Sinais e Sintomas de Doenças Oculares Diabéticas - Fotos Antes e Depois
Fotos Antes e Depois

Sinais e Sintomas de Doenças Oculares Diabéticas

O termo Doença Ocular Diabética refere-se a um grupo de doenças oculares que afetam pessoas que sofrem de diabetes. Estes grupo de doenças dos olhos pode incluir:

Retinopatia diabética

Edema macular diabético

Catarata

Glaucoma

Conheça Os Principais Sinais E Sintomas De Doenças Oculares Diabéticas

Como a diabetes pode afetar a saúde dos olhos

A retina é uma membrana que tem como objectivo de transformar um estímulo luminoso num estímulo nervoso, de modo a conduzir essa informação até ao cérebro.

Uma retina saudável é absolutamente imprescindível para uma boa visão, e isso requer um constante fornecimento de sangue através de pequenos vasos sanguíneos.

A diabetes pode afectar este fornecimento.

A retinopatia diabética pode causar o bloqueio dos vasos sanguíneos e até mesmo fugas de sangue, o que pode contribuir para danificar a qualidade da visão.

O edema macular diabético é a consequência da retinopatia diabética, causando inchaço numa área chamada mácula.

Adultos que sofram de diabetes apresentam entre 2 e 5 vezes mais probabilidades de desenvolvimento de catarata, problema caracterizado pela opacificação do cristalino do olho, prejudicando assim a visão.

O glaucoma, também recorrente entre diabéticos, caracteriza-se por danificar o nervo óptico do olho.

Sintomas de retinopatia diabética

Existem poucos sintomas iniciais da retinopatia diabética.

O sintomas deste problema tendem a desenvolver-se gradualmente ao longo de anos, ou até décadas.

Os sintomas iniciais apenas podem ser conclusivamente diagnosticados através de exames específicos.

Alguns desses sintomas podem incluir:

– Deterioração gradual da visão

– Perda súbita da visão

– Manchas na visão (flutuadores oculares)

– Visão desfocada

– Dor ocular e vermelhão

Fases da retinopatia diabética

1. Primeira fase – Retinopatia diabética não proliferativa

Esta fase é muito comum entre diabéticos. Consiste na formação de saliências minúsculas (microaneurismas) nos vasos sanguíneos da retina, o que pode levar à fuga de pequenas quantidades de sangue.

Ainda que durante esta fase a visão não seja afectada, as probabilidades de desenvolvimento de problemas de visão no futuro tornam-se expressivamente maiores.

Esta fase não exige nenhum tratamento específico, mas será necessário adoptar certos cuidados de modo a evitar que a situação piore.

As probabilidades do problema progredir para fases mais avançadas no espaço de 3 anos é de 25%, caso ambos os olhos estejam afetados.

2. Segunda fase – Retinopatia diabética pré-proliferativa

Durante esta fase é possível verificar mudanças severas na retina, incluindo sangramento.

Nesta fase os riscos de desenvolvimento de problemas de visão tornam-se mais expressivos, sendo importante fazer check ups regulares aos seus olhos.

O ideal será de 3 em 3 ou de 6 em 6 meses.

3. Terceira fase – Retinopatia diabética proliferativa

Esta fase caracteriza-se pela formação de cicatrizes e novos vasos sanguíneos na retina.

Isto pode causar hemorragias e também dar origem ao descolamento da retina.

Este descolamento ocorre quanto a retina se afasta dos vasos sanguíneos que lhe fornecem oxigénio e nutrientes.

Durante esta fase existe o risco eminente de perda total de visão.

Neste caso terá de se submeter a tratamentos que o ajudarão a estabilizar a visão.

No entanto, será impossível recuperar a visão caso a mesma tenha sido perdida.

Sintomas de descolamento de retina

– Aparecimento repentino de flutuadores oculares

– Efeito teia de aranha causado por pequenos flutuadores oculares

– Luzes repentinas que afectam o olho por cerca de 1 segundo

– Visão desfocada ou distorcida

Tratamento

– Tratamento laser

– Injecções de medicação nos olhos

– Cirurgia para a remoção dos vasos sanguíneos e das cicatrizes

Sintomas de edema macular diabético

– Visão desfocada

– Dificuldade em ler

– Dificuldade em reconhecer rostos no centro de visão

Também é conhecido como maculopatia diabética.

Tratamento

– Fotocoagulação a laser

– Corticosteróides

– Terapia Anti-VEGF

Sintomas de catarata

– Visão desfocada

– Visão dupla – ver duas imagens em vez de uma

– Alta sensibilidade à luz

– Dificuldade em ver à noite

– Visão desvanecida – ver cores brilhantes como desvanecidas ou amarelas

Tratamento

A remoção pode ser efectuada unicamente através de cirurgia

Sintomas de glaucoma

Existem duas formas primárias de glaucoma: ângulo fechado e ângulo aberto.

O glaucoma de ângulo aberto não apresenta sintomas iniciais.

Por essa razão, mesmo que sofra deste problema, torna-se difícil diagnosticá-lo, a menos que faça exames regulares aos olhos.

Sintomas do glaucoma de ângulo fechado

– Visão desfocada ou nebulosa

– Aparecimento de círculos coloridos em torno de luzes brilhantes

– Dores severas de olhos e cabeça

– Náuseas e vómitos (acompanhados por dor ocular)

– Perda repentina de visão

Tratamento

Os danos causados pelo glaucoma são permanentes. No entanto, cirurgia pode ajudar a prevenir futuros danos.

Atualmente existem dois tipos principais de cirurgia a laserpara o tratamento de glaucoma.

– Trabeculoplastia

– Iridotomia

Referências 

1 – https://nei.nih.gov
2 – http://www.nhs.uk
3 – http://www.nhs.uk
4 – http://www.nhs.uk
5 – https://www.ncbi.nlm.nih.gov
6 – https://www.aao.org
7 – https://www.aao.org
8 – http://www.glaucoma.org
9 – https://www.aao.org/eye-health

Atualizado em 16 Janeiro 2018

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade

Isensão de Responsabilidade: A nossa plataforma foi criada com o objetivo de facilitar o acesso a informação de valor "Ciência com Saúde", baseada em estudos científicos. Tudo o que publicamos tem uma base científica. No entanto, nenhuma das publicações têm o objetivo de servir como diagnóstico, sendo sempre indicada consulta médica. O mesmo se refere a tratamentos, clínicas, suplementos e medicamentos indicados. A indicação, dosagem, e forma de uso é apenas ilustrativa, não estando indicada a automedicação ou suplementação sem antes haver indicação médica profissional. O mesmo se refere aos preços dos produtos por vezes indicados. Esses valores são baseados no ano de 2018 e servem apenas como informação auxiliar, não estando a nossa plataforma de nenhuma forma a ligada a essas empresas.