Tique (movimento involuntário recorrente)

Os tiques são movimentos recorrentes que ocorrem em intervalos irregulares e sempre com a mesma localização. Tiques com menor expressão acontecem em cerca de ¼ de todas as crianças e normalmente desaparecem no espaço de um ano. Os tiques são três vezes mais vulgares nos rapazes do que nas raparigas. O tique constitui uma característica habitual no sindroma de Gilles de la Tourette (ver artigo no síndrome de Tourette nas crianças).

Causas dos tiques:

Os tiques não significam necessariamente a existência de um problema ou distúrbio. Normalmente, podem ser controlados com força de vontade. Contudo, desde que se manifestam para libertar a tensão emocional, esse controlo pode ser difícil ou desagradável.

Sinais e sintomas:

Os tiques não se manifestam durante o sono ou quando a criança está demasiado entretida. Eles agravam-se com o stress e quando a criança sabe que está a ser observada. Num número restrito de casos os tiques persistem ao longo da idade adulta. Muitos são de menor importância, mas alguns assumem tal gravidade e proporção que necessitam de assistência médica. Tais tiques de maior gravidade, pontualmente, afectam o diafragma provocando um som desagradável. Um tique que afecta habitualmente os adultos é o espasmo que provoca o fecho de um dos olhos conhecido como blefaroespasmo. Veja também blefarite. O blefaroespasmo neurótico pode ser muito incapacitante, a pessoa afectada, por vezes, está incapacitada de abrir os olhos mesmo nas situações em que há pouca luz. Qualquer atenção que se dê ao fenómeno faz com que ele se agrave. O blefaroespasmo, frequentemente está associado a outros tiques, tal como levantar um ombro, levantar repentinamente o queixo ou virar ou inclinar a cabeça para um dos lados.

Como se Diagnostica:
O diagnóstico baseia-se nos sintomas físicos.

Tratamento dos tiques:

O tratamento só é necessário se o tique for grave ou não desaparecer naturalmente dentro de um ano sensivelmente. Tem sido tentada a psicoterapia e o hipnotismo (hipnoterapia), mas não são considerados eficazes no tratamento de tiques graves. Alguns medicamentos tranquilizantes podem ajudar, apesar de poderem ter efeitos secundários desagradáveis. A terapia comportamental tem-se verificado ser eficaz no controlo dos tiques graves, mas não há um consenso generalizado sobre este assunto.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 13/01/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 13/01/2018 às 4:05 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)