Transtorno Obsessivo Compulsivo - TOC
Fotos Antes e Depois

Transtorno Obsessivo Compulsivo – TOC

Atualizado em 13 Janeiro 2018

O transtorno obsessivo compulsivo está classificado como uma perturbação de ansiedade. Também se designam por “TOC.” Uma obsessão é um pensamento, impulso ou imagem indesejado e intrusivo que permanece na mente grande parte do tempo de forma repetitiva. Não se consegue parar ou controlar esse pensamento. Uma compulsão é algo que se faz incessantemente por causa de um pensamento obsessivo e para prevenir o mal estar ou acontecimento ou situação temida. Poderá sentir-se bastante ansioso e assustado se tentar parar a compulsão.

Causas do transtorno obsessivo compulsivo

O TOC pode ser provocado por um problema no modo de funcionamento do cérebro. Os factores seguintes podem fazer aumentar as probabilidades de sofrer de TOC:

Idade inferior a 30 anos.

Existência de depressão no passado ou no presente.

História familiar de TOC.

Sinais e sintomas do transtorno obsessivo compulsivo

O TOC poderá começar na infância, na adolescência ou entre os 20 e os 30 anos de idade. Os sinais podem melhorar ou piorar de tempos a tempos mas poderão durar anos. Poderá sofrer de uma obsessão ou compulsão em relação à higiene corporal e de tudo o que o rodeia. Poderá querer que os objectos que o rodeiam estejam sempre arrumados. Poderá não conseguir deitar fora o que quer que seja.. Com um transtorno obsessivo compulsivo poderá ter um dos sinais ou sintomas seguintes:

Um pensamento obsessivo que não consegue tirar da mente, tal como a vontade de querer lavar as mãos.

Um acto (comportamento) compulsivo incontrolável, tal como o facto de estar sempre a lavar as mãos.

A incapacidade de parar ou de controlar o pensamento ou o acto.

Sensação de que se passa algo de errado.

Tentativa de dissimular o problema em vez de procurar ajuda.

Grande ansiedade ou nervosismo sempre que tenta eliminar o pensamento ou o comportamento.

Falta de vontade de estar ou falar com outras pessoas.

Incapacidade de executar as actividades normais devido à gravidade dos sintomas.

Diagnóstico – Como se Diagnostica:

Os sintomas obsessivos, actos compulsivos ou ambos devem estar presentes na maior parte do tempo e interferir com as actividades normais do doente. Os sintomas obsessivos devem ter as seguintes características:

devem ser reconhecidos como tendo origem no próprio;

o pensamento de execução da compulsão não deve ser ele próprio gratificante ( o facto de alívio da tensão ou ansiedade não é considerado como prazer);

os pensamentos, imagens ou impulsos devem ser desagradavelmente repetitivos.

Referir que os comportamentos ritualizados determinados pela cultura não são indicadores de TOC a não ser que excedam as normas da cultura, que ocorram em lugares ou alturas julgados inapropriados pelos outros da mesma cultura e interfiram com o desempenho dos papeis sociais.

Cuidados a ter:

Contacte o seu médico se:

Tiver questões ou preocupações relativas à doença ou aos medicamentos.

Não conseguir dormir ou dormir em demasia.

Não conseguir comer ou estiver a comer excessivamente.

Não conseguir estar presente na próxima reunião com o médico.

Procure imediatamente ajuda se:

Pensar em magoar-se a si próprio (“suicídio”) ou outra pessoa (“homicídio”).

Riscos e Complicações do transtorno obsessivo compulsivo

Poderá ter problemas escolares ou profissionais se o TOC não for tratada. Sem tratamento poderá ter dificuldades em conviver com outras pessoas. A TOC pode provocar uma depressão. Poderá então pensar em magoar-se a si próprio ou outras pessoas. Contacte o médico se estiver preocupado ou tiver questões a colocar relativas aos medicamentos ou aos tratamentos.

Tratamento do transtorno obsessivo compulsivo

Poderá tentar esconder a necessidade de receber tratamento por se sentir envergonhado. O tratamento inclui reuniões de aconselhamento no gabinete ou clínica do médico. Durante essas reuniões os médicos poderão fazer-lhe perguntas relativas ao passado. Poderá necessitar de ser hospitalizado se estiver a pensar em cometer suicídio. Os médicos podem sugerir um ou vários dos tratamentos seguintes:

  1.  
    1. Terapias de alteração do comportamento.
    2. Terapia Cognitiva.
    3. Aconselhamento.

Lidar com a situação: É difícil aceitar que sofre de uma TOC. Os que lhe são próximos poderão sentir-se revoltados, tristes ou assustados. São sentimentos normais. Fale com o médico, com familiares e amigos sobre os seus sentimentos. Anote quaisquer questões que possa ter sobre a TOC e as formas de tratamento. Desta forma não se esquecerá de as colocar ao médico na visita seguinte.

Tratamento:

Modificação comportamental: Esta terapia ensina-lhe como modificar o seu comportamento (acções) através da observação dos resultados do seus actos. Com esta terapia aprende que não realizar determinados comportamentos não tem consequências más.

Terapia Cognitiva: Esta terapia ensina-lhe métodos para pensar de forma positiva em vez de ter pensamentos negativos. A terapia cognitiva é semelhante aos jogos mentais que alteram a sua forma de pensar para que se sinta melhor.

Aconselhamento: Embora de forma não específica, este aconselhamento visa melhorar a qualidade de vida do doente e da família. Poderá revelar-se útil uma reunião da sua família com o médico para falarem sobre o modo como as coisas decorrem em casa. Os membros da família poderão ter preocupações sobre as quais gostariam de falar. O médico pode ajudar a sua família a compreender o transtorno obsessivo compulsivo. Tome sempre os medicamentos da forma prescrita pelo médico. Contacte o seu médico se achar que os medicamentos não o estão a ajudar. Não deixe de tomar os remédios sem a permissão do seu médico. Mantenha uma lista escrita dos medicamentos que está a tomar e das alturas em que os está a tomar. Leve sempre consigo a lista dos medicamentos ou os frascos dos medicamentos quando tiver consultas com os seus médicos. Saiba porque está a tomar cada um dos medicamentos. Se estiver a tomar medicamentos que o façam sentir sonolento, não conduza nem utilize equipamentos pesados. O exercício fará com que se sinta melhor. Andar a pé é um bom exercício e fácil de executar. Aprenda a relaxar. Há inúmeros livros e cassetes que o podem ajudar. Solicite-os ao médico se pretender mais informações sobre métodos de relaxamento.

 Videos:

Segunda Parte

Participe no Forum. Deixe a Sua Dúvida ou Comentário

Campos de Preenchimento Obrigatório marcados com *



Seguir fotosantesedepois.com

Siga-nos na rede social Facebook e receba dicas sobre os temas de saúde mais atuais.

Facebook Fotos Antes e Depois
Receber Dicas de Saúde?

Se está interessado/a em receber no seu Email, dicas de saúde, remédios caseiros..., subscreva a nossa newsletter.

Contacte-nos

© 2018 Fotos Antes e Depois | Politica de Privacidade