Produtos naturais de origem marinha

Produtos naturais de origem marinha aplicados na cosmetologia.

Na procura constante de novos ingredientes para a utilização em cosméticos, as águas termais, assim como a água do mar e os seus constituintes ou derivados, têm tido um papel de destaque. As algas e os tratamentos de lama são também cada vez mais usados. O blog fotosantesedepois.com diz-lhe os principais benefícios da água e de produtos marinhos ao serviço da cosmética.

Produtos Naturais de Origem Marinha

ÁGUA

A água, e em particular a , é considerada essencial à vida no nosso planeta.

Contém todas as substâncias necessárias e propícias ao desenvolvimento do ser vivo (minerais, plásticos ou constitucionais, catalisadores, vitaminas, aminoácidos, materiais radioactivos, etc.).

A água do mar tem uma acção reconhecida no tratamento de eczemas, dermatoses, psoríase, inflamações da nasofaringe, de algumas formas de conjuntivite, vulvovaginites e outras infecções dos órgãos genitais externos.

Em Cosmetologia também tem sido utilizada na hidratação da pele, com bons resultados, tornando-a mais firme.
Permite obter um bronzeado mais uniforme e regulariza a produção sebácea ao nível dos folículos pilosos, evitando a consequente formação de descamação do couro cabeludo (caspa).

O interesse da água do mar e o seu papel na penetração dos oligoelementos através da pele quando o corpo se encontra mergulhado e submetido a uma temperatura adequada (> 34º C) foi amplamente demonstrado e apro-veitado nos Centros de Talassoterapia.

Esse banho poderá decorrer de forma passiva (água imóvel) ou de forma activa (água em movimento, com jactos).

Várias substâncias poderão ser adicionadas na ocasião para dar o carácter específico desejado: algas frescas ou tratadas, sais marinhos, lamas, preparados ricos em componentes orgânicos e minerais.

Estão reconhecidos e com uma aceitação muito grande por parte dos consumidores os sais do «Mar Morto», que promovem um tratamento cosmético com incidência na prevenção do envelhecimento cutâneo.

Actualmente, é possível aproveitar os benefícios de um tratamento de água do mar e prolongar os seus efeitos mesmo fora dos Centros de Talassoterapia, recorrendo à alternativa da Balneoterapia.

A Balneoterapia consiste na imersão do corpo em banheiras adequadas ou especiais, com jactos de água dirigidos ou com movimentos que devido à sua pressão modulável exercem uma estimulação muscular e uma consequente drenagem linfática.
Estão implicados neste processo três tipos de acção: a acção mecânica, a acção térmica e a acção química.

AS ALGAS

A utilização de algas e seus derivados nas preparações cosméticas, como sejam cremes, geles, champôs e outros, já está muito difundida.
Iremos recordar, no entanto, o papel das mucilagens provenientes das algas marinhas.

As mucilagens são polissacáridos heterogéneos que quando colocados em contacto com a água formam soluções coloidais emolientes, viscosas, sem serem adesivas.Os alginatos são extractos de algas castanhas (feofíceas) do género das laminárias, enquanto que os carragaens e o agar são extractos obtidos de certas algas vermelhas (rodofíceas).Descobertos nos finais do século XIX, os alginatos são explorados a partir dos anos 30 na América do Norte, depois pelo Reino Unido, Noruega, França…Presentes na quase totalidade das algas castanhas, a sua extracção faz-se principalmente dos géneros macrocystis (América do Norte) e laminaria (Europa).

A indústria dos carragaens também se desenvolveu nos anos 50, tendo como principais países produtores a França e os Estados Unidos. Os géneros explorados são chondrus, gigartina, euchema e iridea (algas vermelhas). O agar foi descoberto no Japão no século XVII. A sua exploração industrial iniciou-se no século XVIII, permanecendo monopólio japonês até à Segunda Guerra Mundial.São as algas vermelhas dos géneros gelidium e gracilaria que fornecem a matéria-prima essencial.As algas castanhas, em particular a bodelha (Fucus vesiculosus), têm ainda a particularidade de acumularem uma porção apreciável de iodo da água do mar, que se fixa nos talos sob a forma de iodeto de sódio.

O iodo contido no fucus é facilmente absorvido pelo organismo e vai concentrar-se na tiróide, de onde é incorporado nas respectivas hormonas, que irão, por sua vez, estimular o metabolismo basal.
Esta propriedade, aliada aos efeitos emolientes, é aproveitada nos tratamentos anticelulíticos.O ácido algínico, poliurónico constituinte principal das paredes celulares, comporta-se como um ácido fraco e forma sais solúveis ou insolúveis consoante a base de neutralização (bases alcalinas ou alcalinoterrosas).O alginato de sódio produz na água soluções de alta viscosidade, sendo utilizado na indústria e em particular na preparação de pastas dentífricas.Para além das algas com mucilagens, o mar oferece ainda uma infinidade de produtos que fornecem uma preciosa ajuda no campo cosmético e dermatológico.Para além das propriedades referidas, que justificam a sua utilização em muitas das preparações cosméticas, estes produtos apresentam ainda uma qualidade que os torna muito úteis em dermatologia clínica: transportam os princípios activos contidos num produto tópico, portanto, são capazes de transpor a barreira epidérmica.

O iodo principalmente, mas ainda outras substâncias presentes, quando aplicados topicamente através de um creme à base de algas castanhas (nomeadamente se se recorreu ao processo da microexplosão celular), podem ser detectadas no aparelho circulatório 10 minutos após o momento da sua aplicação.Nos últimos anos têm sido utilizadas várias espécies de algas na preparação de cosméticos.
A Macrohystis pyrifera, uma das maiores algas conhecidas, pertencente à família da laminária, apresenta, quando reduzida a pó, propriedades reguladoras da secreção sebácea.Atribui-se à magnífica alga vermelha do Oceano Atlântico, a Rhodymenia palmária, propriedades redutoras da transpiração, qualidades particularmente importantes no campo dos antitranspirantes corporais.As algas Delissiria sanguínea e Undaria pinnatífida apresentam efeitos notáveis sobre a tonificação e hidratação da pele, assim como uma acção anti-rugas.A Dunaliella salina, alga verde unicelular, é uma fonte de provitamina A ou beta-caroteno, cujo papel no aumento da acuidade visual ou mesmo como preventivo da degeneração celular é extremamente importante.
Os preparados contendo extractos desta alga comportam-se como estimuladores da regeneração celular a nível da epiderme ou do tecido conjuntivo dérmico.Parece igualmente ter a propriedade de estimular a produção de melanina, pigmento protector natural das radiações solares, e ainda uma certa capacidade antioxidante por neutralização dos radicais livres, considerados actualmente como sendo os maiores causadores do envelhecimento cutâneo.

A indústria dos corantes dedica um interesse muito particular na extracção de pigmentos vermelhos que existem em abundância nas algas Plocanium coccineum (rodofíceas).Este pigmento vai permitir obter tonalidades de vermelho nos cosméticos, mantendo, no entanto, segurança e inocuidade.
Existem, no entanto, dificuldades técnicas quanto à sua estabilidade (química, microbiológica e galénica).Uma conservação deficiente pode dar origem a modificações de ordem física e química e apresentar alterações do aspecto ou das propriedades específicas.A indústria vai tirar ao mar uma enorme variedade de matérias-primas de origem orgânica ou mineral: equinodermes, crustáceos, moluscos, conchas, ovos, peixes, etc. constituem fontes das mais variáveis substâncias com interesse em cosmética.No tratamento de certos tipos de afecções cutâneas, os óleos obtidos de certos peixes têm um papel muito conhecido no equilíbrio lipídico, evitando o aparecimento do «rash» cutâneo.A acne vulgaris ou rosácea não consiste apenas numa desgraciosa erupção cutânea, mas sim na manifestação visível de alteração da homeostase endócrina metabólica.Uma alimentação equilibrada, pobre em gorduras saturadas e rica em ácidos gordos polinsaturados (óleos de peixes), pode diminuir as manifestações externas da acne.Esta dieta deve ser seguida de um tratamento com aplicações tópicas à base de algas sulfuradas. O mesmo processo poderá ser aplicado no caso da «psoríase» com a ingestão de ácidos gordos insaturados: omega-6 obtido geralmente de óleo de salmão.O carbonato de cálcio, obtido a partir das conchas e em particular das ostras, tem uma importância particular devido ao seu uso em farmácia e cosmética (máscaras de beleza, pastas dentífricas).As diatomáceas são utilizadas na preparação de produtos descamantes (esfoliantes) ou mesmo ligeiramente abrasivos da pele.Ultimamente, uma matéria-prima retirada da carapaça dos crustáceos, a «quitina», tem apresentado um papel muito importante no campo da hidratação, sendo uma proteína complexa que tem uma afinidade particular para a epiderme, aumentando o coeficiente de hidratação da camada córnea.

Verifica-se uma tendência crescente para o emprego de princípios específicos ou de substâncias naturais, com a finalidade de acrescentar ao produto acabado propriedades implícitas dessas mesmas substâncias.Por outro lado, a dinâmica industrial conduz a listas enormes de substâncias obtidas por síntese ou semi-sintéticas, tendendo a substituir ou melhorar a natureza.Teremos, assim, de admitir um compromisso entre o estritamente natural de utilização efémera e nem sempre tão agradável para um cosmético e os produtos de obtenção industrial que permitem obter um produto final do agrado do consumidor.Podemos referir, ainda, que tanto pode haver bons produtos sintéticos como bons produtos naturais, o problema está muito mais dependente da formulação e dos cuidados de produção e de controlo.

A questão situa-se principalmente na mensagem e nas promessas que acompanham o produto e na mensagem que chega ao consumidor. Com efeito, não existem cosméticos totalmente naturais, mas sim produtos contendo substâncias naturais que servem de referência (slogan) ou benefícios adicionais (plus), que permitem colocar o produto no mercado com um suplemento de qualidade.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça uma Pergunta ou Comentário
Esta matéria tem 1 Comentário
  1. Anita terezinha de souza Reply

    Tenho um peito grande eu quando eu era moça eu comprei um sabonete que se chamava alga sim algas marinha foi muito bom agora que eu estou com uma idade de cinquenta o meu peito voltou queria saber se tem esse sabonete na farmácia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 3:00 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)