Tai Chi Chuan – Beneficios do Tai Chi Chuan

Conheça os verdadeiros beneficios do Tai Chi Chuan para a saúde – Sem duvida, Uma arte milenar chinesa repleta de beneficios para a nossa saude.

Segundo alguns estudiosos as origens do Tai Chi remontam há mais de cinco mil anos. Esta antiga arte chinesa tem efeitos terapêuticos variados que vão do combate ao stress ao rejuvenescimento. O Tai-Chi, também conhecido por Tai Chi Chuan, é composto por exercícios de meditação em movimento que facilitam o alongamento dos músculos. Os efeitos terapêuticos desta arte milenar chinesa estendem-se a todos os órgãos do corpo, à mente e ao espírito.

Segundo o Mestre José Amaral, representante oficial em Portugal da Associação Mundial de Tai-Chi Chuan, esta arte nasceu no Tibete e o seu grande impulsionador foi o monge budista Damo, também conhecido por Bodiharma. “Ele notou que a maioria dos monges budistas possuíam uma saúde mental extraordinária e um espírito muito desenvolvido. Fisicamente, contudo, eram doentes. Faziam muita meditação estática, o que os impedia de serem saudáveis.”

Damo desenvolveu então os exercícios básicos que constituem a alma do Tai-Chi, criando a primeira forma de meditação em movimento, com benefícios mentais, espirituais e também físicos. No intuito de resolver um problema prático muito concreto, o monge tibetano acabou por criar a mais completa arte terapêutica que se conhece até hoje.

Milénios de segredos
O consenso em relação há “idade” do Tai-Chi aponta para dois mil anos, mas há quem defenda um passado muito mais longínquo que ultrapassa os cinco mil. Esta arte manteve-se secreta durante muito tempo e o mundo ocidental só a descobriu há cerca de duas décadas. Em Portugal a sua história é ainda mais recente. Os primeiros ensinamentos chegaram há pouco mais de 15 anos através de portugueses que viveram em Macau. Nos últimos quatro anos o Mestre Amaral tem divulgado sistematicamente o Tai-Chi, tendo editado os primeiros vídeos sobre o assunto, seguindo uma prática corrente no estrangeiro.

Favorecendo simultaneamente o físico, a mente e o espírito, esta arte diferencia-se de todos os outros desportos. Trata-se de um exercício de relaxamento, que visa atingir o equilíbrio interno e externo, estabelecendo uma relação harmoniosa entre a pessoa, o seu íntimo e o universo que habita. Pode ser praticado em todas as idades, por pessoas nas mais diversas condições físicas.

“O Tai-Chi é praticado nos hospitais chineses. Os doentes que conseguem, levantam-se da cama para executar os exercícios, os outros fazem Tai-Chi sentados e até deitados.” Apesar de ser extremamente seguro e não ter contra-indicações, o mestre Amaral aconselha quem deseja iniciar-se nesta arte a consultar um médico. Isto porque os melhores resultados alcançam-se quando o corpo está saudável.

Combate o stress
Num mundo em que as pressões relacionadas com a vida profissional e familiar se tornam constantes e cada vez mais pesadas, o Tai-Chi ajuda a combater o stress, os desequilíbrios da pressão arterial e de metabolismo e ainda os problemas respiratórios e circulatórios. Esta arte milenar é também eficaz no tratamento de estados psicológicos debilitantes tais como a insónia, a ansiedade e o medo.

Em termos terapêuticos, o Tai-Chi está indicado para aliviar problemas de coluna, melhorar a postura e a condição física, fortalecer o sistema nervoso central e todos os órgãos do corpo humano, favorecendo, portanto, o bem-estar geral. Da prática do Tai-Chi nasce concentração, paciência, uma boa postura, relaxamento total e rejuvenescimento. “Quem se dedica inteiramente ao Tai-Chi atinge benefícios a 100%, uma vez que se trata de uma arte completa, com exercícios para tudo, incluindo a visão, a língua e até os dentes.”

Resultados imediatos
Os resultados benéficos sentem-se desde a primeira aula. Durante duas, três semanas, passa-se por uma aprendizagem que leva os praticantes a mergulhar num mundo completamente novo. Iniciar-se nesta arte significa partir à descoberta do equilíbrio interior e regressar a uma relação saudável com a natureza que o dia-a-dia das grandes cidades parece deixar de lado.

“Vivemos em prédios, usamos roupa, sapatos de borracha, fechamo-nos em ambientes com ar condicionado, ou seja, matamos toda a energia que a Terra nos dá. O segredo do bem estar alcançado através do Tai Chi passa pelo regresso à natureza, por redescobrir coisas tão simples como saber respirar ou manter uma postura correcta.”

De acordo com o Mestre Amaral, a filosofia subjacente é tão antiga e simples que se torna fácil transmiti-la a pessoas que sempre viveram uma realidade ocidental. Para além disso, é bastante diferente aprender Tai-Chi com um mestre oriental, para o qual “os porquês não existem e o aluno deve apenas limitar-se a seguir os seus exemplos” e com um professor ocidental que vai explicando as funções e os objectivos de cada movimento.

“Quem pratica Tai-Chi estuda o controle de si próprio e aprende a identificar as situações em que age mal e bem. Ganha-se uma consciência interior tão grande que passa a ser difícil ceder facilmente à irritação. Nunca se olha para o outro como um inimigo, faz-se primeiro uma análise das suas atitudes de modo a encontrar as causas do seu comportamento.”

Evolução ilimitada
Ao fim de três meses de prática já se conhecem as posições básicas e sabe-se como executá-las. Decorridos seis meses, os alunos já controlam os exercícios e são capazes de os explicar correctamente. A evolução, contudo, não pára. “Para o Tai-Chi ser benéfico é preciso ir às aulas, mas também é muito importante o ‘trabalho de casa’ individual de cada um. Depois de aprender os fundamentos desta arte, cada pessoa desenvolve o seu Tai-Chi pessoal. Trata-se de uma aprendizagem que se prolonga pela vida fora e as aulas servem apenas para cultivar uma energia maior.”

Para atingir os resultados ideais, deve ser praticado duas vezes por dia. A primeira de manhã cedo, ao nascer do sol, para começar o dia com as energias renovadas e equilibradas, a segunda à noite. Desta forma é possível compensar as acumulações excessivas de energia em determinados sítios. “Estar em pé não é a mesma coisa que estar deitado, assim como é diferente estar em movimento e estar parado. Quantas pessoas passam o dia inteiro sentadas à frente de um computador? Isto causa stress psicológico mas também corporal. Os movimentos do Tai-Chi servem para repor o equilíbrio desde os dedos dos pés à ponta dos cabelos.”

Uma das posições básicas do Tai-Chi chama-se “agarrar a árvore”. O aluno simula abraçar o tronco de uma árvore da sua altura, de joelhos flectidos e olhos fechados. Estamos perante uma arte de relaxamento, por esse motivo, interessa pouco chegar cinco minutos antes ou depois da aula. O mais importante é deixar o stress do dia-a-dia à porta, de forma a obter os melhores resultados.

O que Procura?

Esta matéria tem 3 Comentários
  1. Hilario Cunha Reply

    Agradeço contacto via eletcronica preferencialmente.
    Obrigado

  2. Hilario Cunha Reply

    Gostaria de ser contactado pelo Prof Amaral já que a minha mulher reapresenta os problemas do túnel do carpo que foram eliminados há mais de 10 anos.´
    Tlm 93 325 0317

  3. ilza ferreira Reply

    muito boa as colocaçoes referentes ao taichi pois sempre ao longo de minha vida de cidade estive envolvida com algumas filosofias que conduziam ao reconhecimento da importancia dos exercicios ,tais como:a yoga e o tai chi , mas confesso ,que so agora , apos me aposentar e verificar em mim o aparecimento de sintomas que fatalmente vao levar ao degeneramento do corpo , iniciei, e a coisa de 2 meses comecei a fazer diariamente os exercicios de taichi do pai lin , seguindo as modalidalides das 9 dobras e da energizaçao por meio dos exercicios da Agua . Entao ,como estave dizendo , so AGOR e´que vejo o real efeito dos exercicios , o e o que tenho a dizer é ´que e´ MARAVILHOSO , e todos os dias em que começo a fazer os exercicios ,sinto que psicologicamente tenho algumas resistencias , mas procuro reforçar a vontade porque relmente é muito bom para a saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *