Problemas Sexuais femininos e Masculinos

Soluções e tratamentos para Problemas Sexuais femininos e Masculinos – Para uma sexualidade feliz.

Quando o prazer ou o desejo sexual desaparecem da relação, quantos casais simplesmente não abdicam da sexualidade?

No entanto, existem várias soluções médicas, tratamentos esses que podem ajudá-la e ao seu companheiro a reencontrar o caminho do sétimo céu.

Disfunções sexuais femininas e masculinas

A sexualidade é um dos prazeres da vida. Indispensável à plenitude pessoal, desempenha um papel preponderante na harmonia do casal.

Neste domínio, nenhum problema deve ser subestimado. Não seja negligente, julgando que, com o tempo, tudo se resolverá.

Pelo contrário, deve reagir tão depressa quanto possível evitando, no entanto, dramatizar uma pequena dificuldade que possa surgir.

Graças à ajuda de um especialista, a sua vida amorosa irá recuperar o equilíbrio de que precisa.

Passemos, então, em revista as perturbações mais frequentes na mulher e no homem e as diversas soluções de tratamento que a medicina apresenta.

Problemas sexuais femininos

Primeiras relações sexuais, menopausa, gravidez… A mulher pode sofrer vários tipos de perturbações em cada etapa da sua vida. Vejamos quais e os respectivos tratamentos.

Dicas e soluções de tratamento para:

Problemas sexuais masculinos

Também o homem conhece altos e baixos e, de modo geral, reage mal às suas falhas sexuais ainda que ocasionais, tanto mais que lhe é difícil fingir.

Passemos em revista as principais preocupações sentidas na cama e os meios eficazes de as resolver.

Dicas e soluções de tratamento para:

Extras para mulheres e homens

Quem deve consultar?

O ginecologista: É o médico especialista do aparelho genital feminino.

Trata de determinados problemas orgânicos (as perturbações da menopausa, por exemplo) e pode orientar a paciente para um psicólogo ou um sexólogo se as preocupações forem do foro psicológico.

Determinados ginecologistas têm também formação psicossomática e estão aptos a ouvir a mulher e a tratar deste tipo de problemas.

O urologista: Este especialista do aparelho urinário costuma tratar dos problemas sexuais do homem bem como das doenças do aparelho genital masculino.

A sua área está mais vocacionada para os problemas de origem orgânica como a impotência resultante de um tratamento médico ou cirúrgico.

A maior parte dos hospitais dispõe de consulta de urologia e pode, também, pedir ao seu médico de família que o encaminhe para um especialista da sua confiança.

O andrologista: Na maior parte dos casos, trata-se de um ginecologista ou urologista com formação complementar no domínio da sexualidade masculina.

É um pouco, o equivalente ao ginecologista mas para os homens, já que pode tratar de todas as perturbações sexuais masculinas.

O sexólogo: Este médico fez uma formação complementar sobre a sexualidade do casal e todos os problemas a ela associados.

Pode, assim, tratar as dificuldades sexuais dos dois parceiros, do ponto de vista físico e psicológico.

3 PERGUNTAS a Mafalda Margarido, Psicóloga Clínica

O homem e a mulher vivem a sexualidade da mesma maneira?

Não. O homem e a mulher vivem a sexualidade de forma diferente e isto a vários níveis.

Para começar, podemos mencionar as características físicas de um e outro sex0 que necessariamente implicam vivências distintas.

A importância dada aos órgãos dos sentidos é diferente no homem e na mulher, logo, a sensibilidade é diferente.

Por exemplo, nas mulheres, um dos sentidos mais valorizados é o olfacto, sentido este que está relacionado com a afectividade, enquanto que os homens valorizam mais o visual.

Algumas mulheres não têm orgasmo vaginal. É normal?

É normal e é muito frequente. De facto, cada vez há mais mulheres a queixarem-se deste problema.

Hoje em dia o orgasmo e o prazer encontram-se na ordem do dia.

Existe uma grande pressão social e verifica-se a difusão de ideias feitas como por exemplo, aquela de que o que é bom é determinado tipo de comportamento e determinada performance.

Estas ideias feitas, veiculadas pelos media, vão influenciar o que é normal e o que não é normal.

O que não deve ser considerado normal é uma mulher não ter orgasmo de todo.

Qual a importância dos preliminares para atingir o orgasmo?

Os preliminares ligam-se à excitação e são importantes, mas podem não ser necessários, isto é, podem contribuir para o orgasmo mas não obrigatoriamente.

Podem ajudar a atingir esse fim, mas não se deve fazer disso uma obrigação.

Conheça » 4 Problemas Sexuais Que Todas as Mulheres Devem Conhecer

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Esta matéria tem 3 Comentários
  1. marta Reply

    Tenho um problema n consigo sentir orgasmo na penetraçao , so na mastubaçao do clitores .o q faço

  2. paula Reply

    oi sou casada a sete anos, o meu problema é que nunca tive um orgasmo sem o toque só com a penetraçao, perdi minha virgindade aos doze anos nao sei se isso atrapalhou alguma coisa! se poderem me responder ajudando agradecerei muito, obrigada.

  3. carlos magalhaes Reply

    tenho um problema e gostava de saber como o posso resolver o problema e que eu tenho uma relasao com a minha namorada e so penetro e 5 minutos depois venho me logo e eu fico lixado ha algum nao esta corretoajdem me

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:12 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)