7 Sinais e Sintomas de Deficiência de Vitamina A Ocultos, muitas Vezes Ignorados

A deficiência de vitamina A pode comprometer os olhos, a pele e a saúde em geral. Cegueira noturna, pele seca, escamosa, com coceira, lábios rachados, erupções cutâneas e unhas quebradas, podem ser alguns sinais de aviso.

Olhos secos, manchas brancas ou cinzentas (manchas de Bitot) no branco dos olhos, úlceras na córnea e infecções frequentes são outros sintomas a ter em consideração.

Manchas De Bitot São Uma Das Causas De Deficiência De Vitamina A

Sabia que (em todo o mundo) são cerca de 250 milhões, as crianças que sofrem de deficiência de vitamina A?

Sem dúvida um grave problema de saúde em crianças de muitos países em desenvolvimento, podendo até resultar em morte, quando não tratado.

Os olhos, a pele, e os ossos, todos eles dependem da vitamina A recebida através da alimentação.

Se não receber a dose diária suficiente, o que acontece? Embora seja raro nos países desenvolvidos, a deficiência de vitamina A pode causar problemas em todo o corpo.

Esta vitamina lipossolúvel tem um papel vital a desempenhar, não só na saúde dos olhos, como na cicatrização de feridas, na reprodução ou na formação de ossos.

Ajuda também o sistema imunológico a funcionar adequadamente e a manter a pele e as membranas mucosas presentes em algumas partes do corpo, como o nariz, saudáveis.

Se a possibilidade de carência do nutriente está-lhe incomodando, abaixo listamos alguns sinais e sintomas a serem observados.

1. Cegueira Noturna

Baixos níveis de vitamina A podem causar falta de rodopsina, uma proteína sensível à luz, presente no olho. A falta dessa proteína prejudica a visão quando existe pouca iluminação, podendo, portanto, achar difícil ver adequadamente à noite quando tiver deficiência de vitamina A.

Atenção aos sinais indicadores, como a dificuldade em dirigir à noite ou em ir até o banheiro quando as luzes estão apagadas.

A perda de visão nestes casos é progressiva, ou seja, os sinais vão piorando com o tempo.

A cegueira noturna é mais difícil de ser notada em crianças porque elas podem não saber o suficiente para reclamar sobre isso.

Como pai, notou que o seu filho se comporta de forma diferente quando não existe luz ou quando estão em um quarto escuro? Se a criança estiver inativa ou apreensiva quanto a se movimentar, investigue mais a situação.

2. Olhos secos

Olhos Secos

Mudanças na qualidade da visão são geralmente o primeiro e mais proeminente sinal de deficiência de vitamina A. “Xeroftalmia” é o termo usado para indicar uma série de problemas oculares desencadeados pela falta de vitamina A.

As pessoas com carência de vitamina A constatam que as glândulas da membrana mucosa que revestem o interior das pálpebras e a cobertura dos olhos não funciona adequadamente.

Este evento resulta em falta de lágrimas e muco, que servem para manter os olhos molhados (lubrificados). Portanto, olhos secos que ficam facilmente irritados podem indicar uma deficiência de vitamina A.

3. Pele seca, erupções cutâneas, unhas quebradas

Fadiga ou cansaço constante podem ser outro sinal precoce. Em casos de prurido ou pele seca, tenha atenção, especialmente se houver sintomas claros relacionados com os olhos.

A vitamina A desempenha um papel de destaque na formação e manutenção de uma pele saudável. Por vezes, nos estágios iniciais de falta do nutriente, observa-se pele seca, escamosa e com coceira (prurido).

Esta secura pode até se expandir ao cabelo, fazendo com que ele quebre e caia com maior frequência. Borbulhas na pele ou erupções cutâneas como a acne, feridas na boca e lábios rachados são outros sinais reveladores.

As unhas nestes casos também se podem tornar frágeis e quebradiças.

4. Manchas espumosas, brancas ou cinzentas no olho

Fotos Das Manchas De Bitot

Outro sinal de falta de vitamina A é a formação de manchas espumosas conhecidas como manchas de Bitot, no branco dos olhos (esclera).

As manchas de Bitot assumem uma forma triangular ou irregular e geralmente aparecem nas posições (3 ou 9 horas).

Elas surgem levemente elevadas e parecem-se mais com pele do que com uma membrana mucosa. São essencialmente formadas devido a um acúmulo de queratina por causa da secagem, falta de lubrificação da córnea.

5. Úlceras da córnea e cegueira

Sem tratamento adequado, a caência de vitamina A pode levar ao desenvolvimento de feridas ou úlceras nos olhos.

Esta úlcera no olho pode parecer uma pequena área perfurada ou ter uma aparência fofa. Eventualmente, os danos nos olhos podem resultar em cegueira.

Na verdade, a deficiência de vitamina A é a principal causa de cegueira evitável em crianças – mas é mais frequentemente observada em países em desenvolvimento (países emergente).

6. Infecções Frequentes

Infecções frequentes na garganta, tórax, bexiga ou estômago acompanhadas de problemas oculares podem indicar uma deficiência de vitamina A.

A vitamina A ganhou o nome de “vitamina anti-infecciosa” devido ao seu papel vital no bom funcionamento do sistema imunológico.

A pele e as células da mucosa que revestem o trato urinário, o trato digestivo e as vias aéreas funcionam como uma barreira protetora e a primeira linha de defesa contra infecções.

A vitamina A desempenha um papel na formação e bem-estar dessas células. Uma deficiência nesta vitamina crítica pode prejudicar a imunidade e deixar o organismo vulnerável a uma variedade de infecções, incluindo infecções da bexiga, infecções do trato respiratório, infecções gastrointestinais e infecções vaginais.

Infecções do estômago e problemas como diarreia também são comuns.

7. Atraso no crescimento em crianças

Atraso No Crescimento De Crianças

Em crianças com deficiência grave de vitamina A, o crescimento e desenvolvimento normais podem sofrer efeitos negativos.

As necessidades de vitamina A variam de acordo com o sexo e a idade do indivíduo

A ingestão de vitamina A varia com base na idade, sexo e se você está ou não grávida ou amamentando.

Os adultos do sexo masculino, em geral, necessitam de cerca de 850 mcg de RAE (equivalente de atividade de retinol) e os adultos do sexo feminino cerca de 700 mcg de RAE.

No entanto, se tiver um bebê a bordo, precisará de ingerir cerca de 770 mcg RAE (750 mcg RAE para mães adolescentes).

As Mulheres que amamentam precisam ingerir cerca de 1.300 mcg RAE (1.200 mcg RAE para mães adolescentes).

A vitamina A está disponível numa extensa variedade de vegetais, frutas, carnes e produtos lácteos. Portanto, uma dieta equilibrada que explore diferentes grupos alimentares deve ajudá-lo/a as quantidades necessárias do nutriente essencial.

O ideal seria satisfazer as doses diárias recomendadas da vitamina através de uma diversificação de fontes alimentares. No entanto, se optar pelo uso de suplementos, tenha o cuidado de consultar o médico para evitar possíveis interações medicamentosas e toxicidade.

Referências do artigo

http://www.who.int/
https://www.whittington.nhs.uk/
https://www.dermnetnz.org/
https://rarediseases.org/
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/
http://lpi.oregonstate.edu/
https://www.aao.org/
https://ods.od.nih.gov/
https://www.merckmanuals.com/
https://ods.od.nih.gov/

O que Procura?

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *