Strength Within – Pílula Revolucionária Diminui Rugas e Pés de Galinha

Publicado por Equipe Editorial a 20 de janeiro de 2015 - Atualizado em 15 janeiro 2018

Liderados pelo professor e Dr. John Casey, cientistas britânicos criaram a referida Pílula Revolucionária que Promete Diminuir as Rugas e os Pés de Galinha, que foi lançada somente após exaustivos cinco anos de estudos. O projeto foi realizado mediante encomenda da empresa holandesa Unilever.

Strength Within - Pílula Revolucionária Anti Rugas e Pés de Galinha

Características gerais da pílula e como ela age no organismo

Segundo o Dr. John Casey, o medicamento atua como um estimulador de duas substâncias: estrogênio e colágeno. Ambas estão diretamente ligadas ao teor de resistência da pele à formação de rugas.

Devido à interferência da pílula, o organismo amplia a produção desses elementos, possibilitando que a pele seja restaurada mesmo após sofrer lesões profundas ocasionadas pelo excesso de exposição aos raios solares.

Cada pílula agrega uma mescla de componentes que, de acordo com os envolvidos no projeto, diminui os efeitos genéticos relacionados ao envelhecimento das células.

Os pesquisadores ressaltam que, no decurso do longo período de cinco anos, o produto foi testado em centenas de mulheres voluntárias. A constatação final dos cientistas foi que os compostos que constituem a pílula conseguem diminuir rugas profundas após, aproximadamente, três meses e meio de uso regular.

Os desenvolvedores também enfatizam o pioneirismo quanto à ação dessa pílula, já que ela demonstrou restaurar a pele desde o tecido subcutâneo.

Os dados da pesquisa

De acordo com os dados fornecidos pela Unilever, a companhia financiou estudos científicos com grupos formados por 480 voluntárias que já estavam dentro da fase da menopausa. Elas utilizaram as pílulas durante o período mencionado de três meses e meio.

Os países que participaram dos testes foram a França, a Alemanha, e as nações que compõem a Grã-Bretanha. Conquistando resultados bem expressivos, boa parte das mulheres que se submeteram à fase de testes conseguiu reduzir o grau de profundidade das rugas em torno de 30%. E mesmo aquelas que não atingiram essa porcentagem de melhora, as rugas ficaram cerca de 10% menos visíveis.

Os pesquisadores do projeto lembram que os resultados sempre contêm fatores totalmente subjetivos. Logo, os primeiros são constantemente influenciados pelos hábitos de vida adotados pelas mulheres participantes. Em outras palavras, aquelas que mantém uma dieta equilibrada, exercitam o corpo com regularidade, mas igualmente sabem proporcionar bons períodos de descanso, estão propensas a apresentar um desempenho superior na maioria dos testes.

Na França, 110 participantes dos testes tiveram amostras de tecido recolhidas antes e posteriormente ao período da terapia. Dessa forma, os cientistas puderam avaliar qual foi a intensificação da síntese de colágeno, proteína imprescindível que constitui a estrutura da epiderme.

A avaliação dessas amostras exibiu que cerca de 1/5 delas apresentou uma ampliação considerável com relação à concentração de colágeno dentro da área recoberta pela derme, tecido conjuntivo situado imediatamente abaixo da pele e anteriormente à hipoderme.

A importância dessas pílulas

Até os 30 anos, o corpo humano mantém, relativamente, o mesmo nível da produção de colágeno. Depois dessa faixa etária, mais precisamente a partir dos 35 anos, a concentração dessa proteína começa a sofrer uma queda acentuada, processo que se intensifica conforme o corpo envelhece ano após ano.

A consequência, quase instantânea, é o aparecimento natural das rugas, por sua vez originadas devido à perda de elasticidade e da rigidez da pele.

Percebe-se que retomar a antiga produção de colágeno é essencial para que a pele consiga recuperar boa parte do viço de outrora. Ocorre que as referidas cápsulas desenvolvidas pelos cientistas britânicos são ricas em substâncias que promovem o retorno da força pertencente ao colágeno.

As pílulas detêm isoflavonas, substâncias derivadas da soja que estão vinculadas ao estrogênio, que por sua vez incitam o organismo a aumentar a produção de colágeno. Outro ingrediente importante é o ômega 3.

Este conjunto de ácidos graxos, proveniente do óleo de peixe, intensifica a ação do gene PPAR, igualmente vinculado à síntese de colágeno. Além disso, as cápsulas também contêm boas doses das vitaminas C e E, e de licopeno, fundamentais para a manutenção da boa saúde da pele.

Com tudo isso, os pesquisadores garantem que, internamente, as pílulas estimulam cerca de 12 mecanismos genéticos.