Sankt Anton am Arlberg – Tirol, Áustria

Qualidade e tradição. Este poderia muito bem ser o lema de Sankt Anton am Arlberg, uma das estações dos Alpes Austríacos mais respeitadas no mundo do esqui, pela quantidade de campeões que saíram das suas pistas. Desde a fundação do Arlberg Skiing Club, em 1901, St. Anton tem sido a casa e o campo de treino de heróis como Karl Schranz, Gertrud Gabl e Hannes Schneider, entre muitos outros. No ano passado, a estação celebrou o centenário em grande, como sede do Campeonatos Mundiais de Esqui Alpino e com promessas de continuar a lutar pela excelência.

A 100 quilómetros de Innsbruck, na fronteira com a Suíça, o domínio de Arlberg é formado por seis vilas – umas mais tipicamente tirolesas do que outras – divididas em duas áreas esquiáveis. Por um lado estão St. Anton, St. Jakob e St Christoph e noutro vale estão Lech, Zürs e Stuben. Obviamente, há um passe que permite esquiar a totalidade da área, e isto quer dizer que se pode descer a espectacular pista de 10 quilómetros que vai de Valluga a St. Anton, e também experimentar a célebre pista Kandahar, onde começou nasceu o célebre trofeu mundial do mesmo nome. No total, tratam-se de 440 quilómetros de pistas unidos por um sistema de transportes bastante moderno, com neve sempre garantida. É, sem dúvida, uma vantagem o poder esquiar até às pistas sem ter de estar dependente de transportes. O pior é para os principiantes e os não esquiadores que, além de umas quantas pistas realmente fáceis, uns trenós, uma pista de “toboganing” e dos passeios com raquetes de neve, pouco mais tem para fazer. Os caloiros só se vão divertir se forem muito aventureiros e os que se resistem às pistas, podem sempre sucumbir ao vício de gastar dinheiro nas lojas.

O “snowboard” chegou tarde a esta estação e ainda hoje parece que não há muitos praticantes, mas eles andam ai, só que numa atitude de respeito pelos grandes campeões, parece que preferem retirar-se para espaços menos concorridos e concentram-se, basicamente, no “fun park” e fora das pistas – sobretudo a seguir aos nevões do fim do ano.

A estação:

Temporada: de 29/11 a 27/04
Desnível: 1.304 m
Meios mecânicos: 83 (10 gôndolas, 36 telecadeiras, 37 teleskis)
Pistas: 260 km, 134 (65 verdes/azuis, 130 vermelas, 65 pretas)
Snowboard: 1 parque, com 1 “half-pipe”, 2 “quarter-pipes”, 1 “pro jump”, 1 “long jump” e mais…
Esqui nórdico: 40 km (4 circuitos)
Escolas: 2 e um jardim de Neve para as crianças
Après-ski: Em termos de restaurantes, St. Anton am Arlberg não está mal servida, com escolhas para todos os bolsos. Mas a noite termina cedo, é ir “beber um copo” e cama, que logo de manhã cedo as neve começa a chamar.

O que fazer

Em Sankt Anton am Arlberg, além do esqui alpino, o “snowboard” e o telemark, não há grandes escolhas. A pista de “toboganing” e de trenós, o ringue de patinagem no gelo, os campos de “curling”, praticamente, completam a lista. Na estação á um museu, uma biblioteca, uma piscina e uns cortes de ténis e, depois, só lojas. Não têm esqui nocturno (o frio à noite é tão intenso como os dias de esqui).

Onde comer
– Jagdstube im Hotel Karl Schranz, Alte Arlbergstraße, 372, 6580 St. Anton am Arlberg, Áustria; Tel.: 0043.5446.29770
– Galzig – Verwall Stube, Bergstation Galzigbahn (2.185m), A-6580 St. Anton am Arlberg, Áustria; Tel.: 0043.5446.2352501

Contactos:
www.stantonamarlberg.com

Foto: Sankt Anton am Arlberg visto da encosta Galzig

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:02 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)