A Poeira da Casa Provoca Aumento de Peso: Dizem os Resultados Chocantes de um Estudo!

O pó existente na sua casa está fazendo você engordar, diz estudo!

Eu sei que pode parecer rebuscado, mas aquelas pequenas bolinhas de pó que se escondem por baixo do seu sofá abrigam muito mais do que os desagradáveis pêlos de animais e pedaços microscópicos de sujidade.

Poeira Da Casa Está Fazendo Você Engordar, Diz Estudo

Um estudo realizado em 2017, publicado na Environmental Science & Technology, sugere que os produtos químicos domésticos que se escondem no pó podem atuar como obesogénicos – compostos promotores da obesidade, que estimulam o armazenamento de gordura no corpo.

Na verdade, a exposição ao pó pode ser suficientemente poderosa para perturbar a saúde metabólica, especialmente das crianças.

A exposição durante fases críticas do desenvolvimento poderá fazer a pessoa ganhar peso e ficar obesa, décadas depois.

É possível que o seu peso seja determinado por mais do que a simples equação “entrada de calorias, saída de calorias”? Parece que sim.

A poeira doméstica pode estar aumentando a sua gordura corporal: Diz estudo!

A Poeira Doméstica Pode Estar Aumentando Sua Gordura Corporal

É evidentemente claro que ingerir demasiadas calorias e passar muito tempo sentado pode conduzir ao excesso de peso.

E o que dizer da poluição que se esconde no pó do interior de casa? Bem, isso também poderá ser um fator.

Quando você pensa verdadeiramente nisto, certamente se aperceberá que todos somos um género de cobaias nesta grande experiência, uma vez que a maioria dos nossos antepassados não teve que lidar com este tipo de exposições.

Na verdade, o uso de químicos explodiu após a Segunda Guerra Mundial.

Desde então, fomos bombardeados com mais de 80 mil produtos químicos. (1)

Apenas cerca de 20.000 desses produtos foram testados em relação aos seus impactos a longo prazo sobre a saúde humana.

Muitos deles são ou suspeita-se que são disruptores hormonais. (2)

A geração atual enfrenta exposições sem precedentes.

Na década de 1970, a produção de plástico global rondava as 50 milhões de toneladas.

Hoje em dia, são produzidas cerca de 300 milhões de toneladas! As vendas atuais da indústria química atingem os 4 trilhões de dólares por ano.

Com o aumento da utilização, também se tem detetado a presença de substâncias químicas disruptoras hormonais no sangue humano, na gordura, no sangue do cordão umbilical e também na urina.

Não surpreende que, à medida que mais produtos químicos são libertados no meio ambiente, se assista a um expressivo aumento dos problemas de saúde relacionados com o sistema endócrino, em seres humanos e em animais. (3)

Até Mesmo Quantidades Minúsculas De Pó Pode Ter Um Efeito Mensurável Sobre As Células De Gordura

O recente estudo da Universidade de Duke analisou a forma como o pó da casa provoca aumento da gordura corporal, observando amostras de pó doméstico, e descobriu in vitro que mesmo pequenas quantidades de disruptores endócrinos presentes no pó fazem com que as células adiposas dos ratos acumulem mais gordura. (4)

Estes produtos químicos são encontrados em todo o lado, desde os ftalatos das cortinas do chuveiro, dos purificadores de ar e das velas aos retardantes de chama presentes nos sofás e nos dispositivos eletrónicos.

Os efeitos tóxicos do BPA (Bisofenol A) também são encontrados em certos plásticos, alimentos enlatados e recibos das caixas registadoras.

Estes produtos químicos acabam rapidamente no pó doméstico que pode ser inalado, absorvido ou ingerido.

O estudo pioneiro demonstrou alguns resultados reveladores: (5)

Depois de recolher e testar amostras de pó do interior de 11 casas dos EUA, os cientistas expuseram as amostras às células de gordura dos ratos.

Sete das 11 amostras fizeram com que as células pré-adiposas se transformassem em células de adiposas maduras.

Nove amostras de pó fizeram com que as células se dividissem, produzindo uma maior quantidade de células de gordura.

A piraclostrobina (um agente fungicida), o retardante de chama TBPDP e o plastificante DBP geraram os efeitos mais potentes na produção de gordura.

Quantidades de pó tão baixas como 3 microgramas causaram efeitos mensuráveis.

A Agência de Proteção Ambiental dos EUA estima que as crianças ingeram muito mais do que essa quantidade diariamente.

De acordo com os investigadores do National Institute of Environmental Health Sciences, os químicos disruptores hormonais “interferem com a síntese, secreção, transporte, atividade ou eliminação das hormonas naturais.

Esta interferência pode bloquear ou mimetizar a ação hormonal, causando uma ampla gama de efeitos.” (6)

Aqui fica uma lista dos problemas de saúde associados à exposição a produtos químicos disruptores hormonais:

Como evitar que os produtos químicos comuns se infiltrem no pó?

Aspiradores com filtros HEPA. Verifique se o seu aspirador está equipado com um filtro HEPA e tire-o para fora.

Você poderá querer investir num filtro de ar de alta qualidade, como um da IQ Air. (Cuidado com os que criam ozono)

Tire o calçado à porta. Isto ajuda a reduzir a quantidade de pesticidas que você arrasta para o interior de casa.

Evite o vinil e os aromas sintéticos. Os ftalatos disruptores hormonais escondem-se em pavimentos de vinil e de plástico e em perfumes falsificados.

Use óleos essenciais orgânicos puros ou opte por produtos sem fragrâncias. Abandone também as velas perfumadas. Em vez disso, use cera de abelha.

Exija leis químicas mais firmes. É por demais evidente que as leis da sua cidade/País não estão a proteger os seus cidadãos dos produtos químicos, incluindo aqueles que provocam disrupção hormonal.

Essas leis permissivas custam também muito dinheiro aos contribuintes.

Para termos uma ideia, a exposição a longo prazo e de baixo nível a produtos químicos disruptores hormonais custa só aos Estados Unidos anualmente cerca de 340 bilhões de dólares em cuidados de saúde e perda de salários. (7)

Pensamentos finais

Um estudo conduzido pela Universidade de Duke descobriu que a exposição a pequenas quantidades de substâncias químicas disruptoras hormonais, comumente encontradas no pó, pode estimular as células adiposas a armazenar mais gordura.

Muitos destes produtos químicos disruptores hormonais são conhecidos como “obesogénicos”.

A exposição a disruptores hormonais em fases críticas do desenvolvimento pode reprogramar o sistema endócrino do corpo de forma anormal e nociva para a saúde.

Por vezes, uma exposição precoce não se traduz em doença até décadas mais tarde.

As indústrias lançaram para o meio ambiente cerca de 80.000 produtos químicos artificiais diferentes, desde a Segunda Guerra Mundial.

Contudo, apenas cerca de 20.000 foram testados para determinar o seu impacto a longo prazo na saúde humana.

As leis químicas atuais não nos protegem adequadamente dos produtos químicos disruptores hormonais.

O acentuado aumento da utilização de produtos químicos é acompanhado por um significativo aumento das doenças relacionadas com o sistema endócrino.

São necessárias leis melhores para manter os produtos químicos tóxicos verdadeiramente afastados das nossas casas, da água que bebemos, do ar e do solo.

Até que isso aconteça, você poderá concentrar-se em comer alimentos frescos em vez de enlatados.

Diga não a recibos banais emitidos por caixas registadoras, evite o plástico sempre que possível e procure mobília produzida sem produtos químicos retardantes de chama.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 01/10/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 1/10/2018 às 12:27 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)