Restrições Físicas a Pessoas fora de Controlo - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Restrições Físicas a Pessoas fora de Controlo

Restrições Físicas a Pessoa fora de Controlo:

O que é uma restrição?

Uma restrição é qualquer método que limite a capacidade de se deslocar livremente ou de alcançar qualquer outra parte do corpo. As restrições podem ser utilizadas se o comportamento (o modo de agir) estiver fora de controlo. Isto significa que poderá magoar-se a si próprio ou outras pessoas. No entanto, serão inicialmente tentados outros métodos antes de se recorrer às restrições.

Quais são os diversos tipos de restrições?

Restrições físicas: São utilizadas para forçar a pessoa a permanecer numa cadeira ou numa cama. São utilizados diversos tipos de restrições aplicadas no corpo ou perto do corpo. Estas restrições não conseguem ser retiradas facilmente pela pessoa. Descrevem-se a seguir alguns tipos de restrições físicas.

Restrições corporais de tecido

Cintos colocados em redor da cintura e fixados a uma cadeira ou cama.
Faixas de tecido colocadas em redor dos pulsos e dos tornozelos.
Coletes de tecido ou “camisas de força” colocadas em redor do peito.
Tábuas fixadas a cadeiras que limitam a capacidade de se deslocar.
Luvas especiais colocadas nas mãos.

As tiras de cabedal são colocadas em redor dos pulsos e dos tornozelos. Estas são utilizadas sempre que as restrições de tecido não são suficientemente robustas e o seu comportamento está fora de controlo. Estas restrições podem ser fechadas a cadeado. As chaves ficam sempre de posse dos médicos para o caso de ser necessário retirar rapidamente as restrições. Também é habitual guardar um par de tesouras perto das restrições para que estas possam ser cortadas em caso de emergência.

As restrições químicas são medicamentos utilizados para o ajudar a acalmar e a relaxar sempre que houver a possibilidade de se magoar a si próprio ou outras pessoas. Este medicamento não é semelhante aos medicamentos normais que pode tomar todos os dias para resolver os seus problemas médicos ou emocionais.

O que é o isolamento?

Isolamento é quando a pessoa tem de ser fechada num quarto de segurança devido ao facto do seu comportamento se apresentar fora de controlo. A porta é fechada à chave pois o paciente não pretenderá ficar fechado no quarto. Os médicos observá-lo-ão atentamente enquanto for mantido em isolamento. Poderá sair do isolamento quando os médicos sentirem que já não haverá possibilidades de se magoar a si próprio ou a outras pessoas.

O que devo saber sobre restrições e isolamento?

Os médicos farão uma avaliação exaustiva sobre si quando estiver a ser tratado por causa de problemas de saúde mental. Uma avaliação completa inclui falar sobre as suas condições médicas, os seus medicamentos e um exame físico. Tudo isto ajudará os médicos a decidirem que tipo de tratamento mais se adequará ao seu caso.

Descrevem-se a seguir alguns dos assuntos que poderão ser abordados pelos médicos junto de si e da sua família relativamente a restrições e ao isolamento:

Métodos que possam ajudar a controlar o seu comportamento desde o início de forma a que não venha a ser necessário recorrer a restrições ou ao isolamento.
Problemas médicos, físicos ou de outros tipos que possam vir a colocá-lo num maior risco se tiverem de ser usadas restrições ou o isolamento.
Informações sobre a utilização de restrições e do isolamento na instituição de cuidados de saúde.
O papel da família. Inclui ser contactado no caso de ser necessário utilizar restrições ou isolamento.

Por que razão preciso de restrições ou de estar esolado?

Razões comportamentais: Poderá ser necessário recorrer a restrições ou ao isolamento por não ser possível controlar o seu comportamento. Isto significa que se poderá magoar a si próprio ou a outras pessoas. Poderão ser tentadas outras formas tais como falar calmamente consigo ou afastar objectos perigosos. As restrições e o isolamento nunca deverão ser utilizados como meio de punição. E as restrições nunca deverão ser utilizadas como forma de facilitar o tratamento fornecido pelos médicos.

Razões médicas ou cirúrgicas: As restrições poderão ser utilizadas por razões médicas ou cirúrgicas. Poderá necessitar de restrições para os pulsos para evitar que retire os tubos. Ou poderá ser necessário recorrer às restrições para ajudar a mantê-lo quieto durante ou após o procedimento. Solicite aos médicos a nota de tratamento relativa à utilização segura de restrições devido a razões médicas.

Quais são os riscos de utilizar restrições ou o isolamento?

Problemas de eliminação: Poderá ficar obstipado (incapaz de defecar) devido ao facto de não poder ingerir líquidos suficientes nem de se deslocar. Poderá também sofrer de incontinência, o que significa ficar com a bexiga ou os intestinos descontrolados por estar com restrições. Esta situação poderá ocorrer pelo facto das restrições não lhe permitirem levantar-se para utilizar a casa de banho sempre que necessário. Chame sempre o médico se sentir necessidade de ir a uma casa de banho.

Problemas com lesões: É possível que as restrições provoquem lesões graves se não forem utilizadas correctamente. Poderá ficar entalado numa restrição, sufocar e morrer caso aquela seja incorrectamente colocada. Poderá ficar mais perturbado ou descontrolado do que antes da utilização das restrições. Também poderá tentar debater-se contra as restrições. Essa luta para se libertar das restrições poderá provocar quedas e lesões graves. Chame sempre o médico se precisar de ajuda ou se sentir medo.

Problemas pulmonares: Poderá ter mais possibilidades de apanhar uma pneumonia (infecção pulmonar). Tal fica a dever-se ao facto de não se movimentar o suficiente e de não respirar profundamente. A ingestão das suas secreções (saliva) para os pulmões ou o facto de ficar engasgado com alimentos ou líquidos também pode estar na origem dos problemas pulmonares.

Problemas mentais: As restrições poderão fazer com que sinta que está a ser punido. Poderá sentir receio de que não seja capaz de obter ajuda no caso de suceder uma emergência. Poderá ficar deprimido. As restrições podem fazê-lo sentir novamente a sensação de estar a ser abusado caso tal tenha ocorrido no passado. O facto de estar preso também pode ser embaraçoso. Poderá ficar mais confuso e necessitar de mais ajuda para executar actividades que costuma fazer por si próprio.

Problemas de nutrição: Poderá sentir falta de apetite ou ficar sem vontade de beber se estiver sujeito a restrições. Poderá ser necessário recorrer à ajuda de alguém para que consiga comer e beber. Poderá ficar fraco e com poucos fluídos corporais se não comer nem beber o suficiente.

Problemas físicos: A densidade óssea poderá diminuir devido ao menor grau de actividade se for necessário utilizar restrições durante um longo período de tempo. Esta situação poderá provocar fracturas ósseas. Os músculos poderão ficar contraídos (rígidos) e diminuir de tamanho se não se conseguir mexer livremente. Esta situação poderá fazer com que fique mais fraco e sinta dores ao mexer. Poderá sofrer problemas a nível cutâneo, os quais poderão provocar feridas se não se movimentar o suficiente. Estas feridas poderão acontecer por baixo das restrições e noutras partes do corpo.

Poderá ocorrer uma diminuição do fluxo sanguíneo para a área situada por baixo das restrições se estas estiverem demasiado apertadas. Esta diminuição do fluxo poderá estar na origem de danos musculares e nervosos a longo prazo no caso do fluxo ser interrompido pelas restrições.

Poderá ocorrer a formação de coágulos sanguíneos a qual poderá originar problemas com o fluxo sanguíneo em zonas importantes do corpo, tais como os pulmões ou o cérebro.

Quais são as medidas de segurança durante a utilização de restrições ou do isolamento?

As restrições podem ser bastante perigosas se não forem utilizadas correctamente. Por essa razão, os médicos tentarão utilizar outros métodos de se certificarem que estará seguro antes de utilizar restrições ou o isolamento. Fale com o médico se tiver questões a colocar relativas ao tratamento ou à necessidade de utilizar restrições ou o isolamento.

As medidas de segurança apresentadas a seguir serão efectuadas caso venha a necessitar de restrições ou de ser sujeito a um isolamento.

Prescrição médica: O médico deverá prescrever as restrições ou o isolamento. A prescrição escrita dirá aos médicos que tipo de restrição deverão utilizar. A prescrição deverá ainda indicar durante quanto tempo deverão ser utilizadas e quando poderão ser retiradas. Um médico irá observá-lo quando já estiver sujeito às restrições ou ao isolamento. Tanto as restrições como o isolamento deverão ser utilizados durante curtos períodos de tempo. E só deverão ser utilizados depois de se ter recorrido a outros métodos para o manter seguro.

Família: A sua família será chamada quando já estiver com as restrições ou no isolamento. Isto será feito apenas se merecer a concordância do paciente e pela respectiva família.

Verificações de segurança por parte do médico: Os médicos recebem formação especial sobre a maneira de lidar com pacientes sujeitos a restrições ou a isolamento. Os médicos irão observá-lo com frequência para se certificarem de que está seguro e de que não lhe falta nada. Indicam-se a seguir as verificações de segurança que os médicos farão enquanto estiver sujeito a restrições. Verificar se a restrição está no local adequado. Também se estão a ser correctamente utilizadas.

Verificar se as restrições estão fixas à parte da cama que se movimente sempre que o paciente se movimentar, no caso de estar a ser usada uma cama eléctrica. Evitará assim que a restrição fique demasiado apertada ou demasiado solta sempre que a cabeceira ou os pés da cama se deslocarem.
Verificar se foi utilizado um nó corrediço no caso de serem utilizadas restrições de tecido ou pano. Um nó corrediço pode ser rapidamente desatado caso surja uma emergência. A restrição será fixada à estrutura da cama ou às costas da cadeira de rodas, em locais onde as faixas não possam ser alcançadas. As restrições não deverão ser apertadas aos carris laterais. Poderão ficar excessivamente apertadas caso o carril seja baixado.
Verificar se a chave está sempre por perto no caso de serem utilizadas restrições de cabedal.

Verificar frequentemente a pele do paciente para ver se as restrições não estão a provocar feridas nem contusões. Verificar a capacidade de deslocação do paciente e se consegue mudar de posição com frequência. Os médicos fornecerão alimentos e bebidas. Também o ajudarão a comer e a beber se não o conseguir fazer por si próprio devido às restrições. Também será ajudado a ir à casa de banho as vezes que forem necessárias.

Verificar os seus sinais vitais. Inclui a medição da temperatura, da pressão arterial, da pulsação (contagem dos batimentos cardíacos) e das respirações. Os médicos poderão auscultar o coração e os pulmões utilizando um estetoscópio. Os seus sinais vitais serão medidos de forma a que os médicos saibam em que condição se encontra.

Verificar se está desconfortável ou se sente algum tipo de dor enquanto estiver sujeito a restrições ou ao isolamento.

Observar o paciente para ver se ainda é necessário recorrer a restrições ou ao isolamento. Já está mais calmo? Já não apresenta qualquer tipo de perturbação? Como está a reagir às restrições? Ainda grita e luta para tentar libertar-se das restrições? As restrições serão retiradas ou o período de isolamento será concluído assim que o seu comportamento se revelar pacífico para si próprio e para as outras pessoas.

Atualizado em 13 Janeiro 2018

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade

Isensão de Responsabilidade: A nossa plataforma foi criada com o objetivo de facilitar o acesso a informação de valor "Ciência com Saúde", baseada em estudos científicos. Tudo o que publicamos tem uma base científica. No entanto, nenhuma das publicações têm o objetivo de servir como diagnóstico, sendo sempre indicada consulta médica. O mesmo se refere a tratamentos, clínicas, suplementos e medicamentos indicados. A indicação, dosagem, e forma de uso é apenas ilustrativa, não estando indicada a automedicação ou suplementação sem antes haver indicação médica profissional. O mesmo se refere aos preços dos produtos por vezes indicados. Esses valores são baseados no ano de 2018 e servem apenas como informação auxiliar, não estando a nossa plataforma de nenhuma forma a ligada a essas empresas.