Tendinite Poplítea

A tendinite poplítea também designada como tenossinovite do popliteo pode ser provocada por um rasgão no tendão popliteo.

Um tendão é um feixe de tecido rígido que liga os músculos aos ossos. O tendão popliteo vai desde a parte inferior traseira do fémur através da parte de trás do joelho e até à parte superior frontal da tíbia.

O tendão popliteu evita que a parte inferior da perna rode para fora quando está a correr.

tendinite do poplíteo

Causas da tendinite poplítea

A tendinite do popliteo é muitas vezes causada quando os pés se viram para dentro.

Correr em grandes descidas também pode rasgar o tendão popliteu, pois coloca demasiada pressão sobre o tendão.

TENDINITE DO POPLÍTEO corredores

Sinais e sintomas da tendinite poplítea

No caso da tendinite do popliteo pode ter uma inflamação (dor, inchaço, e sensibilidade) na parte exterior do joelho. Ignorar a dor e continuar a fazer exercício pode provocar uma inflamação ainda pior.

Com o tempo, pode formar-se tecido cicatrizado. Isto pode provocar dores crônicas quando fizer exercícios. Pode demorar várias semanas para recuperar de uma tendinite.

Prevenção e Cuidados a ter

  • Não volte a correr enquanto tiver dores e enquanto o médico não o autorizar.
  • Quando os médicos autorizarem, comece lentamente a fazer exercícios, como andar de bicicleta e correr.
  • Faça sempre exercícios de alongamento primeiro. Isto solta os músculos, especialmente os músculos isquiotibiais na parte de trás da coxa. Os alongamentos também ajudam a aliviar a pressão sobre o tendão popliteu.
  • Não corra em descidas durante, pelo menos, 3 semanas após começar a correr novamente depois dos médicos autorizarem.

Contate o seu médico se:

  1. A dor e o inchaço aumentarem.
  2. Desenvolver novos e inexplicáveis sintomas.
  3. Tiver uma temperatura superior a 38° C.

Tratamento para tendinite poplítea

TENDINITE DO POPLÍTEO tratamento com infiltrações

A parte mais importante no tratamento de uma tendinite é descansar o tendão de popliteu até se curar. Descansar a perna diminui o inchaço e evita que a tendinite piore.

Quando a dor diminuir, inicie movimentos normais e lentos.

O gelo provoca a contracção (ficar mais pequenos) dos vasos sanguíneos, o que diminui a inflamação. Coloque gelo moído num saco plástico e cubra-o com uma toalha.

Coloque-a por baixo do joelho durante 15 a 20 minutos, de hora a hora, enquanto for necessário. Não se esqueça do gelo, pois pode apanhar uma queimadura pelo frio.

Os médicos podem envolver o seu joelho com fita adesiva ou com uma ligadura elástica, para evitar que o joelho inche.

Poderão dizer-lhe para manter a perna erguida sobre um banco de apoio ou sobre almofadas, o que também ajuda a diminuir o inchaço.

Pode utilizar Ibuprofeno e Paracetamol para as dores. Estes medicamentos podem ser adquiridos como medicamentos de venda livre. Não tome Ibuprofeno se for alérgico(a) à aspirina.

O seu médico pode querer que faça fisioterapia. Um fisioterapeuta faz-lhe alguns tratamentos para ajudar a tendinite a curar-se mais depressa. Pode começar os exercícios para fortalecer o pé quando a tendinite estiver curada. Os médicos podem utilizar ultra-sons para aumentar o fluxo de sangue para a área lesionada. Isto pode ajudar a curar a tendinite mais depressa.

Os médicos podem usar a massagem para esticar o tecido e trazer calor à lesão, o que aumenta o fluxo sanguíneo. Isto pode ajudar a sua perna a curar-se mais depressa e melhor.

Quando o médico autorizar, pode aumentar gradualmente a quantidade de peso que coloca sobre a perna.

Os médicos recomendam que permaneça sem dores à medida que vai utilizando mais a perna. Também poderão recomendar-lhe a utilização de sapatos com um suporte reforçado no calcanhar.

Isto proporciona um melhor controlo do calcanhar, para evitar que o joelho rode para dentro.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:06 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)