Papaia (Mamão, ababaia): Conheça os maravilhosos Benefícios desta fruta
Fotos Antes e Depois

Papaia (Mamão, ababaia)

Atualizado em 13 Janeiro 2018

Também conhecida como Mamão ou ababaia, a papaia é um fruto tropical que se consome principalmente pela sua polpa, que pode ser alaranjada, doce e sumarenta.

Também se aproveitam as suas sementes secas. Pode-se consumir como fruta fresca, cozida ou em diversos preparados como gelados, refrescos e geleias.

É um alimento baixo em calorias e altamente digestivo.

papaieira a árvore do mamão, papaia

A papaia é um fruto tropical de forma ovada ou de pêra, que mede entre 10 e 20cm e pesa normalmente entre 500 e 1000g, embora possa alcançar os 5kg.

Trata-se de uma baga com a pele fina e de cor entre o verde-amarelado e o laranja. A polpa é vermelha-alaranjada ou amarela, doce e muito sumarenta.

No interior apresenta uma cavidade onde se encontram as sementes, que são de cor negra-acinzentada.

A fruta

Da papaia consome-se tanto a sua polpa como as suas sementes secas. Os frutos maduros consomem-se geralmente como fruta fresca, em rodelas com açúcar e sumo de lima ou em salada de fruta.

As papaias verdes consomem-se cozidas. Também se elaboram diversos produtos como doces, refrescos, gelados e geleias, para além de conservas.

É um produto com um baixo teor calórico, que fornece apenas proteínas e gorduras. É rico em vitaminas A, C e em potássio.

Contém ainda papaína, uma enzima que degrada as proteínas e que torna a papaia um fruto muito digestivo.

Tipos e Variedades de Papaia

Existem numerosas variedades de papaia, que se podem englobar em diferentes tipos varietais, como ‘Cubano’, ‘Paráguanero’, etc. Algumas variedades comerciais são a ‘Solo’, a ‘Betty’ e a ‘Puna’.

Pelo facto da papaieira ser uma planta que se reproduz por sementes, obtiveram-se múltiplas variedades.

Podem-se distinguir diferentes tipos de variedades segundo as suas características agronómicas.

Sementes da papaia

Cubano

Os frutos deste tipo são globosos ou oblongos, de 30-35cm de comprimento e 20-25cm de largura. Podem pesar até 3-4kg, têm a polpa grossa, consistente, cor-de-laranja intenso e de sabor doce.

Paráguanero

Estes frutos são alongados e cilíndricos, de 26cm de comprimento e 14cm de largura. O peso oscila entre 2,5 e 3,5kg. A polpa é alaranjada.

Cartagena

Os frutos são cilíndricos com 40cm de comprimento e 12-20cm de largura. Pesam entre 3,5 e 5kg. A casca é de cor verde clara e a polpa laranja pálido, de sabor doce.

Red

Esta variedade forma frutos globosos, de 20-25cm de comprimento por 12-19cm de largura. O peso oscila entre 1,2 e 2kg. A polpa é vermelha e de sabor doce, com poucas sementes.

Hawaiano

Os frutos são esféricos e pequenos, de 200 a 250g de peso. A polpa é cor-de-laranja pálido e não muito doce.

Algumas variedades comerciais de papaia são a ‘Solo’, a ‘Bluestem’, a ‘Graham’, a ‘Betty’, a ‘Fairchild’, a ‘Rissimee’, a ‘Puna’ e a ‘Hortusgred’.

Existe ainda uma espécie de papaia denominada papaiuela ou papaia silvestre (Carica goudotiana), com cerca de 10cm de comprimento, que se usa no fabrico de calda de açúcar.

A árvore da Papaia chama-se papaieira

A papaieira ou papaia é um arbusto que cresce rapidamente, alcançando em pouco tempo os 10m de altura. O caule é delgado, erecto e de cor acinzentada.

Apresenta folhas grandes, formadas por vários lóbulos.

Distinguem-se três tipos de papaieira, umas com flores femininas, outras com flores masculinas e outras que formam flores hermafroditas.

O fruto é uma baga grande, de cor amarelada com uma polpa doce e sumarenta.

árvore da papaia com frutos em Cáceres, no Brasil

A papaia pertence à família das Caricáceas, e o seu nome científico é Carica papaia. Trata-se de uma planta herbácea gigante, que cresce rapidamente e tem uma vida curta.

O caule é delgado, erecto, cilíndrico, suave, esponjoso, sumarento, oco, de cor cinzenta e geralmente único, embora algumas vezes se ramifique.

Mede entre 2 e 10m de altura, e 10-30cm de diâmetro. Encontra-se endurecido pela presença de grandes cicatrizes causadas pela queda de folhas e inflorescências.

As folhas aparecem alternas e aglomeradas no ápice do tronco e ramos e têm um pecíolo longo característico. Medem entre 25 e 75cm de diâmetro e são formadas por 7-11 lóbulos grandes.

A parte superior da folha é verde escuro ou verde-amarelado e brilhante, enquanto que a página inferior é verde-amarelado pálido.

O pecíolo é comprido, medindo uns 25-100 cm de comprimento e 0,5-1,5cm de diâmetro.

As plantas desta espécie podem ser de três tipos: umas só dão flores femininas, outras apenas masculinas e outras formam flores hermafroditas.

O fruto é uma baga de forma ovóide ou de pêra, grande, carnosa, sumarenta e de cor verde-amarelada, amarela ou amarela-alaranjada.

A polpa é alaranjada ou avermelhada, com numerosas sementes. Pode medir entre 10 e 25cm de comprimento e mais de 15cm de diâmetro.

Origem e Produção da Papaia

papaia MAMÃO

A papaia é originária da América Tropical, onde era cultivada antes da descoberta da América.

Dali foi levada para outras zonas, pelos espanhóis, e actualmente cultiva-se em zonas tão longínquas como Austrália, África e América.

A papaia é originária da América Tropical, onde era cultivada antes da chegada de Colombo. Dalí os navegantes espanhóis expandiram a cultura a outras zonas.

Atualmente cultiva-se em regiões tão diferentes como Hawai, Austrália e África do Sul.

Hoje em dia as papaias são cultivadas sobretudo na América do Sul, seguida da Ásia e de África, como se pode observar no quadro em baixo:

  Continente   Toneladas   %
  África   1.021.615   14
  Ásia   1.642.760   23
  Oceânia   18.708   –
  América do Norte   792.296   11
  América do Sul   3.752.056   52
  Total   7.227.435   100

Fonte: Anuário FAO de Produção (2000)

No quadro seguinte encontram-se os 10 principais países produtores de papaia.

O primeiro é o Brasil, com aproximadamente 45% da produção total, a que se segue a Nigéria, a Índia, o México e a Indonésia.

  País   Toneladas
  Brasil   3.300.000
  Nigéria   748.000
  Índia   644.000
  México   636.119
  Indonésia   450.009
  Congo   213.000
  China   179.443
  Perú   165.000
  Tailândia   119.000
  Venezuela   89.522

Fonte: Anuário FAO de Produção (2000)

Entre os países exportadores de papaia, o principal é o México, seguido da Malásia e do Brasil, como se observa no quadro seguinte:

  País   Toneladas
  México   59.959
  Malásia   37.000
  Brasil   15.709
  Estados Unidos   5.939
  Belize   4.300
  Países Baixos   2.788
  Jamaica   2.600
  Índia   2.505
  Guatemala   2.200
  Gana   1.374

Fonte: Anuário FAO de Comércio (1999)

Mês de colheita – disponibilidade no mercado
A papaia encontra-se disponível durante todo o ano, já que se cultiva em países com ciclos de produção diferentes.

Países como Espanha e França importam este fruto sobretudo do Brasil, Costa Rica e Costa do Marfim, entre outros.

A papaia é um fruto que se encontra nos mercados durante todo o ano, porque se produz em diferentes países e existe uma grande diversidade de variedades.

O mercado espanhol é fornecido principalmente pelo Brasil e Costa Rica, enquanto que ao francês chegam papaias provenientes sobretudo da Costa do Marfim e Brasil, seguidos do Burundi, México e Jamaica.

Em Portugal cerca de 90% das papaias importadas têm origem no Brasil.

No quadro em baixo indicam-se os principais países que exportam para o mercado do Reino Unido, assim como as datas de importação e o peso das embalagens usadas.

  País de origem   Disponibilidade   Peso das embalagens
  Bangladesh   Maio-Outubro   Vários
  Barbados   Todo o ano   4kg
  Belize   À experiência   Vários
  Brasil   Todo o ano   4/5kg
  8/12 peças
  Ilhas Canárias   Janeiro-Março   5kg
  Chile   Todo o ano   Vários
  Colômbia   Abril-Junho e Outubro-Janeiro   Vários
  Costa Rica   Todo o ano   4,5lg
  9/14 frutos
  Costa do Marfim   Todo o ano   4kg
  República Dominicana   Maio   Vários
  Fiji   Outubro-Fevereiro   Vários
  Gâmbia   Todo o ano   5kg
  Gana   Todo o ano   4kg
  Hawai   Fevereiro-Novembro   5kg
  Israel   Novembro-Janeiro e Maio-Agosto   5kg
  Jamaica   Todo o ano   4,5kg
  Quénia   Todo o ano   4kg
  Malásia   Todo o ano   5kg
  México   À experiência   4kg
  Nigéria   Outubro-Abril   10kg
  África do Sul   Novembro-Maio   4kg
  6/10 frutos
  Espanha   Julho-Setembro   4kg
  Tailândia   Todo o ano   12 frutos
  Turquia   Esporadicamente   Vários
  Uganda   À experiência   Vários
  Venezuela   Setembro-Fevereiro   4/4,5kg
  6/14 frutos

Fonte: Fresh Produz Desk Book (1998)

Regulamentações na comercialização de papaia
A ONU estabeleceu normas de qualidade, de referência e não de cumprimento obrigatório, para a comercialização da papaia.

Segundo estas normas, todos os frutos devem apresentar-se sãos, inteiros, limpos e quase sem danos causados por pragas e isentos de cheiros ou sabores estranhos.

Segundo a qualidade que apresentem, os frutos classificam-se em três categorias, Extra, I e II. As papaias calibram-se em função do peso.

A qualidade comercial das papaias está regulamentada pela norma CODEX STAN 183-1993 da ONU, norma esta de referência e não obrigatória.

Segundo esta norma, as papaias devem-se comercializar inteiras, firmes, frescas, sãs, limpas, praticamente livres de danos causados por pragas, isentas de danos causados por baixas temperaturas e sem humidade exterior anormal, nem cheiros ou sabores estranhos.

O estado dos frutos deve ser tal que permita a sua manipulação e transporte de modo a chegarem em condições satisfatórias ao seu destino.

Categorias

A papaia classifica-se em três categorias segundo a sua qualidade.

Categoria Extra: estes frutos são os de melhor qualidade. Devem estar livres de defeitos, à excepção de alguns superficiais muito ligeiros.

Categoria I: estas papaias podem apresentar ligeiros defeitos de forma, de cor ou de pele, sempre que a superfície afectada não exceda 3% do total.

Em caso algum estes defeitos podem afectar a polpa.

Categoria II: neste caso são permitidos defeitos de forma e cor e defeitos na epiderme, desde que não afectem mais de 10% da superfície.

O calibre é determinado pelo peso de cada fruto, sendo o peso mínimo exigido de 200g. Os calibres determinam-se do seguinte modo:

  Código de calibre   Peso (em gramas)
  A   200-700
  B   700-1.300
  C   1.300-1.700
  D   1.700-2.300
  E   mais de 2300

Admitem-se tolerâncias de calibre e de categoria dos frutos de uma embalagem.

Assim, permite-se que 5% das papaias de uma embalagem de categoria Extra não cumpram os requisitos exigidos.

Para as restantes categorias esta percentagem é de 10%.

No que respeita ao calibre, admite-se para a categoria Extra que 5% dos frutos não tenham o peso exigido.

Nas demais categorias admite-se uma tolerância de 10%.

O conteúdo de cada embalagem deve ser homogéneo e conter papaias da mesmo origem, variedade, categoria e calibre.

No caso da categoria Extra, a cor e a maturação devem ser uniformes. As papaias devem ser embaladas em materiais limpos, novos e sem substâncias que possam alterar o produto.

Em cada embalagem deve-se indicar claramente o nome do embalador, a variedade, o país de origem, a categoria, o código de calibre, e opcionalmente o número de unidades e o peso líquido.

Esta norma pode-se consultar na íntegra na direcção da Internet ( http://www.fao.org/codex/standard/volume5b/em/CX_183e.pdf )

Critérios de qualidade

Gestão atmosferica pós colheita

As condições óptimas de conservação para a papaia são uma temperatura entre 7 e 13ºC, segundo o estado de maturação, e uma humidade de 90-95%.

Pode-se aplicar etileno para acelerar e uniformizar a maturação. Também se podem efectuar tratamentos com calor para eliminar insectos.

As condições óptimas de conservação da papaia variam segundo o estado de maturação em que se colhem. Se são colhidas verdes ou com um quarto da sua superfície amarela devem-se manter a 13ºC.

Se estão parcialmente maduras (entre ¼ e ½ da sua superfície está amarela), a temperatura deve baixar a 10ºC. Se estão maduras (mais de metade da pele amarela) a temperatura óptima é de 7ºC.

A humidade relativa óptima em todos os casos é de 90-95%.

A papaia responde à aplicação de etileno.

A exposição a uma atmosfera com 100ppm deste gás, entre 20 e 25ºC e com uma humidade de 90-95% durante 24-48 horas, torna a maturação mais rápida e mais uniforme.

A utilização de atmosferas modificadas pode atrasar a maturação e melhorar a firmeza do fruto. As condições óptimas são de 3-5% de oxigénio e 5-8% de dióxido de carbono.

Nestas condições e com uma temperatura de 13ºC podem-se conservar até 5 semanas, enquanto que em atmosfera normal o máximo é de 4 semanas.

Existem vários métodos de tratamentos de calor para controlar os insectos:

Água quente: 30 minutos a 42ºC, seguidos de 20 minutos a 49ºC.
Vapor de água: após se atingir uma temperatura de 44,4ºC o tratamento prolonga-se por mais 8 horas.
Ar quente: a intervalos de duas horas colocam-se as papaias a temperaturas de 43ºC, 45ºC, 46,5º e por último a 49ºC.

Problemas pós colheita

As papaias podem sofrer diferentes problemas, tais como alterações fisiológicas durante a sua conservação produzidas por um excesso de frio ou calor.

Também podem ser afectadas por doenças como Colletrotichum gloesporioides, Poma caricae-papayae, Phomopsis caricae-papayae e Phytophthora nicotianae.

Entre os diversos problemas que podem afectar as papaias durante a conservação estão os danos mecânicos e diversas alterações fisiológicas e doenças.

A pele da papaia é delgada e oferece uma protecção escassa; facilmente se danifica por fricções, golpes ou cortes.

Entre as alterações fisiológicas podemos encontrar:

Abrasão da pele: caracteriza-se pelo aparecimento de zonas que ficam de cor verde ao amadurecer e que se rompem, acelerando a perda de água.

Danos causados pelo frio: a epiderme fica ondulada e com manchas, ocorre maturação desigual, escaldão da pele e aparecem áreas endurecidas na polpa que se torna aquosa.

As papaias verdes são mais susceptíveis do que as maduras.

Danos causados pelo calor: se as papaias são expostas a temperaturas acima dos 30ºC, durante mais de 10 dias, produzem-se alterações como maturação irregular e amolecimento excessivo.

Estes danos são minimizados com um arrefecimento rápido a 13ºC após o tratamento pelo calor.

Entre as doenças que afectam a papaia durante a conservação podemos encontrar as seguintes:

Antracnose: o agente causal é o fungo Colletrotichum gloesporioides e é a principal causa de perdas após a colheita. Produz lesões pequenas, castanhas e superficiais que podem alcançar 2,5cm ou mais.

Poma caricae-papayae: é um fungo que afecta o pedúnculo do fruto, que se torna castanho ou negro.

Phomopsis caricae-papayae: afecta o fruto e a pele fica negra e mole.

Phytophthora nicotianae: é um fungo que produz zonas aquosas no fruto que posteriormente se cobrem de micélio branco.

As estratégias de controlo destas doenças passam por uma manipulação cuidadosa para reduzir os danos mecânicos, arrefecer o produto o mais cedo possível, aplicar fungicidas como tiabendazol e submergir os frutos em água quente a 49ºC durante 20 minutos.

Benefícios para a saúde

A planta da papaia dá frutos durante todo o ano, pelo que é uma fonte de uma série de nutrientes (especialmente vitamina C, provitamina A, vitamina A, cálcio e hidratos de carbono), importante para países tropicais sub-desenvolvidos.

Os principais hidratos de carbono que se encontram no fruto são os açúcares, existindo pequenas quantidades de amido nos frutos maduros.

A cor da polpa da papaia madura deve-se aos carotenoides.

Considera-se que a vitamina C e os carotenóides podem reduzir o risco de contrair diversos tipos de cancro, quando se consumem como parte de uma dieta rica em frutas e hortaliças.

Contudo, não existem provas de que estes compostos isoladamente tenham o mesmo efeito. As papaias também são ricas em criptoxantina, licopeno, fitoeno, ferro, magnesio e zinco.

Tradições populares

A papaia é um alimento adequado para dietas de emagrecimento, pois é baixa em calorias, sacia e é laxante. É um estimulador da digestão e um alimento fácil de consumir pelas pessoas que têm problemas de dentes.

Dado o seu baixo teor calórico, a papaia é muito utilizada em dietas de emagrecimento. É também um alimento que sacia e é laxante.

Contém a enzima papaína que activa a digestão, e o consumo de papaias verdes é recomendado às pessoas que sofrem de problemas de estômago e digestões pesadas. No entanto, as grávidas necessitam de alguma moderação no consumo de papaia verde, uma vez que esta é abortiva.

Como a polpa é muito fácil de mastigar e tragar, é um alimento ideal para pessoas doentes ou com problemas de dentes.

As sementes de papaia moídas são usadas como vermifugo.

flores de mamão.

5 Comentários no Fórum

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *


  1. depois de tantas leituras sobre o seguinte resultado que obtemos na pesquisa de estudo sobre a papaieira

  2. Boa Tarde,
    uma pergunta a papaia ajuda na cura da garganta inflamada garganta inflamada. É que eu estou com a garganta inflamada, e estamos em crise, nao queria gastar muito dinheiro nos medicos e em medicamentos.
    poderiam responder o mais rápido possivel.

  3. A papaia é sem dúvida um dos meus frutos de eleição, adoro o seu sabor, a cor e a textura!!!!!!

  4. gostaria de receber mais artigos sobre a secagem da papaia, assim como a difernca entre a secagem em secador de tabuleiro e secador de leito fluidizado

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade