.

Síndrome Do Ombro Congelado Ou Capsulite Adesiva

Portanto, conhecer as verdadeiras causas, sintomas, opções de tratamento e remédios caseiros eficazes é essencial para lidar com esse transtorno incomum.

O que é a síndrome do ombro congelado?

A síndrome do ombro congelado ou capsulite adesiva é uma condição médica estranha, na qual o indivíduo perde gradualmente a amplitude de movimento do ombro, o que impede a realização de uma série de atividades corriqueiras, além de causar dor e inflamação.

A origem do problema continua misteriosa, mas já se sabe que ela acomete mais frequentemente atletas e pessoas que se dedicam a exercícios físicos intensos, afetando os ombros e parte superior das costas e braços.

Os sintomas podem facilmente passarem despercebidos ou serem relacionados a uma dor ou distensão muscular comuns após o treino.

No entanto, a síndrome do ombro congelado tende a acentuar as cicatrizes que se formam no tecido muscular situado em torno da área externa do ombro, ou a pressionar os tendões e tecidos localizados na cápsula protetora do ombro.

Essa mudança da composição tecidual habitual faz com que a rigidez e a tensão estejam associadas ao problema, mas a causa subjacente daquela compressão ainda precisa ser descoberta.

A maioria dos pesquisadores divide essa condição médica em três fases: fase inflamatória, fase de rigidez, e a fase de descongelamento.

A primeira pode ser acompanhada de dor e rigidez, enquanto a última pode durar de algumas semanas a meses — ou até mais.

A fase de rigidez não está associada a qualquer tipo de dor, mas sim a uma fraqueza geral e comprometimento da circulação que pode persistir por um ano ou mais.

Na fase final (de descongelamento) o indivíduo pode sentir o retorno da dor e desconforto, mas também vivenciar uma maior amplitude de movimento.

Esta última etapa pode durar de alguns meses até alguns anos, antes de atingir um nível de normalização dos movimentos.

Causas da síndrome do ombro congelado

Síndrome Do Ombro Congelado Ou Capsulite Adesiva

As causas mais comuns da síndrome do ombro congelado incluem um estilo de vida sedentário, o processo natural do envelhecimento, doenças crônicas, menopausa, cirurgia ou alguma lesão.

Envelhecimento

À medida que envelhecemos, nossos tecidos, ossos, ligamentos e músculos tendem a se deteriorar em um ritmo mais rápido.

Embora algumas pessoas simplesmente encaram isso como uma parte natural do envelhecimento, a síndrome do ombro congelado não é normal, sob nenhum aspecto.

Com o avançar da idade, você deve ser mais cuidadoso com o exercício excessivo, a elevação e alongamento dos músculos do ombro, já que corre maior risco de formar tecido cicatricial e sofrer contração do tecido ao redor da cápsula do ombro.

Inatividade

Se você mantém uma vida predominantemente sedentária ou passa muito (a maior parte do dia) tempo sem movimentar o ombro — sem falar na ausência de exercícios —, você pode ser suscetível a desenvolver a síndrome do ombro congelado.

Devido à falta de uso, os músculos começam a se atrofiar, o que pode fazer com que você se sinta fraco e mais indisposto para a prática de exercícios.

Isso se transforma em um ciclo vicioso que pode levar ao surgimento dessa referida condição.

Doença crônica

Se você sofre de alguma doença crônica que afeta sua mobilidade, metabolismo ou seus níveis de atividade, você será mais propensos a desenvolver a síndrome do ombro congelado.

O diabetes costuma estar ligado a essa condição médica, uma vez que ela também é caracterizada por um fluxo sanguíneo insuficiente para determinadas áreas do corpo, o que pode levar à inflamação, formação de tecido cicatricial e a uma falta de cicatrização adequada após o treino.

Menopausa

O problema em questão não só atinge desproporcionalmente as mulheres, como também é mais frequente em mulheres que estejam no período da menopausa.

Uma vez que os níveis de estrogênio caem, certos aspectos metabólicos se alteram e as vias hormonais responsáveis pelo crescimento e recuperação dos músculos podem ficar comprometidas.

Acredita-se que esta seja uma razão para que um número tão elevado de casos esteja relacionado a mulheres com mais de 60 anos de idade.

Lesões

Qualquer lesão no ombro costuma imobilizar os movimentos associados a essa parte do corpo, pelo menos por um curto período.

Se, em algum momento, você não usar o ombro ou o braço durante semanas ou meses, a massa muscular começará a diminuir e os tecidos e ligamentos que recobrem o ombro podem começar a se atrofiar, resultando na síndrome do ombro congelado.

Cirurgia

Uma cirurgia feita no ombro pode acarretar um crescimento excessivo do tecido cicatricial, o que impede o movimento muscular habitual e a formação de tecido, levando aos sintomas dessa condição.

Sintomas da síndrome

Existem muitos sintomas relacionados à síndrome do ombro congelado, como rigidez e dor no ombro, limitação da amplitude de movimentos, dificuldades para dormir e desconforto na realização de atividades corriqueiras.

Rigidez e dor

Os primeiros sintomas de um ombro congelado são a rigidez e uma leve dor no local (que pode ser facilmente confundida com uma dor comum).

Esses sintomas podem se tornar constantes em alguns pacientes, embora possam ser passageiros em outros.

Dificuldade para dormir

Uma notável sensação de fadiga pode indicar um sono tipicamente insuficiente.

Esse tipo de imobilização no ombro pode causar dezenas de interrupções ao longo de uma noite, mesmo que você não chegue a acordar totalmente e perceba o que está acontecendo.

Limitação de movimento

Ao passar da primeira para a segunda fase da síndrome do ombro congelado, você sentirá uma significativa diminuição da amplitude de movimento (em todas as direções) que requeira flexibilidade da área do ombro.

Atividades normais

As tividades que costumam ser realizadas “subconscientemente” , como abrir uma porta, dirigir, amarrar os sapatos, vestir-se ou até mesmo de escovar os dentes, tornarão-se progressivamente mais difíceis ou desconfortáveis.

Tratamentos

Além de ser desconfortável e misteriosa, os tratamentos voltados para essa condição médica se mostram pouco eficazez.

Dentre eles estão as injeções de esteroides, analgésicos, anti-inflamatórios e pomadas, movimentação do ombro, cirurgia e hidrodilatação.

Medicamentos

Os analgésicos e medicamentos anti-inflamatórios podem ajudar a aliviar o inchaço ao redor do ombro e a evitar a compressão da cápsula do ombro.

Injeções de esteroides

As injeções locais no ombro podem ajudar a reduzir a dor e a melhorar a mobilidade, principalmente se você passar por esse tratamento precocemente — durante a fase de rigidez.

Hidrodilatação

Uma alternativa incomum de tratamento envolve a injeção de fluido no ombro para alongar o tecido pressionado na cápsula do ombro, ajudando a impedir o avanço do problema.

Movimentação do ombro

Neste procedimento, os pacientes recebem uma anestesia e o médico manipula os músculos manualmente, a fim de alongar o tecido e melhorar a mobilidade.

O processo evita a dor que o paciente normalmente sente após um estiramento.

Cirurgia

Em casos raros, uma dupla cirurgia é realizada simultaneamente: após o prolongamento dos tecidos tensos, eles são cortados para melhorar a própria flexibilidade.

Essas cirurgias exigem um considerável tempo de recuperação.

Tratamentos caseiros para ombro congelado

Se você acredita que está desenvolvendo a síndrome do ombro congelado, ou os tratamentos mais convencionais não estão surtindo efeito para aliviar os sintomas, é possível recorrer a uma variedade de remédios caseiros, como uma pasta de cúrcuma (açafrão da terra), óleo de semente de gengibre, óleo de coco, e óleo de sementes de mostarda, dentre outros.

Pasta de açafrão-da-terra (cúrcuma)

Conhecido em todo o mundo pelas suas poderosas propriedades anti-inflamatórias, a pasta de cúrcuma é de fácil preparo e uso.

Ela pode ser aplicada diariamente no ombro para melhorar o processo de cicatrização, além de reduzir a inflamação e a dor.

Óleo de coco

óleo De Coco

As gorduras saudáveis, antioxidantes e outros compostos anti-inflamatórios do óleo de coco também podem ajudar a reduzir o inchaço no ombro e a promover o crescimento muscular da região.

Óleo de sementes de mostarda

O óleo de mostarda morno pode ser aplicado várias vezes por dia para reduzir a dor e a inflamação do ombro, além de também aumentar a força e a mobilidade nessa área.

Gengibre

Gengibre Em Pó

Você pode tanto beber um chá de gengibre, como aplicá-lo cru sobre o ombro.

Os compostos antioxidantee e anti-inflamatórios do alimento são uma excelente escolha para aliviar os sintomas associados à síndrome.

Exercícios para a síndrome

O melhor exercício para a síndrome do ombro congelado é, na verdade, uma combinação de exercícios de alongamento com exercícios aeróbios — a realização do último pode ser perigosa sem a iniciação do anterior.

Comece estendendo o ombro em todas as direções — acima da cabeça, para o lado, atrás de você e em círculos grandes e pequenos.

Praticar exercícios de baixo impacto, como natação ou um extremamente leve levantamento de peso, ajuda a fortalecer a área sem estirar os músculos, tendões e tecidos.

Referências

http://www.tandfonline.com
https://www.ncbi.nlm.nih.gov
http://www.boneandjoint.org.uk
http://ard.bmj.com/content
http://www.sciencedirect.com
http://www.sciencedirect.com/science/article
http://pubs.rsna.org/doi/abs
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1315655/
http://ard.bmj.com/content/43/3/361.short
http://bmjopen.bmj.com/content/3/9/e003452.short
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4781571/
https://www.researchgate.net
http://journals.lww.com/corr/Abstract
http://europepmc.org/abstract/med/5132235
https://www.karger.com/Article/Abstract/323756
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S037887

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade