Solarios, Bonzeamento Artificial – rugas e Cancro

Para adeptos de solarios, bronzeamento artificial, as rugas são piores do que ter um cancro. Saiba porquê…

Estudo sugere que jovens sensibilizam-se mais com os efeitos que os solários podem causar na aparência do que com o risco de desenvolver um cancro de pele.

Como é sabido, a frequência de solários para obter um tom de pele bronzeado, em especial por parte dos jovens, aumenta o risco de desenvolvimento de melanomas e outros cancros da pele. No entanto, é a preocupação com a aparência que pode reduzir o recurso a este tipo de bronzeamento artificial, avança um estudo publicado nos Archives of Dermatology, dia 17 de Maio. A investigação norte-americana envolveu 430 jovens adultas do sexo feminino que habitualmente frequentavam solários.

A um total de 200 jovens foi entregue um pequeno livro com informações sobre o histórico e contexto sociocultural actual do bronzeamento em solários, juntamente com dados sobre os efeitos potencialmente nocivos deste para a pele. O livro também recomendava a redução do uso dos solários e oferecia opções mais saudáveis para melhorar a aparência, como a prática de exercício físico, moda que não exige um bronzeado ou a utilização de auto-bronzeadores.

As 230 restantes jovens não receberam o livro. Os resultados do estudo revelam que a advertência sobre os efeitos na aparência foi responsável pela diminuição, em 35 por cento, das visitas ao solário. Segundo o investigador principal, Joel Hillhouse, da East Tennessee State University, Johnson City, EUA, “o medo de ter um aspecto horrível superou tudo, foi a intervenção mais persuasiva, independentemente do motivo pelo qual as jovens frequentavam o solário”.

Deste modo, os cientistas concluíram que “uma intervenção de saúde resulta melhor para os indivíduos que apresentam fortes motivações relacionadas com a saúde, enquanto que uma intervenção centrada na aparência seria recomendada para indivíduos com preocupações de aparência”.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 2:48 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)