Polimialgia Reumática e Arterite de Células Gigantes

Revisado por Equipe Editorial a 11 fevereiro 2010

POLIMIALGIA REUMÁTICA E ARTERITE DE CÉLULAS GIGANTES – SINTOMAS, CAUSAS E CARACTERISTICAS DO DIAGNOSTICO
Geralmente pacientes com mais de 50 anos de idade.
A polimialgia reumática caracteriza-se por dor e rigidez (com frequência matinal), mas não fraqueza, dos cíngulos do ombro e pelve durante no mínimo 1 mês, sem qualquer evidência de infecção ou câncer.
Associada à febre, pouca ou nenhuma tumefação articular, velocidade de hemossedimentação > 40mm/h e resposta abrupta à
prednisona, 15 mg/dia.
A arterite de células gigantes (ou temporal) frequentemente coexiste com a polimialgia reumática; cefaléia, claudicação da
mandíbula ou hipersensibilidade da artéria temporal.
Alterações visuais monoculares representam emergências médicas; a cegueira é permanente.
Confirmação diagnóstica pela biopsia de 5 cm da artéria temporal permanece confiável durante 1 a 2 semanas após a instituição dos esteróides.

DIAGNOSTICO DIFERENCIAL
. Mieloma múltiplo
. Infecção crônica, por exemplo, endocardite, abscesso visceral
. Neoplasia
. Artrite reumatóide
. Depressão
. Mixedema
. Placa carotídea com amaurose fugaz embólica
. Arterite de Takayasu da carótida

POLIMIALGIA REUMÁTICA E ARTERITE DE CÉLULAS GIGANTES TRATAMENTO
Prednisona, 10-20 mg/dia, para polimialgia reumática.
Prednisona, 60 mg/dia, imediatamente em caso de suspeita de arterite temporal; tratar durante pelo menos 4 meses, de acordo com a resposta dos sintomas não da velocidade de hemossedimentação.
O metotrexato ou a azatioprina poupam esteróides em alguns pacientes que apresentam efeitos colaterais com altas doses.

Dica
Instruir o paciente com polimialgia reumática para levar sempre consigo 60 mg de prednisona; ele deve tomar imediatamente o medicamento se houver qualquer sintoma visual.
Referência
Weyand CM, Goronzy JJ: Giant-cell arteritis and polymyalgia rheumatica