Ortopedia – Fixadores Externos

Aula gravada de Ortopedia – Fixadores Externos

Essa aula não existe em nenhum livro, nessa aula tem slide meu, tem slide da Itália, da Rússia.
Vcs vão ter conhecimento sobre a metodologia do Professor Lisarov. Ele não se preocupou em vender um fixador externo, ele fez uma metodologia, formulou um conceito.Ele vem desenvolvendo essa metodologia de tratamento do sistema ósseo desde 1950, ninguém no mundo sabia o q ele estava fazendo. Ele estava realmente modificando conceitos ortopédicos, tanto que quando eu voltei de lá eu fiquei um mês sem saber o que fazer da minha vida, todos aqueles conceitos tradicionais… ele preconizava justamente o contrário. Aí vc pensa: o que eu vou fazer com os meus conceitos, o que eu aprendi na faculdade, vale, não vale? Hoje em dia o mundo inteiro teve que aceitar essa metodologia e é clraro que cada vez mais ela vem evoluindo. (Ele ficou mais um bom tempo puxando o saco do Lisarov…..)

Essa é a filosofia dele: eu tenho um fator biológico e um fator mecânico. O que é fator biológico? É a capacidade que tem o organismo de se regenerar, então ele está falando sobre o endósteo e o periósteo. Ele ta falando sobre as células do hematoma do local da fratura. Então o fator biológico é próprio do ser humano. O fator mecânico? Depois da 2ª Guerra os hospitais estavam cheios de pessoas presas nos leitos com trações e o Lisarov pensou: como é que vou tirar essas pessoas dessas camas. Então ele teve uma luz de montar um fixador externo mas de uma forma tal que ele não queria botar só um ferro no comércio. Ele pensou: eu preciso montar um fixador que ao mesmo tempo seja rígido e elástico.Ele sabe que o osso cresce então o osso não é duro, ele tem certa plasticidade. Ele queria bolar um fixador que ao mesmo tempo seguisse o movimento do osso.

Como ele ia fazer isso?
Ele idealizou o fixador circular, ele pensou no cata-vento que quando o vento bate tem uma força centrífuga e no centro do cata-vento não tem movimento. Se eu idealizar um fixador que seja rígido mas que tenha movimento no meio é o que me interressa. Então ele montou um fixador circular em que esse fixador teria contato com o osso através de uma transfixação de um fio, fios cruzados em que esse torniquete é prendido na ponta e força uma tensão.

A partir do momento que eu prendo uma ponta e puxo na outra eu passo a ter uma força centrífuga. Vai ser um fixador firme e que deixa ter movimento no meio do fixador sem mexer com a fratura. Ele queria um “negocio” rígido que tenha movimento em que a fratura não saia do lugar. Ele pensou nesse sistema: uma força centrífuga e que no centro dele eu não tenha movimento, em que eu possa mexer com ele e o osso não vai sair.
Aí ele pensou mais, eu preciso mexer com o osso porque ele tem m grande poder de regeneração. Ele queria mexer nesse osso para que tenha capacidade de crescer, alongar o osso. Então, ele postulou que a tensão em distração estimula a osteogênese e que essa tensão ideal é de 1 mm por dia. Aí o Beller falou que tinha que haver contato ósseo, simplesmente o contrario, mas Lisarov teve que provar isso.
Ele cortou um osso e fez a distração desse osso e verificou que se ele fizesse a distração desse osso ia aparecer osso novo. Então ele pensou o seguinte, se eu tenho um calo ósseo endostal e um periostal eu vou cortar só o osso duro e vou deixar o osso mole, ou seja, eu corto só o periósteo e vou deixar o tutano do osso vivo. Ele conseguiu observar que se ele fizesse a siatração no sentido longitudinal iria aparecer osso, não satisfeito com isso ele puxou lateralmente, aí ele confirmou que o regenerado ósseo passaria a se formar no sentido da distração.

Ele precisava provar que histopatologicamente aquele regenerado era como um osso normal. O prof Lisarov introduziu mais um nome na ortopedia: CORTICOTOMIA que é vc cortar o osso compacto e deixar o osso esponjoso com objetivo de manutenção desse endósteo e esse endósteo seria matéria prima para a formação do calo ósseo.
Daí ele passou a ver também a parte da engenharia do fixador externo. Qual fio que eu tenho que colocar, que diâmetro ideal para o fio, qual a tensão máxima que eu posso colocar nesse fio (a tensão é dada pelo torniquete). Antes só existiam os fios finos então ele inventou essa “bolota” aqui, é chamada de oliva, pra que seve essa oliva? Se eu tenho um osso que não está reduzido, se eu coloco um fio com uma oliva, quando eu puxar o fio, essa oliva vai manter essa redução. Aí ele foi mais longe ainda, esse fixador tem que ter a capacidade de permitir peso e ao mesmo tempo dar movimento. O Beller falou que tinha que ter uma redução rígida, Lisarov fala o contrário: tem que ter um fixador para suportar o peso, o camarada tem que andar (um fixador desses suporta uns 200 Kg). Vc tem que dar movimento no foco de fratura.
O fixador ideal é o que permite carga e movimento, na articulação proximal,distal, vc tem que pisar vc tem que ter movimento no foco de fratura. Tudo é estudado, quantos fios eu vou colocar, aonde vão ser colocados s fios, qual a melhor biodinâmica, aonde eu coloco o fio que pode ter movimento? Aqui que ele mostrou o conceito de biodinâmica que para vc conseguir uma boa estabilidade os dois anéis mediais têm que etar próximos do foco de fratura. Os dois anéis distais longe do foco de fratura. Determinou também a distancia entre o anel e o osso em relação a estabilidade, determinou também que entre um anel e outro depois da estabilização é preciso 4 barras rosqueadas.
Você tem o fixador unilateral, triangular, semi-circular e o circular. Cada um tem sua função. Cabe ao ortopedista saber usar o fixador certo para a patologia correta. O mais complexo é o fixador circular .

Quais são as propriedades fisicas,clinicas e cirúrgicas do fixador?
quando vc coloca um fixador vc deixa livre as articulações distal e proximal aumentando o poder de regeneração, diminui a atrofia muscular e a osteoporose. Na cirurgia estabiliza mesmo, com a presença de defeito ósseo possibilita enxerto, mudança de técnica. Esses defeitos ósseos vcs vão ver que o maior problema na ortopedia é a osteomielite, pq a infecção no osso, o germe come o osso, então, quanto mais tempo passa esse osso fica mais prejudicado, piora mais a qualidade desse osso. Vai chegar a um certo ponto que vc vai ter uma falha óssea. O fixador externo na osteomielite possibilita que vc vá lá e arranque fora o osso. Em termos de ortopedia isso é muito interessante, porque quando vc opera um camarada vc vai lá e coloca parafuso, fecha a pele, vc não pode fazer mais nada. Vc tem que esperar o que vai acontecer. O fixador externo, não. Vc coloca o fixador, transfixa o osso, vcs vão ver que tem dobradiças, no próprio ambulatório vc pode mexer no fixador. Então é uma técnica que me possibilita mudar o meu plano cirúrgico sem ter que anestesiar e sem ter que abrir o camarada. Vc pode comprimir o osso, pode afastar o osso, pode dobrar, angular, rodar o osso. Igual ao “Lego-lego”.
Fratura exposta tardia, queimadura, lesão de partes moles, risco cirúrgico, pseudo-artrose infectada, osteomielite, correção de deformidades, alongamentos, transportes ósseos, tudo coisa sem solução ortopédica, mas que o fixador externo fez uma bagunça aí.

Complicações, tem: infecções no pino, hoje em dia se usa antbioticoterapia profilática.
Mostrou uma menina com tíbia varo e fêmur varo e a menina colocou um monte de fixador e ficou normal. Virou a fita.

Quando vc faz uma corticotomia vc está quebrando o osso vc está promovendo uma fratura então o paciente tem que estar alerta de que ele não pode desistir no meio do caminho, pq vc vai cortar o osso e corrigir esse osso.
Vc consegue alongar 1mm por dia é ¼ de volta a cada 6 horas no parafuso, quem alonga é o paciente. 10mm corresponde a 1cm, 30mm a 3 cm então em um mês vc alonga 3 cm. Não é difícil o alongamento mas o paciente mas o paciente tem que saber que o regenerado demora 9 meses para ter a consistência de um osso normal. Então em qualquer Lisarov que vc coloca o tratamento dura no mínimo 1 ano.

Discute-se muito no Japão para fazer crecimento de baixinho, acontece o seguinte, a pessoa quer crescer, nós latinos não aceitamos muito essa hipótese, porque isso dói e pode trazer seqüelas. Então o camarada é baixinho ou ele anda no meio fio ou ele põe um sapato alto. Quer fazer o alongamento? Cada um custa 30mil dólares , então o pessoal do SUS está fora.
(Ele colocou um fixador na perna e está explicando como ficam os fios e tal) Vc tem que além de estudar a metodologia vc tem que fazer a programação cirúrgica. Tem uns ortopedistas que montam o fixador na hora da cirurgia mas o prof disse que já faz uma pré-montagem porque senão a cirurgia demora muito. O que o Lisarov faz? Vc vai montar o fixador externo aceitando a deformidade e vai cortar esse osso . O fio transfixado vem rasgando a medida que ele rasga para baixo ele regenera em cima, não fica buraco.
(O resto da aula foi só ele mostrando slides de fixadores e contando historinhas)

Informações que lhe podem ser Úteis:

Publicado em 18/02/10

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Esta matéria tem 1 Comentário
  1. Paulo Reply

    O nome do aparelho é Ilizarov e não lizarov…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *