23 Incríveis Tratamentos para Depressão Pós-parto

Olha só que lindo bebê!” Se depois disso você perceber que, surpreendentemente, está se sentindo extremamente em baixo, cansada, ansiosa e deprimida, em vez de se sentir alegre, talvez você esteja com a conhecida depressão pós-parto.

Depressão Pós Parto

Ao contrário de um estresse psicológico temporário, a depressão pós-parto não é algo que deva ser ignorado.

Com uma incidência de 1 em cada 7 gestantes, esse grave transtorno do humor afeta mulheres após o parto — em alguns casos, o problema se manifesta até um ano após o nascimento do bebê. (1)

O que é depressão pós-parto?

A depressão pós-parto (DPP) pode atingir qualquer mulher que tiver um bebê. Com sintomas que não diferem muito daqueles relacionados à depressão, esse transtorno faz com que a tarefa de cuidar do filho seja desafiadora para a nova mãe.

Em geral, mau humor, cansaço, confusão, perda de apetite e de interesse em tudo são alguns sinais do problema.

Esses sinais são agravados por um sentimento de culpa, ansiedade e angústia por não ser o retrato da mãe perfeita. (2)

Uma leve sensação de tristeza e mudanças de humor são comuns entre todas as mulheres que acabaram de se tornar mães.

Mas diferentemente daquela situação momentânea e passageira (que desaparece após a tomada de alguns cuidados básicos e ajuda externa), a depressão pós-parto é mais grave.

Para a maioria das mulheres com o transtorno, os sintomas aparecem pela primeira vez duas semanas após elas darem à luz. Porém, há casos surgindo de forma tardia — até cerca de um ano após o parto. (3)

Felizmente, existem muitas maneiras de tratar a depressão pós-parto e aliviar os sintomas associados a ela.

Tratamento convencional para depressão pós-parto

As opções de tratamento convencional para a depressão pós-parto incluem medicação ou psicoterapia — isoladamente ou ou em um grupo. Eis como esses métodos funcionam (4):

Terapia cognitivo-comportamental (TCC)

A TCC pode ajudá-la a pensar positivamente e a redefinir suas expectativas irrealistas de ser mãe.

O objetivo é quebrar o padrão de pensamento negativo. Você pode fazer isso em sessões individuais ou como parte de um grupo. Essa terapia dura de três a quatro meses. (5)

Terapia interpessoal (TIP)

A TIP compreende sessões individuais com um terapeuta, durante as quais você pode falar sobre as questões que estiver enfrentando.

Isso permite que você identifique problemas específicos encarados dentro do seu círculo de colegas, amigos e família, possibilitando um entendimento melhor da sua situação.

Como na TCC, conclua o tratamento de três a quatro meses.

Antidepressivos

Conforme necessário, os antidepressivos podem ser usados em várias combinações ou em conjunto com uma terapia.

Eles ajudam a restaurar o equilíbrio de substâncias químicas no cérebro para trazer seu humor de volta aos trilhos.

No entanto, os efeitos colaterais, como enjoos, boca seca, visão turva, tontura, agitação, tremores, constipação, e a possibilidade de transmitir a droga através do leite materno são preocupações que impedem muitas mulheres de receber esse tipo de ajuda.

Dadas as limitações dos principais medicamentos, o gasto de tempo e dinheiro com os as terapias regulares TCC e TIP, as terapias e remédios alternativos têm desempenhado um papel importante na recuperação de mulheres que tentam superar a depressão pós-parto.

Conheça Algumas Alternativas Naturais aos Antidepressivos

Terapias alternativas

Se você estiver buscando um tratamento para depressão pós-parto que dispense os remédios convencionais, ao mesmo tempo em que não consegue se ver se abrindo com um estranho em um grupo de ajuda ou sessão de terapia, alguns tratamentos naturais para a depressão pós-parto podem ser a solução.

Aromaterapia

Aromaterapia

Pesquisas mostram que a aromaterapia pode ajudar a aliviar a ansiedade, além dos sintomas depressivos associados à depressão pós-parto.

Em um estudo, uma mistura de óleos essenciais de rosa Otto com lavanda foi utilizada em sessões de 15 minutos durante 4 semanas.

As mulheres que fizeram aromaterapia sentiram melhoras significativas na amenização dos sintomas — em comparação com aquelas do grupo controle. Além disso, elas também não relataram nenhuma reação adversa. (6)

Acupuntura

A acupuntura pode ajudar a estimular o fluxo de energia e restaurar o equilíbrio corporal. A experiência é tão profunda e relaxante que você pode até adormecer durante as sessões, proporcionando o descanso do qual você tanto necessita.

Em geral, a acupuntura é considerada uma terapia benéfica para tratar a ansiedade e depressão.

Apesar de haver uma abundante investigação sobre seus benefícios, são necessários mais estudos para ver se ela ajuda com relação à depressão pós-parto.

Mas desde que não haja nenhuma contra-indicação, a tentativa é válida. (7)

Terapia da luz brilhante

A terapia da luz tem a vantagem de ser uma opção de tratamento leve, que não causa efeitos colaterais. Além disso, é algo que você mesmo pode fazer em casa (se quiser).

Tudo o que você precisa fazer é se sentar à frente de uma “caixa de luz” após acordar. Essa “caixa” emite uma luz semelhante à luminosidade natural ao ar livre.

O tratamento tem sido muito eficaz em outras condições médicas, como o transtorno afetivo sazonal (TAS) e o transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM), que têm sintomas semelhantes quanto ao mau humor, fadiga, sonolência, isolamento social e diminuição do interesse pelas atividades diárias.

Estudos preliminares têm comprovado o potencial desse tratamento para a depressão pós-parto, mas pesquisas mais aprofundadas ainda precisam ser realizadas. (8)

Ácidos gordos Ômega-3

O ômega 3, encontrado em determinados alimentos, como nozes e peixes gordos, são benéficos no tratamento da depressão e podem ajudar na depressão pós-parto.

Consumir esses alimentos também ajuda a repor a carência de ômega-3 no organismo, que utiliza esse ácido graxo durante o desenvolvimento do sistema nervoso do bebê no útero.

Infelizmente, até o momento os experimentos e estudos realizados consideraram somente pequenas amostras.

Faça a ingestão dessas fontes alimentares para explorar os benefícios desse ácido gordo.

Caso consuma algum suplemento, limite a ingestão a pequenas quantidades (menos de 3 a 4g por dia). Mas certifique-se de consultar seu médico antes de começar a usar suplementos. (9)

Remédios homeopáticos

A homeopatia pode ser uma alternativa natural para tratar a depressão pós-parto e prescrever vários tipos de medicação.

Simultaneamente com o uso dos medicamentos homeopáticos exibidos abaixo, os homeopatas também recomendam a prática de alguma atividade física reconfortante, como dançar, para ajudar na recuperação. (10)

Sépia

A sépia é uma escolha indicada para as mulheres que estejam apresentando um sentimento de desamparo e vontade de desistir.

As pacientes que acreditam odiar seu parceiro e filho não conseguem enxergar nenhuma esperança no horizonte. Soma-se a esse desafio a insônia, o que torna a mulher ainda mais cansada, além de piorar os sintomas de inadequação sentidos por ela perante a situação.

Pulsatilla

Esse remédio é sugerido para mulheres mais sensíveis e maternais, mas que ainda assim estejam lutando contra a depressão pós-parto.

Se você acha que chorar ajuda a aliviar os sintomas, talvez essa medicação possa ser útil.

Lycopodium

Esse é outro remédio herbal para depressão pós-parto para o caso de você sentir desespero e desesperança, além de começar a chorar quando alguém lhe mostrar simpatia.

A baixa autoestima pode ser acompanhada por um medo de falhar. Você também pode perceber que os sintomas parecem diminuir à noite.

Se o exercício e a dança não darem grandes contribuições para melhorar seu humor, o lycopodium pode ser mais adequado.

Os homeopatas relatam que as mulheres que respondem a esse tratamento podem haver apresentado, anteriormente, sinais de intestino irritável.

Ignatia amara

A ignatia ajuda as mulheres com depressão pós-parto que passam por mudanças e sentem como se estivessem em uma “montanha russa emocional.”

Se, durante muito tempo, você romantizou as ideias sobre o que seria ter um bebê, mas se deparou com uma realidade mais desafiadora, a ignatia amara pode ajudá-la a lidar com a depressão e a culpa.

As mulheres com essa forma de depressão tentam esconder seus verdadeiros sentimentos devido ao medo de perderem seus bebês — por conta de elas não serem boas mães.

O reconhecimento do problema e a solidariedade das pessoas próximas da paciente podem ajudar. Se estiver enfrentando esse problema, também é importante conversar com alguém próximo a você.

Remédios ayurvédicos

Remédios Ayurvédicos

De acordo com a Ayurveda, a depressão pós-parto é resultado do excesso de dosha vata na pelve, o que torna as mães emocionalmente ausentes e incapazes de criar laços com seus bebês.

O dosha kapha da região deve ser restaurado para manter o equilíbrio energético do corpo.

A seguir, são exibidos alguns tratamentos que podem ser prescritos para rejuvenescer o corpo e a mente. (11)

Abhyanga

As terapias tradicionais com óleo, como a swedana (terapia de vapor e shirodhara,  na qual líquidos medicamentosos são derramados suavemente na testa), podem ser administradas para estabeler a força e restaurar a vitalidade do seu corpo como um todo.

O panchakarma (outro ritual que pode ser sugerido) é composto por cinco tratamentos para a limpeza e desintoxicação do corpo.

Rasayanas

Rasayanas, misturas de ervas naturais com o fim de impulsionar os fluidos corporais, como o plasma e a linfa, ajudam a restaurar uma digestão saudável.

Mudanças do estilo de vida

Dentre outras coisas, pode ser solicitado que você:

  • Pratique a contenção sexual
  • Descanse por um descanso satisfatório
  • Coma uma dieta leve, com alimentos como kitchdi (feijão chinês, arroz e salada)

Ioga e respiração profunda

Ioga

Pesquisas mostraram que a ioga pode ser uma maneira eficaz de aliviar o estresse, depressão, ansiedade e dor crônica, além de melhorar o sono, e a saúde psicológica de mulheres grávidas.

Ao executar as asanas (posturas da ioga), você melhora a flexibilidade e a circulação, além de aguçar a agilidade mental e aprimorar os níveis de energia.

É a receita perfeita para uma nova mãe estressada que tem uma reserva de energia que está se esgotando rapidamente!

Em um estudo, mulheres com depressão pós-parto fizeram aulas de ioga duas vezes por semana durante 8 semanas.

Após a intervenção da ioga, 78% delas manifestaram uma melhora clínica significativa, com uma amenização dos sintomas de depressão e ansiedade, além do aumento do índice de qualidade de vida relacionado à saúde. (12)

Na sequência, são exibidas algumas asanas de ioga e técnicas sugeridas especificamente para combater a depressão pós-parto.

Perceba que você pode aprender muita outras asanas para tratar de problemas específicos, como alguma indisposição. Contate sua escola de ioga para obter detalhes.

» Conheça 13 Benefícios da Ioga Apoiados pela Ciência

Flexão rítmica da coluna vertebral

Esse movimento da ioga Kundalini massagea suas glândulas suprarrenais e ajuda a colocá-lo em um estado próximo do transe, ajudando a curá-lo. (13)

  • Comece se sentando na posição sukhasana, mantendo os braços abertos para frente, pulsos cruzados e olhos fechados.
  • Inspire, enquanto levanta os braços até o terceiro olho. Flexione o pescoço e a coluna para a frente. À medida que faz isso, imagine algo ou um lugar que te deixe feliz. Sinta como se você estivesse recebendo todo o apoio.
  • Expire vigorosamente, à medida que leva seus braços até o umbigo, deixando sua coluna curvada para o outro lado. Visualize a liberação de outras expectativas através do centro do seu umbigo, também conhecido como o terceiro chakra.

Pranayama

Pranayama

A respiração ioga (ou pranayama) é uma forma de respiração muito profunda, desenvolvida para combater o estresse. (14)

A seguir, veja como você pode executar o nadi shodhana pranayama ou canal de respiração, uma técnica de respiração lenta que pode expulsar a ansiedade e o estresse. (15)

  • Sente-se com as pernas cruzadas (postura sukhasana) e expire profundamente.
  • Segure a narina direita fechada usando o polegar, permitindo que o ar entrar pela outra narina.
  • Após concluir a inalação pela esquerda, feche-a com o quarto e quinto dedos.
  • Em seguida, feche ambas as narinas. Prenda a respiração por um um ou dois segundos.
  • Agora, mantenha a narina esquerda fechada e expire lentamente pela narina direita.
  • Tome fôlego pela narina direita, mantendo a esquerda fechada.
  • Segure ambas as narinas fechadas novamente por alguns segundos.
  • Por último, feche a narina direita e expire pela narina esquerda. Respire pela narina esquerda, mantendo a direita fechada.

Savasana

Savasana

A concentração é um importante princípio da ioga e pode ajudá-la a começar e terminar sua sessão por meio de uma meditação. O savasana pode auxiliá-la nesse processo.

A postura, desenvolvida para proporcionar o relaxamento total, pode ser realizada como demonstrado a seguir (16):

  • Deite-se de costas, mantendo os braços nas laterais do corpo e as palmas das mãos voltadas para cima.
  • Visualize seu nariz, testa, língua e até mesmo seus canais auditivos internos se acalmando e relaxando. Imagine seus olhos se voltando para dentro do crânio.
  • Nesse ponto, os músculos do rosto devem estar completamente relaxados.
  • Agora, inspire profundamente, sentindo sua barriga ser preenchida.
  • Expire, esvazie o ar, e sinta como ela achata.
  • Continue fazendo isso durante pelo menos cinco minutos, mantendo o exercício enquanto você desejar se sentir completamente relaxada.

Remédios caseiros para a depressão pós-parto

Muitas vezes, principalmente nas formas mais leves de depressão pós-parto, a autoajuda pode ser bem eficaz.

Mesmo que você obtenha ajuda médica profissional e especializada, receba uma terapia ou uma abordagem feita por um praticante da medicina Ayurvédica, ou realize uma terapia homeopata, algumas coisas podem tornar a vida um pouco melhor e facilitar a busca de si mesmo.

Acompanhe algumas dicas sobre como lidar com a depressão pós-parto (17):

Busque ajuda: Não tente lidar com o transtorno sozinha. Se você tiver um parceiro, fale com ele. Peça ajuda para efetuar as tarefas e os deveres associados aos cuidados com o bebê.

Compartilhe a responsabilidade. Se você estiver sozinha, escale um amigo próximo ou membro da família para ajudar.

Pratique exercício: Seja trabalhar fora, dar um leve passeio no parque, participar de uma sessão de dança contagiante ou de uma aula de ioga em casa pode ajudar.

Converse: Às vezes, o que ajuda com a depressão pós-parto é apenas ser capaz de conversar com outra pessoa. Converse com as pessoas próximas sobre o problema. Isso pode ajudar a reduzir os sentimentos de isolamento e desespero.

Reserve um tempo só para você: Você precisa reservar algum tempo para si mesma.

Contrate uma babá ou pague uma creche apenas para que você possa dormir, exercitar-se, ler um livro, assistir a um filme ou tomar um banho longo e despreocupado.

Mesmo que seja impossível fazer isso todos os dias, certifique-se de ter algum tempo livre para si mesma semanalmente e com intervalos regulares.

Durma bem: Tente dormir e descansar sempre que possível. Divida as funções de cuidados noturnos do bebê com seu parceiro. Se estiver solteira, siga a rotina do “durma enquanto o bebê dorme”.

Tenha uma alimentação saudável: Coma muitos alimentos frescos e mantenha seu corpo saudável. Evite pular as refeições, pois fará você se sentir ainda mais cansada e mal humorada.

Fique longe do álcool e das drogas: Eles podem parecer uma fuga da realidade, mas só vão piorar os sintomas da depressão pós-parto.

Saia e tome sol: A luz do sol pode ajudar a levantar o seu humor. Ao receber vitamina D, você ganha muita energia para prosseguir na luta contra a depressão.

A erva-de-São-João é uma boa ideia?

Outro remédio caseiro (do qual você pode ter ouvido falar) para o tratamento da depressão pós-parto é a erva-de-São-João.

Trata-se, de fato, de um remédio muito popular para a depressão (de um modo geral).

Todavia, como alguns pesquisadores alertam, embora estudos preliminares não tenham detectado quaisquer efeitos colaterais desse remédio herbal nas mães ou crianças, estudos de longo prazo sobre os efeitos causados nas crianças devem ser feitos antes que se possa recomendar esse medicamento para tratar a depressão pós-parto. (18)

Outra ressalva é que o remédio provou ser menos eficaz em casos graves de depressão, embora ele tem melhorado a condição clínica das pacientes que possuíam uma depressão de leve a moderada.

Informações que lhe podem ser Úteis:

Última atualização da página em 01/10/18 por:

Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)

Licenciada em Medicina Geral e uma apaixonada por Medicina Alternativa, Aromaterapia e Fitoterapia.

Faça um Comentário
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Última atualização da página: 1/10/2018 às 12:19 horas por: Dra. Alice Wegmann (Clínica Geral)