Remédio para Alergia

As alergias afetam um número crescente de pessoas e podem manifestar-se de diversas formas. Sintomas como espirros, inchaço, ou coceira podem ser controlados com o recurso a um remédio para alergia.

Este tipo de remédio é fundamental para aliviar os sintomas provocados por qualquer tipo de reações alérgicas.

Antes de avançarmos para os remédios para alergia, é importante clarificar que as alergias podem ser de diferentes tipos:

  • Alergias respiratórias (incluem asma, conjuntivite alérgica, sinusite e rinite) – São bastante comuns e afetam uma boa parte da população mundial;
  • Alergias alimentares – São cada vez mais frequentes devido à nossa alimentação baseada em alimentos processados;
  • Alergias cutâneas (incluem urticária, eczema de contato e eczema atópico) – Podem surgir em qualquer idade. Em alguns casos, é difícil identificar a sua causa, o que dificulta a sua gestão.

O remédio para alergia pode ser tomado em diversas formas: comprimidos, xaropes, sprays ou gotas.

Contudo, nenhum tratamento deve ser iniciado sem consultar antes um médico. É importante determinar as causas da alergia, para definir qual é o tratamento mais adequado.

Diferentes Remédios, Para Diferentes Tipos de Alergias

Quando a alergia provoca sintomas no nariz, nos olhos ou na pele, os remédios certos são os anti-histamínicos. Estes remédios atuam como inibidores da histamina, uma substância que está na origem das reações alérgicas produzidas pelo nosso corpo.

Na presença de uma alergia respiratória, como a conjuntivite, urticária ou renite alérgica, são indicados remédios histamínicos como a Loratadina, Polaramine ou Allegra.

Estes remédios são hoje mais prescritos porque não induzem sono, ao contrário do que acontece, por exemplo, com a Difenidramina. Optar por um medicamento que não induza sono, é particularmente importante para quem precisa de se manter ativo.

Uma alternativa para tratar as alergias respiratórias passa pela utilização de medicamentos corticosteroides. Remédios como a Prednisona atuam de forma extremamente eficiente no tratamento de rinite, asma ou urticária.

Contudo, uma vez que os remédios corticosteroides engordam, muitas pessoas preferem evitá-los.

Outra via para tratar a alergia é representada pelos medicamentos estabilizadores de mastócitos. Através destes remédios para alergias é possível evitar a liberação de histamina, por parte das células.

É a histamina, que ao ser libertada, dá origem à alergia. Utilizando a cromolina sódica, ou medicamentos similares, é possível impedir que os sintomas surjam.

Diferentes Formas de Aplicar o Remédio Para Alergia na Pele

A forma de tratar a alergia depende do tipo de alergia e dos sintomas. Por exemplo, se um indivíduo sente coceira e tem a pele vermelha, pode ter que aplicar pomada.

Já o remédio para alergia nos olhos é geralmente gotas anti-histamínicos, ou em alternativa a toma de comprimidos.

Finalmente, temos que referir a utilização de vacinas como remédio para alergia. Nesse caso, a substância que origina a alergia é aplicada no corpo, para reduzir a reação alérgica a essa mesma substância.

Tratamento Para Alergia Alimentar

A alergia alimentar pode ser um problema muito sério e em casos extremos pode até provocar um choque anafilático e provocar a morte. Por isso, sempre que exista suspeita de uma alergia alimentar, é essencial provocar apoio médico de forma urgente.

Quando os sintomas são leves, o melhor remédio para a alergia alimentar é um anti-histamínico como a Allegra ou a Loratadina.

Quando o paciente que está a sofrer a reação alérgica mostra sintomas graves, como a dificuldade em respirar, deve ser encaminhado urgentemente para um hospital. Uma injeção de adrenalina pode ser necessária.

A única forma de evitar sofrer alergias alimentares passa por identificar o alimento que provoca a reação e retirá-lo da alimentação.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 01/10/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 1/10/2018 às 12:22 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)