Queratose Pilar: o que é, causas, tratamento caseiro, laser, cremes, tem cura?

Publicado por Equipe Editorial a 16 de maio de 2018 - Atualizado em 10 novembro 2018

O que é? Conhecida também como ceratose pilar e, cutis anserina, a queratose pilar é caracterizada pela aglutinação de queratina nos folículos pilosos, que são as raízes dos pelos.

Queratose Pilar, O Que é, Causas, Tratamento Caseiro, Tem Cura

Essas pequenas esferas — de coloração avermelhada, marrom ou branca, conforme o indivíduo — conferem à pele um aspecto eriçado, ou seja, de pele arrepiada, muitas vezes confundida com pequenas espinhas (acne).

Estima-se que aproximadamente 40% da população mundial sofra dessa condição, sendo mais frequente o aparecimento em mulheres, ocorrendo também em bebês.

Apesar de por vezes assustadora, a queratose pilar (ou folicular) é uma condição benigna. Isso significa que ela não proporciona riscos nem causa qualquer tipo de câncer.

As manifestações mais comuns são na região do braço, mas ela também pode acometer as pernas, as coxas, bochechas, os glúteos, o rosto (chamada de queratose pilar rubra faceii) e, em casos mais específicos, o abdômen. Nessas zonas, a pele se torna crespa e com pequenas perfurações (pele de galinha), além de exibir diferentes tonalidades de cor.

Índice da Matéria:

Causas da Queratose Pilar

Foto De Menina Com Queratose Pilar No Rosto

Na nossa pele, diversas proteínas são sintetizadas a cada minuto. Uma dessas proteínas é a famosa queratina. Todas as proteínas são formadas por uma cadeia de aminoácidos.

É ela que confere proteção à nossa epiderme, formando uma espécie de película que impede o contato direto do organismo como meio externo, além de regular a entrada e a saída de substâncias do corpo.

O aumento na produção dessa proteína acarreta o que chamamos de hiperqueratose.

De origem genética, a hiperqueratose é condicionada por um gene autossômico dominante. Basta que apenas um dos pais tenha o gene para que o filho venha a manifestá-lo no futuro.

O acúmulo dessa substância propicia o surgimento das pequenas esferas rígidas ao redor dos folículos pilosos, o que acaba deixando a epiderme com uma aparência seca e desidratada.

Em alguns casos, o portador do gene não desenvolve a condição, uma vez que seus hábitos de cuidado com a pele são capazes de amenizar os aspectos causados pelo excesso de queratina.

A intolerância ao glúten (doença celíaca), é outra das possíveis causas, uma vez que a queratose pilar (pele de galinha) é um dos seus principais sintomas.

Como ocorre a Transmissão

A única forma de adquirir a condição é por meio da transmissão de genes por parte dos pais. Logo, não é algo que possa ser transmitido pelo ar, como a gripe, e nem pelo contato direto.

Grupos de risco

Qualquer um pode manifestar a doença, desde que seja portador do gene. De modo geral, a condição começa a se desenvolver a partir da infância ou da adolescência, podendo ter seu quadro agravado dependendo do tipo de pele e dos cuidados que o indivíduo tem com ela. A predisposição também está ligada à:

Possuem pele seca

A queratose pilar não afeta apenas um tipo específico de pele. No entanto, as chances de uma pessoa com pele seca apresentar a disfunção aumentam.

A água é um componente essencial para a manutenção do equilíbrio do nosso organismo. Quando não nos hidratamos corretamente e negligenciamos a saúde do corpo, os primeiros sinais de que algo não vai bem começam a se manifestar a partir da pele.

A dificuldade em manter a hidratação da pele favorece o aparecimento de doenças como a queratose.

Má alimentação

Outro fator que revela muito sobre a saúde é a alimentação. A predisposição genética aliada a uma dieta pobre em vitamina A pode favorecer o acúmulo de queratina em pontos específicos ao longo da epiderme.

Embora ainda não existam estudos que comprovem essa hipótese, ela não deve ser totalmente descartada, tendo em vista que os hábitos alimentares interferem – e muito – na nossa saúde.

Doenças autoimunes

Doença autoimune, assim como a queratose, a dermatite atópica ocasiona processos inflamatórios na epiderme. É possível que exista uma ligação entre as duas patologias, já que ambas estão ligadas às disfunções de permeabilidade da pele.

Além disso, os portadores de asma e rinite também estão mais propensos a serem acometidos pela queratose pilar.

Principais Sintomas

Sintomas De Queratose Pilar

Por ser benigna, a queratose costuma ser assintomática. Assim, as cefaleias, dores pelo corpo, náuseas e outros sintomas comuns a uma série de enfermidades se tornam inexistentes.

A única perturbação para quem sofre com esse problema é o aparecimento das pequenas esferas queratinizadas em torno dos folículos pilosos, estimulando a rispidez do local.

Como é feito o diagnóstico da queratose pilar?

Apesar de assintomática, a queratose é facilmente identificada devido aos sinais que provoca na epiderme. Porém, é muito comum confundi-la com foliculite, acne e pelos encravados. Por isso, é fundamental procurar por auxílio médico.

Os tratamentos costumam variar de uma disfunção para outra. O profissional mais indicado para tratar a queratose é o dermatologista. A partir da consulta, ele saberá qual decisão tomar e indicará o melhor tratamento para o paciente.

A Queratose pilar tem cura?

A resposta para essa pergunta é relativa. Enquanto algumas pessoas conseguem se curar, outras apenas amenizam os sintomas.

Para quem não apresenta essa condição no seu histórico familiar, as dificuldades para reverter o quadro serão menores. Já para os predispostos, a situação é mais delicada, pois a probabilidade de a queratose reaparecer de tempos em tempos é alta.

Em alguns casos, é possível que o problema se resolva sem nenhuma intervenção — geralmente quando o indivíduo ultrapassa os 28 anos aproximadamente.

Qual o tratamento para queratose pilar?

Pele De Galinha

Muitas pessoas que são acometidas por esse pequeno problema se sentem inseguras e insatisfeitas com a aparência dos membros afetados.

O tratamento não garante a cura da doença, mas pode amenizá-la em um longo prazo, propiciando mais conforto ao paciente. Os tratamentos são divididos entre o interno e o externo. São eles:

Tratamento interno

Por ser um problema de pele, o mais natural a se pensar é que o indivíduo procure tratamentos estéticos voltados para a pele. No entanto, existem outras maneiras de contornar a situação. Uma delas se baseia na alimentação.

Uma dieta rica em vitaminas proporciona quase tudo o que o nosso corpo precisa. Em se tratando de pele, as vitaminas mais relevantes são as lipossolúveis, protagonizadas pela vitamina A, D, E e K.

Existem também aquelas pertencentes ao grupo das hidrossolúveis, como as vitaminas do complexo B e a vitamina C. De modo geral, todas estão incumbidas de uma única tarefa: promover a hidratação da epiderme.

Os alimentos que você deve consumir a fim de obter essas vitaminas são:

Bife de fígado bovino

Carne De Fígado

A vitamina A está presente em diversos alimentos, principalmente na carne de alguns órgãos. A maneira mais eficiente de ingeri-la é por meio do fígado de boi.

Manteiga de gado de pasto

A vitamina K está concentrada na manteiga, mas existe uma ressalva: apenas os gados que se alimentam de grama são capazes de repassar o nutriente para os humanos. Atualmente, grande parte da alimentação do gado é constituída por grãos, o que não favorece a vitamina K.

Esses grãos, infelizmente, suprimem a ação dessa vitamina. Sendo assim, é muito difícil adquiri-la por meio da ingestão de manteiga.

É interessante ressaltar que esse fenômeno não se restringe apenas ao gado. Os seres humanos também podem ter a produção de vitamina K suprimida, caso o consumo de grãos esteja acima do ideal. Por isso, é importante ficar atento às quantidades ingeridas.

Vegetais em geral

Embora sejam destituídos de vitamina A, os vegetais têm o betacaroteno, antioxidante que é um grande precursor dessa mesma vitamina.

Os alimentos que contêm betacaroteno são convertidos em vitamina A pelo intestino. Caso apresente alguma disfunção na flora intestinal, a absorção e o aproveitamento da vitamina ficam bem comprometidos.

Consuma peixes de água fria

Salmão

Carinhosamente apelidado de ‘’gordura do bem’’, o ômega 3 é o trunfo de muita gente quando o assunto é prevenção de doenças. Apesar de polêmico, o ômega 3 tem se mostrado eficaz no tratamento contra a queratose pilar.

No organismo, esse composto age como um solvente para o seu soluto, que é a queratina — proteína produzida em excesso pelo organismo. O ômega 3 é encontrado com abundância na forma de cápsulas e nos peixes de água fria, como salmão, atum e cavala.

Tratamento externo

O tratamento externo baseia-se na utilização de processos mecânicos voltados à remoção das esferas de queratina presentes na pele.

A esfoliação e a hidratação são duas técnicas de esfoliação muito utilizadas para a remoção de impurezas e células mortas da epiderme. Abaixo, serão detalhadas cada etapa desses processos:

Esfoliação da pele

Esfoliação Do Rosto

A pele se renova constantemente. Ainda que ela consiga realizar esse processo de maneira autônoma, uma ajuda é sempre bem-vinda.

A esfoliação é uma técnica utilizada justamente para otimizar o processo. Dentre os inúmeros produtos usados para a esfoliação, os mais comuns são:

Banho com sabonete esfoliante

Atualmente, existe uma vasta gama de sabonetes esfoliantes no mercado, comercializados a preços variados. Geralmente, esses sabonetes contam com ingredientes orgânicos, como as sementes.

Cremes mais indicados

Iso Urea Roche Posay

Os cremes mais indicados são as formulaçõres à base de ácido salicílico ou ureia, como o Epydermy e o Eucerin.

Cremes à base de ácido retinóico ou Vitamina A, como a Nivea ou o Vitacid, também são recomendados, uma vez que melhoram a hidratação nessas camadas da pele, reduzindo o aparecimento de bolinhas na pele.

Os Cremes Mais Indicados Para O Tratamento Da Queratose Pilar São Os Da Marca Eucerin, Nivea E La Roche Posay

Outras marcas que oferecem boas opções de cremes e loções para reduzir os sintomas incluem: Uremol, Ascend, CeraVe, Cetaphil, Vanicream, Glytone KP, Lac-Hydrin, Carmol, Alba Botanica, Avéne, Amlactin, NeoStrata, entre outras.

Remédios Caseiros

Esfoliante de açúcar

Máscara Esfoliante De Mel E Açúcar

Esse método de esfoliação é praticamente gratuito. No entanto, é necessário cautela ao colocá-lo em prática, já que ele costuma ser bem abrasivo. O recomendável é que a esfoliação com açúcar seja feita de duas a três vezes no mês, sempre levando em conta a situação da pele em questão.

Esponjas de banho

Você também pode promover a esfoliação da pele com a esponja de banho, uma vez que o atrito proveniente dessa ação remove as células mortas da epiderme. Assim como a esfoliação com açúcar, esse método também merece cuidado.

Em hipótese alguma utilize bucha para realizar esse procedimento. Ao invés de suavizar a queratose, a bucha a intensifica.

Hidratação

Em se tratando de hidratação, também há mais de uma opção de manter a pele bem hidratada. As mais recomendadas são:

Passe hidratante todos os dias

Quando a pele está extremamente irritada por causa da queratose, deve-se abusar dos hidratantes corporais. Eles garantem a hidratação da pele por mais tempo, além de diminuir o aparecimento das pequenas feridas.

Aplique o creme hidratante de sua preferência no local lesionado 2 vezes por dia. Repita a operação mais vezes, caso ache necessário.

Hidrate-se no banho

Banho Hidratante

A hidratação também pode ser feita por meio do banho, com o auxílio de sabonetes hidratantes. Recorra àqueles que contenham aveia, leite de cabra e óleos em sua composição. Enquanto a aveia esfolia a pele, as proteínas do leite e os óleos a hidratam e nutrem.

Mesmo que você utilize sabonetes com alto poder de hidratação, não deixe de fazer uso dos cremes corporais.

Recorra ao uso de cremes à base de ureia

A ureia é um composto orgânico conhecido por integrar o NMF (Fator Natural de Hidratação) epidérmico. Se usada diretamente, seu poder de hidratação é altamente eficiente.

Tome banho de leite

O leite é rico em ácido lático, composto capaz de dissolver a queratina em excesso produzida pelo organismo. Portanto, o banho de leite é uma boa alternativa. Não existem restrições para essa técnica. Pode-se utilizar o leite puro ou diluí-lo em água.

Recorra ao uso de cremes à base de ácido lático

Outra alternativa para quem quer aproveitar os benefícios do leite – do ácido lático –, mas não quer fazer o banho de leite, é o uso de cremes à base de ácido lático. Ele garante os mesmos benefícios, porém de forma mais prática.

Aplique hidratantes que contenham vitamina A

A vitamina A apresenta inúmeros benefícios, grande parte voltada para o rosto. Além de combater a pele seca, a vitamina A clareia manchas, combate a acne e o envelhecimento precoce. Por isso, invista em cremes que tenham essa vitamina na composição.

Azeite de oliva

Benefícios Do Azeite De Oliva

Rico em vitamina E, o azeite de oliva pode ajudar a reduzir o ressecamento da pele. Aplique diretamente na pele ou adicione um pouco de açúcar para esfoliar ainda mais a pele.

Faça máscaras com ácido acetilsalicílico (Aspirina)

O ácido acetilsalicílico também costuma ajudar bastante na recuperação da área afetada. Para elaborar a máscara, você precisará apenas de dois ingredientes: água e comprimidos.

Basta esmagar alguns comprimidos e acrescentar uma quantidade suficiente de água sobre o pó do medicamento, a fim de deixar a mistura com uma consistência pastosa.

Em seguida, aplique a máscara suavemente na região a ser tratada. Deixe agir por alguns minutos e, em seguida, enxague com água fria ou morna.

Use iogurte como hidratante

Por ser um derivado do leite, o iogurte também pode ser usado para substituir o ácido lático. Essa técnica consiste em aplicar iogurte in natura diretamente no local lesionado, aumentando o grau de absorção do produto na pele.

Não existe uma medida exata, entretanto o recomendável é que se utilize de 3 a 4 colheres do produto. Após 15 minutos, a região deve ser lavada com água fria ou morna — nunca quente demais. Para enxugar o local, prefira tecidos maleáveis e macios, evitando o atrito com as lesões.

Utilize vinagre de maçã orgânico

Vinagre De Maça

Cada vez mais o vinagre de maçã tem recebido o reconhecimento que merece quando o assunto é procedimento estético. Amplamente utilizado para selagem capilar, o vinagre de maçã também é um ótimo aliado no combate à queratose.

Quanto ao seu uso, não há mistério: você precisará apenas de um recipiente pequeno e do próprio vinagre de maçã. Coloque uma pequena quantidade de vinagre no vasilhame e aplique-o sobre a área escolhida com um algodão.

Para enxaguar, basta usar água morna ou fria, como já citado nos outros itens. Caso você tenha uma banheira, pode colocar 1 ou 2 colheres de vinagre na água.

Banho de aveia

Nada acalma tão bem a pele, depois de um longo dia, como um banho, certo? Atire um punhado de aveia em pó (de preferência aveia coloidal) para um banho morno (cuidado, água quente pode na verdade irritar a pele) e receberá a hidratação extra que precisa.

Aplique óleo de coco (Cocos Nucifera)

Queratose Pilar Antes E Depois De Tratamento Com óleo De Coco

O óleo de coco, assim como o vinagre de maçã, tem conquistado muitos usuários. Conhecido pelo seu alto poder hidratante e nutritivo, o óleo de coco também apresenta propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas, alivia a coceira e contém vitaminas saudáveis. Certamente, essas duas ações são essenciais para a prevenção da queratose pilar.

Bicarbonato de Sódio

O bicarbonato de sódio não serve apenas para fazer biscoitos! Também possui excelentes propriedades esfoliantes, removendo as células mortas e abrindo os poros. Misture 2-3 colheres de sopa de bicarbonato de sódio e água para formar uma pasta, e esfregue suavemente a área afetada durante 3-5 minutos e enxágue.

Tratamento a Laser

Muitos portadores de queratose pilar encontram dificuldades ao se depilarem, podendo machucar o local já inflamado. Para esses casos, é recomendável a depilação a laser com Luz Intensa Pulsada (LIP).

Ao mesmo tempo em que inibe o crescimento dos pelos, o laser age diretamente sobre os folículos, diminuindo a concentração de queratina na região. E mesmo que esse procedimento não resolva todos os casos, ele melhora o aspecto estético da pele.

Peeling de ácido glicólico

O peeling profissional recomendado para estes casos é o peeling de ácido glicólico (20 a 30%). São tratamentos dermatológicos que danificam a pele de forma controlada através do uso de substâncias químicas para causam a morte do tecido.

O peeling de ácido glicólico basicamente elimina a pele envelhecida e, ao criar uma ferida superficial, estimula o processo de cura natural do corpo. À medida que a nova pele cresce, é provável que apresente uma melhor aparência e textura.

Medicamentos

Além da dieta e dos procedimentos estéticos, quem tem queratose pilar também pode fazer uso de alguns medicamentos, como:

Internos

  • Vitamina D sob a forma de suplemento;
  • Fígado desidratado;
  • Suplemento de óleo de fígado de bacalhau – alternativa ao fígado bovino.

Externos

  • Óleo de coco;
  • Sabonete de leite de cabra ou de aveia;
  • Creme de bálsamo;
  • Protetor solar;
  • Creme à base de ureia;
  • Esfoliante para o corpo;
  • Hidratante para o corpo;
  • Hidratante com vitamina A.

Convivendo com as “Bolinhas”

É impossível estimar quais são as chances de um indivíduo com queratose pilar se curar totalmente. Essa condição surge e desaparece quando menos se espera.

Quem opta pelo tratamento deve seguir uma rotina específica e se cercar de cuidados, como esses que serão exibidos a seguir.

Cuidado na depilação

Talvez a depilação seja a etapa mais problemática para aqueles que sofrem com a queratose pilar. As lâminas não foram pensadas para esse tipo de pele, o que explica a frequência das lesões.

Embora grande parte dos dermatologistas indique a adoção de métodos mais caros, como a depilação a laser e a cera, é possível manter a depilação com lâminas.

Para que isso seja feito, você deve usar três vezes mais espuma de barbear do que o habitual, a fim de diminuir o atrito da lâmina com a pele.

Além disso, você jamais deve se depilar somente com água, a qual é incapaz de amenizar o atrito da lâmina, comprometendo qualquer tipo de pele.

Para aqueles que sofrem com a queratose, o resultado é ainda mais desastroso. O procedimento pode acabar rompendo a pele que recobre as “bolinhas” de queratina, causando sangramentos e uma possível inflamação.

Evite coçar

A coceira é uma sensação quase incontrolável. Todavia, em quadros como esse o mais aconselhado é evitá-la, pois a pele ficará irritada e, consequentemente, os depósitos de queratina ficarão hipersensíveis. Em alguns casos, pode haver um sangramento significativo no local, favorecendo os processos inflamatórios.

Se você costuma sofrer com coceiras intensas, invista em produtos que proporcionem uma sensação refrescante. Os mais procurados são o álcool em gel e a arnica, além de outros que prometem o mesmo efeito.

Evite banhos prolongados na água quente

Banhos muito quentes são prejudiciais para qualquer tipo de pele. A água quente remove grande parte da camada de lipídios da pele. Com isso, a epiderme se desidrata e perde sua suavidade.

As pessoas com queratose pilar já perdem essa camada lipídica naturalmente. Com os banhos prolongados de água quente, a situação piora. Portanto, evite ao máximo esse hábito.

Cuidado com a esfoliação

Nossa pele necessita de um intervalo entre uma esfoliação e outra. Como se utiliza componentes abrasivos para conseguir alcançar o resultado desejado, o ideal é que o procedimento seja feito apenas 2 vezes por mês. Nada em excesso é benéfico, e a esfoliação não foge à regra.

Se você tem dúvidas sobre a esfoliação mais indicada para o seu tipo de pele, consulte um dermatologista. Por ser um especialista na área, ele saberá exatamente qual é o procedimento mais adequado para você.

Cuidado com o tempo

Se os banhos quentes agridem a pele com queratose, o tempo seco também é bem prejudicial. Para amenizar os danos causados, basta utilizar um umidificador de ar. Porém, ele sozinho é insuficiente. Busque sempre manter a pele hidratada com cremes e loções corporais.

Ame-se

A queratose pilar é sinônimo de insegurança para muitas pessoas que sofrem com o problema. Isso interfere diretamente na autoestima do indivíduo. É importante ter em mente que a queratose pode fazer parte da vida para sempre. Apesar dessa condição quase imutável, é imprescindível que o indivíduo tenha o máximo de cuidado consigo mesmo. Mais importante do que escolher seguir um tratamento, é aceitar a própria condição física da pele.

Possíveis Complicações

A queratose pilar é provocada pela síntese excessiva de queratina –proteína que recobre a epiderme, evitando a desidratação –, a qual se acumula em volta dos folículos pilosos.

Mesmo benigna, se não tratada a queratose pilar pode trazer complicações ao indivíduo. Felizmente, as complicações não costumam ser graves. Basicamente, elas evoluem para lesões que se assemelham a espinhas, podendo desencadear um processo inflamatório com o passar do tempo.

Como prevenir a queratose pilar?

Por ser de origem majoritariamente genética, a pessoa portadora do gene estará sempre suscetível a desenvolvê-la. Em quadros como esse, não há muito o que se possa fazer. No entanto, em determinadas situações (mais incomuns) algumas pessoas manifestam o problema sem a interferência genética. Nessas situações, as medidas de prevenção mais eficientes são:

Hidrate o corpo

A água é essencial para manter os sais minerais sempre em alta durante os processos metabólicos, além de manter o equilíbrio do organismo.

O jeito mais fácil de evitar o surgimento de doenças como a queratose é se hidratar todos os dias. Assim, é recomendável o consumo de, pelo menos, 2 litros de água diariamente.

Hidrate a pele

O hábito de hidratar a pele é muito mais do que um procedimento estético. Diante das dicas de produtos já citadas, você pode escolher a mais agradável para promover a hidratação da pele. O hidratante penetrará pelos poros, deixando a pele úmida e, consequentemente, com uma textura suave e bem cuidada.

Alimentação saudável

A alimentação é uma das fontes mais importantes de todos os componentes que o nosso corpo necessita, especialmente as vitaminas.

As vitaminas são compostos orgânicos que o corpo não produz naturalmente. Por isso, é preciso adquiri-las por meio da alimentação. Basta uma pequena quantidade para que elas forneçam vários benefícios.

Saiba onde encontrar as vitaminas A, D, E e K:

Alimentos ricos em Vitamina K

  • Acelga;
  • Pinhão;
  • Frango;
  • Couve;
  • Brócolis;
  • Repolho;
  • Salsinha;
  • Espinafre;
  • Ameixa seca;
  • Bife de fígado;
  • Folha de beterraba;
  • Folha de mostarda castanha.

Alimentos ricos em Vitamina A

  • Salmão;
  • Fígado;
  • Manteiga;
  • Mamão papaia;
  • Queijo de cabra;
  • Ovos com gema dura.

Alimentos ricos em Vitamina D

  • Ovo;
  • Leite;
  • Atum;
  • Fígado;
  • Sardinha;

Alimentos ricos em Vitamina E

Os 10 Alimentos Mais Ricos Vitamina E

  • Kiwi;
  • Avelã;
  • Manga;
  • Tomate;
  • Abacate;
  • Brócolis;
  • Aspargo;
  • Espinafre;
  • Amendoim;
  • Óleo de soja;
  • Óleo de girassol.

Ao consumir estes alimentos, evite a ingestão de diuréticos, uma vez que eles ajudam a descartar – de forma rápida – uma grande quantidade de água presente no corpo e, consequentemente, de vitaminas.

Questões frequentes

Pouco se fala sobre a queratose pilar. Por esse motivo, é comum que haja dúvidas sobre o assunto. Essas são as principais:

No verão, a queratose pode aumentar?

No verão, a pele fica propensa a se manter hidratada. Isso ocorre devido à alta exposição solar.

Usar roupas justas pode aumentar a queratose?

A roupa não interfere em nada na quantidade de queratina que o corpo produz. O problema está ligado ao atrito entre o tecido e as erupções presentes na pele.

Os tecidos muito ásperos – como o jeans – podem prejudicar o quadro, causando a inflamação dessas lesões.

Quem tem queratose pilar pode fazer tatuagens?

O esperado é que a tinta usada para procedimentos como esse não interfira nas lesões. Contudo, trata-se de algo imprevisível.

É fundamental que antes de realizar técnicas abrasivas, como a tatuagem, a pessoa com queratose pilar se informe com um dermatologista sobre o assunto.