QUEBRA DOS MECANISMOS DE DEFESA DISTAIS NA CARCINOGÊNESE PULMONAR

QUEBRA DOS MECANISMOS DE DEFESA DISTAIS NA CARCINOGÊNESE PULMONAR

A irritação crônica produzida por partículas como a fibra de asbesto, por exemplo, que, por suas dimensões, vence com facilidade os mecanismos de defesa proximais, atinge o alvéolo e aloja-se no interior dos macrófagos, onde ativa interminavelmente o mecanismo imunológico da inflamação.
A primeira resposta do epitélio injuriado faz-se sob forma de uma hiperplasia. Com os surtos repetidos de agressão, na próxima divisão celular o epitélio injuriado, além de hiperplasiar-se, dá origem a estruturas
glandulares, compondo o quadro de hiperplasia adenomatosa.
Nas divisões celulares subseqüentes origina-se a hiperplasia adenomatosa atípica e, finalmente, o adenocarcinoma. A mesma seqüência de eventos histopatológicos ocorre na formação do carcinoma de grandes células pulmonares.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 2:25 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)